Dicionrio de Acordes - Almir Chediak

  • View
    4.549

  • Download
    1.636

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Abordagem harmônica para guitarra e violão.

Text of Dicionrio de Acordes - Almir Chediak

  • 1. DICIONRIO DE ACORDES CIFRAD OS harmonia aplicada msica popular violo - guitarra piano -orgo e outros instrumentros HF' edio revisada
  • 2. MAGRO (MPBv-U _ . . . Um livro que deve estar na mes: : de trabalho de todo msico que se prwa. lnstrumentirla. com- positor ou arranjador. . . . ROSINHA DE VALENA Finalmente numas msicos tero em mos uma obra completa que sera' de grande utilidade. . . . GILSON PERANZZETTA , .os msicos tm agora. um trabalho que enfoca o dita-dia. . . . MAURO SENISE lzssc "Dicionario de Acordes Cifrados" . . . nov. mostra com clama todas : u formas de cscrevermos c empregarmos as cifras. . . . NIVALDO ORNELAS 0 presente livro um dadn importante na literatura brasileira. . . . DINO (7 Cordas) . . . .Ns. que vivemos da e para a msica. s temos a agradecer e recomendar a obra de Almir pan todos os que desejam crescer musicalmente. Fate livro trata com a devida profundidade ; assuntos que, apesar de bsicos. at o momento no lm- l l RAFAEL RABELLO (7 Cordas) l viam sido condensado; em uma nica obra. _ . . lkstina-se tanto a iniciantes quanto a profissionais. E JAQUES MORlLliMB/ UM . . . .em- livm c' fruto de pesquisa do que h de mais moderno, e por conseguinte mais objetivo. em l termos de grafia musical. . . . RICARDO SlLVElil/ t Fm- trabalhn : - da cxtn-. nna utilidade para estudantes de msica na rea da harmonizao popular. . . . JAMIL JOANES _ . vc-jo nHw trabalho uma janela aberta para quem quer esta! a par' do que faz e podera' fazer har- monicamente na execuo de um instrumento. . . . BETII CARVALHO Esta obra dc Almir Chediak e'. sem dvida. a melhor e mais minuciosa que pude apreciar. Almir, voc um grande hrasileim. ' WALTEL BRANCO Almir. sempre que leio sobre harmonia tico em dvida com detalhes como: usar uma escala. cifra. omitir uma nota. 0 teu livro perfeito, POX no deixa dvida sobre o que eu citei. parabns. ANTONIO ADOLFO Esle traballio do Almir Chediak muito profundo e foi elaborado durante o tempo necessrio para se conhecer bem os caminhos da harmonia. . . . NELSON ANGELO . todm ns seremnx beneficiados por este nobre e paciente "DICIONRIO DE ACORDES Cl- FRADOS". . . . ANDRE DEOUECH . . . .Existem inmeros livrns vnhre esse assunto no mercado americano. mas eles se propem renas a doutrinar. Cm dos grandes mritos desse trabalho que ele se prope a discutir a quextio. . . .
  • 3. ALMIR CIIEDIAK DICIONRIO DE ACORDES CIFRADOS com REPRESENTAO GRFICA PARA vIoLo (GUITARRAD. CONTENDO TAMBM NOES DE ESTRUTURA DOS ACORDES, EXERCIUOS DE PROGRESSES HARMONICAS E MSICAS ANALISADAS A sistemtica de cifra deste dicionrio est sendo adotada no curso livre dc arranjo da Escola de Msica da Llnivcrsidadc do Rio de Janeiro (VUNLRIO), no Curso Superior de Violo da SUAM (Sncicdadc Unificada du Ensino Superior Augusto Motta) c na MSICA DE MINAS r escola livre (BH)
  • 4. Capa; Bruno Liberar Foto : Frcdercu ; Mendes Reviso Ortogrm: Prof'. Anrunio Jos (Vrediak Diagramao e Ane: Robson Pires de Almeida Composio: J. Dantas ' tfnpvright um by IIUAAUS VITALE SEA, Ll)_ FI IM r So Paulo ~ Min : Ie Jancrro Brasrl Todos ns rlirertos aulurars rmerrxados para todas us Iursos AJ! Rrghts lu-se-rvcd - lnlermtroml Fupyaright Secured
  • 5. Aos anrigus' e msicos' que (vlw bnraram direta ou inclireruirzerzre para que exte trabalho fosse real- zado e a rorox as estudantes de nzsica em geral. Agradecimento: especiaix a lan (uest cujo apoio _foi imprescindvel realizao deste trabalho.
  • 6. INTRODUO llzl quase : anta: maneiras de escrever cifras quantos so ns manuscritos de pariiruras e' at mesmo edies de melodias cifradus c livros didticos. Em ma~ lria do cifragon no me parem ! er-se chegada an hn/ a a um . sistema amplamen- rw adotado 4', purlanlr), racional. 0 que a cifra pre/ male dar ao FICUHVIIP uma idia exata da harmonia, .ve/ a para arwmpanhamcnlu uu para impmviso. pcrnxitirxdoJhc no s a leitura fdl v dcsrurzrraida (libertando, assim, a meme para as nuances de lrzierprverawo. mas lamhrn o impulso criativo individual. lsio. porque o acorde, representado pela cjra, min um grupo de 3, 4 ou 5 notas scparadas pvlu tera como muito: acreditar: : e sim, uma gama inteira de 7 nu ! nais natas_ d( um simulrnm uu . su- r. v.1-r c' rm posio mio crslabvlccida. Fica por coma do cxecurarzlc' escolher: : combinao de mns, Inxtrr n nmrm injinilu de possibilidades. Na ltima dcada a msica brasileira conquista os continentes e tanzbn a prmrna da msira : lu mundo se fa: sentir aqui, da nzarxeim crescente. Coma decorrncia e por necessidade, n msico brasileira ! em que se sujei- Iar, e-ntrv outras coisas, a' linguagcn intemacioraalmcrzie adorada do sinxbolisnzo em rifras () presunto dicionrio de . Almir Chediak. alm de ojarecer numtmsas uprirs rara a : :traio de um dcicrruinado acorde, tra: :ambvrz a sistema de cnjragen adm: : rrycruin, invplicxmllr) num r-un_llili bvia mas inevilrel cum a maioria das' pmhluracrs tmlennrrs : in gnrra, *m nnsm pHS vz (bhr 474111, 'nais uma nbserluzuz) Ma' wrdado . van pmuws m '_'1l_l"0.' qm'. ar) . Hanna/ tirar uma Mulan/ ia', se' (M0 com: : JC que veda avnnic ! mn a sua juno . lemm Ja I(IV'PI()HVZ. 'J; '1( f) _mm : lv zada amrdr min (HPISIZJ dr ser id menor, n Ivivraur nu di# rumor_ mas dcpendz' Je sua ju/ Iga [550 quer dizer que (miar avar- . vir ! rm uma Imuhzalu (o grau da vscala 9nd? v' Uonstnndo) e um rmpvl' prcpa Va, IUJHIP . m rslaruli! r* quando resolvi", pode" _iazr 'n ram maior (JU mrnnr fora r' auim por lia/ no Para sahrr harmnnwar mlSpPnVYF a analise lilmional e este livro. alm de muxlrar us ucarcics com sua Estrutura isnlaula, apresvnm. ranzhnr_ as sua: _fun cs, usando raras analriras' arUp/ adax as ufrax priiliras e (LXVCFIGHLU sobre u um unrinuul Jos . Mordrs com ahundames ctrernplavs em cada situao Desejo que ele alcance r hrnvjre os estudiosos' e as msicos j formados, em geral, no s pela enriquecimento de seus 78010803' Icmras. mas tambm pela assimilayaa do . rms-ma universal de: natao cm cifras r objetivo alis, sem d- vida alguma, deste trabalho, [MN GUEST 34v
  • 7. PREFCIO Aproveitando tmtar-se de um Dicionario de Atwrdes. o presente livro e. tam- bnt. uma tentativa de racionalizar c uniformizar o sistema de cifragcm, levando em considerao as diferentes correntes nacionais e internacionais em uso. Para que o mesmo se torne compreensvel, o leitor enmntmr uma breve explanao das estruturas harmnicas, . N'ele ver-entar as posies mais usadas dentro da rariedadc quase sem limites que a mrribinaco de notas o ferece para construirrmrs' os acordes Nas construes das posies foram observadas as notas que formam os acordes e a disposio das' mesmas. Cada acorde representado por seu simbolo (cifrat, por sua rmiaab em pauta ! f pela representao grafica da posio dos dedos no brao no violo. A cifra que representa o acorde u sistema redominantemente usado em notaes harmdnicas em msica popular para qua quer instrumento. No decorrer deste irabalhu. veremos' aprvxintadamente 300 pas es organt zada. ; em : ftferentes tipos de acordes, tendo como excmphfa nota uridamental 0 transporte para as demais posies sobre as ll notas restantes devera . ver [eita pela aluna (vide transposio de acordes, pg. 40) Nos instrumentos de teclados. os acordes sero tai-atlas usando as mesmas notas da cifra em posio de livre escolha. Os acordes foram xiivididos em 4 categorias: maiores. rrwnores. 7'? da dom- nantc' n' 74 diminuiu. ' Tomando como base o sistema tona! , ; roda-se dizer que a terceira e quarta (alegorias so a rdes preparatrios e que pedem resoluo. As escalas j: : acordes mostradas nem' ziicionario so de grande importari cia: indicam as natas bsicas do acorda. assim como outras notas que enrique- cem a sonoridade', Algumas dessas : rotas no so ttecvsmrianiertie' indicadas na vifragem. por . verem subentendidas na mesma. As escalas dos acordes san de grande proveito, como pesquisa, na rea da improvisao Na parte 3. as acordes relacionadas ao sistema tona! so apresentados em pequenas progrcsscs, obedecendo a uma ordem dida' tica. Acima de cada grafia de acordes foi [radicado o grau em que os mnmus si' em ontrarn. dando ao a urm uma visao geral das possibilidades de seu uso. Uma vez que os acordes, em determinados graus, tm o seu mm cararteris- tico. tambm as progresses devem ser aproveitadas no treino da percepo har- mriica. As 43 marchas ltarmrticas modularitcs, anexas ao dicionrio de acordes. so situaes e caminhos harmnieos de ocorrncia _freqenta na maioria das m- sicas por todos conhecidas. As marchas lrarmnicas, alm de aplicar os acordes contidos no dicionario, proporcionam um treina de encadeamentos de acordes. A parte 4 apresenta um quadro prtico que classifica os acordes cm 4 catego- rias. para dar uma viso geral sobre o material hannnim utilizado no acornpa~ nhamento da msica popular. 0 apndice mostra a artalise harmnica de progres- sev de amrdes e de msicas harmoniz