of 21/21
1 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIÁS – TRE/GO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DO QUADRO PERMANENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIÁS EDITAL N.º 1/2004 – TRE/GO, DE 27 DE OUTUBRO DE 2004 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIÁS, nos termos da Resolução TSE n.º 21.832, de 22 de junho de 2004, publicada no Diário de Justiça de 1.º de julho de 2004, e da Resolução TSE n.º 21.899, de 19 de agosto de 2004, publicada no Diário de Justiça de 14 de setembro de 2004, bem como da Resolução TRE/GO n.º 66/04, de 23 de setembro de 2004, publicada no Diário Oficial do Estado de Goiás , torna pública a realização de concurso público para o provimento de cargos de Analista Judiciário e de Técnico Judiciário e para a formação de cadastro de reserva, mediante as condições estabelecidas neste edital. 1 DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.1 O concurso será regido por este edital e executado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos (CESPE) da Universidade de Brasília (UnB). 1.2 A seleção para os cargo s de que trata este edital compreenderá o exame de habilidades e conhecimentos, mediante aplicação de provas objetivas, para todos os cargos, e de prova discursiva, somente para o cargo de Analista Judiciário, todas as áreas/especialidades, ambas de caráter eliminatório e classificatório. 1.3 As provas serão realizadas nas cidades de Catalão/GO, Goiânia/GO, Luziânia/GO, Porangatu/GO e Rio Verde/GO. 1.3.1 Caso não ha ja disponibilidade de locais suficientes ou adequados nas cidades de realização das provas, estas poderão ser realizadas em outras cidades. 2 DOS CARGOS 2.1 NÍVEL SUPERIOR CARGO 1: ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: ADMINISTRATIVA REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de qualquer curso de graduação de nível superior, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nível superior relacionadas com as funções de administração de recursos humanos, materiais e patrimoniais, orçamentários e financeiros, e controle interno, bem como as de desenvolvimento organizacional e de suporte técnico e administrativo às unidades organizacionais. VAGAS: cadastro de reserva. CARGO 2: ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: JUDICIÁRIA REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Direito, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades privativas de bacharel em Direito, relacionadas com processamento de feitos, apoio a julgamentos e execução de mandados. VAGAS: 128, das quais sete (7) serão reservadas aos candidatos portadores de deficiência. CARGO 3: ANALISTA JUDICIÁRIO – ÁREA: APOIO ESPECIALIZADO – ESPECIALIDADE: ENGENHARIA ELÉTRICA REQUISITOS: diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso de graduação de nível superior em Engenharia Elétrica, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação, e registro no conselho regional da categoria. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nível superior relacionadas com projetos de instalação e manutenção de redes de eletricidade.

1 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 1 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE

1

PODER JUDICIRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS TRE/GO

CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DO QUADRO PERMANENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS

EDITAL N. 1/2004 TRE/GO, DE 27 DE OUTUBRO DE 2004

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS, nos termos da Resoluo TSE n. 21.832, de 22 de junho de 2004, publicada no Dirio de Justia de 1. de julho de 2004, e da Resoluo TSE n. 21.899, de 19 de agosto de 2004, publicada no Dirio de Justia de 14 de setembro de 2004, bem como da Resoluo TRE/GO n. 66/04, de 23 de setembro de 2004, publicada no Dirio Oficial do Estado de Gois, torna pblica a realizao de concurso pblico para o provimento de cargos de Analista Judicirio e de Tcnico Judicirio e para a formao de cadastro de reserva, mediante as condies estabelecidas neste edital. 1 DAS DISPOSIES PRELIMINARES 1.1 O concurso ser regido por este edital e executado pelo Centro de Seleo e de Promoo de Eventos (CESPE) da Universidade de Braslia (UnB). 1.2 A seleo para os cargos de que trata este edital compreender o exame de habilidades e conhecimentos, mediante aplicao de provas objetivas, para todos os cargos, e de prova discursiva, somente para o cargo de Analista Judicirio, todas as reas/especialidades, ambas de carter eliminatrio e classificatrio. 1.3 As provas sero realizadas nas cidades de Catalo/GO, Goinia/GO, Luzinia/GO, Porangatu/GO e Rio Verde/GO. 1.3.1 Caso no haja disponibilidade de locais suficientes ou adequados nas cidades de realizao das provas, estas podero ser realizadas em outras cidades. 2 DOS CARGOS 2.1 NVEL SUPERIOR CARGO 1: ANALISTA JUDICIRIO REA: ADMINISTRATIVA REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de concluso de qualquer curso de graduao de nvel superior, fornecido por instituio de ensino superior reconhecida pelo Ministrio da Educao. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel superior relacionadas com as funes de administrao de recursos humanos, materiais e patrimoniais, oramentrios e financeiros, e controle interno, bem como as de desenvolvimento organizacional e de suporte tcnico e administrativo s unidades organizacionais. VAGAS: cadastro de reserva. CARGO 2: ANALISTA JUDICIRIO REA: JUDICIRIA REQUISITO: diploma, devidamente registrado, de concluso de curso de graduao de nvel superior em Direito, fornecido por instituio de ensino superior reconhecida pelo Ministrio da Educao. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades privativas de bacharel em Direito, relacionadas com processamento de feitos, apoio a julgamentos e execuo de mandados. VAGAS: 128, das quais sete (7) sero reservadas aos candidatos portadores de deficincia. CARGO 3: ANALISTA JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: ENGENHARIA ELTRICA REQUISITOS: diploma, devidamente registrado, de concluso de curso de graduao de nvel superior em Engenharia Eltrica, fornecido por instituio de ensino superior reconhecida pelo Ministrio da Educao, e registro no conselho regional da categoria. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel superior relacionadas com projetos de instalao e manuteno de redes de eletricidade.

2

VAGA: 1. CARGO 4: ANALISTA JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: PSICOLOGIA REQUISITOS: diploma, devidamente registrado, de concluso de curso de graduao de nvel superior em Psicologia, fornecido por instituio de ensino superior reconhecida pelo Ministrio da Educao, e registro no respectivo conselho regional da categoria. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel superior relacionadas com a assistncia psicolgica, nos diversos ramos da Psicologia. VAGA: 1. 2.2 NVEL MDIO CARGO 5: TCNICO JUDICIRIO REA: ADMINISTRATIVA REQUISITO: certific ado, devidamente registrado, de concluso de curso de ensino mdio (antigo segundo grau), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao; ou certificado, devidamente registrado, de concluso de curso de ensino mdio tcnico (antigo segundo grau profissionalizante), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel intermedirio relacionadas com as funes de administrao de recursos humanos, materiais e patrimoniais, oramentrios e financeiros, controle interno, bem como as de desenvolvimento organizacional e suporte tcnico e administrativo s unidades organizacionais. VAGAS: 129, das quais sete (7) sero reservadas aos candidatos portadores de deficincia. CARGO 6: TCNICO JUDICIRIO REA: SERVIOS GERAIS ESPECIALIDADE: ELETRICIDADE E TELECOMUNICAES REQUISITO: certificado, devidamente registrado, de concluso de curso de ensino mdio (antigo segundo grau), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao; ou certificado, devidamente registrado, de concluso de curso de ensino mdio tcnico (antigo segundo grau profissionalizante), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel intermedirio relacionadas com instalao e manuteno de redes de eletricidade e de telecomunicaes. VAGAS: 2. CARGO 7: TCNICO JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: OPERAO DE COMPUTADORES REQUISITOS: certificado, devidamente registrado, de concluso de curso de nvel mdio (antigo segundo grau), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao; ou certificado, devidamente registrado, de concluso de curso de nvel mdio tcnico (antigo segundo grau profissionalizante), expedido por instituio de ensino reconhecida pelo Ministrio da Educao, e habilitao em curso de manuteno em equipamentos de informtica, com carga horria de, no mnimo, sessenta horas. DESCRIO SUMRIA DAS ATIVIDADES: executar atividades de nvel intermedirio, relacionadas com a operao e manuteno de equipamentos de informtica. VAGAS: 2. 2.3 DA REMUNERAO E DA JORNADA DE TRABALHO 2.3.1 A remunerao inicial ser de R$ 3.180,00 para os cargos de nvel superior e de R$ 1.903,97 para os cargos de nvel mdio, sendo que o servidor ser posicionado na classe A, padro I, da respectiva carreira. 2.3.2 Para todos os cargos descritos no item 2 deste edital, a jornada de trabalho ser de quarenta horas semanais, na forma do artigo 19 da Lei n. 8.112/90, de 11 de dezembro de 1990. 3 DAS VAGAS DESTINADAS AOS PORTADORES DE DEFICINCIA 3.1 Das vagas destinadas a cada cargo/rea/especialidade, 5% sero providas na forma do pargrafo 2., do artigo

3

5., da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990, e da Resoluo TSE n. 21.899, de 19 de agosto de 2004, publicada no Dirio de Justia de 14 de setembro de 2004. 3.1.1 O candidato que se declarar portador de deficincia concorrer em iguald ade de condies com os demais candidatos. 3.2 Para concorrer a uma dessas vagas, o candidato dever: a) no ato da inscrio, declarar-se portador de deficincia e estar ciente das atribuies do cargo para o qual pretende se inscrever e de que, no caso de vir a exerc-lo, estar sujeito avaliao pelo desempenho dessas atribuies, para fins de habilitao no estgio probatrio; b) encaminhar laudo mdico original ou cpia simples, emitido nos ltimos doze meses, atestando a espcie e o grau ou nvel da deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doenas (CID-10), bem como provvel causa da deficincia, na forma do subitem 3.2.1. 3.2.1 O candidato portador de deficincia dever entregar, at o dia 6 de dezembro de 2004, das 8 horas s 19 horas, pessoalmente ou por terceiro, o laudo mdico (original ou cpia simples) a que se refere a alnea b do subitem 3.2, no Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE, Campus Universitrio Darcy Ribeiro, Instituto Central de Cincias (ICC), mezanino, ala norte Asa Norte, Braslia/DF. 3.2.1.1 O candidato poder, ainda, encaminhar o laudo mdico, via SEDEX, postado impreterivelmente at o dia 6 de dezembro de 2004, para o Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE Concurso TRE/GO, Caixa Postal 04521, CEP 70919-970 Braslia/DF. 3.3 O candidato portador de deficincia poder requerer, na forma do subitem 5.4.11 deste edital, atendimento especial, no ato da inscrio, para o dia de realizao das provas, indicando as condies de que necessita para a realizao destas, conforme previsto no artigo 40, pargrafos 1. e 2., do Decreto n. 3.298, de 20 de dezembro de 1999. 3.4 O laudo mdico (original ou cpia simples) ter validade somente para este concurso pblico e no ser devolvido, assim como no sero fornecidas cpias desse laudo. 3.5 A inobservncia do disposto no subitem 3.2 acarretar a perda do direito ao pleito das vagas reservadas aos candidatos em tal condio e o no-atendimento s condies especiais necessrias. 3.6 Os candidatos que, no ato da inscrio, declararem-se portadores de deficincia, se aprovados e classificados no concurso, tero seus nomes publicados em lista parte e, caso obtenham classificao necessria, figuraro tambm na lista de classificao geral por cargo/rea/especialidade. 3.7 Os candidatos que se declararem portadores de deficincia, caso aprovados no concurso, sero convocados para submeterem-se percia mdica por equipe multiprofissional de responsabilidade do CESPE, que verificar sua qualificao como portador de deficincia, o grau da deficincia e a capacidade para o exerccio do cargo. 3.8 Os candidatos devero comparecer percia mdica, munidos de laudo mdico que ateste a espcie e o grau ou nvel de deficincia , com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doenas (CID-10) bem como provvel causa da deficincia. 3.9 A no-observncia do disposto no subitem 3.8 ou a reprovao na percia mdica acarretar a perda do direito s vagas reservadas aos candidatos em tais condies. 3.10 O primeiro candidato portador de deficincia classificado no concurso pblico ser nomeado para ocupar a quinta vaga aberta, enquanto os demais sero nomeados a cada intervalo de vinte cargos providos. 3.11 As vagas definidas no subitem 3.1 que no forem providas por falta de candidatos portadores de deficincia aprovados sero preenchidas pelos demais candidatos, observada a ordem geral de classificao no cargo/rea/especialidade. 4 DOS REQUISITOS BSICOS PARA A INVESTIDURA 4.1 Ter nacionalidade brasileira ou portuguesa e, no caso de nacionalidade portuguesa, estar amparado pelo estatuto de igualdade entre brasileiros e portugueses, com reconhecimento do gozo dos direitos polticos, nos termos do artigo 12, 1., da Constituio Federal.

4

4.2 Estar em dia com as obrigaes eleitorais e militares. 4.3 Possuir os requisitos exigidos para o exerccio do cargo, na data da posse, conforme item 2 deste edital. 4.4 Ter idade mnima de dezoito anos completos na data da posse. 4.5 Ter aptido fsica e mental para o exerccio das atribuies do cargo. 4.6 Cumprir as determinaes deste edital. 4.7 Ser aprovado no concurso pblico. 5 DAS INSCRIES NO CONCURSO PBLICO 5.1 As inscries podero ser efetuadas nas agncias da CAIXA listadas no Anexo II deste edital ou via Internet, conforme procedimentos especificados a seguir. 5.2 DA INSCRIO NAS AGNCIAS DA CAIXA 5.2.1 PERODO: de 22 de novembro a 3 de dezembro de 2004. 5.2.2 HORRIO: de atendimento bancrio. 5.2.3 TAXAS: R$ 65,00 para Analista Judicirio;

R$ 40,00 para Tcnico Judicirio. 5.2.4 Para efetuar a inscrio nas agncias da CAIXA, o candidato dever: a) preencher e entregar o formulrio fornecido no local de inscrio; b) pagar a taxa de inscrio. 5.3 DA INSCRIO VIA INTERNET 5.3.1 Ser admitida a inscrio via Internet, no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br/concursos/trego2004, solicitada no perodo entre 10 horas do dia 22 de novembro de 2004 e 20 horas do dia 5 de dezembro de 2004, observado o horrio oficial de Braslia/DF. 5.3.2 O CESPE no se responsabilizar por solicitao de inscrio via Internet no recebida por motivos de ordem tcnica dos computadores, falhas de comunicao, congestionamento das linhas de comunicao, bem como outros fatores de ordem tcnica que impossibilitem a transferncia de dados. 5.3.3 O candidato que desejar realizar sua inscrio via Internet poder efetuar o pagamento da taxa de inscrio das seguintes formas: a) por meio de dbito em conta-corrente, apenas para correntistas do Banco do Brasil; b) por meio de documento de arrecadao, pagvel em qualquer lotrica; c) por meio de boleto bancrio, pagvel em toda a rede bancria. 5.3.3.1 O documento de arrecadao e o boleto bancrio estaro disponveis no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br/concursos/trego2004 e devero ser impressos para o pagamento da taxa de inscrio aps a concluso do preenchimento da ficha de solicitao de inscrio online. 5.3.4 O pagamento da taxa de inscrio por meio de boleto bancrio ou de documento de arrecadao dever ser efetuado at o dia 6 de dezembro de 2004. 5.3.5 As inscries efetuadas via Internet somente sero acatadas aps a comprovao de pagamento da taxa de inscrio. 5.3.6 O comprovante de inscrio do candidato inscrito via Internet estar disponvel no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br/concursos/trego2004, aps o acatamento da inscrio, sendo de responsabilidade exclusiva do candidato a obteno desse documento. 5.3.7 O candidato inscrito via Internet no dever enviar cpia do documento de identidade, sendo de sua exclusiva responsabilidade a informao dos dados cadastrais no ato de inscrio, sob as penas da lei. 5.3.8 Informaes complementares acerca da inscrio via Internet estaro disponveis no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br/concursos/trego2004. 5.4 DAS DISPOSIES GERAIS SOBRE A INSCRIO NO CONCURSO PBLICO 5.4.1 Antes de efetuar a inscrio, o candidato dever conhecer o edital e certificar-se de que preenche todos os requisitos exigidos. Uma vez efetivada a inscrio, no ser permitida, em hiptese alguma, a sua alterao no que se

5

refere opo de cargo/rea/especialidade. 5.4.1.1 vedada a transferncia do valor pago a ttulo de taxa para terceiros. 5.4.2 Ser admitida a inscrio por terceiros mediante a entrega de procurao do interessado, acompanhada de cpia legvel do documento de identidade do candidato. No h necessidade de reconhecimento de firma na procurao. Esses documentos sero retidos no ato da inscrio. 5.4.3 O candidato inscrito por procurao assume total responsabilidade pelas informaes prestadas por seu procurador, arcando com as conseqncias de eventuais erros de seu representante no preenchimento do formulrio de inscrio e em sua entrega. 5.4.4 vedada a inscrio condicional, a extempornea, a via postal, a via fax ou a via correio eletrnico. 5.4.5 Para efetuar a inscrio, imprescindvel o nmero de Cadastro de Pessoa Fsica (CPF) do candidato. 5.4.6 O candidato realizar as provas na cidade onde efetuar a sua inscrio, ressalvado o disposto nos subitens 5.4.6.1 e 5.4.6.2, a seguir. 5.4.6.1 O candidato que desejar realizar as provas em cidade diferente daquela em que estiver dever fazer sua inscrio via Internet, indicando, na solicitao de inscrio, sua opo de local de realizao das provas. Aps efetivada a inscrio, no ser aceita solicitao de alterao de local de realizao das provas. 5.4.6.2 O candidato que se inscrever em Formosa/GO ou em Valparaso de Gois/GO realizar as provas em Luzinia /GO. O candidato que se inscrever em Aparecida de Goinia/GO realizar as provas em Goinia/GO. 5.4.7 As informaes prestadas no formulrio de inscrio ou na solicitao de inscrio via Internet sero de inteira responsabilidade do candidato, dispondo o CESPE do direito de excluir do concurso pblico aquele que no preencher o formulrio de forma completa, correta e legvel. 5.4.8 O valor referente ao pagamento da taxa de inscrio no ser devolvido em hiptese alguma, salvo em caso de cancelamento do certame por convenincia da Administrao Pblica. 5.4.8.1 No caso de o pagamento da taxa de inscrio ser efetuado com cheque bancrio que, porventura, venha a ser devolvido, por qualquer motivo, o CESPE reserva-se o direito de tomar as medidas legais cabveis. 5.4.9 No haver iseno total ou parcial do valor da taxa de inscrio. 5.4.10 O comprovante de inscrio dever ser mantido em poder do candidato e apresentado nos locais de realizao das provas. 5.4.11 O candidato, portador de deficincia ou no, que necessitar de atendimento especial para a realizao das provas dever indicar, no formulrio de inscrio ou na solicitao de inscrio via Internet, os recursos especiais necessrios e, ainda, enviar, at o dia 6 de dezembro de 2004, impreterivelmente , via SEDEX, para o Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE Concurso TRE/GO, Campus Universitrio Darcy Ribeiro, Instituto Central de Cincias (ICC), mezanino, ala norte Asa Norte, Braslia/DF, Caixa Postal 04521, CEP 70919970, laudo mdico que justifique o atendimento especial solicitado. Aps esse perodo, a solicitao ser indeferida, salvo nos casos de fora maior e nos que forem de interesse da Administrao Pblica. 5.4.11.1 O laudo mdico referido no subitem 5.4.11 poder, ainda, ser entregue, at o dia 6 de dezembro de 2004, das 9 horas s 16 horas, pessoalmente ou por terceiro, no Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE, localizado no endereo citado no subitem anterior. 5.4.11.2 A candidata que tiver necessidade de amamentar durante a realizao das provas dever, ainda, levar um acompanhante, que ficar em sala reservada para essa finalidade e que ser responsvel pela guarda da criana. A candidata que no levar acompanhante no realizar as provas. 5.4.11.3 O laudo mdico (original ou cpia simples) ter validade somente para este concurso pblico e no ser devolvido, assim como no sero fornecidas cpias desse laudo. 5.4.11.4 A relao dos candidatos que tiveram o seu atendimento especial deferido ser divulgada no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br, em data a ser informada no edital de locais e horrios de realizao das provas. 5.4.11.5 A solicitao de condies especiais ser atendida segundo os critrios de viabilidade e de razoabilidade. 5.4.12 O candidato dever declarar, no formulrio de inscrio ou na solicitao de inscrio via Internet, que tem cincia e aceita que, caso aprovado, dever entregar os documentos comprobatrios dos requisitos exigidos para o

6

cargo/rea/especialidade por ocasio da posse. 6 DO EXAME DE HABILIDADES E DE CONHECIMENTOS 6.1 Ser aplicado exame de habilidades e conhecimentos, de carter eliminatrio e classificatrio, abrangendo os objetos de avaliao constantes deste edital, conforme os quadros a seguir. 6.1.1 ANALISTA JUDICIRIO

QUADRO DE PROVAS

PROVAS/TIPO REA DE CONHECIMENTO

NMERO DE QUESTES

CARTER

(P1) Objetiva Conhecimentos Bsicos 20 ELIMINATRIO (P2) Objetiva Conhecimentos Especficos 30 E (P3) Discursiva CLASSIFICATRIO

6.1.2 TCNICO JUDICIRIO

QUADRO DE PROVAS

PROVAS/TIPO REA DE

CONHECIMENTO NMERO DE

QUESTES CARTER

(P1) Objetiva Conhecimentos Bsicos 20 ELIMINATRIO E (P2) Objetiva Conhecimentos Especficos 30 CLASSIFICATRIO

6.2 As provas objetivas e a prova discursiva para o cargo de Analista Judicirio tero a durao de 4 horas e 30 minutos e sero aplicadas no dia 23 de janeiro de 2005, no turno da manh. 6.2.1 As provas objetivas para o cargo de Tcnico Judicirio tero a durao de 3 horas e 30 minutos e sero aplicadas no dia 23 de janeiro de 2005, no turno da tarde . 6.3 Os locais e os horrios de realizao das provas objetivas e da prova discursiva sero publicados no Dirio Oficial da Unio e divulgados na Internet, no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br, na data provvel de 11 ou 12 de janeiro de 2005. So de responsabilidade exclusiva do candidato a identificao correta de seu local de realizao das provas e o comparecimento no horrio determinado. 6.3.1 O CESPE poder enviar, como complemento s informaes citadas no subitem anterior, comunicao pessoal dirigida ao candidato, para o endereo constante no formulrio de inscrio ou na solicitao de inscrio via Internet, informando o local e o horrio de realizao das provas, o que no o desobriga do dever de observar o edital a ser publicado, consoante o que dispe o subitem 6.3 deste edital. 6.3.1.1 Os candidatos inscritos via Internet podero receber esse comunicado via e-mail, sendo de sua exclusiva responsabilidade a manuteno/atualizao de seu correio eletrnico. 6.4 No sero dadas, por telefone, informaes a respeito de datas, locais e horrios de realizao das provas. O candidato dever observar rigorosamente os editais e os comunicados a serem divulgados na forma do subitem 6.3. 6.5 O candidato dever comparecer ao local designado para a realizao das provas com antecedncia mnima de uma hora do horrio fixado para o seu incio, munido de caneta esferogrfica de tinta preta, do comprovante de inscrio e do documento de identidade original. 6.6 No ser admitido ingresso de candidato no local de realizao das provas aps o horrio fixado para o seu incio. 6.6.1 O candidato que se retirar do ambiente de provas no poder retornar em hiptese alguma. 6.7 Sero considerados documentos de identidade: carteiras expedidas pelos Comandos Militares, pelas Secretarias de Segurana Pblica, pelos Institutos de Identificao e pelos Corpos de Bombeiros Militares; carteiras expedidas

7

pelos rgos fiscalizadores de exerccio profissional (ordens, conselhos etc.); passaporte brasileiro; certificado de reservista; carteiras funcionais do Ministrio Pblico; carteiras funcionais expedidas por rgo pblico que, por lei federal, valham como identidade; carteira de trabalho; carteira nacional de habilitao (somente o modelo aprovado pelo artigo 159 da Lei n. 9.503, de 23 de setembro de 1997). 6.7.1 No sero aceitos como documentos de identidade: certides de nascimento, CPF, ttulos eleitorais, carteiras de motorista (modelo antigo), carteiras de estudante, carteiras funcionais sem valor de identidade, nem documentos ilegveis, no-identificveis e/ou danificados. 6.7.2 No ser aceita cpia do documento de identidade, ainda que autenticada, nem protocolo do documento. 6.8 Caso o candidato esteja impossibilitado de apresentar, no dia de realizao das provas, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, dever ser apresentado documento que ateste o registro da ocorrncia em rgo policial, expedido h, no mximo, trinta dias, ocasio em que ser submetido identificao especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impresso digital em formulrio prprio. 6.8.1 A identificao especial ser exigida, tambm, ao candidato cujo documento de identificao apresente dvidas relativas fisionomia ou assinatura do portador. 6.9 Por ocasio da realizao das provas, o candidato que no apresentar documento de identidade original, na forma definida no subitem 6.7 deste edital, no poder fazer as provas e ser automaticamente eliminado do concurso pblico. 6.10 No sero aplicadas provas em local, data ou horrio diferentes dos predeterminados em edital ou em comunicado. 6.11 No ser permitida, durante a realizao das provas, a comunicao entre os candidatos nem a utilizao de mquinas calculadoras e/ou similares, livros, anotaes, rguas de clculo, impressos ou qualquer outro material de consulta. 6.11.1 No dia de realizao das provas, no ser permitido ao candidato entrar e/ou permanecer com armas ou aparelhos eletrnicos (bip, telefone celular, relgio do tipo data bank, walkman, agenda eletrnica, notebook , palmtop, receptor, gravador, mquina fotogrfica, mquina de calcular etc.). Caso o candidato leve alguma arma e/ou algum aparelho eletrnico, estes devero ser entregues Coordenao e somente sero devolvidos ao final das provas. O descumprimento da presente instruo implicar a eliminao do candidato, constituindo tentativa de fraude. 6.11.1.1 O CESPE no se responsabilizar por perdas ou extravios de objetos ou de equipamentos eletrnicos ocorridos durante a realizao das provas, nem por danos neles causados. 6.12 No haver segunda chamada para a realizao das provas. O no-comparecimento a estas implicar a eliminao automtica do candidato. 6.13 O candidato somente poder retirar-se do local de realizao das provas levando o caderno de provas e a folha de rascunho, que de preenchimento facultativo, no decurso dos ltimos trinta minutos anteriores ao horrio previsto para o seu trmino. 6.14 Ter suas provas anuladas e ser automaticamente eliminado do concurso pblico o candidato que, durante a sua realizao: a) for surpreendido dando e/ou recebendo auxlio para a execuo das provas; b) utilizar-se de livros, mquinas de calcular e/ou equipamento similar, dicionrio, notas e/ou impressos que no forem expressamente permitidos e/ou que se comunicar com outro candidato; c) for surpreendido portando telefone celular, gravador, receptor, pagers, notebook , mquina fotogrfica e/ou equipamento similar; d) faltar com o devido respeito para com qualquer membro da equipe de aplicao das provas, com as autoridades presentes e/ou com os demais candidatos; e) fizer anotao de informaes relativas s suas respostas no comprovante de inscrio e/ou em qualquer outro meio, que no os permitidos; f) recusar-se a entregar o material das provas ao trmino do tempo destinado para a sua realizao;

8

g) afastar-se da sala, a qualquer tempo, sem o acompanhamento de fiscal; h) ausentar-se da sala, a qualquer tempo, portando a folha de respostas e/ou a folha de texto definitivo; i) descumprir as instrues contidas no caderno de provas, na folha de respostas, na folha de rascunho e/ou na folha de texto definitivo; j) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido; k) utilizar ou tentar utilizar meios fraudulentos ou ilegais para obter aprovao prpria ou de terceiros, em qualquer etapa do concurso pblico. 6.15 No haver, por qualquer motivo, prorrogao do tempo previsto para a aplicao das provas em razo do afastamento de candidato da sala de provas. 6.16 No dia de realizao das provas, no sero fornecidas, por qualquer membro da equipe de aplicao destas e/ou pelas autoridades presentes, informaes referentes ao seu contedo e/ou aos critrios de avaliao e de classificao. 6.17 Se, a qualquer tempo, for constatado, por meio eletrnico, estatstico, visual, grafolgico ou por investigao policial, ter o candidato se utilizado de processo ilcito, suas provas sero anuladas e ele ser automaticamente eliminado do concurso. 6.18 DAS PROVAS OBJETIVAS 6.18.1 As questes das provas objetivas sero do tipo mltipla escolha, com cinco opes (A, B, C, D e E) e uma nica resposta correta, de acordo com o comando da questo. Haver, na folha de respostas, para cada questo, cinco campos de marcao: um campo para cada uma das cinco opes A, B, C, D e E, sendo que o candidato dever preencher apenas aquele correspondente resposta julgada correta, de acordo com o comando da questo. 6.18.2 O candidato dever, obrigatoriamente, marcar, para cada questo, um, e somente um, dos cinco campos da folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuzos decorrentes de marcaes indevidas. 6.18.3 O candidato dever transcrever as respostas das provas objetivas para a folha de respostas, que ser o nico documento vlido para a correo das provas. O preenchimento da folha de respostas ser de inteira responsabilidade do candidato, que dever proceder de conformidade com as instrues especficas contidas neste edital e na folha de respostas. Em hiptese alguma haver substituio da folha de respostas por erro do candidato. 6.18.4 Sero de inteira responsabilidade do candidato os prejuzos advindos de marcaes feitas incorretamente na folha de respostas. Sero consideradas marcaes incorretas as que estiverem em desacordo com este edital e/ou com a folha de respostas, tais como: dupla marcao, marcao rasurada ou emendada e/ou campo de marcao no-preenchido integralmente. 6.18.5 O candidato no dever amassar, molhar, dobrar, rasgar ou, de qualquer modo, danificar a sua folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuzos advindos da impossibilidade de realizao da leitura ptica. 6.18.6 No ser permitido que as marcaes na folha de respostas sejam feitas por outras pessoas, salvo em caso de candidato que tenha solicitado atendimento especial para esse fim. Nesse caso, se necessrio, o candidato ser acompanhado por agente do CESPE devidamente treinado. 6.19 DA PROVA DISCURSIVA 6.19.1 A prova discursiva valer 10,00 pontos e consistir de redao de texto narrativo, dissertativo e/ou descritivo. 6.19.2 A prova discursiva tem o objetivo de avaliar a capacidade de expresso na modalidade escrita, o uso das normas do registro formal culto da Lngua Portuguesa e o domnio do contedo, de acordo com os objetos de avaliao estabelecidos para cada cargo/rea/especialidade. O candidato dever produzir, com base em tema, situao motivadora ou estudo de caso formulados pela banca examinadora, texto narrativo, dissertativo e/ou descritivo, com extenso mxima de trinta linhas, primando pela coerncia e pela coeso. 6.19.3 A prova discursiva dever ser manuscrita, em letra legvel, com caneta esferogrfica de tinta preta, no sendo permitida a interferncia ou a participao de outras pessoas, salvo em caso de candidato portador de deficincia, se a deficincia impossibilitar a redao pelo prprio candidato e de candidato que solicitou atendimento especial, observado o disposto no subitem 5.4.11. Nesse caso, o candidato ser acompanhado por um agente do CESPE devidamente treinado, para o qual dever ditar o texto, especificando oralmente a grafia das palavras e os sinais

9

grficos de pontuao. 6.19.4 A folha de texto definitivo da prova discursiva no poder ser assinada, rubricada, nem conter, em outro local que no o apropriado, qualquer palavra ou marca que a identifique, sob pena de anulao da prova discursiva. Assim, a deteco de qualquer marca identificadora no espao destinado transcrio de texto definitivo acarretar a anulao da prova discursiva. 6.19.5 A folha de texto definitivo ser o nico documento vlido para a avaliao da prova discursiva. A folha para rascunho no caderno de provas de preenchimento facultativo e no valer para tal finalidade. 7 DOS CRITRIOS DE AVALIAO E DE CLASSIFICAO 7.1 Todos os candidatos tero suas provas objetivas corrigidas por meio de processamento eletrnico. 7.2 A nota do candidato em cada prova objetiva ser igual a 10 NQ / N, em que: NQ = nmero de questes da folha de respostas concordantes com o gabarito oficial definitivo; N = nmero total de questes da respectiva prova. 7.3 Ser eliminado do concurso pblico o candidato que se enquadrar em pelo menos um dos itens a seguir: a) obtiver nota inferior a 3,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Bsicos (P1); b) obtiver nota inferior a 4,00 pontos na prova objetiva de Conhecimentos Especficos (P2). 7.4 Para cada candidato no eliminado segundo os critrios definidos no subitem 7.3, ser calculada a nota final nas provas objetivas (NFPO) pela mdia aritmtica ponderada das notas obtidas nas provas P1 e P2, atribuindo-se os pesos 1 e 3, respectivamente . 7.5 Os candidatos no-eliminados sero ordenados por cargo/rea/especialidade de acordo com os valores decrescentes das notas finais na prova objetiva (NFPO). 7.5.1 Com base na relao citada no subitem 7.5, sero corrigidas as provas discursivas dos candidatos ao cargo de Analista Judicirio rea: Administrativa aprovados nas provas objetivas e classificados at a sexagsima posio; as provas discursivas dos candidatos ao cargo de Analista Judicirio rea: Judiciria aprovados nas provas objetivas e classificados em at quatro vezes o nmero de vagas previsto neste edital; e as provas discursivas dos candidatos ao cargo de Analista Judicirio rea: Apoio Especializado Especialidades: Engenharia Eltrica e Psicologia aprovados nas provas objetivas e classificados em at quinze vezes o nmero de vagas previsto neste edital, sendo respeitados, em todos os casos, os empates na ltima colocao, observada a reserva de vagas para candidatos portadores de deficincia. 7.5.1.1 Os candidatos que no tiverem a sua prova discursiva corrigida na forma do subitem 7.5.1 sero automaticamente eliminados e no tero classificao alguma no concurso. 7.6 A prova discursiva ser corrigida conforme critrios a seguir. 7.6.1 Em casos de fuga ao tema, de no haver texto ou de identificao em local indevido, o candidato receber nota zero na prova discursiva avaliada. 7.6.2 A apresentao, a estrutura textual e o desenvolvimento do tema / anlise da situao motivadora ou do estudo de caso totalizaro a nota relativa ao domnio do contedo (NC), limitada a 10,00 pontos. 7.6.3 A avaliao do domnio da modalidade escrita (Lngua Portuguesa) totalizar o nmero de erros (NE) do candidato, considerando-se aspectos como acentuao, grafia, pontuao, concordncia, regncia, morfossintaxe, propriedade vocabular, translineao etc. 7.6.4 Ser computado o nmero total de linhas (TL) efetivamente escritas pelo candidato. 7.6.5 Ser desconsiderado, para efeito de avaliao, qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado ou que ultrapassar a extenso mxima de trinta linhas. 7.6.6 Ser calculada, ento, para cada candidato, a nota na prova discursiva (NPD) como sendo igual a NC menos o resultado do quociente NE / TL. 7.6.7 Ser atribuda nota ZERO ao candidato que obtiver NPD < 0,00. 7.6.8 Ser eliminado do concurso o candidato que obtiver NPD < 4,00 pontos na prova discursiva.

10

7.7.9 O candidato eliminado na prova discursiva estar automaticamente eliminado do concurso. 8 DA NOTA FINAL NO CONCURSO 8.1 Para o cargo de Analista Judicirio, todas as reas/especialidades, a nota final no concurso (NFC) ser igual mdia aritmtica ponderada das notas obtidas nas provas P1, P2 e P3, considerando-se os pesos 1, 3 e 2, respectivamente. 8.2 Para os cargos de Tcnico Judicirio, a nota final no concurso (NFC) ser a igual nota final obtida nas provas objetivas (NFPO). 8.3 Os candidatos sero ordenados por cargo/rea/especialidade de acordo com os valores decrescentes da nota final no concurso pblico. 8.4 Sero eliminados os candidatos que obtiverem NFC inferior a 6,00 pontos. 9 DOS CRITRIOS DE DESEMPATE 9.1 Em caso de empate na nota final no concurso, ter preferncia o candidato que, na seguinte ordem, tiver: a) maior idade; b) tiver maior tempo de servio prestado Justia Eleitoral; c) tiver maior tempo de servio prestado Justia Eleitoral, na forma prevista no artigo 98 da Lei n. 9.504/97; d) tiver maior tempo de servio prestado ao Poder Judicirio da Unio; e) tiver maior tempo de servio pblico. 10 DOS RECURSOS 10.1 Os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas sero afixados nos quadros de avisos do CESPE e divulgados na Internet, no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br, em data a ser determinada no caderno de provas. 10.2 O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas dispor de dois dias teis, a contar do dia subseqente ao da divulgao desses gabaritos, no horrio das 9 horas do primeiro dia s 18 horas do ltimo dia, ininterruptamente, conforme datas determinadas nos gabaritos oficiais preliminares. 10.3 Para recorrer contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas, o candidato dever utilizar os modelos de formulrios disponveis no Sistema Eletrnico de Interposio de Recurso, http://www.cespe.unb.br, e seguir as instrues ali contidas. 10.4 O candidato dever ser claro, consistente e objetivo em seu pleito. Recurso inconsistente ou intempestivo ser preliminarmente indeferido. 10.5 Se do exame de recursos resultar anulao de questo integrante de prova, a pontuao correspondente a essa questo ser atribuda a todos os candidatos, independentemente de terem recorrido. 10.6 Se houver alterao, por fora de impugnaes, de gabarito oficial preliminar de questo integrante de provas, essa alterao valer para todos os candidatos, independentemente de terem recorrido. 10.7 Todos os recursos sero analisados e as justificativas das alteraes de gabarito sero divulgadas no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br quando da divulgao do gabarito definitivo. No sero encaminhadas respostas individuais aos candidatos. 10.8 No ser aceito recurso via postal, via fax ou via correio eletrnico. 10.9 Em nenhuma hiptese sero aceitos pedidos de reviso de recursos, recursos de recursos e/ou recurso de gabarito oficial definitivo. 10.10 Recursos cujo teor desrespeite a banca sero preliminarmente indeferidos. 10.11 A forma e o prazo de interposio de recursos contra o resultado provisrio na prova discursiva sero disciplinados no respectivo edital de divulgao do resultado provisrio.

11

11 DAS DISPOSIES GERAIS 11.1 A inscrio do candidato implicar a aceitao das normas para o concurso pblico contidas nos comunicados, neste edital e em outros a serem publicados. 11.2 O candidato poder obter informaes referentes ao concurso pblico no Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE, localizado no Campus Universitrio Darcy Ribeiro, Instituto Central de Cincias (ICC), ala norte, mezanino, Asa Norte, Braslia/DF, por meio do telefone (61) 4480100 ou via Internet, no endereo eletrnico http://www.cespe.unb.br, ressalvado o disposto no subitem 6.4 deste edital. 11.3 O candidato que desejar relatar ao CESPE fatos ocorridos durante a realizao do concurso dever faz-lo ao Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE, postar correspondncia para a Caixa Postal 04521, CEP 70919970; encaminhar mensagem pelo fax de nmero (61) 4480111; ou envi-la para o endereo eletrnico [email protected] 11.4 O requerimento administrativo que, por erro do candidato, no for encaminhado ao Ncleo de Atendimento ao Candidato do CESPE ser a ele devolvido sem que haja anlise de mrito. 11.5 O resultado final do concurso ser homologado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Gois, na forma do artigo 16, inciso XXV, do Regimento Interno, e publicado no Dirio Oficial da Unio. 11.6 O concurso ter validade de dois anos, a contar da data de sua homologao, podendo ser prorrogado por igual perodo, a critrio do TRE/GO. 11.7 A aprovao e a classificao no concurso pblico geram para o candidato apenas a expectativa de direito nomeao. O TRE/GO reserva-se o direito de proceder s nomeaes, em nmero que atenda s necessidades do servio, de acordo com a disponibilidade oramentria e as vagas existentes. 11.8 O candidato dever manter atualizado seu endereo no CESPE, enquanto estiver participando do concurso, e, se aprovado, no TRE/GO. 11.9 O candidato poder ser lotado na Secretaria do TRE/GO ou em qualquer uma de suas zonas eleitorais, localizadas no Estado de Gois, conforme Anexo I deste edital, a critrio e de acordo com as necessidades administrativas do Tribunal. 11.9.1 Sero lotados um Analista Judicirio rea: Judiciria e um Tcnico Judicirio rea: Administrativa, em cada uma das Zonas Eleitorais referidas no Anexo I deste edital, em vagas apuradas aps o concurso de remoo. 11.9.2 A implantao dos cargos criados pela Lei n. 10.842/04 ser gradual, nos termos da Resoluo TSE n. 21.832/2004, sendo que a distribuio de referidos cargos observar o disposto na Resoluo TRE/GO n. 66/2004. 11.9.3 A lotao dos ocupantes dos demais cargos objeto deste concurso dar-se- na Secretaria do Tribunal, de acordo com a convenincia da Administrao Pblica. 11.9.4 O quantitativo de cargos vagos e a respectiva lotao podero apresentar alteraes, por motivos supervenientes, inclusive remoes nos termos da Resoluo TSE n. 21.883/2004 e do subitem 11.9.1 deste edital. 11.9.5 Os candidatos aprovados e classificados no nmero de vagas oferecidas sero convocados para, no prazo de cinco dias teis, optar pelas localidades onde houver vagas. 11.9.5.1 Havendo coincidncia de opes, esta ser resolvida de acordo com a ordem de classificao dos candidatos. 11.9.5.2 O candidato que no atender, tempestivamente, convocao de que trata o subitem 11.9.5 perder o direito opo pela localidade onde houver vaga, que ser definida pelo Presidente do TRE/GO. 11.10 O candidato nomeado dever permanecer, no mnimo, por dois anos, em efetivo exerccio no cartrio eleitoral. No ser apreciado pedido de remoo protocolizado antes do decurso do referido prazo. 11.11 As vagas que surgirem durante a validade do concurso podero, a exclusivo critrio de convenincia da Administrao do TRE/GO, ser providas pelos candidatos que compem o cadastro de reserva, de forma a atender as necessidades administrativas do Tribunal. 11.12 Os candidatos habilitados e no-nomeados podero, a critrio da Administrao do Tribunal, ser cedidos e

12

nomeados por outro rgo do Poder Judicirio da Unio, obedecida a respectiva classificao e convenincia administrativa, com observncia da identidade do cargo e do expresso interesse do candidato. 11.13 Os casos omissos sero resolvidos pelo TRE/GO, ouvido o CESPE. 11.14 Legislao com entrada em vigor aps a data de publicao deste edital, bem como alteraes em dispositivos legais e normativos a ele posteriores no sero objeto de avaliao nas provas do concurso. 11.15 Quaisquer alteraes nas regras fixadas neste edital s podero ser feitas por meio de outro edital. 12 DOS OBJETOS DE AVALIAO (HABILIDADES E CONHECIMENTOS) 12.1 HABILIDADES 12.1.1 Os itens das provas objetivas podero avaliar habilidades que vo alm de mero conhecimento memorizado, abrangendo compreenso, aplicao, anlise, sntese e avaliao, valorizando a capacidade de raciocnio. 12.1.2 Cada item das provas objetivas poder contemplar mais de uma habilidade e conhecimentos relativos a mais de uma rea de conhecimento. 12.2 CONHECIMENTOS 12.2.1 Nas provas objetivas, sero avaliados, alm das habilidades, conhecimentos, conforme especificao a seguir. 12.2.1.1 CONHECIMENTOS BSICOS (PARA TODOS OS CARGOS) LNGUA PORTUGUESA (PARA TODOS OS CARGOS E REAS): 1 Compreenso e interpretao de textos. 2 Tipologia textual. 3 Ortografia oficial. 4 Acentuao grfica. 5 Emprego das classes de palavras. 6 Emprego do sinal indicativo de crase. 7 Sintaxe da orao e do perodo. 8 Pontuao. 9 Concordncia nominal e verbal. 10 Regncia nominal e verbal. 11 Significao das palavras. 12 Redao de correspondncias oficiais. NOES DE INFORMTICA (PARA TODOS OS CARGOS E REAS): 1 Sistema operacional Windows XP. 2 Microsoft Office: Word 2002, Excel 2002 e Power Point 2002. 3 Conceitos e tecnologias relacionados Internet e a Correio Eletrnico. 4 Internet Explorer 6 e Outlook Express 6. ATUALIDADES (PARA TODOS OS CARGOS E REAS): Domnio de tpicos atuais e relevantes de diversas reas, tais como poltica, economia, sociedade, educao, tecnologia, energia, relaes internacionais, desenvolvimento sustentvel, segurana, artes e literatura, e suas vinculaes histricas. NOES DE ARQUIVOLOGIA (SOMENTE PARA O CARGO DE TCNICO JUDICIRIO REA: ADMINISTRATIVA): 1 Conceitos fundamentais de arquivologia. 2 O gerenciamento da informao e a gesto de documentos: diagnsticos; arquivos correntes e intermedirio; protocolos; avaliao de documentos; arquivos permanentes. 3 Tipologias documentais e suportes fsicos: microfilmagem; automao; preservao, conservao e restaurao de documentos. 12.2.1.2 CONHECIMENTOS ESPECFICOS ANALISTA JUDICIRIO REA ADMINISTRATIVA: I DIREITO CONSTITUCIONAL. 1 Direitos e deveres fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos; direito vida, liberdade, igualdade, segurana e propriedade; direitos sociais; nacionalidade; cidadania e direitos polticos; partidos polticos; garantias constitucionais individuais; garantias dos direitos coletivos, sociais e polticos. 2 Poder Legislativo: fundamento, atribuies e garantias de independncia. 3 Poder Executivo: forma e sistema de governo; chefia de Estado e chefia de governo; atribuies e responsabilidades do presidente da Repblica. 4 Ordem social: base e objetivos da ordem social; seguridade social; educao, cultura e desporto; cincia e tecnologia; comunicao social; meio ambiente; famlia, criana, adolescente e idoso. II DIREITO ELEITORAL. 1 Cdigo Eleitoral (Lei n.o 4.737, de 1965, e respectivas atualizaes, inclusive Lei n. 9.504, de 1997). 2 Dos rgos da Justia Eleitoral. 2.1 Dos Tribunais Regionais Eleitorais. 2.2 Dos juzes eleitorais. 2.3 Das juntas eleitorais: composio e atribuies. 3 Resoluo TSE n. 21.538, de 14 de outubro de 2003, publicada no Dirio da Justia, de 3 de novembro de 2003. III DIREITO ADMINISTRATIVO. 1 Estado, governo e administrao pblica: conceitos, elementos, poderes e organizao; natureza, fins e princpios. 2 Organizao administrativa da Unio: administrao direta e indireta. 3 Agentes pblicos:

13

espcies e classificao; poderes, deveres e prerrogativas; cargo, emprego e funo pblicos; regime jurdico nico: provimento, vacncia, remoo, redistribuio e substituio; direitos e vantagens; regime disciplinar; responsabilidade civil, criminal e administrativa. 4 Poderes administrativos: poder hierrquico; poder disciplinar; poder regulamentar; poder de polcia; uso e abuso do poder. 5 Servios pblicos: conceito, classificao, regulamentao e controle; forma, meios e requisitos; delegao: concesso, permisso, autorizao. 6 Controle e responsabilizao da administrao: controle administrativo; controle judicial; controle legislativo; responsabilidade civil do Estado. IV ADMINISTRAO PBLICA: planejamento e gesto. 1 Estruturao da mquina administrativa no Brasil desde 1930: dimenses estruturais e culturais. 2 Estrutura e estratgia organizacional. 3 Cultura organizacional. 4 Administrao pblica: do modelo racional-legal ao paradigma ps-burocrtico. 5 Empreendedorismo governamental e novas lideranas no setor pblico. 6 Convergncias e diferenas entre a gesto pblica e a gesto privada. 7 Novas tecnologias gerenciais: reengenharia e qualidade; impactos sobre a configurao das organizaes pblicas e sobre os processos de gesto. 8 Excelncia nos servios pblicos. 9 Gesto de resultados na produo de servios pblicos. 10 O paradigma do cliente na gesto pblica. 11 Gesto estratgica. 12 Tecnologia da informao, organizao e cidadania. 13 Comunicao na gesto pblica e gesto de redes organizacionais. 14 Noes de elaborao, anlise, avaliao e gerenciamento de projetos. V ADMINISTRAO FINANCEIRA E ORAMENTRIA. 1 Oramento pblico. 2 Oramento pblico no Brasil. 3 O ciclo oramentrio. 4 Oramento-programa. 5 Planejamento no oramento-programa. 6 Oramento na Constituio Federal. 7 Conceituao e classificao de receita pblica. 8 Classificao oramentria de receita pblica por categoria econmica no Brasil. 9 Classificao de gastos pblicos. 10 Tipos de crditos oramentrios. 11 Lei de Responsabilidade Fiscal Lei Complementar n. 101/2000. VI NOES DE DIREITO CIVIL. 1 Lei de Introduo ao Cdigo Civil: pessoas naturais e jurdicas, personalidade, capacidade, direitos de personalidade. 2 Propriedade: aquisio; perda da propriedade mvel ou imvel; direitos reais sobre coisas alheias. 3 Obrigaes: modalidades; efeitos; extino; inadimplemento; transmisso; contratos; obrigaes por atos ilcitos; espcies de contratos; responsabilidade civil. VII DIREITO PROCESSUAL CIVIL. 1 Jurisdio; competncia; critrios determinativos da competncia; capacidade de ser parte; capacidade de estar em juzo; capacidade postulatria do litisconsorte da assistncia, da interveno de terceiros, da nomeao autoria, da denunciao lide, do chamamento ao processo. 2 Processo e procedimento. Prazos. 3 Procedimento ordinrio e sumrio. 4 Citao; notificao; intimaes; defesa do ru; espcies de defesa; das excees; da contestao; da reconveno; da prova; nus da prova; dos recursos e suas espcies; da ao rescisria. VIII DIREITO PENAL. 1 Infrao penal: elementos, espcies. 2 Sujeito ativo e sujeito passivo da infrao penal. 3 Tipicidade, ilicitude, culpabilidade, punibilidade. 4 Erro de tipo e erro de proibio. 5 Imputabilidade penal. 6 Concurso de pessoas. 7 Crimes contra a pessoa. 8 Crimes contra o patrimnio. 9 Crimes contra a administrao pblica. 10 Crimes contra a ordem tributria (Lei n. 8.137/1990). IX DIREITO PROCESSUAL PENAL. 1 Inqurito policial; notitia criminis. 2 Ao penal: espcies. 3 Jurisdio; competncia. 4 Prova (artigos 158 a 184 do CPP). 5 Priso em flagrante. 6 Priso preventiva. 7 Priso temporria (Lei n. 7.960/1989). 8 Processos dos crimes de responsabilidade dos funcionrios pblicos. 9 Habeas corpus. X NORMAS APLICVEIS AOS SERVIDORES PBLICOS FEDERAIS. XI REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS. ANALISTA JUDICIRIO REA: JUDICIRIA: I DIREITO CONSTITUCIONAL. 1 Constituio: conceito; objeto; classificaes; supremacia da Constituio; aplicabilidade das normas constitucionais; interpretao das normas constitucionais. 2 Dos princpios fundamentais: dos direitos e garantias fundamentais; dos direitos e deveres individuais e coletivos; dos direitos polticos; dos partidos polticos. 3 Da organizao do Estado: da organizao poltico-administrativa; da Unio; dos estados federados; dos municpios; da interveno no estado, e no municpio. 4 Da administrao pblica: disposies gerais; dos servidores pblicos. 5 Da organizao dos poderes: do Poder Legislativo: processo legislativo, fiscalizao contbil, financeira e oramentria; o Tribunal de Contas da Unio; do Poder Executivo: atribuies e responsabilidades do presidente da Repblica; do Poder Judicirio: disposies gerais; o Supremo Tribunal Federal; os Tribunais Superiores, Tribunais Regionais Federais e Juzes Federais, Tribunais e Juzes Estaduais e do Distrito Federal e Territrios. As funes essenciais justia: do

14

Ministrio Pblico e da Advocacia e Defensoria Pblicas. O estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil. 6 Do controle da constitucionalidade: sistemas difuso e concentrado. 7 Do Sistema Tributrio Nacional: princpios gerais; das limitaes do poder de tributar; dos impostos da Unio, dos estados e dos municpios; da repartio das receitas tributrias. II DIREITO ADMINISTRATIVO: 1 Ato administrativo: conceito, requisitos, atributos, classificao, espcies e invalidao. 1.1 Anulao e revogao. 1.2 Prescrio. 1.3 Improbidade administrativa. 1.4 Lei n. o 8.429, de 1992. 2 Controle da administrao pblica. 2.1 Controles administrativo, legislativo e judicirio. 2.2 Domnio pblico. 2.3 Bens pblicos: classificao, administrao e utilizao. 2.4 Proteo e defesa de bens de valor artstico, esttico, histrico, turstico e paisagstico. 3 Contrato administrativo: conceito, peculiaridades, controle, formalizao, execuo e inexecuo. 3.1 Licitao: princpios, obrigatoriedade, dispensa e exigibilidade, procedimentos e modalidades. 3.2 Contratos de concesso de servios pblicos. 4 Agentes administrativos. 4.1 Investidura e exerccio da funo pblica. 4.2 Direitos e deveres dos servidores pblicos: regimes jurdicos. 4.3 Processo administrativo: conceito, princpios, fases e modalidades. 5 Poderes da administrao. 5.1 Poder vinculado, discricionrio, hierrquico, disciplinar e regulamentar. 5.2 O poder de polcia: conceito, finalidade e condies de validade. 6 Interveno do Estado na propriedade. 6.1 Desapropriao, servido administrativa, requisio, ocupao provisria e limitao administrativa. 6.2 Direito de construir e seu exerccio. 6.3 Loteamento e zoneamento. 6.4 Reversibilidade dos bens afetos ao servio. 7 Princpios bsicos da administrao. 7.1 Responsabilidade civil da administrao: evoluo doutrinria e reparao do dano. 7.2 Enriquecimento ilcito e uso e abuso de poder: sanes penais e civis. 8 Servios pblicos. 8.1 conceito, classificao, regulamentao, formas e competncia de prestao. 8.2 Concesso e autorizao dos servios pblicos. 9 Organizao administrativa: noes gerais. 9.1 Administrao direta e indireta, centralizada e descentralizada. 9.2 Agncias reguladoras. 10 Desapropriao. 10.1 Bens suscetveis de desapropriao. 10.2 Competncia para decretar desapropriao. 10.3 Desapropriao judicial por necessidade ou utilidade pblica. 10.4 Indenizao e seu conceito legal. 10.5 Caducidade da desapropriao. 10.6 Imisso na posse do imvel desapropriado. III DIREITO ELEITORAL e PARTIDRIO: 1 Cdigo Eleitoral (Lei n. o 4.737, de 1965, e respectivas atualizaes, inclusive Lei n. 9.504, de 1997) 2 Dos rgos da Justia Eleitoral. 2.1 Dos Tribunais Regionais Eleitorais. 2.2 Dos juzes eleitorais. 2.3 Das juntas eleitorais: composio e atribuies. 3 Resoluo TSE n. 21.538, de 14 de outubro de 2004, publicada no Dirio de Justia de 3 de novembro de 2003. 4 Registro de candidatos. 4.1 Elegibilidade e inelegibilidade. 4.2 Impugnao de registro de candidatos. 5 Da votao. 5.1 Atos preparatrios, incio e encerramento. 5.2 Dos lugares de votao, das sees eleitorais e das mesas receptoras. 5.3 Da polcia e da fiscalizao perante as mesas receptoras. 6 Dos partidos polticos. 6.1 Lei n.o 9.096 de 1995. 6.1 Do registro e funcionamento partidrio. 6.2 Da filiao partidria. 6.3 Das finanas e contabilidade dos partidos: prestao de contas. 6.4 Do acesso gratuito ao rdio e televiso: propaganda partidria. 7 Da apurao. 7.1 Da abertura e da contagem de votos perante as juntas eleitorais. 7.2 Das impugnaes perante as juntas eleitorais. 7.3 Da proclamao e da diplomao dos eleitos. 8 Recursos eleitorais. 8.1 Pressupostos de admissibilidade, efeitos e prazos. 8.2 Recursos perante as Juntas e Juzos Eleitorais e Tribunais Regionais. 8.3 Fiscalizao da propaganda eleitoral. 9 Ao de impugnao de mandato eletivo. 9.1 Investigao judicial eleitoral. 9.2 Recurso sobre a diplomao. 10 Crimes eleitorais. 10.1 Conceito, natureza e classificao. 10.2 Tipos previstos na legislao eleitoral. 11 Processo penal eleitoral. 11.1 Investigao criminal eleitoral. 11.2 Ao penal. 11.3 Competncia em matria criminal eleitoral. 11.4 Rito processual penal eleitoral. 11.5 Invalidao e nulidade de atos eleitorais. 11.6 Lei das Eleies (Lei n. 9.504, de 1997). IV DIREITO CIVIL. 1 Lei: vigncia; aplicao da lei no tempo e no espao; integrao e interpretao. 2 Lei de Introduo ao Cdigo Civil. 3 Pessoas naturais e jurdicas: personalidade; capacidade; direitos de personalidade. 4 Domiclio civil. 5 Bens: espcies. 6 Fatos e atos jurdicos: negcios jurdicos; requisitos; defeitos dos negcios jurdicos; modalidades dos negcios jurdicos; forma e prova dos atos jurdicos; nulidade e anulabilidade dos negcios jurdicos; atos ilcitos; abuso de direito; prescrio e decadncia. 7 Do direito de famlia: das relaes de parentesco; 8 Responsabilidade civil, inclusive por danos causados ao ambiente, ao consumidor e a bens e direitos de valor artstico, esttico, histrico e paisagstico. 9 Registros pblicos. V DIREITO PROCESSUAL CIVIL. 1 Da jurisdio: conceito; modalidades; poderes; princpios e rgos. 2 Da ao: conceito; natureza jurdica; condies;

15

classificao. 3 Competncia: conceito, competncia territorial, objetiva e funcional; modificao e conflito; conexo e continncia. 4 Processo e procedimento: natureza e princpios; formao; suspenso e extino; pressupostos processuais; tipos de procedimentos. 5 Prazos: conceito; classificao; princpios; contagem; precluso; prescrio. 6 Sujeitos do processo: das partes e dos procuradores; do juiz; do Ministrio Pblico e dos auxiliares da justia. 7 Dos atos processuais. 8 Petio inicial: conceito, requisitos. 9 Pedidos: espcies; modificao; cumulao; causa de pedir. 10 Despacho liminar: objeto; natureza; de contedo positivo; de contedo negativo. 11 Da citao. 12 Da resposta do ru: contestao; excees; reconveno; revelia. 13 Direitos indisponveis. 14 Providncias preliminares e julgamento conforme o estado do processo. 15 Antecipao de tutela. 16 Prova: conceito; modalidades; princpios gerais; objeto; nus; procedimentos. 17 Da audincia. 18 Da sentena: requisitos; publicao. 19 Da coisa julgada: conceito; limites objetivos e subjetivos; coisa julgada formal e coisa julgada material. 20 Recursos: conceito; fundamentos; princpios; classificao; pressupostos de admissibilidade; efeitos; juzo de mrito; apelao; agravo de instrumento; embargos infringentes, de divergncia e de declarao; recurso especial; recurso extraordinrio. 21 Ao rescisria. 22 Nulidades. 23 Processo de execuo: pressupostos e princpios informativos; espcies de execuo. 24 Embargos do devedor: natureza jurdica; cabimento; procedimento. 25 Embargos de terceiro: natureza jurdica; legitimidade; procedimento. 26 Execuo fiscal: da execuo contra a Fazenda Pblica. 27 Processo e ao cautelares: procedimento cautelar comum e procedimentos cautelares especficos. 28 Juizados especiais cveis (Lei n 9.099/95 e Lei n 10.259/01); procedimentos. 29 Ao civil pblica, ao popular e mandado de segurana coletivo. 30 Mandado de segurana. 31 Ao monitria. 32 Priso Civil. VI DIREITO PENAL. 1 Da aplicao da lei penal: princpios da legalidade e da anterioridade; a lei penal no tempo e no espao; o fato tpico e seus elementos; relao de causalidade; culpabilidade; supervenincia de causa independente. 2 Crime: crime consumado, tentado e impossvel; desistncia voluntria e arrependimento eficaz; arrependimento posterior; crime doloso e culposo. 3 Erro de tipo: erro de proibio; erro sobre a pessoa; coao irresistvel e obedincia hierrquica; causas excludentes da ilicitude. 4 Da imputabilidade penal: do concurso de pessoas; do concurso de crimes. 5 Das penas: espcies; cominao; aplicao; da suspenso condicional da pena; do livramento condicional; efeitos da condenao e da reabilitao; das medidas de segurana. 6 Da ao penal pblica e privada: da extino da punibilidade; da execuo das penas em espcie: das penas privativas de liberdade, das penas alternativas (Lei n 9.714/98), dos regimes, autorizaes de sada, remio e incidentes da execuo. 7 Dos crimes contra a f pblica. 8 Crimes contra a administrao pblica. 9 Crimes de imprensa. 10 Crimes de abuso de autoridade (Lei n. 4.898/65). 11 Crimes contra as finanas pblicas (Lei n. 10.028, de 19/10/2000, que alterou o Cdigo Penal). VII DIREITO PROCESSUAL PENAL. 1 Princp ios gerais: aplicao da lei processual no tempo, no espao e em relao s pessoas; sujeitos da relao processual; inqurito policial. 2 Ao penal: conceito; condies; pressupostos processuais; ao penal pblica: titularidade, condies de procedibilidade; denncia: forma e contedo, recebimento e rejeio; ao penal privada: titularidade, queixa, renncia, perdo, perempo; ao civil. 3 Jurisdio: competncia critrios de determinao e modificao; incompetncia: efeitos; das questes e processos incidentes. 4 Da prova: conceito, princpios bsicos, objeto, meios, nus, limitaes constitucionais das provas, sistemas de apreciao. 5 Do juiz, do Ministrio Pblico, do acusado, do defensor, dos assistentes e dos auxiliares da justia. 6 Da priso e da liberdade provisria. 7 Das citaes e das intimaes: forma, lugar e tempo. 8 Atos das partes, dos juzes, dos auxiliares da Justia e de terceiros. 9 Dos prazos: caractersticas, princpios e contagem. 10 Da sentena: conceito; requisitos; classificao; publicao; intimao; sentena absolutria: providncias e efeitos; sentena condenatria: fundamentao da pena e efeitos; da coisa julgada. 11 Dos Juizados Especiais Criminais (Lei n. 9.099/95 e Lei n 10.259/01). 12 Das nulidades. 13 Da reviso criminal. 14 Das excees. 15 Do habeas corpus. 16 Do processo e do julgamento dos crimes de responsabilidade dos funcionrios pblicos. 17 Do processo e do julgamento dos crimes contra a honra. 18 Interceptao telefnica (Lei n. 9.296/96). VIII NOES DE ADMINISTRAO PBLICA. 1 Princpios. 2 Descentralizao e Desconcentrao. 3 Administrao direta e indireta. IX NORMAS APLICVEIS AOS SERVIDORES PBLICOS FEDERAIS. X REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS. ANALISTA JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: ENGENHARIA

16

ELTRICA: 1 Circuitos eltricos. 2 Converso eletromecnica de energia. 3 Mquinas eltricas: transformadores e mquinas rotativas, mquina sncrona, motor de induo e mquina de corrente contnua. 4 Transmisso e distribuio de energia eltrica. 5 Anlise de sistemas eltricos: p.u., componentes simtricas, modelagem dos elementos, faltas simtricas e assimtricas. 6 Acionamentos e controles eltricos. 7 Equipamentos eltricos. 8 Eletrnica analgica e digital. 9 Eletrnica de potncia. 10 Automao predial: rede de cabeamento estruturado de dados e voz (elementos ativos na rede). 11 Telecomunicao. 12 Elaborao de projetos bsicos e fiscalizao (manuteno e obra). 13 SPDA. 14 Rede eltrica: geradores, rede estabilizada, no break , elevadores, sistemas de refrigerao, CFTV e segurana eletrnica e aterramento. ANALISTA JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: PSICOLOGIA: 1 Relaes humanas. 1.1 tica no servio pblico. 1.2 Qualidade no atendimento ao pblico. 1.3 Trabalho em equipe. 2 Redao e correspondncias oficiais. 3 tica profissional. 4 Teorias da personalidade. 5 Psicopatologia. 6 Tcnicas psicoterpicas. 7 Psicodiagnstico. 8 Psicoterapia de problemas especficos. 9 Noes de psicologia organizacional. 10 Rotao de pessoal. 11 Absentesmo. 12 Recrutamento de pessoal: fontes de recrutamento e meios de recrutamento. 13 Seleo de pessoal: planejamento, tcnicas, avaliao e controle de resultados. 14 Avaliao de desempenho: objetivos, mtodos, implantao e acompanhamento. 15 Anlise de cargos: objetivos e mtodos. 16 Treinamento: levantamento de necessidades, planejamento, execuo e avaliao. 17 O papel do psiclogo na equipe de cuidados bsicos sade. TCNICO JUDICIRIO REA: ADMINISTRATIVA: I NOES DE DIREITO CONSTITUCIONAL. 1 Direitos e deveres fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos; direito vida, liberdade, igualdade, segurana e propriedade; direitos sociais; nacionalidade; cidadania e direitos polticos; partidos polticos; garantias constitucionais individuais; garantias dos direitos coletivos, sociais e polticos. 2 Poder Legislativo: fundamento, atribuies e garantias de independncia. 3 Poder Executivo: forma e sistema de governo; chefia de Estado e chefia de governo; atribuies e responsabilidades do presidente da Repblica. 4 Ordem social: base e objetivos da ordem social; seguridade social; educao, cultura e desporto; cincia e tecnologia; comunicao social; meio ambiente; famlia, criana, adolescente e idoso. II DIREITO ELEITORAL. 1 Cdigo Eleitoral (Lei n. o 4.737, de 1965, e respectivas atualizaes, inclusive Lei n. 9.504, de 1997). 2 Dos rgos da Justia Eleitoral. 2.1 Dos Tribunais Regionais Eleitorais. 2.2 Dos juzes eleitorais. 2.3 Das juntas eleitorais: composio e atribuies. 3 Resoluo TSE n. 21.538, de 14 de outubro de 2003, publicada no Dirio da Justia, de 3 de novembro de 2003. III DIREITO ADMINISTRATIVO. 1 Estado, governo e administrao pblica: conceitos, elementos, poderes e organizao; natureza, fins e princpios. 2 Organizao administrativa da Unio: administrao direta e indireta. 3 Agentes pblicos: espcies e classificao; poderes, deveres e prerrogativas; cargo, emprego e funo pblicos; regime jurdico nico: provimento, vacncia, remoo, redistribuio e substituio; direitos e vantagens; regime disciplinar; responsabilidade civil, criminal e administrativa. 4 Poderes administrativos: poder hierrquico; poder disciplinar; poder regulamentar; poder de polcia; uso e abuso do poder. 5 Servios pblicos: conceito, classificao, regulamentao e controle; forma, meios e requisitos; delegao: concesso, permisso, autorizao. 6 Controle e responsabilizao da administrao: controle administrativo; controle judicial; controle legislativo; responsabilidade civil do Estado. IV NORMAS APLICVEIS AOS SERVIDORES PBLICOS FEDERAIS. V REGIMENTO INTERNO DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE GOIS. TCNICO JUDICIRIO REA: SERVIOS GERAIS ESPECIALIDADE: ELETRICIDADE E TELECOMUNICAES: 1 Potncias em circuitos monofsicos no regime alternado: potncia no circuito RLC; correo do fator de potncia. 2 Circuitos trifsicos: tipos de ligao; tipos de cargas; noes de componentes simtricos; potncia trifsic a; correo do fator de potncia. 3 Medidas eltricas: medies de potncia em circuitos monofsicos e trifsicos. 4 Tiristores UJT, SCR, DIAC, TRIAC, PUT. 5 Dispositivos opto-eletrnicos. 6 Transformadores: partes principais; princpios de funcionamento; acessrios; tipos de testes; manuteno; tipos e caractersticas de ligaes; transformadores para instrumentos; auto-transformadores. 7 Instrumentao e controle de

17

processos: introduo a sistemas de controles e automao; sensores digitais e analgicos; transdutores; sistemas de controles analgicos com realimentao; controladores lgico-programveis; sistema digital de controle distribudo. 8 Sistemas eltricos de potncia: sistema de energia eltrica; gerao, transmisso e distribuio de energia eltrica; perturbaes no sistema; aparelhos de comando e proteo; equipamentos e acessrios; projeto de redes urbanas; manuteno de rede eltrica predial. 9 Eletrnica digital. 10 Princpios de comunicao digital e ptica. 11 Princpios de transmisso e comutao digital. 12 Princpios de comunicao de dados. 13 Cabeamento estruturado (dados/voz). 14 Automao predial. 15 Noes de redes de computadores, protocolos de comunicao e bancos de dados. 16 Manuteno de linhas de udio coletivas, de sistemas de antena coletiva e de sistemas de som ambiente. 17 Operao de mesa de som e equipamentos de projeo de imagem. TCNICO JUDICIRIO REA: APOIO ESPECIALIZADO ESPECIALIDADE: OPERAO DE COMPUTADORES : 1 Instalao e customizao do sistema operacional Windows XP e 2000 Professional. 2 Computadores padro IBM PC, baseados em processador Pentium III ou IV: conceitos; etapas de processamento; arquitetura, componentes, caractersticas e funcionamento. 3 Instalao, configurao e suporte em: Antivrus Trend - Office Scan, Microsoft Office 97 e 2000, Navegador Microsoft - Internet Explorer e Correio Eletrnico, Outlook Express. 4 Instalao e configurao de impressora local em rede. 5 Configurao de placa de rede em estao de trabalho Windows NT, XP e 2000 Professional, utilizando protocolo TCP/IP. 6 Criao de imagem de pacote de software. 7 Suporte a clientes. 8 Instalao e estruturao de diretrios em sistemas operacionais UNIX, LINUX, Windows NT, 2000 e XP. 9 Atribuio de permisses em pastas e arquivos. 10 Cadastramento de usurios em servidores NT e 2000. 11 Realizao de cpia de segurana de arquivos em CD e servidores em rede. 12 Noes de rede de dados: topologia de redes; Redes LAN/WAN; Modelo OSI; configurao de rede de dados; funcionamento de cabeamento estruturado. 13 Noes bsicas em eletrnica. 14 Manuteno corretiva e preventiva de equipamentos de informtica (Hardware em geral: Microcomputadores, impressoras, monitores e estabilizadores).

DESEMBARGADOR JOS LENAR DE MELO BANDEIRA Presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Gois

18

ANEXO I

SEQNCIA ZONA ELEITORAL 1 136-GOINIA 2 147-GOINIA 3 002-GOINIA 4 019-LUZINIA 5 001-GOINIA 6 133-GOINIA 7 145-APARECIDA DE GOINIA 8 135-GOINIA 9 127-GOINIA

10 011-FORMOSA 11 146-GOINIA 12 132-APARECIDA DE GOINIA 13 119-APARECIDA DE GOINIA 14 018-JATA 15 141-ANPOLIS 16 049-TRINDADE 17 134-GOINIA 18 008-CATALO 19 140-RIO VERDE 20 003-ANPOLIS 21 144-ANPOLIS 22 028-GUAS LINDAS 23 033-VALPARASO 24 137-ANPOLIS 25 044-PLANALTINA 26 074-GOIANSIA 27 030-RIO VERDE 28 126-GOINIA 29 007-CALDAS NOVAS 30 016-ITUMBIARA 31 004-NOVO GAMA 32 013-INHUMAS 33 066-SANTA HELENA DE GOIS 34 021-MINEIROS 35 050-URUAU 36 046-QUIRINPOLIS 37 055-PORANGATU 38 029-POSSE 39 024-SANTO ANTNIO DO DESCOBERTO 40 017-JARAGU 41 041-NIQUELNDIA 42 138-ITUMBIARA

19

43 022-MORRINHOS 44 130-MINAU 45 053-IPOR

SEQUNCIA ZONA ELEITORAL 46 110-MOZARLNDIA 47 139-LUZINIA 48 012-GOIS 49 085-CRIXS 50 045-PONTALINA 51 038-GOIATUBA 52 072-CERES 53 015-ITABERA 54 036-CRISTALINA 55 101-GOIANIRA 56 123-ALVORADA DO NORTE 57 077-ITAPURANGA 58 095-JUSSARA 59 020-PALMEIRAS DE GOIS 60 094-SO MIGUEL DO ARAGUAIA 61 054-NERPOLIS 62 014-IPAMERI 63 039-ITAPACI 64 080-SO LUS DE MONTES BELOS 65 034-ANICUNS 66 035-ARAGARAS 67 027-PIRES DO RIO 68 056-GUAP 69 006-CAIAPNIA 70 105-CAMPOS BELOS 71 025-PIRACANJUBA 72 076-RUBIATABA 73 026-PIRENPOLIS 74 128-ACRENA 75 009-CORUMB DE GOIS 76 087-ALEXNIA 77 083-PARANAIGUARA 78 131-PADRE BERNARDO 79 106-CAU 80 032-BELA VISTA DE GOIS 81 031-SILVNIA 82 089-GOIANPOLIS 83 112-RIALMA 84 084-JANDAIA 85 124-BOM JESUS 86 125-FORMOSO

20

87 047-SO DOMINGOS 88 102-PIRANHAS 89 062-HIDROLANDIA 90 058-URUANA 91 109-ITAPIRAPUA 92 088-MARA ROSA

SEQUNCIA ZONA ELEITORAL 93 120-ISRAELNDIA 94 067-LEOPOLDO DE BULHES 95 023-ORIZONA 96 061-VIANPOLIS 97 113-SANCLERLNDIA 98 068-EDIA 99 065-PETROLINA DE GOIS 100 064-NAZRIO 101 043-PARANA 102 143-ALTO PARASO 103 090-ABADINIA 104 005-BURITI ALEGRE 105 099-CAVALCANTE 106 079-FAZENDA NOVA 107 100-CARMO DO RIO VERDE 108 096-ITAJ 109 063-FIRMINPOLIS 110 115-TURVNIA 111 093-JOVINIA 112 051-SANTA CRUZ DE GOIAS 113 057-ITAUU 114 097-CACHOEIRA ALTA 115 010-CORUMBABA 116 114-TAQUARAL DE GOIS 117 103-ARAU 118 118-ESTRELA DO NORTE 119 037-GOIANDIRA 120 059-AURILNDIA 121 086-ITAGUARU 122 121-IVOLNDIA 123 142-BARRO ALTO 124 082-MOSSAMEDES 125 052-CUMARI 126 098-VARJO 127 060-URUTA 128 091-PANAM

21

ANEXO II

Endereos das agncias da CAIXA onde sero recebidas as inscries ao concurso pblico para provimento de vagas e formao de cadastro de reserva nos cargos de Analista Judicirio e de Tcnico Judicirio do Tribunal Regional Eleitoral de Gois TRE/GO.

UF CIDADE AGNCIAS ENDEREOS GO Aparecida de Goinia Buriti Shopping Avenida Rio Verde, quadra 102/104 Vila So Tomaz GO Catalo Catalo Avenida Vinte de Agosto, n. 1.858 Setor Central GO Formosa Formosa Praa da Imaculada Conceio, n. 88 Centro GO Goinia 24 de Outubro Avenida Vinte e Quatro de Outubro, n. 1.452 Setor CampinasGO Goinia Anhanguera Avenida Anhanguera, n. 5.829 Setor Central GO Goinia Centro Administrativo Rua 82, s/n., Centro Administrativo Setor Central GO Goinia Coimbra Avenida Castelo Branco, n. 1.568 Setor Coimbra GO Goinia Marista Rua 0085, n. 2.481, quadra 231, lotes 22 a 24 Setor Marista

GO Goinia Pedro Ludovico Avenida Primeira Radial, quadra 58, lote 5 Setor Pedro Ludovico

GO Goinia Repblica do Lbano Avenida Repblica do Lbano, n. 1.991 Setor Oeste GO Goinia T-9 Avenida T-9, n. 2.439, quadra 529, lote 1 Jardim Amrica GO Goinia Vila Nova Avenida Quinta Avenida, n. 1.010 Setor Leste Vila Nova GO Luzinia Luzinia Praa Evangelino Meireles, n. 85 Centro GO Porangatu Porangatu Rua 8, quadra 23, lote 4 Centro

GO Rio Verde Rio Verde Rua Coronel Vaiano, esquina com Major Oscar Campo Setor Central

GO Valparaso de Gois Valparaso Quadra 1, Valparaso Shopping Parque Esplanada III