Click here to load reader

[cv - 2011.2] 04-elementos relacionais

  • View
    1.644

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula 03 do curso de comunicação visual - elementos relacionais

Text of [cv - 2011.2] 04-elementos relacionais

  • 1. Elementos relacionaisComunicao Visual - 8.11sexta-feira, 26 de agosto de 11

2. Nas aulas anteriores, vimos elementos Bsicos e Visuais.Hoje, veremos os elementos que necessitam de outrospara comporem um layout, por isso, chamados deElementos Relacionais (escala, equilbrio, gravidade,direo e posio).sexta-feira, 26 de agosto de 11 3. Escalasexta-feira, 26 de agosto de 11 4. O que chamamos de escala? Escala pode ser objetiva ese referir s dimenses exatas de um objeto fsico.sexta-feira, 26 de agosto de 11 5. Em um mapa, a escala faz relao da imagem com um objeto real(Google, 2011)sexta-feira, 26 de agosto de 11 6. Subjetivamente, ela alude impresso que algum temdo tamanho de um objeto.sexta-feira, 26 de agosto de 11 7. Em Shadow of Colossus, a escala muito utilizada para demonstrara diferena descomunal entre o protagonista e os colossosenfrentados. E a, vai encarar? (Team Ico, 2005)sexta-feira, 26 de agosto de 11 8. Dizemos que algo est fora de escala quando no hindcios que conectem a imagem a uma experinciavivida.sexta-feira, 26 de agosto de 11 9. Como falamos antes, a escala relativa, isso signicadizer que um objeto maior ou menor dependendo dotamanho, da localizao e da cor dos elementos aoredor.sexta-feira, 26 de agosto de 11 10. sexta-feira, 26 de agosto de 11 11. sexta-feira, 26 de agosto de 11 12. sexta-feira, 26 de agosto de 11 13. sexta-feira, 26 de agosto de 11 14. sexta-feira, 26 de agosto de 11 15. sexta-feira, 26 de agosto de 11 16. sexta-feira, 26 de agosto de 11 17. A ideia de profundidade est ligada de escala. Quandotemos um elemento na tela, no temos noo do quoprofundo tal objeto est. No momento que adicionamosum outro elemento referencial, j podemos comear aexplorar sua profundidade.sexta-feira, 26 de agosto de 11 18. sexta-feira, 26 de agosto de 11 19. sexta-feira, 26 de agosto de 11 20. sexta-feira, 26 de agosto de 11 21. Pink Floyd (1969)sexta-feira, 26 de agosto de 11 22. A falta de referenciais faz com que a escala de um objetoseja difcil de determinar, gerando confuso, mastambm atrando olhares.sexta-feira, 26 de agosto de 11 23. Fotografar pequenos objetos de muito perto e de umngulo baixo cria a iluso de monumentalidade.sexta-feira, 26 de agosto de 11 24. O edifcio desta estao eltrica em Utrecht, na Holanda, no temjanelas, nem portas para indicar sua escala em relao aos sereshumanos ou tipos familiares de edifcios. (NL Architecs, 1998)sexta-feira, 26 de agosto de 11 25. Cuidado ao escalonar!sexta-feira, 26 de agosto de 11 26. Escalonar objetos pode transformar seu impacto napgina ou tela. Cuidado! fcil distorcer um elementopor escalon-lo desproporcionalmente.sexta-feira, 26 de agosto de 11 27. sexta-feira, 26 de agosto de 11 28. AA Asexta-feira, 26 de agosto de 11 29. AAAAA Asexta-feira, 26 de agosto de 11 30. Ritmo e Equilbriosexta-feira, 26 de agosto de 11 31. Equilbrio uma condio humana. um confortoestimado em nossa cultura e que acabamos porperceber em coisas que vemos, ouvimos, cheiramos,provamos, tocamos.sexta-feira, 26 de agosto de 11 32. O equilbrio age como uma baliza para a forma, a ancorae ativa elementos do espao. Ele acontece quando opeso de uma ou mais coisas est distribudo igualmenteou proporcionalmente no espao.sexta-feira, 26 de agosto de 11 33. Equilbrio simtricoAcontece quando os elementos de uma composio soos mesmos em ambos os lados de uma linha axial.sexta-feira, 26 de agosto de 11 34. sexta-feira, 26 de agosto de 11 35. sexta-feira, 26 de agosto de 11 36. sexta-feira, 26 de agosto de 11 37. sexta-feira, 26 de agosto de 11 38. sexta-feira, 26 de agosto de 11 39. sexta-feira, 26 de agosto de 11 40. sexta-feira, 26 de agosto de 11 41. Contemplation - David Lanhamsexta-feira, 26 de agosto de 11 42. sexta-feira, 26 de agosto de 11 43. sexta-feira, 26 de agosto de 11 44. sexta-feira, 26 de agosto de 11 45. sexta-feira, 26 de agosto de 11 46. A inrcia inerente simetria pode ser problemticaquanto aos objetivos da comunicao desejada. Oobservador normalmente evitar o material e fugirrapidamente uma reexo intelectual aprofundada.sexta-feira, 26 de agosto de 11 47. Equilbrio assimtricoEm vez de preocupar-se com imagens reexas emambos os lados do layout, o balano assimtrico envolveobjetos de diferentes tamanhos, formas, tonalidades ouposicionamento.sexta-feira, 26 de agosto de 11 48. sexta-feira, 26 de agosto de 11 49. sexta-feira, 26 de agosto de 11 50. sexta-feira, 26 de agosto de 11 51. Starry Night - Van Gogh (1889)sexta-feira, 26 de agosto de 11 52. sexta-feira, 26 de agosto de 11 53. sexta-feira, 26 de agosto de 11 54. sexta-feira, 26 de agosto de 11 55. sexta-feira, 26 de agosto de 11 56. sexta-feira, 26 de agosto de 11 57. sexta-feira, 26 de agosto de 11 58. sexta-feira, 26 de agosto de 11 59. sexta-feira, 26 de agosto de 11 60. Composies assimtricas provocam maiorenvolvimento, exigem que o olho se mova mais. Tornardiferentes todas as propores entre e em volta deelementos minimiza a possibilidade de simetria.sexta-feira, 26 de agosto de 11 61. Gravidadesexta-feira, 26 de agosto de 11 62. Como j falado, as experincias humanas socomumente levadas s telas e pginas para criarsensaes diversas. A gravidade uma delas.sexta-feira, 26 de agosto de 11 63. sexta-feira, 26 de agosto de 11 64. Direosexta-feira, 26 de agosto de 11 65. A ideia de direo, como vimos quando estudamosretas, ajuda a criar ritmo nas composies.sexta-feira, 26 de agosto de 11 66. sexta-feira, 26 de agosto de 11 67. sexta-feira, 26 de agosto de 11 68. sexta-feira, 26 de agosto de 11 69. Posiosexta-feira, 26 de agosto de 11 70. Dependendo da forma em que o objeto posicionado natela, ele assume um signica diferente, criando oureforando determinados sentidos.sexta-feira, 26 de agosto de 11 71. sexta-feira, 26 de agosto de 11 72. sexta-feira, 26 de agosto de 11 73. sexta-feira, 26 de agosto de 11 74. Bibliograasexta-feira, 26 de agosto de 11 75. BEAIRD, Jason. Princpios do Web Design Maravilhoso. Alta Books:Rio de Janeiro, 2008.Lupton, Ellen. Novos Fundamentos do Design. So Paulo: CosacNaify, 2008.Samara, Timothy. Elementos do Design: guia do estilo grco. PortoAlegre: Bookman, 2010.sexta-feira, 26 de agosto de 11 76. Elementos [email protected], 26 de agosto de 11