of 56/56
CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA PARA JOVENS E ADULTOS NOVA VISÃO PLANO DE TRABALHO DOCENTE - PTD DISCIPLINA: CIÊNCIAS ENSINO: FUNDAMENTAL II ( X ) MÉDIO ( ) PROFESSOR (A): Edson Dreviski CARGA HORÁRIA: 20 h/a Nº DE ENCONTROS: 64 Nº DE REGISTRO: 4 ORGANIZAÇÃO: ( X ) INDIVIDUAL ( X ) COLETIVO

 · Web view- Sistema nervoso (SN) (anatomia, fisiologia e doenças) - Sistema sensorial (anatomia, fisiologia e doenças) - Sistema locomotor (anatomia, fisiologia e doenças) -

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of  · Web view- Sistema nervoso (SN) (anatomia, fisiologia e doenças) - Sistema sensorial (anatomia,...

CENTRO ESTADUAL DE EDUCAO BSICA PARA JOVENS E ADULTOS

NOVA VISO

PLANO DE TRABALHO DOCENTE - PTD

DISCIPLINA: CINCIAS

ENSINO: FUNDAMENTAL II ( X ) MDIO ( )

PROFESSOR (A): Edson Dreviski

CARGA HORRIA: 20 h/a N DE ENCONTROS: 64

N DE REGISTRO: 4 ORGANIZAO: ( X ) INDIVIDUAL ( X ) COLETIVO

GUARAPUAVA 2016

1. FUNDAMENTOS TERICOS METODOLGICOS:

O progresso conquistado pela humanidade at hoje, deu-se devido ao domnio sobre a natureza ao longo dos tempos. A evoluo em todas as reas da sociedade humana ocorreu pela necessidade de sobrevivncia e principalmente pelo fato do homem ter compreendido e tirado proveito sobre os fenmenos naturais.

O Ensino de Cincias deve servir de elo entre o homem comum e os avanos provenientes dos grandes centros geradores de tecnologia. O contexto mundial regido pelas inovaes cientficas e tecnolgicas, que avanam a cada dia.

Os fenmenos naturais j so conhecidos e interpretados pelo homem, porm a transmisso saberes somados aos conceitos cientficos e tecnolgicos recentemente desenvolvidos constituem fator decisivo para a formao no somente de um futuro cientista, mas principalmente ser significativa para complementar a formao do cidado comum, que no teve a oportunidade de prosseguir nos seus estudos em idade regular, e aqueles que por algum motivo esto em condies de privao de liberdade. E por isso a importncia de um ensino competente e que satisfaa essa necessidade.

Partindo desse pressuposto o Ensino de Cincias deve ter um carter mais abrangente possvel, no ser manipulador e dar campo a integrao teoria-prtica. No apenas com a finalidade de compreenso de conceitos conhecidos, mas principalmente, para a prpria absoro e elaborao do saber cientfico por parte dos educandos.

Em relao aos desafios socioeducacionais, funo da disciplina de cincias dar a eles a mesma importncia que os demais temas desenvolvidos no curso. Diante do atual panorama sociocultural que se vislumbra, cabe a disciplina de cincias encararem os desafios de maneira que sejam trabalhados concomitantemente com os contedos da grade curricular. Assim, tais desafios devem ser colocados no mesmo grau de importncia dos demais. Desafios esses amparados em leis especificas, como: Histria e Cultura Afro-brasileira, Africana e Indgena: Lei n 11.645/08; Preveno ao uso indevido de drogas: Lei n 11.343/06; Combate ao Abuso e Explorao Sexual de Crianas: Lei 9.970/00; Enfrentamento Violncia contra a Criana e o Adolescente: Direito da Criana e do Adolescente: Lei Federal n.11525/07; Educao Fiscal, Educao Tributria: Decreto n. 1143/99 Portaria n. 413/02; Educao Ambiental: Lei Federal n. 9.795/99 Decreto n. 4.281/02; Histria do Paran: Lei n. 13.381/01- SUED/SEED; Msica: Lei n.11.769/08; Estatuto do Idoso: Lei 10741/03; Educao para o Trnsito: Lei 9503/97 Cdigo de Trnsito Brasileiro; Hasteamento de Bandeiras e execuo de Hinos: Instruo n 013/2012 SUED/SEED e Lei n 12.031 de 21/09/2009; Educao Alimentar e Nutricional: Lei n 11.947/09 Resoluo n 02/2012 CNE; Educao em Direitos humanos Lei n 11.947 de 16/06/2009, Resoluo n 01/2012 CNE. Da mesma forma, devem ser trabalhados em sua totalidade e no relegados como parte integrante de projetos interdisciplinares que so desenvolvidos como arcabouos de propostas pedaggicas da escola. Estas normativas podero ser desenvolvidas como atividades complementares e como programas em parceria com as instituies prisionais, bem como em momentos oportunos no decorrer das aulas relacionando com contedos especficos e obedecendo as especificidades metodolgicas do CEEBJA NOVA VISO.

2. OBJETIVOS GERAIS

- Reconhecer que a humanidade sempre se envolveu com o conhecimento da natureza e que a Cincia, uma forma de desenvolver esse conhecimento, relaciona-se com outras atividades humanas (o conhecimento cientfico que resulta da investigao da Natureza);

- Compreender a natureza como um todo dinmico e o ser humano, em sociedade, como agente de transformaes do mundo em que vive em relao essencial com os demais seres vivos e outros componentes do ambiente;

- Identificar relaes entre conhecimento cientfico, produo de tecnologia e condies de vida, no mundo de hoje e em sua evoluo histrica, e compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, sabendo elaborar juzo sobre riscos e benefcios das prticas cientfico-tecnolgicas;

- Valorizar a vida em sua diversidade e a conservao dos ambientes;

- Interpretar situaes de equilbrio e desequilbrio ambiental, relacionando informaes sobre a interferncia do ser humano e a dinmica das cadeias alimentares;

- Formular questes, diagnosticar e propor solues para problemas reais a partir de elementos das Cincias Naturais, colocando em prtica conceitos, procedimentos e atitudes desenvolvidos no aprendizado escolar;

- Conhecer caractersticas fundamentais do Brasil, nas dimenses sociais, polticas, materiais e culturais, como um meio para construir progressivamente a noo de identidade nacional e pessoal e o sentimento de pertinncia ao Pas;

- O fortalecimento dos vnculos de famlia, dos laos de solidariedade humana e de tolerncia recproca em que se assenta a vida social;

- Posicionar-se de maneira crtica, responsvel e construtiva nas diferentes situaes sociais, utilizando o dilogo como forma de mediar conflitos e de tomar decises coletivas;

- Compreender as diferentes dimenses da reproduo humana e os mtodos contraceptivos, valorizando o sexo seguro e a gravidez planejada.

3 CONTEDOS:

ENSINO: FUNDAMENTAL

1 REGISTRO

CONTEUDO ESTRUTURANTE: Astronomia

CONTEDOS BASICO

CONTEDOS ESPECIFICOS

OBJETIVOS ESPECFICOS

ENCAMINHAMENTO METODOLGICO

CRITRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAO

Universo

Sistema solar

Movimentos terrestres

Movimentos celestes

Astros

- A histria da humanidade;

- Cincias e tecnologia;

- Um mundo de contradies;

- O Universo e o Sistema Solar;

- A lua e suas fases.

- Os eclipses.

- O sol.

- A evoluo da humanidade e das tecnologias;

- Analisar como surgiu a histria da humanidade;

- Compreender que a Terra est em contnuo movimento no espao e gira em torno do Sol e do seu prprio eixo;

- Reconhecer a existncia das estaes do ano e as fases da Lua e dos eclipses;

- Identificar o Sol como astro principal do Sistema Solar;

- Conhecer as principais caractersticas dos Planetas, asteroides e cometas do Sistema Solar;

- Aulas expositivas provocando discusses e instigando a imaginao e as relaes com outros textos e documentrios;

- Textos para aprimorar o conhecimento;

- Leitura e interpretao de textos para auxlio na troca de experincias;

- Realizao de atividades propostas para fixao de contedo;

- Pesquisas, cartazes;

- Vdeos, com roteiros para anlise.

- A histria da humanidade e as descobertas do universo.

- Relaes entre os conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas.

- A histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais.

- A abordagem desses contedos bsicos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

-Todos esses elementos podem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, atividades experimentais, recursos instrucionais, entre outros.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

Entenda as ocorrncias astronmicas como fenmenos da natureza.

Reconhea as caractersticas bsicas de diferenciao entre estrelas, planetas, planetas anes, satlites naturais, cometas, asteroides, meteoros e meteoritos.

Conhea a histria da cincia, a respeito das teorias geocntricas e heliocntricas.

Compreenda os movimentos de rotao e translao dos planetas constituintes do sistema solar.

Atravs de:

- relatrios,

- atividades presencias

- avaliao escrita.

Este contedo ser trabalhado em 8 h/a.

CONTEDO ESTRUTURANTE: matria.

Constituio da matria

- O solo e o ecossistema;

- camadas da Terra;

- formao do solo;

- propriedades e tipos de solos;

- desgaste do solo;

- manejo adequado do solo;

- o solo e a sade;

- lixo e o solo.

- Compreender, de maneira simplificada, os processos bsicos da dinmica do Planeta que originam o solo.

- Conhecer alguns tipos de solo, sua composio e caractersticas especficas.

- Valorizar a importncia do solo como sustento da vida na Terra e promover atitudes que favoream sua preservao.

- Aulas expositivas provocando discusses e instigando a imaginao e as relaes com outros textos e documentrios;

- Textos para aprimorar o conhecimento;

- Leitura e interpretao de textos para auxlio na troca de experincias;

- Realizao de atividades propostas para fixao de contedo;

- a histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais.

- Essas abordagens devem contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, valorizando as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- As relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos devem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, entre outros.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

Entenda a constituio e propriedades da matria, suas transformaes, como fenmenos da natureza.

Compreenda a constituio do planeta Terra, no que se refere atmosfera e crosta, solos, rochas, minerais, manto e ncleo.

Entenda a constituio dos sistemas orgnicos e fisiolgicos como um todo integrado.

Atravs de:

- relatrios,

- atividades presencias

- avaliao escrita.

Este contedo ser trabalhado em 2 h/a.

Constituio da matria

- A gua.

- Estados fsicos e mudanas da gua;

- importncia da gua

- ciclo da gua,

- poluio da gua e tipos de gua.

- tratamento da gua.

- A gua e a sade.

- Compreender cada estado fsico da gua bem como as suas mudanas.

- Compreender, analisar e por em prtica os meios de economizar a gua.

- Analisar as fases do ciclo da gua e compreende-los.

- Conhecer os principais aquferos subterrneos.

- Saber os tipos de gua existentes e os meios que o ser humano a polui.

- Compreender os processos de tratamento que a gua passa at chegar em nossas casas.

- Aulas expositivas provocando discusses e instigando a imaginao e as relaes com outros textos e documentrios;

- Textos para aprimorar o conhecimento;

- Leitura e interpretao de textos para auxlio na troca de experincias;

- Realizao de atividades propostas para fixao de contedo;

- Vdeos, com roteiros para anlise.

- Trabalhos com experimentos em laboratrio (analise dos tipos de solo),

- Pesquisas,

- A histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais.

- Essas abordagens devem contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, valorizando as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- As relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos devem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, entre outros.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

entenda e reconhea a constituio e propriedades da gua, suas transformaes, como fenmenos da natureza.

Conhea os fundamentos tericos da composio da gua presente no planeta Terra.

Entenda a constituio dos sistemas orgnicos e fisiolgicos como um todo integrado.

Reconhea as caractersticas gerais dos seres vivos e suas composies, principalmente a gua.

Reconhea os nveis de organizao celular e a participao da gua nessa organizao.

Interprete o conceito de energia por meio da anlise das suas mais diversas formas de manifestao, destacando a energia hidroeltrica.

Conhea sobre a converso de uma forma de energia em outra.

A interpretao do conceito de transmisso de energia.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita.

- relatrios.

Este contedo ser trabalhado em 2 h/a.

Constituio da matria

- Ar e a atmosfera;

- os componentes do ar;

- as camadas da atmosfera;

- presso atmosfrica;

- camada de oznio;

- efeito Estufa;

- chuva cida;

- inverso Trmica.

- Conhecer os gases que compem o ar atmosfrico.

- Identificar as camadas da atmosfera.

- Reconhecer que o ar exerce presso sobre os corpos.

- Saber a importncia da camada de oznio e o efeito estufa para a manuteno da vida no planeta Terra e as consequncias de seu agravamento.

- Conhecer os processos de formao da chuva cida e da inverso trmica.

- Reconhecer os agentes poluidores e como evitar a poluio.

- Aulas expositivas;

- Leitura e interpretao de textos;

- Realizao de atividades propostas para fixao de contedo;

- Trabalhos com experimentos em laboratrio, com roteiros para anlise;

- Pesquisas, cartazes;

- Seminrios;

- Vdeos, com roteiros para anlise.

- A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- As relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos devem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, recursos instrucionais, entre outros.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

Entenda a constituio e propriedades da matria, suas transformaes, como fenmenos da natureza.

Reconhea os fundamentos tericos da composio do ar presente no planeta Terra.

Entenda a constituio dos sistemas orgnicos e fisiolgicos (orgnicos) como um todo integrado.

Reconhea as caractersticas gerais dos seres vivos e suas composies, principalmente o ar.

Reflita sobre a origem e a discusso a respeito da teoria celular como modelo explicativo da constituio dos organismos e a participao do ar nesse processo.

Reconhea os nveis de organizao celular e a participao do ar nessa organizao.

Interprete o conceito de energia por meio da anlise das suas mais diversas formas de manifestao, destacando a energia elica.

Conhea a respeito da converso de uma forma de energia em outra.

Interprete o conceito de transmisso das diversas formas de energia, pelo ar.

Reconhea as diferentes formas de poluio do ar e os culpados.

Aja de forma a evitar a poluio atmosfrica.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita.

- relatrios.

Este contedo ser trabalhado em 4 h/a.

2 REGISTRO

CONTEDOS ESTRUTURANTES: Biodiversidade energia.

CONTEDO BSICO

CONTEDOS ESPECIFICO

OBJETIVOS ESPECFICOS

ENCAMINHAMENTO METODOLGICO

CRITRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAO

Organizao dos seres vivos

Ecossistema

Evoluo dos seres vivos

- A biodiversidade.

- Energia e matria no ecossistema, cadeia e teia alimentar.

- Equilbrio e desequilbrio dos ecossistemas.

- A diversidade de formas e tamanhos dos seres vivos.

- Perceber que os organismos interagem entre si e estabelecem relaes ecolgicas.

- Reconhecer que o ecossistema dinmico.

- Reconhecer que o ser humano faz parte do ambiente e que suas aes interferem nele.

- Compreender os conceitos de seres auttrofos e hetertrofos.

- Entender como se d a transmisso de matria e energia num ecossistema.

- Aulas expositivas;

- Leitura e interpretao de textos;

- Realizao de atividades propostas para fixao de contedo;

- Trabalhos com experimentos em laboratrio, com roteiros para anlise;

- Pesquisas, cartazes;

- Seminrios;

- Vdeos, com roteiros para anlise.

- A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- As relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos devem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, observaes, atividades experimentais, recursos instrucionais, entre outros.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

O conhecimento dos fundamentos da estrutura qumica da clula.

O conhecimento dos mecanismos de constituio da clula e as diferenas entre os tipos celulares.

A compreenso do fenmeno da fotossntese e dos processos de converso de energia na clula.

As relaes entre os rgos e sistemas animais e vegetais a partir do entendimento dos mecanismos celulares.

O entendimento do conceito de energia luminosa.

O entendimento da relao entre a energia luminosa solar e sua importncia para com os seres vivos.

O entendimento do conceito de biodiversidade e sua amplitude de relaes como os seres vivos, o ecossistema e os processos evolutivos.

O conhecimento a respeito da classificao dos seres vivos, de categorias taxonmicas, filogenia.

O entendimento das interaes e sucesses ecolgicas, cadeia alimentar, seres auttrofos e hetertrofos.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita.

Este contedo ser trabalhado em 4 h/a.

CONTEDOS ESTRUTURANTES: Sistema biolgico

Nveis de organizao

Celular

Clula

Morfologia e fisiologia dos seres vivos

Mecanismos de herana gentica

- Caractersticas dos seres vivos.

- Organizao celular.

- Organelas celulares e suas funes.

- A classificao dos seres vivos.

- Os cinco reinos dos seres vivos.

- Vrus

- Monera

- Protista

- Fungi

- Reconhecer as caractersticas comuns a todos os seres vivos.

- Perceber que a clula a unidade bsica de todos os seres vivos.

- Identificar as estruturas fundamentais das clulas.

- Conhecer os diferentes tipos de clula: procarionte e eucarionte; animal e vegetal.

- Compreender a necessidade de organizar os seres vivos para esquematizar um sistema de classificao dos seres vivos.

- Reconhecer as caractersticas utilizadas para a classificao dos seres vivos.

- Conhecer os cinco reinos, suas principais caractersticas e seus representantes.

- Conhecer a estrutura de um vrus.

- Reconhecer que vrus so causadores de doenas humanas.

- Enumerar as principais doenas virais e fornecer informaes sobre a contaminao, preveno e cura.

- Conceituar e diferenciar antgeno e anticorpo.

- Identificar as clulas e os rgos envolvidos na resposta imunolgica.

- Conceituar e diferenciar soro e vacina.

- Conhecer a estrutura e as caractersticas desses grupos.

- Enumerar as principais doenas causadas por esses grupos aos humanos e fornecer informaes sobre a contaminao, preveno e cura.

- Conceituar decomposio e identificar as bactrias e os fungos envolvidos nesse processo.

- Compreender a importncia econmica e ambiental dos grupos.

- Identificar processos que conservam os alimentos que consumimos.

- A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino-aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- As relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos devem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, recursos instrucionais, atividades ldicas, entre outros.

- Leitura no livro texto

- Leitura de revistas e jornais

- Aulas expositoras

- Vdeos

- Exerccios de reviso.

- Pesquisas.

- Experincias

- Registro complementar

- Formulao de textos, cartazes,...

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

O reconhecimento dos padres de movimento terrestre, as estaes do ano e os movimentos celestes no tocante caractersticas especificas a determinados seres vivos;

O entendimento da composio fsico-qumica do universo so as comuns aos seres vivos.

O entendimento da constituio do planeta Terra primitivo, e a evoluo da vida.

A compreenso da constituio da atmosfera terrestre e sua influencia nos seres vivos.

O conhecimento dos fundamentos da estrutura qumica da clula.

O conhecimento dos mecanismos de constituio da clula e as diferenas entre os tipos celulares.

A compreenso do fenmeno da fotossntese e dos processos de converso de energia na clula, reconhecendo o sol como primeira fonte de energia.

As relaes entre os rgos e sistemas animais e vegetais a partir do entendimento dos mecanismos celulares.

O entendimento da relao entre a energia luminosa solar e sua importncia para com os seres vivos.

O entendimento do conceito de biodiversidade e sua amplitude de relaes como os seres vivos, o ecossistema e os processos evolutivos.

O entendimento das interaes e sucesses ecolgicas, cadeia alimentar, seres auttrofos e hetertrofos.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais.

- avaliao escrita.

Este contedo ser trabalhado em 4 h/a.

CONTEUDO ESTRUTURANTE: Sistemas Biolgicos

Nveis de organizao

Celular

Clula

Morfologia e fisiologia dos seres vivos

Mecanismos de herana gentica

- Classificao das plantas

- Brifitas;

- Pteridfitos:

- Gimnospermas;

- Angiospermas;

- monocotiledneas e dicotiledneas.

- Organizao das plantas

- As partes de uma planta

- Raiz

- Folha

- Flor

- Fruto

- Semente

- O aluno dever ser capaz de:

-Reconhecer as diversas caractersticas dos grupos vegetais;

- Conhecer atravs de identificao das diversas partes e funes destas nos vegetais.

- Distinguir as diferentes etapas pela quais os vegetais passam e as condies ambientais em que vivem, como a importncia para a vida dos diversos seres vivos incluindo os seres humanos.

- Compreender as funes das partes do vegetal;

- Identificar as regies e os tipos de estruturas vegetais;

- Compreender as funes do caule;

- Distinguir seiva bruta e elaborada;

- Identificar os tipos de caule.

- Identificar as partes de uma folha;

- Compreender e explicar as funes da folha.

- Identificar as partes de uma flor;

- Conhecer o processo de polinizao.

- Conhecer os diferentes tipos de frutos;

- Identificar as caractersticas de um fruto verdadeiro e um pseudofruto.

- Reconhecer as partes de uma semente;

- Compreender o processo de disperso da semente.

Os contedos especficos da disciplina de Cincias, selecionados a partir de critrios que levam em considerao o desenvolvimento cognitivo do estudante, considerando aspectos essenciais no ensino de Cincias; a histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais.

A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- Para tanto, as relaes entre conceitos vinculados aos contedos estruturantes, relaes entre os conceitos cientficos e pertencentes a outras disciplinas, e relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos podem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, atividades ldicas, entre outros.

- Leitura no livro texto

- Leitura em jornais e revistas

- Debates em sala; Vdeo e esquemas na TV pendrive;

- Exerccios de reviso;

- Formulao de textos, cartazes, maquetes; Apresentao (sala de aula)

- Painel Plantas Medicinais.

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

O reconhecimento dos padres de movimento terrestre, as estaes do ano e os movimentos celestes no tocante caractersticas especificas a determinados seres vivos;

O entendimento da composio fsico-qumica do universo so as comuns aos seres vivos.

O entendimento da constituio do planeta Terra primitivo, e a evoluo da vida.

A compreenso da constituio da atmosfera terrestre e sua influencia nos seres vivos.

O conhecimento dos fundamentos da estrutura qumica da clula.

O conhecimento dos mecanismos de constituio da clula e as diferenas entre os tipos celulares.

A compreenso do fenmeno da fotossntese e dos processos de converso de energia na clula, reconhecendo o sol como primeira fonte de energia.

As relaes entre os rgos e sistemas animais e vegetais a partir do entendimento dos mecanismos celulares.

O entendimento da relao entre a energia luminosa solar e sua importncia para com os seres vivos.

O entendimento do conceito de biodiversidade e sua amplitude de relaes como os seres vivos, o ecossistema e os processos evolutivos.

O entendimento das interaes e sucesses ecolgicas, cadeia alimentar, seres auttrofos e hetertrofos.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita;

- cartazes;

- Testes escritos.

Este contedo ser trabalhado em 4 h/a.

CONTEUDO ESTRUTURANTE: Sistemas Biolgicos

Nveis de organizao celular

Clula

Morfologia e fisiologia dos seres vivos

Mecanismos de herana gentica

- Animais Vertebrados

- Peixes

- Anfbios

- Rpteis

- Aves

- Mamferos

- Desenvolvimento de atitudes cientficas e interferncias do homem na contribuio para a defesa da ecologia.

- Compreender as principais caractersticas dos peixes;

Identificar as diferenas entre os peixes sseos e cartilaginosos;

- Explicar a funo da linha lateral e da bexiga natatria dos peixes;

- Compreender a piracema e os malefcios da pesca nesse perodo.

- Adquirir atitudes que favoream a manuteno da sade, tanto no plano individual como no coletivo, pelo conhecimento do prprio corpo e dos fatores ambientais que o cercam.

- Compreender as principais caractersticas dos anfbios;

- Reconhecer os diferentes tipos de anfbios;

- Explicar a metamorfose do sapo;

- Reconhecer a utilidade do sapo no meio ambiente.

- Identificar as principais caractersticas dos grupos;

- Distinguir as diferentes variedades dentro dos grupos;

- Explicar a reproduo dos grupos;

- Reconhecer as caractersticas que conferem capacidade de voo s aves.

- Identificar as caractersticas dos mamferos;

- Citar as principais ordens de mamferos.

Os contedos especficos da disciplina de Cincias, selecionados a partir de critrios que levam em considerao o desenvolvimento cognitivo do estudante, considerando aspectos essenciais no ensino de Cincias; a histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais.

A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino aprendizagem da disciplina de

Cincias e de seu objeto de estudo, levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- Para tanto, as relaes entre conceitos vinculados aos contedos estruturantes, relaes entre os conceitos cientficos e pertencentes a outras disciplinas, e relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos podem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, atividades ldicas, entre outros.

- Leitura no livro texto

- Leitura em jornais e revistas

- Debates em sala; Vdeo e esquemas na TV pendrive;

- Exerccios de reviso;

- Formulao de textos, cartazes, maquetes; Apresentao (sala de aula)

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

O reconhecimento dos padres de movimento terrestre, as estaes do ano e os movimentos celestes no tocante caractersticas especificas a determinados seres vivos;

O entendimento da composio fsico-qumica do universo so as comuns aos seres vivos.

O entendimento da constituio do planeta Terra primitivo, e a evoluo da vida.

A compreenso da constituio da atmosfera terrestre e sua influencia nos seres vivos.

O conhecimento dos fundamentos da estrutura qumica da clula.

O conhecimento dos mecanismos de constituio da clula e as diferenas entre os tipos celulares.

A compreenso do fenmeno da fotossntese e dos processos de converso de energia na clula, reconhecendo o sol como primeira fonte de energia.

As relaes entre os rgos e sistemas animais e vegetais a partir do entendimento dos mecanismos celulares.

O entendimento da relao entre a energia luminosa solar e sua importncia como energia trmica para o aquecimento dos seres vivos.

O entendimento do conceito de biodiversidade e sua amplitude de relaes como os seres vivos, o ecossistema e os processos evolutivos.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita;

- cartazes;

- pesquisas.

- relatrios,

- Participao diria do aluno.

- Testes escritos.

Este contedo ser trabalhado em 4 h/a.

3 REGISTRO

CONTEDOS ESTRUTURANTES: Sistemas biolgicos

CONTEDO BSICO

CONTEDOS ESPECIFICO

OBJETIVOS ESPECFICOS

ENCAMINHAMENTO METODOLGICO

CRITRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAO

Nveis de organizao

Celular

Clula

Morfologia e fisiologia dos seres vivos

Mecanismos de herana gentica

-Tecidos rgos e sistemas

- Alimento e nutriente

- Alimentao e sade

- Digesto e sistema digestrio

- Sistema nervoso (SN) (anatomia, fisiologia e doenas)

- Sistema sensorial (anatomia, fisiologia e doenas)

- Sistema locomotor (anatomia, fisiologia e doenas)

- A Circulao:

- O Corao

- Os vasos sanguneos

- O sangue

- Sistema endcrino (anatomia, fisiologia e doenas)

- A Respirao:

- Sistema Respiratrio Humano.

- A Excreo:

- Resduos de nosso metabolismo

- Sistema Urinrio Humano.

- A Produo de Urina em nossos rins. Compreender o mecanismo de formao da urina

- A reproduo:

- O Sistema Genital:

- Sistema Genital Masculino. Sistema Genital Feminino.

- Fecundao.

- Formao dos Gmeos

- Como Nascemos

- Ovulao, Perodo frtil, menstruao

- Mtodos Anticoncepcionais

- Doenas sexualmente transmissveis.

Hereditariedade:

- Caractersticas Hereditrias.

- Cromossomos sexuais Humanos.

- Caracterizar e reconhecer a clula como unidade morfolgica dos seres vivos, capaz de autoduplicao;

- Identificar, caracterizar e atribuir as respectivas funes das organelas citoplasmticas;

- Caracterizar, diferenciar e atribuir a respectiva funo dos tecidos.

- Identificar os nutrientes;

- Diferenciar alimento e nutriente;

- Perceber a importncia e a funo de cada nutriente;

- Compreender a importncia da alimentao adequada para o crescimento e desenvolvimento.

- Diferenciar e conceituar as etapas da digesto;

- Identificar os rgos que compem o sistema digestrio;

- Citar o caminho do alimento dentro do sistema digestrio;

- Citar as principais enzimas que atuam no processo digestivo;

- conhecer algumas doenas do sistema digestrio e medidas de preveno.

- Reconhecer o neurnio como unidade estrutural e funcional do SN.

- Conhecer a organizao do sistema nervoso.

- Identificar as partes e funes do SN.

- Conhecer alguns distrbios que podem afetar o SN sua preveno e tratamento.

- Conhecer algumas drogas que afetam o SNC.

- Reconhecer como os estmulos ambientais so percebidos pelo organismo.

- Reconhecer os sentidos e os rgos responsveis por cada um deles.

- Conhecer as estruturas e o funcionamento de cada rgo do sentido.

- Conhecer o sistema esqueltico e sua funo, e identificar suas partes.

- Conhecer o sistema muscular.

- Perceber como se d o movimento e conhecer algumas doenas que podem afetar ossos e msculos e as medidas preventivas.

- Conhecer as articulaes e algumas doenas que podem afetar essas estruturas.

- Conhecer o sistema endcrino, identificar suas estruturas e modo de ao.

- Explicar as trocas gasosas e movimentos respiratrios.

- Explicar a liberao de energia necessria s funes do organismo

- Reconhecer os rgos que fazem parte do sistema circulatrio;

- Identificar a funo de cada rgo;

- Diferenciar pequena de grande circulao.

- Conhecer os rgos do sistema urinrio.

- Compreender que a excreo permite a remoo de resduos inteis e prejudiciais ao organismo produzidos pelas clulas.

- Relacionar a reproduo no Homem com a existncia de gametas masculinos e femininos.

- Compreender o Ciclo da Menstruao.

- Conhecer algumas doenas sexualmente transmissveis. (DST)

- Conhecer os mtodos de controle de natalidade.

- Adquirir o conhecimento de que as caractersticas genticas so transmitidas dos pais para os filhos.

- Os contedos especficos da disciplina de Cincias, selecionados a partir de critrios que levam em considerao o desenvolvimento cognitivo do estudante, as caractersticas regionais, entre outros, devem ser abordados considerando aspectos essenciais no ensino de Cincias; a histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais. A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino aprendizagem da disciplina de Cincias e de seu objeto de estudo levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- Para tanto, as relaes entre conceitos vinculados aos contedos estruturantes (relaes conceituais), relaes entre os conceitos cientficos e conceitos pertencentes a outras disciplinas (relaes interdisciplinares), e relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas (relaes de contexto) se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos podem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, recursos instrucionais, atividades ldicas, entre outros.

- Estes encaminhamentos metodolgicos sero apoiados com:

- Leitura no livro texto

- Leitura em jornais e revistas

- Debates em sala; Vdeo e esquemas na TV pendrive;

- Exerccios de reviso;

- Formulao de textos, cartazes, maquetes; Apresentao (sala de aula)

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

O conhecimento sobre o conceito de matria e sua constituio, com base nos modelos atmicos.

O conceito de tomo e reaes qumicas.

O conhecimento das leis da conservao da massa.

O conhecimento dos compostos orgnicos e relaes destes com a constituio dos organismos vivos

Os mecanismos celulares e sua estrutura, de modo a estabelecer um entendimento de como esses mecanismos se relacionam no trato das funes celulares.

O conhecimento da estrutura e funcionamento dos tecidos.

O entendimento dos conceitos que fundamentam os sistemas digestrio, cardiovascular, respiratrio, excretor e urinrio.

Os fundamentos da energia qumica e suas fontes, modos de transmisso e armazenamento.

O entendimento dos fundamentos da energia mecnica e suas fontes, modos de transmisso e armazenamento.

O entendimento das teorias evolutivas.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita;

- cartazes;

- pesquisas.

- relatrios,

- Participao diria do aluno.

- Testes escritos.

Este contedo ser trabalhado em 16 h/a.

4 REGISTRO

CONTEDOS ESTRUTURANTES: Matria e energia

CONTEDO BSICO

CONTEDOS ESPECIFICO

OBJETIVOS ESPECFICOS

ENCAMINHAMENTO METODOLGICO

CRITRIOS E INSTRUMENTOS DE AVALIAO

Constituio da matria

Formas de energia

- A matria e suas propriedades.

- Estados fsicos da matria.

- Mudanas de estado fsico da matria.

- Substncias puras e misturas.

- Estrutura do tomo

- Ncleo

- Eletrosfera

- Nmero atmico, massa e eltrons.

- Camadas eletrnicas

- Elementos qumicos.

- Tabela peridica.

- Os movimentos.

- As foras.

- Trabalho e potncia.

- Calorimetria.

- Ondas.

Ao trmino destes contedos o aluno dever saber que:

- A matria e suas propriedades.

- Estados fsicos da matria.

- Mudanas de estado fsico da matria.

- Substncias puras e misturas.

- Conceitos diferentes.

- Molcula a menor poro de uma substncia.

- Matria apresenta diversas propriedades

- os estados fsicos da matria so: slido, lquido e gasoso.

- A matria pode passar de um estado para outro.

- Que as mudanas de estado fsico so: fuso, vaporizao, liquefao, solidificao e sublimao.

- Ao estudar estes contedos o aluno dever compreender que: Os tomos so as partculas formados da matria.

- Os eltrons, os prtons e os nutrons fazem parte dos nutrons fazem parte do tomo.

- Os eltrons se distribuem na eletrosfera.

- O tomo pode ser representado em modelos espaciais.

- Perceber a grande diversidade de substncias da natureza e suas transformaes.

- Compreender que movimento ou repouso dependem do referencial.

- Perceber que velocidade a medida com que um corpo muda de posio no espao.

- Compreender fora como uma ao que age diretamente sobre os corpos.

- Entender que fora uma ao capaz de realizar trabalho.

- Destacar que o atrito de corpos gera calor.

- Levar o aluno a conhecer as escalas termomtricas.

- Demonstrar que a energia se propaga atravs de ondas.

- Os contedos especficos da disciplina de Cincias, selecionados a partir de critrios que levam em considerao o desenvolvimento cognitivo do estudante, as caractersticas regionais, entre outros, devem ser abordados considerando aspectos essenciais no ensino de Cincias; a histria da cincia, a divulgao cientfica e as atividades experimentais. A abordagem desses contedos especficos deve contribuir para a formao de conceitos cientficos escolares no processo ensino aprendizagem da disciplina de Cincias e de seu objeto de estudo levando em considerao que, para tal formao conceitual, h necessidade de se valorizar as concepes alternativas dos estudantes em sua zona cognitiva real e as relaes substantivas que se pretende com a mediao didtica.

- Para tanto, as relaes entre conceitos vinculados aos contedos estruturantes (relaes conceituais), relaes entre os conceitos cientficos e conceitos pertencentes a outras disciplinas (relaes interdisciplinares), e relaes entre esses conceitos cientficos e as questes sociais, tecnolgicas, polticas, culturais e ticas (relaes de contexto) se fundamentam e se constituem em importantes abordagens que direcionam o ensino de Cincias para a integrao dos diversos contextos que permeiam os conceitos cientficos escolares.

- Todos esses elementos podem auxiliar na prtica pedaggica dos professores de Cincias, ao fazerem uso de problematizaes, contextualizaes, interdisciplinaridade, pesquisas, leituras cientficas, atividade em grupo, observaes, atividades experimentais, recursos instrucionais, atividades ldicas, entre outros.

- Estes encaminhamentos metodolgicos sero apoiados com:

- Leitura no livro texto

- Leitura em jornais e revistas

- Debates em sala; Vdeo e esquemas na TV pendrive;

- Exerccios de reviso;

- Formulao de textos, cartazes, maquetes; Apresentao (sala de aula)

- O professor de Cincias precisa estabelecer critrios e selecionar instrumentos a fim de investigar a aprendizagem significativa do aluno, para que ele:

Compreenda as propriedades da matria, massa, volume, densidade, compressibilidade, elasticidade, divisibilidade, indestrutibilidade, impenetrabilidade, maleabilidade, ductibilidade, flexibilidade, permeabilidade dureza, tenacidade, cor, brilho, sabor.

Compreenda os sistemas conversores de energia, as fontes de energia e sua relao com a Lei da conservao da energia.

Entenda as relaes entre sistemas conservativos.

Entenda os conceitos de movimento, deslocamento, velocidade, acelerao, trabalho e potncia.

Entenda o conceito de energia eltrica e sua relao com o magnetismo.

Entenda os fundamentos tericos que descrevem os ciclos biogeoqumicos, bem como, as relaes interespecficas e intraespecficas.

Entenda a formulao dos conceitos.

Esses entendimentos atravs de:

- atividades presenciais;

- avaliao escrita;

- cartazes;

- pesquisas.

- relatrios,

- participao diria do aluno.

- testes escritos.

Este contedo ser trabalhado em 16 h/a.

4 AVALIAO E RECUPERAO DE ESTUDOS

A avaliao um instrumento fundamental para se obterem informaes sobre o processo ensino-aprendizagem.

Na avaliao, tradicionalmente, foram-se diferenciando duas formas: a avaliao para a aprendizagem ou "formativa", ou seja, a explorao de conhecimentos e habilidades, que orienta as decises cotidianas do professor, e a avaliao da aprendizagem ou "cumulativa", com prazos mais largos e que tem consequncias para a qualificao dos alunos, inclusive para sua progresso etapa seguinte. A primeira facilitada sobretudo com a utilizao de diferentes atividades, a segunda deve ser feita de maneira contnua, ocorrendo vrias vezes durante o processo, e no apenas ao final do bimestre ou trimestre. A avaliao praticada em intervalos breves e regulares serve como feedback constante do trabalho do professor, possibilitando reflexes e reformulaes nos procedimentos e estratgias, visando sempre ao sucesso efetivo do aluno.

Ao longo do curso, surgem inmeras oportunidades de observao e avaliao.

Tendo em mos as anotaes sobre as atividades e as produes da turma, possvel traar perfis, perceber que aspectos devem ser reforados no ensino, que contedos e habilidades convm privilegiar e quais assuntos podem ser avanados.

Sempre til analisar e avaliar as atitudes dos alunos, individualmente ou no grupo. Assim possvel refletir e inform-los dos aspectos da expresso oral, cooperao, respeito pela opinio do outro, organizao do trabalho, esforo e dedicao. Sugerimos, ao final de cada unidade, uma discusso encaminhada por perguntas do tipo:

Que atividades foram problemticas?

Quais so os problemas mais comuns? Tabular e classific-los, por exemplo, como espao ou local inadequado, tempo, falta de entendimento do procedimento ou do objetivo, grupo, materiais.

O que deve ser alterado? O que deve continuar?

Dentro do processo de ensino-aprendizagem, recuperar significa voltar, tentar de novo, adquirir o que perdeu, e no pode ser entendido como um processo unilateral, lembremos que a LDB lei 9394/96 recoloca o assunto na letra e inciso V do art. 24 obrigatoriedade de estudos de recuperao, de preferncia paralelo ao perodo letivo, para os casos de baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas instituies de ensino em seus regimentos. O Plano de Trabalho Docente de Cincias est fundamentado na LDB, no PPP, na PPC e no RE desta escola, a avaliao tem como objetivo de avaliar/reavaliar e nosso trabalho docente, isto , a recuperao de estudos/avaliao/recuperao paralela que se dar-se- de forma permanente e concomitante ao processo de ensino e aprendizagem.

5 RECURSOS DIDTICOS:

Os recursos didticos (mapas conceituais, organogramas, mapas de relaes, grficos, tabelas, infogrficos, entre outros) podem e devem ser usados na anlise do contedo cientfico escolar, no trabalho pedaggico/ tecnolgico e na avaliao da aprendizagem.

Esses recursos so instrumentos potencialmente significativos em sala de aula porque se fundamentam na aprendizagem significativa e subsidiam o professor em seu trabalho com o contedo cientfico escolar, porque so compostos por elementos extrados da observao, das relaes contextuais e interdisciplinares, entre outros.

Os recursos didticos no possuem modelo nico e no existem regras fixas a serem utilizadas na sua construo. Por exemplo, mapas de conceitos podem ter estruturas diversas, pois ultrapassam a idia de serem apenas snteses conceituais.

6 REFERNCIAS

ANBROGI, A. et alii. O ambiente. So Paulo: Hamburgo/Cecisp, s.d. 79 p.

ANDREOLLI, Francisco. Cincias: Ambiente. So Paulo: Ed. do Brasil,1989.

_______. Seres Vivos. So Paulo: Ed. do Brasil,1989.

_______. Corpo Humano. So Paulo: Ed. do Brasil,1989.

ARRUDA, S. M. & VILLANI, A. Mudana conceitual no ensino de cincias.

Revista Catarinense de Ensino de Fsica. 11 (2): 88 99, ago. 1994.

BARRA, E. S. de O. Modelos da mudana cientfica: subsdios para as analogias entre histria da cincia e ensino de cincias. Revista Catarinense de Ensino de Fsica. 10 (2): 118 127, ago. 1993.

BARROS,Carlos; PAULINO, Wilson Roberto. O meio ambiente. 52 ed. So Paulo: tica,1998.

______. Os seres vivos. 52 ed. So Paulo: tica,1998.

______. O corpo humano. 52 ed. So Paulo: tica,1998.

______. Fsica Qumica . 52 ed. So Paulo: tica,1998.

BELTRAN, N. O. Destilao. Revista de Ensino de Cincias. (22): 41- 4, jul. 1989.

BRASIL, Ministrio de Educao e Cultura. Parmetros Curriculares Nacionais; Cincias Naturais. Braslia: MEC, 1997. 136 p.

CISCATO, C. A. M. Aplicaes da eletrlise. Revista de Ensino de Cincias. (21): 24- 36, set. 1988.

CRUZ, R. ET ALII. Experimentos de Cincias em Microescala ar gua e solo. So Paulo: Scipione. 1998, p. 48.

DELIZOICOV, D. & ANGOTTI, J. A. Metodologia do ensino de cincias. So Paulo: Cortez, 1990. 208 p.

DIRETRIZES CURRICULARES ESTADUAIS DCE do Estado do Paran.

GASPAR, A. Experincias de Cincias para o 1 grau. 6 edio. So Paulo: tica,1998.

GOWDAK, Demtrio; MATTOS, Neide S de ; FRANA, Valmir de. O Universo e o homem: Astronomia Matria e energia Sade. So Paulo: FTD, 2003.

______. O Universo e o homem: Astronomia Biodiversidade Sade. So Paulo: FTD,2003.

____. O Universo e o homem: Aprendendo Cincias: Corpo humano Higiene e sade Homem e ambiente. So Paulo: FTD,2003.

KRASILCHIK, M. O Professor e o Currculo das Cincias. So Paulo: EDUSP, 1987. 91p.

LOPES, Plnio Carvalho. O ambiente Fsico. 1 ed. So Paulo. Saraiva,1995.

MARCONDES, A. C. & SARIEGO, J. C. L. Cincias. 2 edio. So Paulo: Scipione, 1998.

MATTHEWS, M. R. Histria, Filosofia e Ensino de Cincias: a tendncia atual de reaproximao. Revista Catarinense de Ensino de Fsica. 12 (3): 164- 214, ago. 1993.

RODRIGUES, R. M. O Ensino de Cincias: cinco vises diferentes. Revista de Ensino de Cincias. (23): 2 9, nov. 1989.

SOARES, J. L. A Terra; Preservao Ambiental. So Paulo: Moderna, 1997.326 p.

SOARES, Jos Lus. Os seres vivos. 4 ed. So Paulo: Moderna, 2005.

______.O corpo humano. 4 ed. So Paulo: Moderna, 2005.