Citologia 1

  • View
    1.639

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Citologia 1

  • CITOLOGIA CLNICA

  • Dr. George Nikolas Papanicolaou1904 forma-se em medicina pela Universidade de Atenas

    1910 inicia ps graduao na Universidade de Munique 1913 pesquisador na Faculdade de Medicina de Cornell, EUA

    papel dos cromossomos na determinao do sexo nas espcies nota mudanas citolgicas recorrentes na cobaia durante o 15-16 dia do ciclo menstrual

  • descreve junto ao Dr. Charles R. Stockard a tcnica que possibilita o estudo dos ciclos sexuais

    1923 mudanas no esfregao vaginal

    mulheres com cncer uterino exibem clulas anormais com ncleo hipercromtico, aumentado e deformado

    1939 associa-se ao ginecologista Hebert F. Traut

    1943 publicam Diagnstico de Cncer atravs do esfregao vaginal

  • 1948 Simpsio da Sociedade Americana de Patologistas Clnicos com o trabalho Diagnstico Citolgico de Cncer

    aceitao internacional da tcnica que fica conhecida como Exame de Papanicolaou ou Pap smear

    ampliao da tcnica: diagnstico de cncer nos tratos urinrio, respiratrio e gastrointestinal alm do cncer de mama

    1954 publica Atlas de Citologia Esfoliativa

  • Dr. George Nikolas Papanicolaou

  • IMPORTNCIA EM MEDICINA PREVENTIVA

  • Exame de Papanicolaou permite

    detectar leses pr-invasivas ou

    mesmo invasivas, reduzindo o bito

    por cncer de colo uterino em 70%

  • esfregaos de cervix vaginal

    urina

    esperma

    escarro

    glndulas mamrias

    punes

    MATERIAIS BIOLGICOS ESTUDADOS ATRAVS DA CITOLOGIA

  • ESTRUTURA

    E

    FUNCIONAMENTO DE

    LABORATRIOS DE CITOPATOLOGIA

  • Sala de Coleta

    Local onde realizada a coleta do material biolgico que ser utilizado na realizao do

    exame, em caso de coleta de material de cervix vaginal deve conter a maca de coleta

    ginecolgica

  • Laboratrio de Citopatologia

    Local onde o exame processado, deve possuir uma bancada, um ponto de gua, armrios para guardar os reagentes e um ou mais microscpicos pticos

  • Aparelho Genital FemininoAparelho Genital Feminino

  • terotero

  • Tipos de hmenTipos de hmen

  • CITOLOGIA CERVICAL

    EXAME DE PAPANICOLAOU

    - mtodo mais utilizado em citopatologia

    -capaz de detectar 95% dos estados cervicais de malignidade ou pr malignidade

    - capaz de detectar cerca de 50% dos estados malignos do endomtrio

  • - usado como teste de triagem permite a deteco de estados patolgicos no incio

    - permite direcionar a terapia curativa, diminuindo a taxa de bito por carcinoma de cervix

  • Colheita de Material

    - relativamente simples

    - importante para o diagnstico

    - no se deve usar : lubrificantes, talcos ou medicamentos intravaginais durante o exame, tanto para fins diagnsticos como para facilitar a insero do espculo

  • ORIENTAES A PACIENTE

    Paciente no deve:

    > 24 horas antes do exame, fazer ducha vaginal ou manter relaes sexuais;

    > 48 horas antes do exame, usar medicamentos tpicos vaginais como cremes, pomadas ou vulos vaginais.

  • PROCEDIMENTO DE

    COLHEITA

  • 1. Deitar a paciente em uma mesa ou maca de colheita ginecolgica apropriada, deixando-a confortvel e relaxada.

  • 2. Introduzir delicadamente e na posio correta, o espculo no canal vaginal da paciente.

  • 3. Colheita de material

    3.1. Fundo de Saco Posterior da Vagina

    - Inserir uma pipeta de Papanicolaou no Fundo de Saco Posterior

    - Aspirar a amostra atravs de suco

    - Espalhar a secreo na superfcie de uma lmina de forma homogna e sem esfreg-la de maneira vigorosa.

    - Mergulhar a lmina em lcool etlico 95% para fixao do material

  • Equipamentos usados em colheita de material do Trato Genital Feminino

  • 3.2. Raspado Cervical

    - Inserir uma esptula de Ayre no canal vaginal

    - Inserir a parte mais larga da esptula no orifcio da crvix e girar 360 graus em sentido horrio

    - Espalhar o material obtido, delicada e homogeneamente e sobre uma lmina.

    - Mergulhar a lmina em lcool etlico 95% para fixao do material

  • 3.3. Endocervical e Endometrial

    - Colheita pode ser feita tanto por aspirao quanto por meio de raspado

  • DISPERO DO MATERIAL

    pode oferecer dificuldades de interpretao do material