of 49/49
1 ADMINISTRAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO EM RADIOLOGIA PARA RADIOLOGIA PARA TECNÓLOGOS TECNÓLOGOS PROFº JORGE ALBERTO PROFº JORGE ALBERTO SCARPIN SCARPIN

1 ADMINISTRAÇÃO EM RADIOLOGIA PARA TECNÓLOGOS PROFº JORGE ALBERTO SCARPIN

  • View
    120

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 1 ADMINISTRAÇÃO EM RADIOLOGIA PARA TECNÓLOGOS PROFº JORGE ALBERTO SCARPIN

  • Slide 1
  • 1 ADMINISTRAO EM RADIOLOGIA PARA TECNLOGOS PROF JORGE ALBERTO SCARPIN
  • Slide 2
  • 2 HISTRICO SER HUMANO: PARA ALCANAR UM OBJETIVO SEMPRE VIVEU EM GRUPO SER HUMANO: PARA ALCANAR UM OBJETIVO SEMPRE VIVEU EM GRUPO INICIALMENTE PARA SE DEFENDER DOS ATAQUES DE ANIMAIS E DO PRPRIO HOMEM INICIALMENTE PARA SE DEFENDER DOS ATAQUES DE ANIMAIS E DO PRPRIO HOMEM DEPOIS PARA OBTER XITO NAS CAADAS OU NA PRODUO AGRCOLA DEPOIS PARA OBTER XITO NAS CAADAS OU NA PRODUO AGRCOLA
  • Slide 3
  • 3 CRIAO DA SOCIEDADE A EMPRESA COMO ORGANIZAO FORMAL, ESTRUTURADA DE FORMA BUROCRTICA, COM NORMAS E REGULAMENTOS, COM CARGOS, FUNES E SISTEMA DE AUTORIDADE TEVE INCIO NO SCULO XVIII INGLATERRA COM A REVOLUO INDUSTRIAL A EMPRESA COMO ORGANIZAO FORMAL, ESTRUTURADA DE FORMA BUROCRTICA, COM NORMAS E REGULAMENTOS, COM CARGOS, FUNES E SISTEMA DE AUTORIDADE TEVE INCIO NO SCULO XVIII INGLATERRA COM A REVOLUO INDUSTRIAL
  • Slide 4
  • 4 EMPRESA MODERNA APERFEIOAMENTO COMO EMPRESA, COM MILHARES DE TRABALHADORES REUNIDOS EM UMA MESMA ORGANIZAO A TRABALHAR PELOS MESMOS OBJETIVOS APERFEIOAMENTO COMO EMPRESA, COM MILHARES DE TRABALHADORES REUNIDOS EM UMA MESMA ORGANIZAO A TRABALHAR PELOS MESMOS OBJETIVOS
  • Slide 5
  • 5 SISTEMA ENTRADA/PROCESSO/PRODUTO: CONJUNTO DE ATIVIDADES OU INFORMAES (ENTRADA), QUE SE RELACIONAM EM FUNCIONAMENTO HARMNICO E COORDENADO (PROCESSO), VISANDO A OBTENO DE DETERMINADOS RESULTADOS OU INFORMAES ORGANIZACIONAIS (SADA) ENTRADA/PROCESSO/PRODUTO: CONJUNTO DE ATIVIDADES OU INFORMAES (ENTRADA), QUE SE RELACIONAM EM FUNCIONAMENTO HARMNICO E COORDENADO (PROCESSO), VISANDO A OBTENO DE DETERMINADOS RESULTADOS OU INFORMAES ORGANIZACIONAIS (SADA)
  • Slide 6
  • 6 FEEDBACK RETROINFORMAO: O ELEMENTO DE CONTROLE DO SISTEMA PODE CORRIGIR O FUNCIONAMENTO QUANDO ESTE NO FOR ADEQUADO RETROINFORMAO: O ELEMENTO DE CONTROLE DO SISTEMA PODE CORRIGIR O FUNCIONAMENTO QUANDO ESTE NO FOR ADEQUADO
  • Slide 7
  • 7 MAX WEBER ORGANIZAO APRESENTA: ORGANIZAO APRESENTA: 1) ESPECIALIZAO: CADA MEMBRO EXECUTA A TAREFA QUE LHE FOI CONFIADA 2) HIERARQUIA DE AUTORIDADE: CADA POSIO COMPREENDE DIREITOS, DEVERES E RESPONSABILIDADES PRPRIOS. A AUTORIDADE REPOUSA NO CARGO E NO NA PESSOA. DEVEMOS NOS DIRIGIR PESSOA IMEDIATAMENTE SUPERIOR, SEM SALTAR A HIERARQUIA
  • Slide 8
  • 8 MAX WEBER 3)TRATAMENTO IMPESSOAL: TODOS SO TRATADOS DE ACORDO COM A POSIO QUE OCUPAM TRATAMENTO NO PESSOAL, NEM EM FUNO DAS CARACTERSTICAS PESSOAIS OU SENTIMENTOS MOMENTNEOS, MAS PROFISSIONAL, EM FUNO DO CARGO OCUPADO TRATAMENTO NO PESSOAL, NEM EM FUNO DAS CARACTERSTICAS PESSOAIS OU SENTIMENTOS MOMENTNEOS, MAS PROFISSIONAL, EM FUNO DO CARGO OCUPADO INTERESSE DA ORGANIZAO E NO DOS INDIVDUOS INTERESSE DA ORGANIZAO E NO DOS INDIVDUOS
  • Slide 9
  • 9 MAX WEBER 4) QUALIFICAO TCNICA E INDICAO POR MRITO: PARA CADA CARGO INDICADO QUEM APRESENTA MELHOR CAPACIDADE TCNICA O QUE INTERESSA O MRITO E NO O RELACIONAMENTO PESSOAL O QUE INTERESSA O MRITO E NO O RELACIONAMENTO PESSOAL
  • Slide 10
  • 10 MAX WEBER 5) REGRAS E REGULAMENTOS ESCRITOS: COMPORTAMENTO EST PRESCRITO EM REGULAMENTOS FORMAIS *INDIVDUO SER AVALIADO PARA SABERMOS SE ELE INTERESSA OU NO PARA OS OBJETIVOS DA ORGANIZAO *INDIVDUO SER AVALIADO PARA SABERMOS SE ELE INTERESSA OU NO PARA OS OBJETIVOS DA ORGANIZAO *NA AVALIAO NO PODEM INTERFERIR SENTIMENTOS PESSOAIS, DE AMIZADE, INVEJA, ETC. *NA AVALIAO NO PODEM INTERFERIR SENTIMENTOS PESSOAIS, DE AMIZADE, INVEJA, ETC.
  • Slide 11
  • 11 ADMINISTRAO DO SERVIO DE RADIOLOGIA CDI: SETOR DE PRESTAO DE SERVIOS QUE MAIS TM DESPERTADO PREOCUPAO POR PARTE DOS DIRIGENTES HOSPITALARES. CDI: SETOR DE PRESTAO DE SERVIOS QUE MAIS TM DESPERTADO PREOCUPAO POR PARTE DOS DIRIGENTES HOSPITALARES. CUSTOS DE IMPLANTAO E MANUTENO SO ELEVADOS E DESPROPORCIONAIS PARA QUALQUER HOSPITAL. CUSTOS DE IMPLANTAO E MANUTENO SO ELEVADOS E DESPROPORCIONAIS PARA QUALQUER HOSPITAL. INVESTIMENTOS SO NECESSRIOS PARA O ATENDIMENTO DE QUALIDADE AO PACIENTE. INVESTIMENTOS SO NECESSRIOS PARA O ATENDIMENTO DE QUALIDADE AO PACIENTE.
  • Slide 12
  • 12 ADMINISTRAO DO SERVIO DE RADIOLOGIA OCORREM PRTICAS DE PREO DE MERCADO, INFLUENCIADAS FORTEMENTE PELA EMPRESAS DE MEDICINA DE GRUPO REPRESENTADAS PELOS CONVNIOS MDICOS E DE SEGUROS DE SADE, QUE ADOTAM PREOS BAIXOS, PRIORIZANDO SEUS LUCROS, EM DETRIMENTO DOS GANHOS DAS CLASSES DE PROFISSIONAIS QUE ATUAM NESSE SETOR. OCORREM PRTICAS DE PREO DE MERCADO, INFLUENCIADAS FORTEMENTE PELA EMPRESAS DE MEDICINA DE GRUPO REPRESENTADAS PELOS CONVNIOS MDICOS E DE SEGUROS DE SADE, QUE ADOTAM PREOS BAIXOS, PRIORIZANDO SEUS LUCROS, EM DETRIMENTO DOS GANHOS DAS CLASSES DE PROFISSIONAIS QUE ATUAM NESSE SETOR.
  • Slide 13
  • 13 ADMINISTRAO DO SERVIO DE RADIOLOGIA A ADMINISTRAO DO CDI ENVOLVE CINCO GRANDES ATIVIDADES: A ADMINISTRAO DO CDI ENVOLVE CINCO GRANDES ATIVIDADES: 1) CONTROLE DA ROTINA DE RELIZAO DOS EXAMES 1) CONTROLE DA ROTINA DE RELIZAO DOS EXAMES 2) IMPLANTAO E MANUTENO DE EQUIPAMENTOS GERADORES DE IMAGEM 2) IMPLANTAO E MANUTENO DE EQUIPAMENTOS GERADORES DE IMAGEM
  • Slide 14
  • ADMINISTRAO DO SERVIO DE RADIOLOGIA 3) INFORMATIZAO DO SETOR DE DIAGNSTICO E IMPLANTAO DAS REDES DE COMUNICAO E ARQUIVOS DE IMAGENS 3) INFORMATIZAO DO SETOR DE DIAGNSTICO E IMPLANTAO DAS REDES DE COMUNICAO E ARQUIVOS DE IMAGENS 4) CONTROLE DE MATERIAIS E INSUMOS UTILIZADOS NA REALIZAO DOS EXAMES 4) CONTROLE DE MATERIAIS E INSUMOS UTILIZADOS NA REALIZAO DOS EXAMES 5) ADMINISTRAO DE RECURSOS HUMANOS 5) ADMINISTRAO DE RECURSOS HUMANOS 14
  • Slide 15
  • 15 CONTROLE DA ROTINA DE REALIZAO DOS EXAMES EXAME RADIOLGICO TM INCIO COM A SOLICITAO MDICA. EXAME RADIOLGICO TM INCIO COM A SOLICITAO MDICA. PREENCHIDO DE FORMA CLARA E LEGVEL, DEVIDAMENTE ASSINADO. PREENCHIDO DE FORMA CLARA E LEGVEL, DEVIDAMENTE ASSINADO. ALGUNS EXAMES SO PR- AGENDADOS: CONSTRASTADOS, MAMOGRAFIA, TOMOGRAFIA, RESSONNCIA MAGNTICA, US. ALGUNS EXAMES SO PR- AGENDADOS: CONSTRASTADOS, MAMOGRAFIA, TOMOGRAFIA, RESSONNCIA MAGNTICA, US.
  • Slide 16
  • 16 IMPLANTAO E MANUTENO DE EQUIPAMENTOS HOSPITAL GERAL DE PORTE MDIO: HOSPITAL GERAL DE PORTE MDIO: *CUSTO TOTAL DOS EQUIPAMENTOS R$4.200.000,00 *GASTOS COM A PREPARAO DA REA FSICA, SISTEMA DE COMUNICAO (PACS) *GASTOS COM A MANUTENO ---------------------------R$8.000.000,00 DESESTIMULANTE PARA QUALQUER DESESTIMULANTE PARA QUALQUER INVESTIDOR DA REA PRIVADA INVESTIDOR DA REA PRIVADA
  • Slide 17
  • 17 INFORMATIZAO DO SETOR DE DIAGNSTICO IMPLANTAO DO PACS: IMPLANTAO DO PACS: QUALIDADE DAS IMAGENS QUALIDADE DAS IMAGENS VELOCIDADE DE TRANSMISSO DE DADOS VELOCIDADE DE TRANSMISSO DE DADOS CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO CAPACIDADE DE ARMAZENAMENTO TRATAMENTO DAS IMAGENS TRATAMENTO DAS IMAGENS ------------------------------------------ ------------------------------------------ PREO FINAL PREO FINAL
  • Slide 18
  • 18 CONTROLE DE MATERIAIS E INSUMOS UTILIZADOS FILMES RADIOLGICOS FILMES RADIOLGICOS MEIOS DE CONTRASTE MEIOS DE CONTRASTE DISPOSITIVOS DE ARMAZENAMENTO DE IMAGENS CDs, DISCOS PTICOS, FITAS MAGNTICAS DISPOSITIVOS DE ARMAZENAMENTO DE IMAGENS CDs, DISCOS PTICOS, FITAS MAGNTICAS CATETERES CATETERES MATERIAIS UTILIZADOS NOS PROCEDIMENTOS DE INTERVENO MATERIAIS UTILIZADOS NOS PROCEDIMENTOS DE INTERVENO
  • Slide 19
  • 19 ADMINISTRAO DOS RECURSOS HUMANOS CDI UM SETOR ALTAMENTE ESPECIALIZADO. ENVOLVE A MANIPULAO E OPERAO DE EQUIPAMENTOS COMPLEXOS QUE UTILIZAM FONTES DE ENERGIA COM RADIAO IONIZANTE CDI UM SETOR ALTAMENTE ESPECIALIZADO. ENVOLVE A MANIPULAO E OPERAO DE EQUIPAMENTOS COMPLEXOS QUE UTILIZAM FONTES DE ENERGIA COM RADIAO IONIZANTE EXIGE A CONTRATAO DE PESSOAL ESPECIALIZADO, QUALIFICADO E HABILITADO AO EXERCCIO LEGAL DAS SUAS FUNES EXIGE A CONTRATAO DE PESSOAL ESPECIALIZADO, QUALIFICADO E HABILITADO AO EXERCCIO LEGAL DAS SUAS FUNES
  • Slide 20
  • 20 ADMINISTRAO DOS RECURSOS HUMANOS TECNLOGO EM RADIOLOGIA: PROFISSIONAIS COM FORMAO ESPECIALIZADA EM TCNICAS RADIOLGICAS, A NVEL DE GRADUAO TECNLOGO EM RADIOLOGIA: PROFISSIONAIS COM FORMAO ESPECIALIZADA EM TCNICAS RADIOLGICAS, A NVEL DE GRADUAO DEVEM ESTAR REGISTRADOS JUNTO AO CONTER (CONSELHO REGIONAL DE TCNICOS EM RADIOLOGIA) DEVEM ESTAR REGISTRADOS JUNTO AO CONTER (CONSELHO REGIONAL DE TCNICOS EM RADIOLOGIA)
  • Slide 21
  • 21 ADMINISTRAO DOS RECURSOS HUMANOS PRINCIPAIS ATRIBUIES: PRINCIPAIS ATRIBUIES: REALIZAR EXAMES RADIOLGICOS SIMPLES OU COM MEIOS DE CONTRASTE, SOB A SUPERVISO DO MDICO RADIOLOGISTA. OPERAR OS DIVERSOS MTODOS DE OBTENO DE IMAGENS EM CDI: RADIOLOGIA CONVENCIONAL, RADIOLOGIA ESPECIALIZADA, TC, EXAMES RADIOLGICOS NO LEITO E CENTRO CIRRGICO, HEMODINMICA E RM.
  • Slide 22
  • RH ATUAR NO NVEL DE USURIO NA REDE PACS, NOS PROCESSOS DE ARMAZENAGEM E COMUNICAO DE IMAGENS, E NO TRATAMENTO DAS IMAGENS EM ESTAES DE SERVIO (WORKSTATION). ATUAR NO NVEL DE USURIO NA REDE PACS, NOS PROCESSOS DE ARMAZENAGEM E COMUNICAO DE IMAGENS, E NO TRATAMENTO DAS IMAGENS EM ESTAES DE SERVIO (WORKSTATION). 22
  • Slide 23
  • 23 CONTRATAO EM REGIME DE CLT PESSOAL TCNICO ESPECIALIZADO EM CDI AINDA CONTRATADO NA FORMA DE CARTEIRA ASSINADA. PESSOAL TCNICO ESPECIALIZADO EM CDI AINDA CONTRATADO NA FORMA DE CARTEIRA ASSINADA. BENEFCIOS DESTA FORMA DE CONTRATAO: PISO SALARIAL DE DOIS SALRIOS MNIMOS, MAIS 40% A TTULO DE INSALUBRIDADE POR UMA JORNADA DE 24 HORAS SEMANAIS (LEI N 7.394/85) E APOSENTADORIA ESPECIAL COM 25 ANOS DE ATIVIDADE. BENEFCIOS DESTA FORMA DE CONTRATAO: PISO SALARIAL DE DOIS SALRIOS MNIMOS, MAIS 40% A TTULO DE INSALUBRIDADE POR UMA JORNADA DE 24 HORAS SEMANAIS (LEI N 7.394/85) E APOSENTADORIA ESPECIAL COM 25 ANOS DE ATIVIDADE.
  • Slide 24
  • 24 CONTRATAO EM REGIME DE TERCEIRIZAO RELAO CONTRATUAL MODERNA QUE CONFERE AMPLA LIBERDADE PARA AS PARTES ENVOLVIDAS. RELAO CONTRATUAL MODERNA QUE CONFERE AMPLA LIBERDADE PARA AS PARTES ENVOLVIDAS. TOMADOR DE SERVIO (HOSPITAL) REPASSA UMA PARTE DE SUAS ATIVIDADES PARA UMA EMPRESA LEGALMENTE CONSTITUDA, FORMADA POR PROFISSIONAIS HABILITADOS NA FORMA DA LEI. TOMADOR DE SERVIO (HOSPITAL) REPASSA UMA PARTE DE SUAS ATIVIDADES PARA UMA EMPRESA LEGALMENTE CONSTITUDA, FORMADA POR PROFISSIONAIS HABILITADOS NA FORMA DA LEI.
  • Slide 25
  • 25 CONTRATAO POR COOPERATIVAS DE SERVIO LEI 5.764/71 REGE A CONSTITUIO E O FUNCIONAMENTO DAS COOPERATIVAS. LEI 5.764/71 REGE A CONSTITUIO E O FUNCIONAMENTO DAS COOPERATIVAS. NO H VNCULO EMPREGATCIO ENTRE O COOPERADO E A COOPERATIVA RELAO DE DONO. NO H VNCULO EMPREGATCIO ENTRE O COOPERADO E A COOPERATIVA RELAO DE DONO. NO H VNCULO EMPREGATCIO ENTRE O COOPERADO E O CLIENTE PARA O QUAL ELE PRESTA SERVIO RELAO CIVIL. NO H VNCULO EMPREGATCIO ENTRE O COOPERADO E O CLIENTE PARA O QUAL ELE PRESTA SERVIO RELAO CIVIL.
  • Slide 26
  • 26 CONTRATAO POR COOPERATIVAS DE SERVIO NA REA DE RADIOLOGIA: COOPERATIVA TM COMO OBJETIVO A PRESTAO DE SERVIOS TCNICOS RADIOLGICOS POR MEIO DE CONTRATOS FIRMADOS COM RGOS PBLICOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS, FEDERAIS, ALM DE AUTARQUIAS OU COM ENTIDADES PARTICULARES. NA REA DE RADIOLOGIA: COOPERATIVA TM COMO OBJETIVO A PRESTAO DE SERVIOS TCNICOS RADIOLGICOS POR MEIO DE CONTRATOS FIRMADOS COM RGOS PBLICOS MUNICIPAIS, ESTADUAIS, FEDERAIS, ALM DE AUTARQUIAS OU COM ENTIDADES PARTICULARES. ESSES SERVIOS PODEM SER EXECUTADOS DE FORMA COLETIVA OU INDIVIDUAL. ESSES SERVIOS PODEM SER EXECUTADOS DE FORMA COLETIVA OU INDIVIDUAL.
  • Slide 27
  • 27 CONCEITOS BSICOS DE RADIOLOGIA FILME: BASE AZUL X BASE VERDE FILME: BASE AZUL X BASE VERDE CHASSI + ECRAN = BASE VERDE CHASSI + ECRAN = BASE VERDE USO DE TEMPOS DE EXPOSIO BAIXOS PARA MINIMIZAR O DESGASTE DA VIDA TIL DO TUBO DE RX USO DE TEMPOS DE EXPOSIO BAIXOS PARA MINIMIZAR O DESGASTE DA VIDA TIL DO TUBO DE RX FORMATOS DOS FILMES: cm e m FORMATOS DOS FILMES: cm e m QUMICOS: REV/FIX QUMICOS: REV/FIX CONHECER A PROCESSADORA CONHECER A PROCESSADORA USO DOS EPI`s USO DOS EPI`s
  • Slide 28
  • 28 MANUTENO REDUZIR CUSTOS EVITANDO CONSTANTES QUEBRAS REDUZIR CUSTOS EVITANDO CONSTANTES QUEBRAS MELHORAR A SEGURANA DO EQUIPAMENTO E DAS PESSOAS QUE OPERAM AS MQUINAS MELHORAR A SEGURANA DO EQUIPAMENTO E DAS PESSOAS QUE OPERAM AS MQUINAS MELHORAR A QUALIDADE DOS SERVIOS PRESTADOS S PESSOAS (PACIENTES) QUE UTILIZAM O EQUIPAMENTO MELHORAR A QUALIDADE DOS SERVIOS PRESTADOS S PESSOAS (PACIENTES) QUE UTILIZAM O EQUIPAMENTO
  • Slide 29
  • 29 MANUTENO CORRETIVA: REALIZADA APS A QUEBRA/FALHA CORRETIVA: REALIZADA APS A QUEBRA/FALHA PREVENTIVA: REALIZADA PARA PREVINIR A FALHA DO EQUIPAMENTO, COM INTERVALOS PR-DEFINIDOS PREVENTIVA: REALIZADA PARA PREVINIR A FALHA DO EQUIPAMENTO, COM INTERVALOS PR-DEFINIDOS PREDITIVA: MONITORAO SISTEMTICA PREDITIVA: MONITORAO SISTEMTICA
  • Slide 30
  • 30 MANUTENO CUSTO DA MANUTENO CUSTO DA MANUTENO 1) IN HOUSE (PRPRIO) 1) IN HOUSE (PRPRIO) 2) DO FABRICANTE 2) DO FABRICANTE 3) THIRD-PARTY (TERCEIRIZADO) 3) THIRD-PARTY (TERCEIRIZADO)
  • Slide 31
  • 31 NEGCIO PRPRIO PROFISSIONAL QUE DOMINA TODAS AS VARIVEIS QUE INTERFEREM NOS PROCEDIMENTOS DE CAPTURA DA IMAGEM RADIOLGICA, TENDO A SEU FAVOR O CONHECIMENTO, AS INFORMAES BSICAS, ELE PODE PERFEITAMENTE ADMINISTRAR SEU PRPRIO NEGCIO UMA CLNICA RADIOLGICA. PROFISSIONAL QUE DOMINA TODAS AS VARIVEIS QUE INTERFEREM NOS PROCEDIMENTOS DE CAPTURA DA IMAGEM RADIOLGICA, TENDO A SEU FAVOR O CONHECIMENTO, AS INFORMAES BSICAS, ELE PODE PERFEITAMENTE ADMINISTRAR SEU PRPRIO NEGCIO UMA CLNICA RADIOLGICA.
  • Slide 32
  • 32 SISTEMAS DE QUALIDADE IMPORTANTE INTERPRETARMOS OS CONCEITOS SOBRE SISTEMAS DE QUALIDADE, PARA FACILITAR NOSSA COMPREENSO, TORNANDO NOSSOS MTODOS DE TRABALHO MAIS EFICIENTES, EQUILIBRADOS E PRODUTIVOS. IMPORTANTE INTERPRETARMOS OS CONCEITOS SOBRE SISTEMAS DE QUALIDADE, PARA FACILITAR NOSSA COMPREENSO, TORNANDO NOSSOS MTODOS DE TRABALHO MAIS EFICIENTES, EQUILIBRADOS E PRODUTIVOS. SENSOS 5`s SENSOS 5`s SISTEMA DE ACREDITAO SISTEMA DE ACREDITAO
  • Slide 33
  • 33 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO AMIGO PROFISSIONAL: TANTO TECNLOGO COMO O RADIOLOGISTA DESEMPENHAM O PAPEL DE AMIGO PROFISSIONAL DEVE HAVER UM ESPRITO DE COLABORAO E RESPEITO MTUOS EM BENEFCIO DO PACIENTE. AMIGO PROFISSIONAL: TANTO TECNLOGO COMO O RADIOLOGISTA DESEMPENHAM O PAPEL DE AMIGO PROFISSIONAL DEVE HAVER UM ESPRITO DE COLABORAO E RESPEITO MTUOS EM BENEFCIO DO PACIENTE.
  • Slide 34
  • 34 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO PACINCIA: ALGUNS PACIENTES PODEM SER AGRESSIVOS E OUTROS RELUTAM EM OBEDECER AS SOLICITAES, MUITAS VEZES TRADUZEM O MEDO QUE SENTEM PACINCIA: ALGUNS PACIENTES PODEM SER AGRESSIVOS E OUTROS RELUTAM EM OBEDECER AS SOLICITAES, MUITAS VEZES TRADUZEM O MEDO QUE SENTEM SER RSPEITOSO E AMIGO AO RECEB-LO CRIA CONFIANA UMA EXPRESSO COMPREENSIVA DISSOLVE O ESTADO DE ANGSTIA SER RSPEITOSO E AMIGO AO RECEB-LO CRIA CONFIANA UMA EXPRESSO COMPREENSIVA DISSOLVE O ESTADO DE ANGSTIA
  • Slide 35
  • 35 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO CONCENTRAO: EVITAR DILOGOS PROLONGADOS COM O PACIENTE OU PESSOAS QUE POSSAM PERTURBAR A ATENO CONCENTRAO: EVITAR DILOGOS PROLONGADOS COM O PACIENTE OU PESSOAS QUE POSSAM PERTURBAR A ATENO PROBLEMAS PESSOAIS DEVEM PERMANECER LONGE DO AMBIENTE DE TRABALHO PROBLEMAS PESSOAIS DEVEM PERMANECER LONGE DO AMBIENTE DE TRABALHO
  • Slide 36
  • 36 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO DISTRAO: DISTRAO: - ESQUECER DE TROCAR O CHASSI EXPONDO UMA INCIDNCIA SOBRE OUTRA - ESQUECER DE TROCAR O CHASSI EXPONDO UMA INCIDNCIA SOBRE OUTRA - ESQUECER DE CORRIGIR A TCNICA QUANDO MUDAR A INCIDNCIA - ESQUECER DE CORRIGIR A TCNICA QUANDO MUDAR A INCIDNCIA - ESQUECER DE REALIZAR ALGUMA INCIDNCIA - ESQUECER DE REALIZAR ALGUMA INCIDNCIA
  • Slide 37
  • 37 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO DISTRAO: DISTRAO: - ESQUECER DE PEDIR AO PACIENTE QUE VOLTE A RESPIRAR - ESQUECER DE PEDIR AO PACIENTE QUE VOLTE A RESPIRAR - PEDIR PARA GIRAR O CORPO PARA O LADO CONTRRIO DO INDICADO - PEDIR PARA GIRAR O CORPO PARA O LADO CONTRRIO DO INDICADO
  • Slide 38
  • 38 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO INFORMAES SOBRE O EXAME: INFORMAES SOBRE O EXAME: ESPECIALMENTE QUANDO HOUVER NECESSIDADE DE INJEES, COLOCAO DE SONDAS OU OUTRAS PEQUENAS INTERVENES, AS EXPLICAES DEVEM SER TRANSMITIDAS DE MANEIRA SIMPLES E COMPLETA ESPECIALMENTE QUANDO HOUVER NECESSIDADE DE INJEES, COLOCAO DE SONDAS OU OUTRAS PEQUENAS INTERVENES, AS EXPLICAES DEVEM SER TRANSMITIDAS DE MANEIRA SIMPLES E COMPLETA
  • Slide 39
  • 39 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO INTIMIDADE E SIGILO: INTIMIDADE E SIGILO: DEMONSTRAR DURANTE TODO O PERODO DO ATENDIMENTO, A MXIMA DISCRIO PELA QUEBRA DA INTIMIDADE A QUE O PACIENTE EST SENDO SUBMETIDO E O ABSOLUTO SIGILO SOBRE SUA IDENTIDADE E SEU DIAGNSTICO DEMONSTRAR DURANTE TODO O PERODO DO ATENDIMENTO, A MXIMA DISCRIO PELA QUEBRA DA INTIMIDADE A QUE O PACIENTE EST SENDO SUBMETIDO E O ABSOLUTO SIGILO SOBRE SUA IDENTIDADE E SEU DIAGNSTICO
  • Slide 40
  • 40 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO O SIGILO CONSTITUI DEMONSTRAO DE RESPEITO PESSOA, EXPRESSA EM LEI, E DEVE SER RIGOROSAMENTE OBSERVADO PARA EVITAR QUAISQUER PREJUZOS OU OFENSAS DIGNIDADE DE CADA UM O SIGILO CONSTITUI DEMONSTRAO DE RESPEITO PESSOA, EXPRESSA EM LEI, E DEVE SER RIGOROSAMENTE OBSERVADO PARA EVITAR QUAISQUER PREJUZOS OU OFENSAS DIGNIDADE DE CADA UM
  • Slide 41
  • 41 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO PACIENTES DEFICIENTES: PACIENTES DEFICIENTES: COMBINAR SINAIS COM OS DEFICIENTES AUDITIVOS PARA TRANSMITIR AS ORDENS DE RESPIRAR, DEGLUTIR, ETC. COMBINAR SINAIS COM OS DEFICIENTES AUDITIVOS PARA TRANSMITIR AS ORDENS DE RESPIRAR, DEGLUTIR, ETC. PROCURAR DE BOA VONTADE AS SOLUES, SEM DEMONSTRAR IMPACINCIA, IMPROVISANDO MTODOS OU PEDINDO AJUDA DA ENFERMAGEM PROCURAR DE BOA VONTADE AS SOLUES, SEM DEMONSTRAR IMPACINCIA, IMPROVISANDO MTODOS OU PEDINDO AJUDA DA ENFERMAGEM
  • Slide 42
  • 42 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO PACIENTE AFLITO: PACIENTE AFLITO: ALGUNS SE APRESENTAM AO EXAME RADIOLGICO ANSIOSOS, DESORIENTADOS. ALGUNS SE APRESENTAM AO EXAME RADIOLGICO ANSIOSOS, DESORIENTADOS. *MANIFESTAM COMPORTAMENTO INCONVENIENTE, POR VEZES AGRESSIVO, POSSIVELMENTE POR ESTAREM SOB INFLUNCIA DE RECORDAES DESAGRADVEIS DE EXAMES ANTERIORES, SEUS OU DE MEMBROS DE SUA FAMLIA *MANIFESTAM COMPORTAMENTO INCONVENIENTE, POR VEZES AGRESSIVO, POSSIVELMENTE POR ESTAREM SOB INFLUNCIA DE RECORDAES DESAGRADVEIS DE EXAMES ANTERIORES, SEUS OU DE MEMBROS DE SUA FAMLIA
  • Slide 43
  • 43 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO OU AINDA, POR ACONTECIMENTOS NEGATIVOS RELATADOS POR PESSOAS MAL INFORMADAS. OU AINDA, POR ACONTECIMENTOS NEGATIVOS RELATADOS POR PESSOAS MAL INFORMADAS. NO ATENDIMENTO DESSE TIPO DE PACIENTE QUE SE REVELA A PERSONALIDADE E A EDUCAO DO TECNLOGO QUE, AO PERCEBER NO PACIENTE ALGUMA PERTURBAO DE ESTADO EMOCIONAL, AFASTA AS PREOCUPAES COM BONDADE E FIRMEZA NO ATENDIMENTO DESSE TIPO DE PACIENTE QUE SE REVELA A PERSONALIDADE E A EDUCAO DO TECNLOGO QUE, AO PERCEBER NO PACIENTE ALGUMA PERTURBAO DE ESTADO EMOCIONAL, AFASTA AS PREOCUPAES COM BONDADE E FIRMEZA
  • Slide 44
  • 44 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO ACOMODAO DO PACIENTE: ACOMODAO DO PACIENTE: SOLICITAR QUE SE COLOQUE NA POSIO DESEJADA, CONDUZIR E DIRIGIR SEUS MOVIMENTOS COM LEVE PRESSO DOS DEDOS, SEM LUTAR COM O PACIENTE SOLICITAR QUE SE COLOQUE NA POSIO DESEJADA, CONDUZIR E DIRIGIR SEUS MOVIMENTOS COM LEVE PRESSO DOS DEDOS, SEM LUTAR COM O PACIENTE
  • Slide 45
  • 45 ADMINISTRANDO SEU TRABALHO TRATAR O PACIENTE PELO SEU PRPRIO NOME: TRATAR O PACIENTE PELO SEU PRPRIO NOME: ESSA MEDIDA FACILITA A COMUNICAO, CONQUISTA A CONFIANA E EVITA TROCAS DE EXAMES COM SUAS CONHECIDAS CONSEQNCIAS ESSA MEDIDA FACILITA A COMUNICAO, CONQUISTA A CONFIANA E EVITA TROCAS DE EXAMES COM SUAS CONHECIDAS CONSEQNCIAS
  • Slide 46
  • 46 DESCRIO E MANIPULAO DA APARELHAGEM A) MOVIMENTAR A MESA DE EXAMES B) DESLOCAR A ESTATIVA DO TUBO DE RX E RECONHECER A POSIO DO ANODO C) UTILIZAR O COLIMADOR, OS FREIOS E O GONIMETRO D) MEDIR AS DFF E OS NGULOS DE INCIDNCIA E) AJUSTAR O BUCK E RETIRAR A GRADE ANTIDIFUSORA
  • Slide 47
  • 47 DESCRIO E MANIPULAO DA APARELHAGEM F) RECONHECER A RELAO DE GRADE, A DISTNCIA FOCAL E O LADO QUE FICA VOLTADO PARA O TUBO G) UTILIZAR A FAIXA COMPRESSORA H) REGULAR OS COMANDOS DA MESA DE COMANDO COMO KV, Ma, TEMPO, mAs, GRADE, SELETOR DE TUBO, ENTRADA DE CORRENTE, DIMENSO DO FOCO, ETC
  • Slide 48
  • 48 USO E CUIDADOS COM A CMARA ESCURA A) VERIFICAR A VEDAO DE LUZ, FILTRO DA LUZ DE SEGURANA E A VALIDADE DOS QUMICOS B) VERIFICAR ESTADO DOS ECRANS, CARREGAR E DESCARREGAR OS CHASSIS C) APRENDER A USAR A PROCESSADORA E CONHECER SEUS MECANISMOS
  • Slide 49
  • 49 ESTAMOS PRONTOS? VOC ACABOU DE SE FORMAR. APARECE UMA OPORTUNIDADE PARA TRABALHAR COM TC, PORM VOC TM 15 DIAS PARA SE ADAPTAR. COMO PROCEDER? VOC ACABOU DE SE FORMAR. APARECE UMA OPORTUNIDADE PARA TRABALHAR COM TC, PORM VOC TM 15 DIAS PARA SE ADAPTAR. COMO PROCEDER? VOC TRABALHA COM TOMO. SURGE UMA OPORTUNIDADE EM RM. E A...? VOC TRABALHA COM TOMO. SURGE UMA OPORTUNIDADE EM RM. E A...?