A bela e a Fera

  • View
    433

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Peça teatral

Text of A bela e a Fera

  • 1. A Bela e a Fera (No comeo todos fazem o papel de narradores, depois vestem seus adereos em cena e viram moradores do vilarejo onde mora Bela). Era uma vez um prncipe muito bonito, rico e arrogante que vivia em um enorme castelo. Pessoa 2 - Certo dia uma velha senhora bateu em sua porta pedindo ajuda. Pessoa 3- O prncipe vendo aquilo debochou da feiura da velha e mandou que ela fosse embora. Pessoa 4 - No mesmo instante aquela senhora se transformou em uma linda princesa na sua frente, era uma feiticeira testando o carter do prncipe. Pessoa 5 Como castigo, jogou um feitio em cima do prncipe transformando-o em uma fera horrvel e todos os empregados do castelo em objetos. Pessoa 6 - Antes de sair deixou em sua mo uma rosa e um recado: Se quiser que esse feitio se desfaa, ter at a queda desta ltima ptala para arranjar quem o ame. Pessoa 7 - Se isso no acontecer, ficar assim para sempre. Pessoa 8 - Mas quem poderia enxergar atravs daquela horrvel fera o corao bom de um homem? (Msica, todos vestem seus adereos se transformando em pessoas comuns do vilarejo, cada um est fazendo um tipo de ao. Bela passeia entre eles lendo um livro. Msica baixa). Pessoa 1 - Olha que menina estranha! Pessoa 2- metida a inteligente, tem mania de leitura. Pessoa 3- diferente das irms. Pessoa 4- Eu acho ela feia! Pessoa 5 Horrorosa! No tem charme. Pessoa 6 Dizem que ela meio doida. Pessoa 7 Coitado de seu pai. Narradora Ela uma moa especial! Todos Estranha! Gaston Fiquem quietos, no falem mal de Bela! Teles (imitando-o) , no falem mal de Bela! (Todos saem, entram as irms e depois Bela). Narradores: O pai dessas adorveis criaturas era muito rico, mas um certo dia, perdeu toda sua fortuna, restando apenas uma pequena casa no campo, bem longe da cidade. Pai de Bela aos filhos (chorando): Meus queridos filhos, agora que perdemos toda nossa fortuna, vamos ter que morar na casinha do campo e trabalhar l como camponeses. S assim, iremos sobreviver... Narradores: Essas gentis senhoritas estavam muito enganadas. Seus admiradores no queriam mais nem olhar para elas agora que estavam pobres. J com a Bela era diferente, muito moos queria casar com ela, e ela sempre recusava os convites com a mesma educao com que eles eram feitos. Gaston, era um deles, bonito, forte, porm era muito bruto, arrogante e sempre abordava Bela de maneira grosseira.

2. Gaston: Case-se comigo, Bela? Voc uma moa to bonita,merece o melhor. E quem o melhor nessa vila hein, hein? Bela: Obrigada, mas sou muito jovem e tambm quero cuidar mais do meu pai, tenho certeza que voc achar algum que o merea. Gaston Eu que decido quem me merece ou no. E eu escolhi voc Bela! Bela Desculpe tenho que ir andando... Gaston Voc ser minha Bela (gritando) minhaaaaa! Narradores Ento o pai partiu. Como o dia estava nebuloso e era a primeira vez que ia para cidade desde que chegaram ao campo, teve dificuldades no caminho. (A cena mostra o pai com dificuldades para andar a cavalo por causa da ventania, em seguida ele cai do cavalo). Pai Ai meu Deus, est to frio! Essa ventania no para!. J est escurecendo.(Ouvindo) Que barulho esse? So lobos? Vo me devorar a noite! (vendo) O que aquilo? meu Deus, um castelo! Tenho que chegar l (os lobos aparecem). Ai...e agora? (O pai pega um pedao de pau e luta com alguns lobos, depois corre com os lobos atrs. Sai de cena, quando volta j est dentro do castelo. L ele encontra uma mesa com refeio para uma pessoa). Pai- Ainda bem que consegui me livrar daqueles lobos! (chamando) Ol! Tem algum ai? Relgio Vamos fazer silncio, quem sabe ele vai embora! Pai Eu me perdi na floresta desculpe ter entrado assim, que havia lobos atrs de mim. Castial Ai pessoal, coitado! Temos que ajud-lo, ele deve estar com fome e com frio. Castial Porque voc no se senta um pouco? Pai Quem disse isso? Castial Eu. Relgio O patro no vai gostar nada disso. Lumier Ch, por favor! (Entra o bule) Bule (enchendo a xcara de ch) um prazer t-lo aqui senhor. (para sua filha xcara). Sirva-o querida! Xcara Beba senhor! (depois que ele bebe) Hahahaha a barba dele faz ccegas. Vela- Coma a vontade, o senhor est muito plido. 3. Pai Nossa, um castelo encantado! Relgio Oras, como chegou a essa concluso? Livro (Irnico) Bem, acho que por ele mesmo. (Todos escutam o som da Fera se aproximando e se encolhem). Fera (gritando) Como ousa entrar sem ter sido convidado? Relgio Eu quis avisar senhor, mas... Fera (interrompendo) Silncio! Pai Desculpe, eu no queria lhe ofender, que estava com frio... Fera- Veio para ver a Fera, no ? Ento olhe bem para mim. Ser o meu prisioneiro para sempre. (Arrasta o pai). Pai (Gritando) Nooooooooooooooooo!!!! (As luzes acendem-se e apagam-se, ouve barulho de chuva e trovo. Entram as narradoras). Narradoras A sorte que o cavalo voltou para vila e Bela preocupada montou nele e pediu que a mostrasse onde seu pai estava. Bela era muito corajosa e quando viu aquele enorme castelo sentiu um frio na barriga, mas foi entrando confiante. Bela Paaaaaiiiiiiii!!!!!! (Sai do palco quando volta encontra seu pai preso) Pai Bela! Bela Papai Fera Quem te convidou para vir aqui? Bela Solte meu pai por favor, ele no fez nada! Ele est doente, no vai aguentar ficar aqui. Fera (gritando) Noo! Bela E se eu ficar no lugar dele? Pai No. Fera Teria coragem de ficar no lugar dele? Bela Sim teria e estou disposta a isso. (Em um gesto rpido a Fera liberta o pai e coloca Bela em seu lugar, o pai sai gritando por Bela e Bela gritando por ele). Fera- Leve ele de volta para vila. 4. Relgio Chefe, j que a menina vai morar aqui ela poderia ficar mais a vontade, porque voc no mostra o quarto dela? (A Fera rosna de raiva mas depois atende o pedido do relgio livro. Bela est chorando de cabea baixa). Bela Nem deixou eu me despedir dele. Nunca mais vou v-lo! Fera- Venha vou lhe mostra seu quarto. Bela (admirada) Meu quarto? Fera Ou prefere ficar trancada? Bela No, no. Fera Voc pode circular por toda parte do castelo, aqui ser sua nova casa. (gritando) Porm, no ouse visitar a ala oeste, uma ordem! (Saem, depois volta a Fera e a vela e o livro). Vela O senhor j pensou que esta pode ser a menina que vai quebrar o encanto mestre? Fera (rspido) Lgico que j pensei. Vela Ento seria bom trat-la com carinho. Seja Cortez. Livro - Corts: bem educado, delicado, polido. Fera (gritando) Eu sei. (triste) Embora aquela bruxa tenha levado boa parte da minha inteligncia eu sei. Vou cham-la para o jantar de hoje. (Sa, quando volta Bela est no palco). Fera- Quero que jante comigo hoje a noite, as nove horas, isso no um pedido. Bela Eu no vou. Fera O qu? Isso uma ordem! Bela Voc no manda em mim, eu no vou! Fera Se no vai jantar comigo ento vai passar fome! (fala para os objetos) No quero que ela coma nada, ouviram? Todos os objetos Uhum Narradoras Porm, quando o relgio bateu meia noite ela ficou com muita fome ento resolveu ir ponta do p at a cozinha ver se arranjava algo para comer. Bule Ela muito bonita aquela moa. Relgio Ela nossa esperana. Espanador O nico jeito de voltarmos a ser humanos novamente. 5. Vela Precisamos torcer para ela e nosso senhor se apaixonarem. Bule Verdade, ela precisa dizer que ama ele sinceramente para isso acontecer, porque ele...bem, ele j deve estar caidinho por ela. Relgio Silncio tem gente vindo ai. (Entra Bela) Vela Ol mademoiselle. Bela Quem disse isso? Vela Aqui Bela Olha s! Estou em um castelo encantado! vela Somos todos seus criados madame. Bule- O que deseja meu bem? Bela- , estou com fome! Relgio para j. (A cena congela, depois todos saem de cena) Narradora Ali, Bela percebeu que no precisava ter medo daquele castelo e nem mesmo da Fera, sentiu-se no meio de amigos e comeu feliz da vida no meio deles. Depois pediu a vela e ao livro que lhe mostrasse o castelo. Distrados os objetos deixaram que ela subisse at a ala oeste. Bela entra sozinha na ala oeste e se depara com a rosa enfeitiada Fera (gritando)- O que est fazendo aqui? Eu disse para voc no vir aqui. Bela Desculpe, eu no queria lhe ofender. Fera- Imagine o que poderia ter acontecido! Saia j daqui! Bela Eu vou mesmo, no vou ficar mais nenhum minuto nesse castelo. (Msica. Bela sai chorando. Pega seu cavalo e atravessa a floresta. Luz baixa. Sons de lobos. Bela est com medo, logo surgi um lobo, que ela tenta lutar, depois surge outros, ela fica encurralada, apavorada e comea a gritar. A Fera surge combatendo todos os lobos, esses avanam sobre a Fera, mas ela afasta todos de perto, depois a Fera cai machucada. Bela se comove e levanta-o, ajudando-o a voltar para o castelo). (Enquanto isso na vila o Pai chega desesperado e encontra as filhas, Gaston e seu amigo que no ligam para seu desespero) Gaston (irritado) Bela, bela, bel ...Voc ainda, h de me querer! Irm 2- No ligue tanto para ela. 6. Irm 3 Voc deveria dar valor a quem te quer bem. (Entra o pai desesperado) Pai Socorram, por favor, Bela est nas mos de uma fera horrvel. Gaston O que foi velho? Pai Eu fui raptado por uma fera, mas bela apareceu e foi presa em meu lugar. (Irms tentam disfarar o riso) Teles (no ouvido de Gastn) Ele est ficando louco! Gaston Estou percebendo... Pai Ningum vai fazer nada? Ningum vai me ajudar? Ora, eu vou resolver isso sozinho ento. Irms Papai est ficando biruta o coitado! Irm 1 Se bem que poderia ser verdade essa histria. (As outras irms riem. Elas ficam em um canto cochichando. Foco em Gaston e no seu amigo). Teles Eu acabo de ter uma ideia. Gaston timo! O que ? Teles - O pai da sua amada est ficando louco pelo que parece certo? Gaston ...ele nunca bateu muito bem... Teles Poderamos entrar com um pedido de internao em um hospcio, chamaramos todas as pessoas da vila e contaramos essa histria de fera que ele inventou. As pessoas te adoram Gaston e melhor: elas tm medo de voc! Isso vai ajudar todas as pessoas assinarem o documento que eu vou preparar para o diretor do hospcio. Bela estando desamparada voc poder se casar com ela a fora.