Click here to load reader

Nova eco aldeia 2011.2

  • View
    4.572

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

presentation New Cooperative Eco village based on Permaculture , apresentaçao de ideia Nova Cooperativa Eco Aldeia de permacultura

Text of Nova eco aldeia 2011.2

  • 1. Nova Eco-AldeiaCooperativa de PermaculturaQuinta Cabea do Mato
    14 de Maio de 2011

2. Pensar Global, Agir Local
Este lema leva as pessoas a considerar a sade de todo o Planeta e a tomar aco nas suas comunidades e cidades, levando indivduos a juntarem-se para proteger os habitats e os organismos que vivem neles.
3. Ns, como seres humanos, estamos dependentes da terra para satisfazer as nossas necessidades. Somos uma parte intrnseca da teia da vida, e temos um lugar privilegiado.
Com boa administrao, o potencial de diversidade e abundncia enorme.
Acreditamos que a melhor forma de atingir este potencial reunindo a administrao iluminada do nosso mundo natural e integrando-o com uma administrao da terra que responda s nossas necessidades. Isto requer uma ligao pessoal e intima com o ambiente, e requer que as pessoas habitem e trabalhem com os ritmos e ciclos naturais que formam o nosso mundo.
4. Na essncia, isto significa administrar de forma inteligente e intensiva o nosso meio envolvente, para maximizar o retorno (na forma de energia, gua, comida, abrigo e produtos) e minimizar o desperdcio (pela reciclagem, compostagem e sistemas de energia eficientes).
Na prtica, isto significa adoptar um estilo de vida simples, localizado e baseado na terra, que trabalha com a terra e os ciclos naturais ao nosso dispor.
5. Desenvolvimento de BaixoImpacto
Para explorar o modo de vida de baixo impacto, necessrio criar um sistema integrado de habitaes e infra-estruturas para suportar este empreendimento.
Desenvolvimento de Baixo Impacto
O desenvolvimento de baixo impacto o desenvolvimento que, pela virtude do seu impacto baixo ou benigno no meio , poder ser permitido em locais onde o desenvolvimento convencional no permitido
SimonFairlie

6. O que uma eco-aldeia??
Ecologial-docSocial-docSpiritual-doc
7. Os sete princpios Cooperativos
DefinioUma cooperativa uma associao autnoma de pessoas unidas voluntariamente para satisfazer suas necessidades comuns econmicos, sociais e culturais e as aspiraes por uma empresa de propriedade colectiva e democraticamente controlada.ValoresAs cooperativas baseiam-se nos valores da responsabilidade, democracia, igualdade, equidade e solidariedade. Na tradio dos seus fundadores, os membros das cooperativas acreditam nos valores ticos da honestidade, transparncia, responsabilidade social e preocupao pelos outros.1. Associao voluntria e abertaAs cooperativas so organizaes voluntrias, abertas a todas as pessoas aptas a usar seus servios e dispostas a aceitar as responsabilidades de scio, sem discriminao de gnero, social, racial, poltica ou discriminao religiosa.2. Controlo democrtico pelos membrosAs cooperativas so organizaes democrticas, controladas pelos seus membros, que participam activamente no estabelecimento de suas polticas e na tomada de decises. Todos os membros que exercem um papel em nome do co-op so responsveis para a participao no co-op. Os membros da cooperativa tm igual direito de voto (um membro, um voto).3. Membro da participao econmicaOs membros contribuem equitativamente e controlam democraticamente o capital de sua Co-op. Esse capital usualmente propriedade comum da Co-op. Usualmente os scios recebem juros limitados, se houver, sobre o capital subscrito como condio de adeso.
8. 4. Autonomia e independnciaAs cooperativas so organizaes autnomas, de ajuda mtua, controladas pelos seus membros. Se firmarem acordos com outras organizaes, inclusive governamentais, ou levantar capital de fontes externas, o fazem em termos que assegure o controle democrtico pelos seus membros e mantenham a autonomia da Co-op.5. Educao, formao e informaoCooperativas promovem a educao e a formao dos seus membros, representantes eleitos, gerentes e funcionrios, para que eles possam contribuir efectivamente para o desenvolvimento das suas cooperativas. Eles devero informar o pblico em geral, particularmente os jovens e lderes de opinio, sobre a natureza e os benefcios da cooperao.6. Cooperao entre cooperativasAs cooperativas atendem seus scios mais efectivamente e fortalecem o movimento cooperativo trabalhando juntas atravs de estruturas locais, nacionais, regionais e internacionais.7. Preocupao com a ComunidadeAs cooperativas trabalham para o desenvolvimento sustentvel de suas comunidades atravs de polticas aprovadas pelos seus membros.
9. Como so Cooperativas financiada?
A -directamente a partir dos prprios membrosb -de excedentes retidos gerados pelo negcio cooperativoc -de pessoas fora de cooperativa ( ex donativos, fundos europeias )
Imagine uma Eco Aldeia de cerca de 50 pessoas .Os moradores decidem criar uma "cooperativa", que um negcio que se financiam, e que configurado para fornecer os seus produtos bsicos a preos acessveis. Aqui est como podem funcionar1 / As pessoas na eco aldeia colocar todos , uma certa quantia de dinheiro
Em troca desse dinheiro, cada morador vai receber Xquotos (shares)
Com este capital, a empresa (coop) geralmente faz todas as coisas necessrias para fazer o negcio funcionar. Por ex-vai construir umas o eco aldeia com empresas integradas, eco turismo, quinta biolgico, caf, loja, etcet e pagar os salrios.
Todas as membros que so moradores tenho na mesmos voz, ou seja so igual , na voz de decises perante o eco aldeia.
10.Quotas / Shares
Podemos pensar no seguinte
ScioapoianteXX
Shares Membro s anuais XXXX
Membros com desconto.XXXX
Membros familiaresXXXX
Membros PatrocinadoresXXXX
Membrospara ferias.XXXX
Membros para CursosXXXX
Membrosresidentes temporriosXXXX
Membrosresidentes permanentes.XXXX
Membrosagricultura apoiadapela comunidade..XXXX
11. Porque na Quinta Cabea do Mato?
Entre outras coisas

Originalmente, quando os moinhos de gua estavam em funcionamento, este sitio era o ponto de encontro entre as trs aldeias.
Um lugar para os locais se encontrarem, para falar e estabelecer trocas. Conscientes do que temos aqui,e do que poderemos vir a ter, desejamos criar um futuro mais prspero.
12. Gostaramos de criar e fazer parte de umaEco Vizinhana.
Os nossos recursos naturais incluem gua natural abundante, hortas, terraos, pinheiros, eucaliptos, sobreiros, oliveiras e vrios tipos de rvores de fruto.
13. Gostaramos de criar uma NOVA Eco Aldeia, seguindo os princpios e conceitos da Permacultura.
Com a formao de uma Cooperativa legal
14. Podemos comprar com fundos cooperativas a casa da ribeira ao lado
Este dar mais casas /hortas e espao por vrios famlias, e pode ter uma quinta grande para cultivar!
15. Com recursos partilhados
Bio piscina, floresta, hortas, fonte de electricidade, ribeira, fonte, furo, casa redonda.
16. Possibilidades
A comunidade podem juntar-se para tornar uma das casaspor ser cozinha partilhada, sala de estar, escritrio, telefone/internet.
Seria usada pela comunidade , para reunies, cozinhar juntos as vezes , para receber tambm as ajudantes numa espao comum.
17. Vida sustentvel e Permacultura
Cuidar da Terra /Cuidar das Pessoas/ Partilha Equilibrada
A Permacultura um conjunto de tcnicas e princpios para conceber e criar assentamentos sustentveis de humanos, com plantas, animais e construes e especialmente as relaes entre eles. guiado pelo conjunto de princpios ticos, com cuidar de terra, cuidar das pessoas, e a partilha do excedente.
18. A Permacultura disponibiliza solues sustentveis, e apresenta os desafios como oportunidades.Mostra-nos uma forma eficaz para utilizar a energia regra do mnimo esforo para mximo efeito
como utilizar menos e tirar partido disso.
Concepes para uma horta melhor e mais abundante, trabalhando com a natureza.
Cooperao, no competio
19. Mtodos de design de Permacultura para Eco Aldeias.
Em primeiro lugar OLHAR
para os recursos gua, terra, fontes de combustvel e energia, aspectos sociais.
Os nossos recursos incluem gua abundante (poos, fonte, rio, furo), terraos, pinheiros, eucaliptos, sobreiros, oliveiras e rvores de fruto.
Energia Solar, hydro-ram e moinho de vento(para instalar) e possibilidades de hydro electricidadeAspectos sociais casa redonda, bio piscinacozinha comunitria para a partilha de refeies vrias vezes por ms. Forno tradicional de Po
Sala de estar, escritrio
20. A vida como a conhecemos seja a mudana
Um assentamento, escala humana, em que as actividades humanas so inofensivamente integradas no mundo natural, de modo possibilitar o desenvolvimento humano saudvel, que poder ser continuado no futuro.
21. A Casa prprio conforme a escolha e as possibilidades econmicas de cada pessoa/famlia.
Cada espao pessoal deveria recolher a gua do telhado, reutilizando recursos, e deveria ter uma zona 1 prxima da habitao.
A conservao de energia contemplada na construo dos edifcios comunitrios atravs:-da localizao e orientao, por motivos de sombra, aquecimento, massa termal.-do uso de tcnicas/materiais de construo apropriados.
22. Desenvolvimento de baixo impacto apresenta uma oportunidade, sem precedentes, para a repopulao das reas rurais, por pessoas comprometidas a um estilo de vida baseado na terra, e consciencializados do ambiente.
Baixo impacto tem como objectivo demonstrar que possvel ter um modo de vida moderno que no custe o Planeta. Os seres humanos, ao viver na terra, so capazes de desenvolver uma relao benfica com o mundo natural, que suporta uma cultura humana e uma vida selvagem.
Devera-se reter o mximo de gua possvel, que poder ser armazenada em tanques subterrneos, para irrigao gota-a-gota.
Mtodos de irrigao que conservam gua utilizao da gua residual, utilizao de dispositivos para minimizar a quantidade de gua utilizada (torneiras e duc