Estratégia de implantação do carro elétrico no brasil

Embed Size (px)

DESCRIPTION

O veiculo elétrico é uma solução de ruptura que permite oferecer mobilidade para todos com emissões zero de poluentes, visando progressos reais em termos ambientais .Essa ruptura ja é mantida e acompanhada por uma vontade politica mundial, principalmente atravé de subssidios fiscais baseados nas emissoes de co2 e do desenvolvimento das infraestruturas nescessarias à mobilidade elétrica ! O POMPÉO é um carro urbano por excêlencia para usuarios das cidades que buscam uma mobilidade pratica e eficaz O POMPÉO é uma solução inovadora de mobilidade urbana , seu chassi de três rodas oferece a sua "dupla" de ocupantes um meio de transporte 100% elétrico com zero de emissões de co2,perfeito para quem faz pequenos trajetos diarios e que busca tranquilidade e bem estar em seu veiculo com um espaço totalmente ergonomico e compacto, de aerodinamica precisa e design arrojado ! Pompeo pilotar ou dirigir, voce vai descobrir! POMPÉO VOCE VAI TER UM ! http://www.triciclopompeo.com.br

Text of Estratégia de implantação do carro elétrico no brasil

  • 1. Cadernos Frum Nacional 10 ESTRATGIA DE IMPLANTAO DO CARRO ELTRICO NO BRASIL Coordenador Joo Paulo dos Reis Velloso Colaboradores Sergio Rezende, Ronaldo Mota e Adriano Duarte Luciano Galvo Coutinho, Bernardo Hauch Ribeiro de Castro e Tiago Toledo Ferreira Jos Antonio Muniz Lopes Nelson Barbosa Dyogo Oliveira e Jose Antonio P. Souza Jackson Schneider Pietro Erber Denise Menchen Fabiano Mezadre Pompermayer Carlos Ghosn Shai Agassi Roberto M. Torresi Nerilso Bocchi, Romeu C. Rocha-Filho e Sonia R. Biaggio Ana Maria Rocco Instituto Nacional de Altos Estudos, INAE Rio de Janeiro, 2010
  • 2. Copyright INAE, 2010
  • 3. Sumrio Introduo: estratgia de implantao do carro eltrico no Brasil Joo Paulo dos Reis Velloso Os veculos eltricos e as aes do Ministrio da Cincia e Tecnologia Sergio Rezende, Ronaldo Mota e Adriano Duarte Veculo eltrico, polticas pblicas e o BNDES: oportunidades e desafios Luciano Galvo Coutinho, Bernardo Hauch Ribeiro de Castro e Tiago Toledo Ferreira Mobilidade eltrica no Brasil, uma opo de futuro Jos Antonio Muniz Lopes Carro eltrico: desafio e oportunidade para o Brasil Nelson Barbosa, Dyogo Oliveira e Jose Antonio P. Souza As duas estruturas de incentivo Nelson Barbosa, Dyogo Oliveira e Jose Antonio P. Souza Carro eltrico: em busca da viabilidade Jackson Schneider Automveis eltricos a bateria: uma poltica para sua utilizao no Brasil Pietro Erber Carta de Campinas Documento final do 6. Seminrio de Veculos Eltricos, organizado pela Associao Brasileira do Veculo Eltrico, ABVE e o Instituto Nacional de Eficincia Energtica, INEE Governo culpa carro e moto por poluio Denise Menchen (reportagem na Folha de So Paulo)
  • 4. 1. Inventrio nacional de emisses atmosfricas por veculos automotores rodovirios (excerto do Sumrio Executivo) Ministrio do Meio Ambiente Etanol: veculos eltricos: via de mo nica dupla? Fabiano Mezadre Pompermayer (Ipea) O carro eltrico presente, no futuro Entrevista de poca com Carlos Ghosn, presidente mundial da Renault-Nissan Ferrari verde e Citren eltrico na onda ecolgica de Genebra Reportagem de O Globo Renault-Nissan e Prefeitura fazem acordo para uso de eltricos em So Paulo Divulgao da UOL Carros Switched-on highways: electric cars are cheaper and faster than any hybrid on the market Shai Agassi (entrevista a Fareed Zakaria, Tim WagnerZuma Press) Projeto de carro eltrico base de baterias de on-ltio Roberto M. Torresi Veculos eltricos: perspectivas de uso de baterias de on-ltio Nerilso Bocchi, Romeu C. Rocha-Filho e Sonia R. Biaggio Carros eltricos e as baterias de on-ltio: estado atual de desenvolvimento e perspectivas tecnolgicas Ana Maria Rocco 6
  • 5. Introduo: Estratgia de Implantao do Carro Eltrico no Brasil Joo Paulo dos Reis Velloso* chegado o momento de o Brasil acordar para o fato de que est atrasado na corrida para o Carro Eltrico, quando deveria estar na vanguarda como fez em relao ao Carro a Etanol. ALTA PRIORIDADE DA IMPLANTAO DO CARRO ELTRICO NO PAS Em primeiro lugar, consideremos o que mostra estudo recente do Ministrio do Meio Ambiente: o carro e a motocicleta so os grandes responsveis pela poluio nas cidades brasileiras. A frota de carros e motocicletas emite 40 vezes mais CO (Monxido de Carbono) do que a frota de nibus urbano. Tomando os nmeros: Em 2009, as emisses de CO por parte de carros e motos corresponderam a 83% do total desse gs... Os nibus responderam por 2%. E o nmero de usurios foi equivalente. Segundo, em termos de eficincia energtica, o Carro Eltrico est frente, no trfego urbano, em especial quando em baixas velocidades e constantes aceleraes e frenagens. Ao lado disso, os Carros Eltricos so tambm vantajosos em termos de poluio sonora, pois os motores * Coordenador-geral do Frum Nacional, Presidente do Ibmec-Mercado de Capitais e professor da EPGE (FGV). Ex-ministro do Planejamento.
  • 6. eltricos so silenciosos, diferentemente dos motores a combusto. Vantagem financeira: O custo do quilmetro rodado mais baixo e o custo de manuteno igualmente. Em terceiro lugar, devido a esse conjunto de razes, existe um Ciclo de Transformao na Indstria Automobilstica Mundial, impulsionado pelo Carro Eltrico. Se, nesse cenrio de Inovao Radical, o Brasil ficar de fora, poder ter grandes perdas, em termos de produo e exportaes de carros, assim como de autopeas (setor importante para o Pas). Note-se que o mercado mundial se volta para o Carro Eltrico tendo uma Matriz de Energia desfavorvel. J a Matriz do Brasil favorvel, principalmente considerando o nosso enorme potencial hidroeltrico. Importante assinalar: o que se visualiza um cenrio em que, num certo perodo, as trs Tecnologias coexistam. Mas h uma tendncia a um grande impulso na rea do Carro Eltrico. Que se estabelea, digamos, a meta de ter algo como 10% de produo (no de estoque) de Carro Eltrico em cerca de cinco anos. como se a montadora passasse a ter mais um modelo de automvel. Para isso, necessidade de uma ESTRATGIA DE IMPLANTAO DE CARRO ELTRICO NO BRASIL, fazendo o sistema de incentivos convergir para o engajamento das montadoras e o interesse de compradores. LINHAS MESTRAS DA ESTRATGIA E PAPEL DAS DIFERENTES ENTIDADES 8
  • 7. A primeira linha mestra deve referir-se aos Incentivos Fiscais. E, nisso, o papel do Ministrio da Fazenda crucial: de um lado, definir a alquota de IPI especfica para veculos eltricos e seus componentes. O caso do Imposto de Importao , tambm, relevante, assim como o PIS-COFINS. A segunda linha mestra refere-se aos incentivos ao Desenvolvimento Tecnolgico, dentro da orientao de Creative Catching-Up, no caso das empresas estrangeiras. Ou seja, Importao de Tecnologia, com criatividade. Isso permitir tornar o Brasil plataforma de desenvolvimento de produtos para a Amrica Latina, frica e, em geral, pases emergentes. Nessa rea, deve-se destacar o papel do Ministrio da Cincia e Tecnologia (MCT), com seus dois principais rgos: FINEP e CNPq. Os instrumentos, claro, devero ser o SIBRATEC (Sistema Brasileiro de Tecnologia), com nfase, agora, na Inovao aplicada ao Carro Eltrico e a seus componentes; e a Subveno Econmica, com o mesmo objetivo. O BNDES, como principal provedor de crdito de longo prazo e agente relevante do Mercado de Capitais, tem papel essencial a desempenhar na ESTRATGIA DE IMPLANTAO DO CARRO ELTRICO. Alm disso, a abrangncia do tema requer a adoo de polticas transversais, com o envolvimento de diversos agentes na construo deste projeto. Nesse sentido, cabe ao BNDES ser um dos principais articuladores de um projeto estruturante, que viabilize a produo de veculos eltricos no Brasil. Papis essenciais devem, tambm, desempenhar a ELETROBRAS, a PETROBRAS (estrutura de recarga) e as Distribuidoras de Energia. a Opo de Futuro a que se 9
  • 8. refere o Presidente da ELETROBRAS, em seu artigo, neste livro. Nesse campo (estmulo ao Desenvolvimento Tecnolgico), cabe referncia comparao entre duas estruturas propostas para o incentivo ao Carro Eltrico: o SIBRATEC (e outros mecanismos), na rea do MCT, e o Centro de Inovao em Veculos Eltricos, proposto pela rea da Secretaria de Poltica Econmica do MF. A concluso : As duas propostas no so conflitantes nem superpostas, so complementares. Vejamos. Esse Centro, se criado, ser um cliente para os programas de formao de pessoal, um membro das Redes Tecnolgicas, e um parceiro das Empresas nos projetos contemplados no programa de Subveno Econmica. A terceira linha mestra implica dar continuidade ao processo de restrio de emisses, gerando, assim, incentivo para novos padres tecnolgicos. Em particular, faz-se necessria uma nova gerao de padres que leve em considerao no a