« Os migrantes em situação precária e os acesso aos cuidados de saúde » 18 de Março de 2007 Bruxelas Endereço: Chaussée de Forest, 199 – 1060 Bruxelles

  • Published on
    18-Apr-2015

  • View
    102

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> Slide 1 </li> <li> Os migrantes em situao precria e os acesso aos cuidados de sade 18 de Maro de 2007 Bruxelas Endereo: Chausse de Forest, 199 1060 Bruxelles Tel. 0494997897 E-mail: info@abraco-asbl.be Triodos: 523-0414225-13 N entreprise: 885.739.959 Atendimento por telefone: Segunda quinta 9h 12h Permanncia: sextas 10h 13h A asbl Abrao apoiada pela Fundao Roi Baudouin </li> <li> Slide 2 </li> <li> O que a Abrao ? Associao de ajuda e de informao para os migrantes de lngua portuguesa em situao irregular ou precria-ASBL Misso: Defender o respeito pelos direitos humanos dos migrantes de lngua portuguesa em situao irregular ou precria na Blgica, contribuindo para uma melhoria do acesso aos cuidados de sade, educao, justia, vida de famlia, alojamentos salubres e condies de trabalho dignas. </li> <li> Slide 3 </li> <li> Objectivo principal: Dar informao aos migrantes lusfonos em situao irregular ou precria na Blgica sobre os seus direitos humanos fundamentais e acerca da legislao belga em matria de imigrao e de aquisio de nacionalidade. Atividades principais: Organizao de palestras. Atendimento na sede da associao e por telefone. </li> <li> Slide 4 </li> <li> Programao: Ellen Druyts-Medimmigrant : Ajuda mdica urgente Roberta Batatinha Nobre- CPAS St Gilles: Aspectos prticos da ajuda mdica urgente Irma Bellis- Mdecins du Monde: Consultas de mdicos especialistas para quem est excludo do sistema de sade Debate/perguntas do pblico Convvio </li> <li> Slide 5 </li> <li> CPAS de Saint Gilles Rue Fernand Bernier 40 1060 Saint Gilles 02-6005411 Servio Social descentralizado : Chausse de Charleroi, 123 1060 Saint Gilles 02-5418970 Horrios: 8h00 12 h00 e 13h00 16h00 E-mail: cpas@stgilles.irisnet.be </li> <li> Slide 6 </li> <li> Misso de mdicos especialistas: cirurgia, dermatologia, ginecologia, medicina interna, otorrinolaringologia (ORL), oftalmologia, urologia, ortopedia e pediatria (em alguns casos). Quem tem acesso? Pessoas em situao precria que esto excludas do sistema de sade. Um migrante em situao irregular espera de uma AMU, por exemplo, poder ter acesso misso desde que leve uma carta de uma assistente social de um servio social reconhecido. Atendimento prvio por assistentes sociais da misso. Consultas s quintas das 17h30 s 19h30 Endereo: Rue Baron Lambert, 38 1040 Etterbeek Tel. 02 7398585 (quando ligar, pea para falar com a misso de Mdecins du Monde) Site web: http://www.medecinsdumonde.behttp://www.medecinsdumonde.be </li> <li> Slide 7 </li> <li> Ajuda Mdica Urgente para os migrantes em situao irregular Endereo: Rue Gaucheret 164 1030 Bruxelles Tel 32-2-274 14 33 en 32-2-274 14 34 Fax 32-2-274 14 48 E-mail: info@medimmigrant.be Web: www.medimmigrant.be Fortis: 001-2389649-33 Atendimento por telefone: Segundas 10h 13h teras 14h 18h sextas 10h 13h A asbl Medimmigrant recebe apoio da Cocom e da Cocof </li> <li> Slide 8 </li> <li> Fontes legislativas -Art. 57 2 Lei orgnica do CPAS 08/07/1976 -A.R..- AMU 12/12/1996: assinado -31/12/1996: moniteur Belge -10/01/1997: em vigr -A.R. AMU 13/01/2003 : postcure TBC -Circul. 09/07/2002: competncia pagamento AMU -Circul. 27/01/1997: ajuda aos estrangeiros em estadia ilegal. -Circul. 24.11.1997: AMU aos mdicos, dentistas, parteiras e instituies de sade -Circul. 16.10.2003: competncia do CPAS -Circul. 01.03.2005: certido mdica -Circul. 14.07.2005: e.a. carte mdicale convenes 1 eira consulta </li> <li> Slide 9 </li> <li> Contedo Ajuda mdica urgente Preventivo e curativo Atendimento ambulatrio e hospitalizao numa instituio de sade +Certificado de um mdico reconhecido +Confidencialidade +Excluso de alimentao, roupas e alojamento (excepto quando hospitalizao) </li> <li> Slide 10 </li> <li> Lei sobre o servio 100 (08.07.1964) Fundo para cuidados mdicos urgentes Condies -Cuidados mdicos imediatos (acalmar uma crise, reanimao etc) -Ausncia de considerao de cuidados mdicos ulteriores(tirar um gesso) </li> <li> Slide 11 </li> <li> Condies: 3 (+1) -Certido AMU -Situao financeira precria -Estatuto irregular na Blgica -Algumas excepes mdicas -&gt; mdico reconhecido -&gt; CPAS (cobertura das despesas mdicas) -&gt; OE (gabinete CPAS) -&gt; SPP- Integrao Social (Nomenclatura) </li> <li> Slide 12 </li> <li> Procedimento A/ Visita prvia ao CPAS para solicitar a AMU Paciente-&gt;Mdico-&gt;CPAS-&gt;Hospital ou mdico -&gt;SPP-int.soc. |Zona de residncia paciente B/AMU imprevista + situao muito urgente: Paciente. -&gt;Hospital -&gt; CPAS-&gt; SPP-int. Soc. |Zona de residncia paciente Ou zona hospital </li> <li> Slide 13 </li> <li> Competncia Todos os migrantes em situao irregular -&gt; Regra geral: CPAS da zona de residncia habitual -&gt; Excepes: CPAS da zona do prestador de cuidados - a ajuda urgente e o pedido feito durante a estadia no hospital - no possvel determinar a residncia Para os migrantes em situao irregular que recorreram ao Conselho do Estado: -&gt; Cdigo 207: CPAS ou Centro de acolhimento para candidatos a asilo </li> <li> Slide 14 </li> <li> Estabelecimentos de sade - SIM: Estabelecimento ou servio onde um diagnstico pode ser feito ou onde se prestam tratamentos mdicos com ou sem hospitalizao: - Mdico de famlia - Mdico especialista - parteira - para-mdicos - logopedista* instituio de tratamento psiquitrico - Dentista - ortodontista *- hospital psiquitrico - Hospital - hospital de dia - clnica -Centro de fisioterapia - Instituio para o tratamento da toxicomania em regime ambulatrio *Apenas para casos de patologias especficas. </li> <li> Slide 15 </li> <li> No so considerados estabelecimentos de sade: - creches -residncias que oferecem servios mdicos -organizao mdico-pedaggica -moradias protegidas para pacientes psiquitricos -organizaes para surdos-mudos, cegos ou pessoas vtimas de doenas incurveis -centros de sade mental para pessoas idosas -casas de repouso ou lares para idosos -complexos de casas com servios mdicos </li> <li> Slide 16 </li> <li> Reembolso: SPP- Int. Soc. Cdigo de nomenclatura INAMI ou pseudo-cdigo de nomenclatura Em termos gerais: tudo reembolsado excepto as seguintes despesas: Remdios da categoria D (exemplos: contra a dor de cabea, contra a tosse, nusea etc) Honorrios e suplementos de quarto (durante uma hospitalizao, como por exemplo: telefone, quarto individual, material de higiene etc) Implantes, prteses dentrias, prteses sseas, culos* Despesas de estadia: estabelecimento que no reconhecido O fato que o SPPI.S. no reembolsa no quer dizer que o CPAS no possa eventualmente cobrir este tipo de despesas. *Em determinadas condies, os culos podem ser reembolsados </li> <li> Slide 17 </li> <li> Situao de extrema urgncia Certido 'AMU': mdico do estabelecimento de sade Mini investigao social: servio social do estabelecimento de sade 'Procurao' do paciente ( escolha) Confirmar que o processo de pedido de AMU foi introduzido no CPAS </li> <li> Slide 18 </li> <li> Prazos fixados pela lei Hospitalizao -&gt;SPP-int. soc.:&lt; 45 dias: data da declarao ( da faturao) Hospitalizao -&gt; CPAS: no h regras excepo de convenes particulares -&gt; Informar diretamente o estabelecimento de sade da sua situao irregular -&gt; Por vezes a fatura enviada ao Paciente (aps 3 4 meses) </li> <li> Slide 19 </li> <li> Riscos ou problemas com a AMU em situaes de extrema urgncia O paciente no comunica ao servio social a sua situao de migrante em situao irregular durante a estadia no hospital: a fatura chega depois da hositalizao ou dos cuidados prestados (exemplo: 3 meses depois) O servio social do hospital no informa o CPAS tempo (prazo de dez dias para certos hospitais que estabeleceram convenes com os CPAS de Bruxelas, por exemplo). </li> <li> Slide 20 </li> <li> AMU com acordo prvio Acordo do CPAS para cobrir as despesas mdicas: carte mdicale ( carto mdico ): mdico de famlia e/ou dentista e/ou fisioterapeuta + farmcia Rquisitoire : documento que d acesso ao hospital + mdico especialista Confidencialidade Investigao social </li> <li> Slide 21 </li> <li> CPAS - investigao Investigao social: assistente social Estadia irregular Precariedade financeira (garante-termo de responsabilidade, concubinagem, agregado familiar) Certido 'AMU +Visita ao domiclio: informar o migrante das razes da visita +Relatrio para o Conselho do CPAS: rgo que toma a deciso </li> <li> Slide 22 </li> <li> Deciso do CPAS Prazo: mximo 1 ms. Deciso: -Positiva: OK: carte mdicale e/ou rquisitoire -Negativa/ausncia de resposta depois de 1 ms: - Recurso ao Tribunal do trabalho -Perante uma deciso desfavorvel do tribunal do trabalho possvel apelar ao Supremo tribunal do trabalho( Cour du travail ) Solicite uma prova datada do pedido da AMU </li> <li> Slide 23 </li> <li> CPAS: Deveres Confidencialidade Autonomia Dever fundamental: pr em prtica a AMU na sua zona de interveno Primeira consulta Acesso fcil: p.ex. para os remdios </li> <li> Slide 24 </li> <li> Autonomia do CPAS AMU-situaes de extrema urgncia: Lei do 100 servios hospitalares mais prximos! Recusa do CPAS + transferncia AMU-acordo prvio do CPAS: -estabelecimento de sade pblico -mdicos de clnica geral, fisioterapeutas, farmacuticos convencionados </li> <li> Slide 25 </li> <li> Mdico -Certido AMU' (modelo standard) -Remdios: - Certido AMU' - receita mdica + AMU (+ preo do farmacutico) -Confidencialidade -Convenes </li> <li> Slide 26 </li> <li> Farmacuticos AMU (extrema urgncia): acordo de cooperao: mod. 704 n. AMU: Paciente-&gt; mdico-&gt;CPAS-&gt;farmcia - certido 'AMU' -receita(s) com: - 'AMU' - preos Carte mdicale, na maioria dos casos passada para uma farmcia </li> <li> Slide 27 </li> <li> SPP - Integrao Social Reembolso CPAS &lt; 3 meses depois da recepo da lista de despesas Valores: -Transporte para/ou transferncia de estabelecimento: 42,14 euro/por trajeto + ou mais partir de um nmero determinado de km. -Hospitalizao: preo mdio dirio de cuidados em quarto coletivo -Outros cuidados mdicos: preo que serve de base ao reembolso do INAMI (segurana social belga) </li> <li> Slide 28 </li> <li> Preo que serve de base ao reembolso pelo INAMI </li> <li> Slide 29 </li> <li> SPP - Integrao Social Confidencialidade dos dados: fatura Igualmente para o Servio de Estrangeiros (no para outro tipo de ajudas - CPAS) Importncia por ex. art. 9, 3 Direito dos estrangeiros No h distino: hospital particular - pblico </li> <li> Slide 30 </li> <li> Reivindicao dos seus direitos - I Recusa ilegal da AMU, da parte do profissional de sade, estabelecimento, CPAS -&gt; no assistncia pessoa em perigo : processo na justia -&gt;Recusa do CPAS ao pedido da AMU pelo paciente: recurso ao Tribunal do trabalho -&gt;Recusa do CPAS ao pedido do mdico ou do estabelecimento de sade: Tribunal de primeira instncia </li> <li> Slide 31 </li> <li> Reivindicao dos seus direitos - II O CPAS declara no ser competente: -&gt;O CPAS deve indicar qual CPAS deve assumir a competncia (art. 60, Lei CPAS) -&gt;O CPAS deve justificar a sua recusa (Lei de 29.07.1991 sobre a justificao dos procedimentos administrativos) -&gt; No considerado um argumento vlido (de acordo com a jurisprudncia do tribunal do trabalho) o fato de o tratamento dever ser prestado em primeiro lugar num estabeleciemnto de sade pblico. </li> <li> Slide 32 </li> <li> Reivindicao dos seus direitos - III O CPAS recusa cobrir as despesas para uma 'AMU' prestada por um profissional, um farmacutico ou um estabelecimento de sade particulares. -&gt;A urgncia da ajuda mdica pode justificar em si o recurso um servio particular, nomeadamente por questes de proximidade geogrfica por exemplo. -&gt;O profissional de sade pode agir como um observador e tem o dever de prestar os cuidados mdicos necessrios sob pena de ser acusado de no assistncia pessoa em perigo . </li> <li> Slide 33 </li> <li> -&gt; proibido impedir ou freiar o exerccio regular e normal da medicina para uma pessoa que satisfaz as condies exigidas pela lei. (Art. 10, Lei sobre o exerccio da medicina - A.R. nr. 78) -&gt; Todas as pessoas beneficiam da liberdade de escolha do prestador de cuidados de sade. (Art. 127, 1, Lei segurana doentes e invlidos) -&gt; Art. 6 da lei dos pacientes 22/08/2002 -&gt; No h diferena na lei entre os hospitais particulares e pblicos. (Art. 90 et 138, Lei sobre os hospitais). </li> <li> Slide 34 </li> <li> AMU: gravidez Consultas pr-natais: ONE Parto: 'AMU Declarao de nascimento: se os 2 pais esto em situao irregular - certido de nascimento: OK - no h inscrio no registro nacional </li> <li> Slide 35 </li> <li> Convenes = Acordo entre os CPAS et os prestadores de cuidados Vantagens = Procedimentos mais claros Pessoa de contacto Elementos necessrios para o CPAS Prazos a respeitar </li> </ul>