Click here to load reader

ACV & Sustentabilidade uma Abordagem Automotiva

  • View
    503

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Oferecer e demonstrar o uso e conceitos da ferramenta de avaliação de potenciais impactos ambientais (ACV) e desenvolver o conceito de life cycle thinking ou seja o pensamento voltado para que a vida do produto tenha uma consistência e seja sustentável

Text of ACV & Sustentabilidade uma Abordagem Automotiva

  • 1. Workshop Sustentabilidade Avaliao do Ciclo de Vida do Produto & Sustentabilidade Uma Abordagem Automotiva 03 de fevereiro de 2011 1 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 2. Oportunidades e necessidades Oferecer os servios da Polilab e demonstrar o uso e conceitos da ferramenta de avaliao de potenciais impactos ambientais (ACV) e desenvolver o conceito de life cycle thinking ou seja o pensamento voltado para que a vida do produto tenha uma consistncia e seja sustentvel, para isso ns necessitamos "pensar" no contexto completo do ciclo de vida ao projet-lo e usa-lo, pois causam, nas diversas reas, diferentes impactos durante os diversos estgios do seu ciclo de vida, no caso com implicaes na indstria automotiva. 2 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 3. Tendncias no mercado automotivo Manufatura Design & Desenvolvimento Utilizao de material Utiliza reciclado Produto verde fonte renovvel renov Reduo de custo Redu Projetos orientados para ecodesign e reciclagem Manufatura limpa Energia limpa Avaliao do ciclo de vida Avalia Minimizar erros crticos cr Recuperao Recupera Uso Monomaterial Marketing verde Reduo emisses Redu Reduo de peso Redu Reduo dos recursos na Redu distribuio distribui Despoluio Despolui Aplicao reciclagem Aplica Minimizar impactos potenciais Avaliao do ciclo de vida Avalia O mercado automotivo o principal motivador para inovao quando se refere a tecnologia, energia, materiais inova plsticos e suas aplicaes. As exigncias de reduo de emisses, reduo de peso e reduo de custo, bem como pl aplica redu redu redu a utilizao de materiais produzidos a partir de fontes renovveis e de material reciclado delineiam o caminho para utiliza renov o desenvolvimento sustentvel e responsvel. sustent respons A oportunidade de auxiliar na capacitao da empresa a partir da experincia, tanto em mercado automotivo como capacita automotivo na ferramenta ACV o diferencial da Polilab Consultoria. 3 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 4. Ecodesign Ecodesign o termo que evidencia para a arquitetura, engenharia e design que o objetivo principal projetar lugares, produtos e servios que de alguma forma reduzam e/ou substituam o uso de recursos no-renovveis e/ou ainda minimizem os impactos ambientais. O Ecodesign uma ferramenta necessria para atingir a sustentabilidade. 4 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 5. Ecodesign Karlsson e Luttropp (2006) definiram ecodesign como um mtodo m de desenvolvimento de produtos que objetiva a reduo do impacto ambiental e usa redu a criatividade para gerar produtos e processos mais eficientes sob o ponto de vista sob da sustentabilidade. Johansson (2006) props a integrao de requisitos de integra aspectos ambientais aos requisitos usuais do projeto de produto em que predominavam, essencialmente, os aspectos tcnicos e econmicos. Kazazian predominavam, t econmicos. (2005) difundiu o conceito de eco-concepo de produtos leves: antes, durante e eco- concep aps o uso, a manuteno do equilbrio do produto com o meio ambiente to ap manuten equil importante quanto a exeqibilidade tcnica, o controle de custos e a demanda de exeq t mercado relativa ao mesmo. 5 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 6. Ecodesign Em um projeto de produto, as aes do designer podem incluir a aplicao de princpios como a minimizao de recursos, escolha de recursos de baixo impacto, extenso da vida dos materiais, otimizao da vida dos materiais, facilidade de montagem/desmontagem e o planejamento para reciclagem. 6 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 7. Princpios do Ecodesign Escolha de materiais: Materiais de baixo impacto ambiental e menos poluentes, menos no-txicos ou de produo sustentvel ou reciclados, ou que requerem menos noprodu sustent energia na fabricao, utilizar material nico para uso em reciclagem; fabrica Eficincia energtica: Utilizar processos de fabricao com menos energia; energ fabrica Qualidade e durabilidade: Produzir produtos que durem mais tempo e funcionem melhor a fim de gerar menos lixo; Modularidade: Criar objetos cujas peas possam ser trocadas em caso de defeito, pe pois assim no todo o produto que substitudo, o que tambm gera menos lixo; substitu tamb Reutilizao/Reaproveitamento: Propor objetos feitos a partir da reutilizao ou Reutiliza reutiliza reaproveitamento de outros objetos; projetar o objeto para sobreviver seu ciclo sobreviver de vida, criar ciclos fechados. 7 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 8. Integrao dos aspectos ambientais no Ecodesign Utilizao da ferramenta da Avaliao do Ciclo de Vida - ACV Utilizao de indicadores especficos - Emisses; NVH; VOC Minimizar o uso de materiais, projetos limpos, fontes renovveis Facilitar a reciclagem, monomaterial, logstica reversa Uso de materiais reciclados No subestimar a energia consumida durante a vida til do produto Aumentar a vida til do produto, minimizar auto-obsolescncia Servios ao invs de produtos Perguntar porque e no aceitar sempre fizemos assim e deu certo... 8 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 9. Design for recycling Selecionar materiais em funo da sua melhor tendncia a reciclabilidade e proteo ambiental - ACV Basear-se em uma Positiv List para seleo do material Descrever no projeto a destinao do reciclado, principalmente nos componentes eltricos e de acabamento Desmontagem no destrutiva - Design for disassembly Minimizar o uso de componentes diferenciados Prever em projeto a proporo de reciclado e recuperado Identificar facilmente a pea, exemplo - Leis ambientais internacionais - (Directive 2000/53/EC - The "ELV Directive Directive http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:L:2000:269:0034:0042:PT:PDF http://eur- lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=OJ:L:2000:269:0034:0042:PT:PDF 9 Leis ambientais nacionais - (Poltica Nacional de Resduos Slidos Lei 12.305/2010) (Pol Res S Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 10. Design for recycling - Mensurao Se voc pode medir voc pode gerenciar Tipo de materiais - Propriedades, caractersticas Massa Uso de energia ndice de toxidez Contedo reciclvel Reciclabilidade Tempo de uso - Time for Disassembly Valorao do tempo de vida ... 10 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 11. Design for recycling Os aspectos importantes em cada estgio do ciclo de vida: O que esta implcito? Aspectos econmicos e funcionais 11 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 12. Design for recycling 12 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 13. Positiv List 13 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 14. Gesto da Reciclagem Reciclagem Ps-Consumo Aes/Incentivos Integrar catador ou fornecedor no processo Palestras Programas Seminrios Semin Capacitao... Capacita Ps-Consumo Cooperativas & Sociedades Catadores X Sucateiros Disposio Aterro Aes: Evitar mo obra infantil 14 Aes: Minimizar ao a do sucateiro Recicladores (Tooling) Tooling) Ao Social Aes: Gesto e Controle Produto Reciclado Aes: Mapeamento de volume, mercado, capacitao, capacita gesto da qualidade, logstica.. log Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 15. Poltica Nacional de Resduos Slidos Depois de tramitar no Congresso por 19 anos, a PNRS Poltica Nacional de Resduos Slidos foi aprovada em julho de 2010, e sancionada pelo presidente Lula, e dever estar sancionada at o final do ano de 2010. 15 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 16. Poltica Nacional de Resduos Slidos A partir de agora, ser feita a distino entre o conceito de resduos que podem ser reaproveitados ou reciclados e rejeitos que no podem ser reaproveitados e devem ser encaminhados a aterros sanitrios. Nesses locais, no ser permitido morar ou catar lixo. Tambm fica proibida a existncia de lixes. 16 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 17. Poltica Nacional de Resduos Slidos Com a lei, passa a valer a idia da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos. Isso significa que fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, consumidores e os servios de limpeza urbana e manejo de resduos slidos so igualmente responsveis por dar um destino correto a todos os materiais. 17 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 18. Poltica Nacional de Resduos Slidos Assim, fica implementada tambm a logstica reversa, ou seja, os fabricantes dos produtos vo precisar recolh-los aps o uso dos consumidores, para reaproveit-los na fabricao de novos produtos ou envi-los para a reciclagem quando isso no for possvel. 18 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 19. Poltica Nacional de Resduos Slidos A lei prev que haja cooperao tcnica e financeira entre o setor pblico e o privado para o desenvolvimento de pesquisas que facilitem a reutilizao, a reciclagem e o tratamento de resduos e a destinao correta dos rejeitos 19 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 20. http://www.polilab.com.br 20 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 21. Perfil Fernando Jos Novaes brasileiro, 55 anos, Engenheiro Qumico pela Escola de Jos Qu Engenharia de Lorena - USP, com Especializao em Polmeros pela Universidade Federal Especializa Pol de So Carlos, possui cursos de aperfeioamento no Brasil, Estados Unidos e Holanda. aperfei Em 1985 ingressou na Volkswagen Planta de Taubat, onde foi Supervisor do Laboratrio Taubat Laborat de Materiais e da Auditoria da Qualidade. Em 1996, iniciou a Polilab Consultoria com xito em trabalhos de Polilab desenvolvimento de materiais, pesquisa, gesto de mercado e implantao de sistemas da qualidade. Foi professor implanta convidado da cadeira de materiais polimricos na ento Faculdade Estadual de Engenharia Qumica de Lorena, em polim Qu 1995/96. No perodo de 1998 a 2001, novamente na Volkswagen, em So Bernardo do Campo na Engenharia do per Produto, exerceu a responsabilidade de conceituar, em materiais polimricos, os projetos de peas plsticas e polim pe pl liderar objetivos Ambientais da Tecnologia do Produto. Consultor, possui vrios anos de experincia concentradas Consultor, v em desenvolvimento do produto, qualidade e produo, sustentabilidade e reciclagem nos segmentos automotivo, produ petroqumico e produo seriada. petroqu produ 21 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 22. Minha experincia em sustentabilidade Portflio dos Trabalhos em Sustentabilidade Portf 2009 - 2010 - Desenvolvimento da Gesto de Processos, Qualidade, Formulaes e Desenvolvimento de Produto Formula para reciclagem de plsticos na Summa Polmeros Materiais Recuperados; pl Pol 2008 - 2009 - Desenvolvimento e atualizao dos estudos de ACV nas 3 Plantas da Quattor Petroqumica; atualiza Petroqu 2003 - 2007 - Desenvolvimento do estudo de ACV , gate-to-gate, nas 3 Plantas da Quattor Petroqumica; gate- to- gate, Petroqu Desenvolvimento dos estudos de Gesto da Reciclagem na Quattor Petroqumica; Reciclagem Petroqu 1999 - 2002 - Responsvel na Volkswagen do Brasil pelos objetivos ambientais da Tecnologia do Produto; Respons Tecnologia 1985 - 1995 - Homologao de material para uso como recuperado utilizando normas Volkswagen na Planta de Homologa Volkswagen Taubat. Taubat Participaes e Cursos Participa 22 II Congresso Brasileiro de Gesto do Ciclo de Vida, ICBGCV 2010, Florianpolis,SC; 2010, Florian Palestrante - I Congresso Brasileiro de Gesto do Ciclo de Vida, ICBGCV 2008, Curitiba,PR; Effective LCA Simapro/Advanced modelling with Simapro, PreConsultants 2008, Amsterdam, NL; Simapro/ Simapro, Auditor Lider ISO/IEC 17025 QSP - 2008 - SP Global Plastics Environmental Conference - GPEC 2007 - SPE - Orlando,Fl - EUA Orlando,Fl Conferncia Internacional de Avaliao do Ciclo de Vida, CILCA 2007, So Paulo, SP; Avalia Seminrio Avaliao do Ciclo de Vida dos Produtos e Ecodesign, FIESP 2006, So Paulo, SP; Semin Avalia Paulo, Anlise do Ciclo de Vida, Cmara Brasil-Alemanha - AHK 2005, So Paulo, SP; An BrasilSeminrio Impacto da ACV na Competitividade da Indstria Brasileira, MCT 2005, So Paulo, SP; Semin Ind Seminrio Internacional sobre Aplicaes da ACV, CETEA/ITAL 2004, Campinas, SP; Semin Aplica Impacto da Avaliao do Ciclo de Vida na Competitividade da Indstria Brasileira - ABPTI 2004 - SP Avalia Ind Avaliao do Ciclo de Vida de Produto e Eco-design - FIESP/ABNT - So Paulo - SP Avalia EcoSeminrio Internacional Aplicaes em Avaliao de Ciclo de Vida - CETEA/ITAL - Campinas - SP Semin Aplica Avalia Anlise do Ciclo de Vida do Produto - Cmara Brasil Alemanha / ABS Quality - So Paulo - SP An Aplicao de diversos treinamento e cursos in company. Aplica company. Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 23. Conhecendo o conceito sustentvel Primeiro entendimento: O que ser sustentvel? Existe a definio clssica que iremos ver adiante, mas ser sustentvel pode ser definido como um amadurecimento, das pessoas e das empresas, para os diversos estgios do desenvolvimento, atuando de modo a alinhar as questes relacionadas a sustentabilidade com a estratgia do negcio. Ou seja, uma empresa sustentvel aquela que contribui com simultaneamente, o desenvolvimento benefcios econmicos, sustentvel, sociais e gerando, ambientais conhecidos como os trs pilares da sustentabilidade. 23 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 24. Conceitos Desenvolvimento desenvolvimento Sustentvel: da atual gerao a possibilidade sem comprometer do as possibilidades das futuras geraes. (Brundtland Report , 1987) 24 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 25. Relatrio Brundtland As Naes Unidas montaram uma comisso para tratar de Na assuntos relativos a meio-ambiente em 1983, que foi liderada meiopela ento Primeira Ministra da Noruega, Gro Harlem Brundtland. Brundtland. Esse trabalho ficou conhecido como Relatrio Brundtland. Relat Brundtland. A comisso Brundtland fez pesquisas relacionadas ao meio ambiente e a aspectos econmicos, econmicos, e gerou a publicao Our Common Future, em 1987. publica Future, O relatrio define a idia de desenvolvimento sustentvel como sendo: "A possibilidade do relat id sustent desenvolvimento da atual gerao sem comprometer as possibilidades das futuras geraes. " gera gera O relatrio sugeria que os governos do mundo deveriam se reunir para avaliar como seria a relat avaliar melhor maneira de reduzir os efeitos da atividade humana no meio- ambiente da Terra para as meioprximas geraes. Isso gerou a primeira Earth Summit, que foi realizado no Rio em 1992. pr gera Summit, 25 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 26. Trip da sustentabilidade Econmico Ambiental Social O desafio de se alcanar uma patamar sustentvel de desenvolvimento est em alcan sustent est conseguir o equilbrio entre as dimenses econmica, social e ambiental que, por equil sua natureza, so intrinsecamente interdependentes e, muitas vezes, de complexa vezes, compatibilizao. compatibiliza 26 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 27. Gerenciamento do ciclo de vida 27 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 28. Aquisio sustentvel Aquisio de BENS e SERVIOS internos para a maximizao de baseado em aspectos benefcios (preo e qualidade) e em externos (Tripple botton line: Aspectos econmicos, ambientais e sociais). Reduo no consumo de recursos Minimizao de riscos ambientais, de sade e financeiros Reduo na gerao de resduos 28 Reduo de custos Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 29. Boas prtica de gesto Sistema de Gesto da Qualidade & Ambiental Diagnstico Diagn Diagnstico Anlise An Ambiental Estudos de ACV ISO 9001 14040 Implementao Implementa Implementao Aperfeioamento Aperfei Aperfeioamento Contnuo Cont Contnuo Estudo ACV Estudo ACV - DfE DfE Marketing Estratgico Estrat Marketing Estratgico Selo Verde Selo Verde Design for Enviroment Design for Enviroment Sustentabilidade Boas Prticas de Gesto Pr Boas Prticas de Gesto Gesto Reciclagem Gesto Reciclagem Suporte Desenvolvimento Suporte Desenvolvimento Sustentvel Sustent Sustentvel Aplicaes Aplica Aplicaes Monitoramento Monitoramento 29 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 30. Simplificao Sistema Sustentvel Sustent 30 Custo Sustentvel Sustent Empresa $ustentvel ustent Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 31. Base da sustentabilidade Os motivos que levam degradao ambiental do planeta tem sua origem no degrada modelo atual de desenvolvimento escolhido com trs premissas: Suprimento inesgotvel de energia inesgot Suprimento inesgotvel de matria-prima e inesgot mat ria- Atual Atual Capacidade infinita do meio de reciclar matria e absorver resduos mat res Recursos so Recursos so admitidos como admitidos como inesgotveis inesgot inesgotveis 31 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 32. Base da sustentabilidade necessrio rever modelo anterior para que, com lucidez e conhecimento necess cientifico, seja possvel aumentar a probabilidade de sucesso da continuidade da poss vida no planeta. Base das premissas a serem desenvolvidas: planeta. Dependncia do suprimento de energia continua do Sol Controle da poluio e dos impactos polui Uso racional de energia e matria-prima com nfase em conservao mat riaconserva Controle do crescimento populacional Promoo da reciclagem e reuso dos materiais Promo com perspectivas de estabilizao estabiliza Necessrio Necessrio 32 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 33. A busca pela sustentabilidade A busca pela sustentabilidade tem muitas frentes, vejamos as questes principais questes em funo das dimenses econmica, social e ambiental. fun O Planejamento da empresa contempla: Inovaes que reduzam impactos Inova ambientais? Publicao relatrio Publica relat sustentabilidade? Metas para melhoria do desempenho ambiental, social e econmico Auditoria independente? 33 A empresa tem critrios sociais para crit monitorar e qualificar os fornecedores? Os critrios passam pela no crit utilizao do trabalho infantil? utiliza A empresa incentiva o uso responsvel e consciente dos seus respons produtos? A empresa possui planejamento para governana e responsabilidade social governan coorporativa? A empresa possui uma poltica de pol responsabilidade ambiental? A empresa planeja o gerenciamento dos resduos com res metas de reduo? redu A empresa apia a conservao e o ap conserva uso da biodiversidade? Existem programas de recuperao recupera e proteo ambiental em reas prote prprias? pr Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 34. Evoluo na gesto 34 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 35. ACV - Avaliao do Ciclo de Vida 35 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 36. Avaliao do ciclo de vida - Conceito A Avaliao do Ciclo de Vida um processo objetivo para avaliar os aspectos (impactos) ambientais associados a um produto, processo ou atividade. feito atravs da identificao e quantificao do uso de energia, de matria-prima e de emisses geradas. 36 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 37. Linha do tempo na evoluo da ACV Europa - A ISO criou rea alimentar, comit tcnico t efetuar World Energy Conference Report Energia requerida para produzir produtos qumicos qu 1963 elaborar consumo de Midwest Reasearch Institute MRI Relatrio Relat Compartivo - REPA 1969 Estimar os efeitos ambientais do uso de dois diferentes tipos de embalagens para refrigerantes Coca-Cola. CocaSomente o sumrio foi sum publicado na revista Science Magazine em 1976 37 TC-207 para TC- monitoramento do Crise do petrleo petr Racionalizao do Racionaliza consumo fontes energticas e energ melhor utilizao utiliza de recursos naturais. sistema de energia, gerao gera gesto de resduos no res ambiental e processo. Diretiva - suas Liquid Food ferramentas. ISO 14040 Container Directive 1974 1970 normas de matrias primas e mat 1985 US Environmental Protection AgencyAgencyEPA O primeiro modelo ISO 14044 1991 1993 1997/98 2000 Society of ISO 14040 ISO 14042 Environmental ISO 14041 2006 ISO 14043 Toxicology and do que conhecemos Chemistry (SETAC) hoje como ACV. Primeiros trabalhos, necessidade de padronizar e sistematizar os critrios e termos crit da ACV Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 38. Objetivos ACV Otimizao e/ou comparao de Produtos e Processos; Boas prticas de gesto ambiental; sustentabilidade; aspectos sociais Governana e Gerenciamento Sustentvel; Reduo de custo; custo do ciclo de vida Planejamento estratgico e marketing; Exigncia do cliente e/ou regulatrias; Princpios bsicos aplicveis rotulagem ambiental; Design, Pesquisa e Desenvolvimento; Life Cycle Thinking - a lgica do ciclo de vida; Design for Recycling; Design for Disassembly; Design for Enviroment - DfE; Ecoeficincia; reduo de impactos ambientais; Normalizao e Legislao; Reduo de resduos e impacto ambiental ... 38 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 39. Como comea e como termina Qual a efetiva relao entre produo, consumo e meio-ambiente? Quais as aes para minimizar riscos ao meio-ambiente, como reduzir emisses, gerar resduos, etc., e qual a melhor relao custo/beneficio? Qual tipo de embalagem causa menos impacto ambiental? Existe alguma exigncia corporativa para projetar o produto? Podemos fazer uma declarao ambiental? Podemos fazer uma campanha de marketing? Como ACV e Governana se complementam? ..... 39 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 40. Pensamento no ciclo de vida Ao pensar no ciclo de vida do Ao pensar no ciclo de vida do produto, expandimos o tradicional produto, expandimos o tradicional foco de processo de manufatura, foco de processo de manufatura, para incorporar vrios aspectos para incorporar v vrios aspectos associados com o produto em si e associados com o produto em si e seu ciclo de vida. seu ciclo de vida. O produtor passa a adquirir O produtor passa a adquirir responsabilidade sobre o seu responsabilidade sobre o seu produto do bero ao tmulo, e produto do ber bero ao ttmulo, e evolui para desenvolver novos evolui para desenvolver novos produtos com pensamento em produtos com pensamento em todas as etapas do seu ciclo de todas as etapas do seu ciclo de vida e os impactos causados. vida e os impactos causados. 40 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 41. Diferentes meios de prestar o mesmo servio Servir 200 cc de bebida quente trs vezes ao dia por um ano Copo plstico pl 1095 un./ano Copo isopor 1095 un./ano Caneca cermica 1/4 un./ano + gua quente e detergente Xcara 550 un./ano 1/2 un./ano + gua quente e detergente Capinar 100 m2 de rea por um ano Bode 1/5 un./ano 41 Cortador manual 1/7 un./ano Cortador motorizado 1/5 un./ano +gasolina + leo Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 42. Avaliao do ciclo de vida 42 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 43. O ciclo de vida na indstria automotiva Abordagem preliminar - Ciclo de vida automotivo - Produo e extrao de matria-prima Ao Alumnio Alum Borracha Pintura Vidro Plsticos ... Pl - Fabricao de peas e montagem - Uso - Disposio / Reciclagem - Ao da indstria - Re-uso 43 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 44. O ciclo de vida na indstria automotiva 44 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 45. O ciclo de vida na indstria automotiva 45 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 46. Usando a ACV Avaliao A avaliao feita mediante: A compilao de um inventrio de entradas e sadas pertinentes ao sistema do produto; A avaliao dos impactos ambientais potenciais associados a essas entradas e sadas; A interpretao dos resultados das fases de anlise de inventrio e de avaliaes de impacto. 46 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 47. Normas para ACV ISO 14040:1997 Avaliao do Ciclo de Vida -- Princpios e Estrutura Avalia Princ ISO 14041:1998 Life cycle assessment -- Definio: Objetivo, escopo e anlise do inventrio - Obsoleta Defini an invent ISO 14044:2006 Environmental management -- Life cycle assessment -- Requirements and guidelines ISO 14042:2000 Life cycle assessment -- Avaliao do impacto - Obsoleta Avalia ISO 14043:2000 Life cycle assessment -- Interpretao do ciclo de vida - Obsoleta Interpreta ISO/TR 14047:2003 Life cycle impact assessment -- Examples of application of ISO 14042 ISO/TS 14048:2002 Life cycle assessment -- Data documentation format ISO/TR 14049:2000 Life cycle assessment -- Examples of application of ISO 14041 47 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 48. Valor agregado Melhoria das relaes comerciais e sociais da empresa; Inovao e pioneirismo; Ecodesing Integrao de aspectos ambientais no projeto e desenvolvimento do produto - ISO 14062 Visibilidade mercadolgica; Planejamento estratgico com base na sustentabilidade; Melhoria ndices de sustentabilidade; Declarao ambiental do produto - EPD - ISO 14024; Melhoria no monitoramento de indicadores ambientais 48 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 49. Metodologia da ACV 49 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 50. Estrutura tcnica da ACV Avaliao de impactos Avalia Anlise do inventrio An invent Ecossistema Confiabilidade dos dados Sade humana Sa Temporalidade Recursos naturais Aquisio de matria-prima Aquisi mat riae energia Recursos minerais Manufatura Recursos energticos energ Usos Aperfeioamento contnuo Aperfei cont a partir da avaliao e avalia interpretao interpreta 50 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 51. Componentes e fases Objetivo e Escopo Aplicaes: Aplica Estudo ACV Comparativo Anlise An do Inventrio Invent Impactos ambientais Interpretao Interpreta Design for Enviroment - DfE Marketing Estratgico Estrat Selo Verde - Legislao Legisla Avaliao do Avalia Ciclo de Vida Gesto Reciclagem Desenvolvimento Sustentvel Sustent Avaliao Avalia de Impacto ISO 14040 normas complementares 14041; 14044; 14047; 14048; 14049 51 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 52. Defini Defini es Componentes e fases An Invent An lise do Invent rio Definio do Escopo do Estudo Coleta de dados - Inventrio Validao dos dados coletados Agregar os dados baseados no fluxo e fronteiras do sistema Identificao e quantificao de material, energia e sadas Avaliao dos critrios de incluso de entradas e sadas Avalia Avalia o de Impacto Definio do Objetivo do Estudo 52 Balano de massa com anlise do inventrio - Reviso dos dados Relatrio com classificao quantitativa e qualitativa, caracterizao e avaliao dos impactos, baseados na anlise do inventrio Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 53. Elementos fundamentais Definio do objetivo Definio dos limites e objetivos da anlise de ciclo, incluindo as metas e decises Defini an que devem ser apoiadas pelo projeto, ou seja: Definir a finalidade, motivos e a aplicao do estudo; aplica Definir o pblico alvo a ser atendido pelo estudo; p Definir as perguntas a serem respondidas pelo estudo para diagnosticar diagnosticar o problema ou a comparao. compara Definio do escopo Escopo a abrangncia do projeto, convm que o escopo seja bem definido para conv assegurar que a extenso, a profundidade e o grau de detalhe do estudo sejam compatveis e suficientes para atender o objetivo estabelecido compat Na definio do escopo devem estar considerados os seguintes itens: defini Funo do Sistema ou Sistemas em caso de comparao; Fun compara Sistema do produto; Unidade funcional; Fronteiras do sistema; Unidade de processo, etc. 53 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 54. Elementos fundamentais O Sistema de produto permite a comparao de produtos diferentes que fornecem a mesma funo. Por exemplo: Toalhas de papel e secadores eltricos de mo. Ou como diz a norma: Conjunto de unidades de processo, conectadas material e energeticamente, que realiza uma ou mais funes definidas. A Unidade funcional, realiza o desempenho quantificado de um Sistema de Produto para uso como unidade de referncia num estudo de ACV. Ela pode ser simples como uma distncia percorrida e complicada como uma funo administrativa. 54 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 55. Elementos fundamentais Descrio conceitual da unidade de processo Emisses atmosfricas atmosf Matria-prima - Entrada Mat ria- Materiais Auxiliares - Entrada Unidade de Processo Unidade de Processo Produto intermedirio - Sada intermedi Sa Energia - Entrada Produto - Sada Sa Resduos Res Aterro 55 Efluentes para Tratamento Co-produtos - Alocao CoAloca Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 56. Dimenses da ACV Nvel de detalhes Profundidade as m te sis b su de o er m N Largura 56 Extenso Incio e fim do estudo In As dimenses devem ser estabelecidas de forma compatvel e suficiente para atender o estabelecido compat nos objetivos do estudo Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 57. Inventrio da ACV Inventrio do ciclo de vida 57 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 58. Inventrio do ciclo de vida O inventrio do ciclo de vida (ICV/LCI) um processo de quantificao da energia e da matria prima requerida para a realizao do Sistema Produto, as emisses atmosfricas envolvidas, emisses em efluentes, resduos slidos e outras emisses ou resduos envolvendo o ciclo de vida do produto e seu estudo relativo. Um sistema de produto um grupo de unidades de processo conectadas atravs de fluxos, os quais definem uma ou mais funes dentro do processo para as quais vo ser delineadas o inventrio. 58 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 59. Ciclo de Vida do Produto Cadeia de Produo Consumo Pr-Cadeias de Matria-Prima e Energia Produto Ps-Consumo Tratamento efluentes e manuteno Matria-Prima Reciclagem Processamento manufatura processos vendas e utilizao Incinerao Energia Disposio Aterro Gerao de Energia 59 Transporte e Distribuio Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 60. Balano de massa e energia Produto Co-Produto CoEmisses Gasosas Efluentes Resduos Slidos Res S Energia Matria-Prima Mat ria- Emisses Produto Produo Produ Massa e energia - Entrada = Massa e energia - Sada Para cada processo unitrio ao longo do trecho do ciclo de vida definido, devem unit ser quantificados os fluxos de massa e energia de entrada e sada. sa 60 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 61. Balano de massa e energia Fronteira do Sistema Produto Entradas Entradas Sistema de produto Sistema de produto Co-Produto Co- Sadas Sa Sadas Emisses Gasosas Efluentes Resduos Slidos Res S Tratamento de dados: Tratamento de dados: Softwares, planilhas, etc. Softwares, planilhas, etc. 61 Massa e energia - Entrada Massa e energia - Entrada = Massa e energia - Sada Massa e energia - Sada Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 62. Anlise da qualidade dos dados Objetivo e Escopo Anlise An do Inventrio Invent Interpretao Interpreta Aplicaes: Aplica Avaliao da Incerteza Avaliao Avalia de Impacto 62 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 63. Avaliao do impacto do ciclo de vida Dados do Invent rio Entradas Sadas Categorias de impacto Disposi o Produto Ar gua Aterro - Potencial de Aquecimento Global - Potencial de Aquecimento Global GWP (Global Warming Potential) (Global Potential) GWP (Global Warming Potential) - Acidificao - Chuva cida Acidifica - Acidificao - Chuva cida Categorias gerais de impacto Recursos fosseis/ Energia Emisses / Transporte Sade humana gua Efluentes Aterro Sanit rio Ecotoxicidade - Consumo de energia - Consumo de energia Recursos no renov veis energia Aquecimento global Sade Ocupacional Consumo energia Deteriora o camada O 3 Sade Pblica Recursos renov veis energia Acidifica o Esttica / Odor Qualidade gua DBO Qualidade gua DQO Qualidade gua Eutroficao Emisses particulados Resduo materiais perigosos Emisses VOC 63 - Demanda Qumica de Oxignio (DQO) Qu - Demanda Qumica de Oxignio (DQO) - Uso do Solo - Uso do Solo Categorias especficas de impacto - Demanda Bioqumica de Oxignio (DBO) Bioqu - Demanda Bioqumica de Oxignio (DBO) - Decomposio camada oznio Decomposi - Decomposio camada oznio - Eutroficao Eutrofica - Eutroficao - Alterao na biodiversidade Altera - Alterao na biodiversidade - Depleo O3 Deple - Depleo O3 Resduo slido - Consumo de gua .... - Consumo de gua .... Classificao dos impactos - exemplo de conceito para clculo Classifica c Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 64. Escolha do software Dezenas de softwares para avaliao do ciclo de vida esto disponveis no mercado global, certamente com o tempo de estudo, dedicao e interao entre companhias e com a formao de pessoal, alguns vo definindo-se como referncias. Trs desses softwares so referncias, pelo menos nos meios acadmicos e na disponibilizao de capacitao e treinamento para o mercado brasileiro. So eles: 64 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 65. Alm das fronteiras Identificar e quantificar as fronteiras do planeta que no devem ser transgredidas, poderia ajudar a impedir as atividades humanas alteraes altera ambientais inaceitveis. inaceit fronteiras biofsico biof causem Definir para pode o as processo determinar a capacidade da Terra em se auto-regular. auto- Johan Rockstrm Rockstr A safe operating space for humanity - http://www.nature.com/nature/journal/v461/n7263 /full/461472a.html 65 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 66. Exemplos de aplicao 66 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 67. Honda LCA System 67 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 68. Inventrio Golf A4 68 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 69. Inventrio Golf A4 69 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 70. Inventrio Golf A4 Sistema de produto e unidade funcional 70 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 71. Inventrio Golf A4 Inventrio Materiais 71 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 72. Inventrio Golf A4 Resultados 72 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 73. Caminho para sustentabilidade A ACV proporciona uma viso global da questo ambiental, identificando oportunidades de melhorias do sistema material-processo-produto, que possam levar otimizao do desempenho ambiental do produto, passo para o desenvolvimento sustentvel . 73 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 74. Fazendo dar certo Estratgia para sustentabilidade >>>> Planejamento e metas Barreiras Viso: Somente 5% do nvel operacional compreendem a estratgia No definimos nossos problemas de forma correta. Pessoas: Somente 25% do nvel gerencial possuem incentivos vinculados ao alcance da estratgia No fazemos bons Planos de Ao, falta de conhecimento tcnico. Recursos: 60% das empresas no vinculam recursos financeiros estratgia Gesto: 85% dos gestores gastam menos de uma hora por ms discutindo estratgia No executamos completamente e a tempo os Planos de Ao. 74 Fonte: FGV e Falconi,V. Falconi,V. Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 75. http://www.polilab.com.br 75 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 76. 76 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 77. Treinamentos Polilab 77 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso
  • 78. Muito obrigado!! Contatos http://www.polilab.com.br 011 99688 8841 [email protected] 78 Esse material de propriedade da Polilab Consultoria - Reproduzir somente com permisso