15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor ©
15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor ©
15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor ©
15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor ©

15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor ©

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 15 OURUBRO DIA DOS PROFESSORES - EFM - Not­ .DIA DOS PROFESSORES Ser professor Ser professor...

  • EDIO: 02

    OUTUBRO

    2012

    JORNAL DO COLGIO ESTADUAL PARIGOT DE SOUZA

    ENSINO FUNDAMENTAL E MDIO

    01

    BANCO DO BRASIL

    Bom para

    todos

    O Jornalismo , antes de tudo e sobretudo,

    a prtica diria da inteligncia e o exerccio

    cotidiano do carter. (Cludio Abramo)

    15 OURUBRO

    DIA DOS PROFESSORES

    Ser professor Ser professor professar a f e a certeza de

    que tudo ser valido a penas se o aluno sentir-se feliz

    pelo que aprendeu com voc e pelo que ele lhe ensinou...

    Ser professor consumir horas e horas pensando

    em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo

    todos os dias, a cada dia nica e original...

    Ser professor entrar cansado numa sala de aula e,

    diante da reao da turma, transformar o cansao

    numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender...

    Ser professor importar-se com o outro numa

    dimenso de quem cultiva uma planta muito rara que

    necessita de ateno, amor e cuidado.

    Ser professor ter a capacidade de " sair de cena,

    sem sair do espetculo".

    Ser professor apontar caminhos, mas deixar que

    o aluno caminhe com seus prprios ps...

    Esta a homenagem do JORNAL DO

    CEPS a todos os professores

    15 de Outubro - Hoje o seu dia!

    Penso que esta a oportunidade ideal para agradecer por

    tudo aquilo que o voc faz por mim, por tudo o que me ensi-

    na em aula e, tambm, por tudo de bom que a sua postura

    sria, honesta e tica sugere a mim e a todos os meus cole-

    gas de classe.

    Acredito que a sua vida seja bastante complicada, com tan-

    tas coisas a ensinar, com tantas provas a corrigir, com toda

    a preocupao em saber se os seus ensinamentos foram

    assimilados... creio que sejam poucas as profisses que exi-

    jam tanto de algum como o magistrio, pois a sua tarefa

    no termina quando o sinal sonoro indica o fim da aula, e

    isso torna a sua funo um verdadeiro sacerdcio, no ?

    Sei que s vezes no sabemos reconhecer o seu esforo e a

    sua dedicao e, assim, peo-lhe desculpas em meu nome e

    em nome de meus colegas tambm. No por mal, acredi-

    te! Mas, este dia me parece uma boa oportunidade para que

    todos ns faamos uma promessa para nos comportarmos

    melhor durante as aulas, para sermos mais atentos, e para

    retribuirmos a sua dedicao com a nossa dedicao.

    A gente ouve dizer que a vida do professor muito sacrifi-

    cada: muito trabalho, muito estresse, pouco respeito e pou-

    co dinheiro... No entanto, quero que esta cartinha toque o

    seu corao e a sua mente como uma luzinha no fim do

    tnel, como uma renovao desta sua esperana latente de

    que, um dia, finalmente, o mundo saber reconhecer o va-

    lor das suas palavras, da sua abnegada dedicao, do seu

    rduo, nobre e sagrado trabalho. Eu j estou fazendo isso,

    acredite!

    Imag

    em i

    nte

    rnet

    Imag

    em i

    nte

    rnet

    Imag

    em i

    nte

    rnet

    Imag

    em i

    nte

    rnet

    http://www.mensagensdecarinho.com.br/dia_dos_professores/ser_professor_e_1635.htmlhttp://www.mensagensdecarinho.com.br/dia_dos_professores/15_de_outubro__hoje_e_o_seu_dia_1646.htmlhttp://www.mensagensdecarinho.com.br/dia_dos_professores/15_de_outubro__hoje_e_o_seu_dia_1646.html

  • H pouco tempo atrs , alguns supermercados

    tiveram que diminuir distribui-

    o de sacolas plsticas e quem

    precisasse da sacolinha teria

    que desembolsar cerca de 20

    centavos por cada unidade.

    Diante da situao, muitos tive-

    ram que improvisar alternativas

    como caixas de papelo , saco-

    las retornveis ou ecolgicas.

    Esta deciso desper-

    tou a opinio pblica: muitos

    apoiaram a iniciativa que dimi-

    nuiria o consumo de plstico na

    cidades e que conscientizaria a

    populao, j quem era contra

    no queria pagara alguns centa-

    vos para adquirir sacolinhas

    biodegradveis e queria receber

    de graa.

    A polemica foi tanta

    que os supermercados tiveram

    que atender aas reclamaes e

    voltar a distribuir as sacolinhas

    gratuitamente.

    Diante do acontecido,

    no se pode negar que o plsti-

    co tornou-se uma praga da

    atualidade. As sacolas plsticas

    so personagens de peso desse

    quadro. Somente no Brasil, um

    milho de sacolas plsticas so

    distribudos por ms nos super-

    mercados. Isso significa 33

    milhes por dia ou 12 bilhes

    por ano, o qual equivale a um

    consumo familiar mdio de 40 quilos de

    plsticos por ano, ou 66 sacolinhas para

    cada brasileiro ao ms.

    Devemos encontrar uma soluo

    para mais este problema que atinge o mio

    ambiente. A FUNVERDE iniciou em 2005,

    uma pesquisa procura de uma tecnologia

    emergencial para a degradao dos plsticos

    e encontrou os plsticos biodegradveis e

    oxido-biodegradvel.

    Uma soluo bastante interessante

    seria o uso de um tipo de plstico desenvol-

    vido pela RES Brasil (fabricante de plsti-

    cos biodegradveis) o plstico hidrossol-

    vel, base de lcool polivinlico que se

    desmancha em contato com a gua sem

    deixar resduos txicos ou nocivos, ajudan-

    do a preservar o meio ambiente.

    Luana Sokoloski

    A POLMICA DAS SACOLINHA

    02

    EDUCAO PARA JOVENS E ADULTOS.

    A educao para jovens e adultos (EJA) foi elaborada para o ensino fundamental e mdio , destinada aos jovens e adultos que no tiveram acesso ou no concluram os estudos por algum motivo. Mas apesar de ser um projeto admirvel e que abre novos caminhos para

    essas pessoas, o que preocupa o grande nmero de adolescentes que fazem parte desse projeto .

    Vejamos:

    Quase 20% dos matriculados tm de 15 a 17 anos , numero que no tem variado nos ltimos anos e que chama a ateno de o

    porque esses adolescentes esto frequentando o EJA em vez de estar na Educao Regular.

    H trs grandes motivos que fazem com que muitos alunos desistam de estudar ou deixam a escola por algum tempo. Exemplo:

    Muitos alunos enfrentam problema como a explorao , uso de drogas , violncia , entre alunos , isso faz com que no tenham a educao como prioridade, o que os faz abandonarem a escola e se voltarem anos depois s os restar o EJA.

    A necessidade de trabalhar faz com que muitos alunos abandonem os estudos antes de conclui-lo e por no conseguirem conciliar os estudos com o trabalho, mudam para as turmas do EJA, principalmente por serem no perodo noturno.

    Outro fator a gravidez precoce, que afasta muitos alunos da sala de aula para cuidar dos filhos, e quando conseguem retornar escola vo para o EJA , por conclurem o curso em menor tempo. Segundo a Fundao Perseu Abramo, 20% dos meninos que larga-

    ram os estudos tiveram o primeiro filho antes dos 18 anos , e entre as meninas , esse percentual vai para os 50%.

    Tairine Garcia

    A cultura da Regio Sul do

    brasil fortemente influenciada pela cultura

    dos imigrantes europeus, a regio Sul do Bra-

    sil apresenta grande pluralidade cultural. Os

    estados integrantes so: Rio Grande do Sul,

    Paran, Santa Catarina. Os emigrantes euro-

    peus comearam a chegar ao fim do sculo

    XIX e contriburam para o desenvolvimento

    econmico da regio, baseado na pequena

    propriedade rural de policultura. Essa regio

    apresenta elementos culturais dos ndios

    Cultura da regio sul do Brasil

    ( primeiros ocupantes do territrio), espanhis

    e portugueses( colonizadores), negros ( escra-

    vos). Posteriormente, os imigrantes alemes,

    italianos, aorianos, eslavos, japoneses, entre

    outros, contriburam para a diversidade cultural

    do Sul do Brasil.

    Entre as manifestaes populares

    desta regio falaremos a do nosso estado o

    Paran. No Paran apresenta aspectos dos imi-

    grantes alemes, italianos, poloneses , ucrania-

    nos, holandeses, etc. a cultura do estado.

    Eles influenciaram fortemente

    As principais festas culturais do Paran

    so: cavalhada, congada, danas, festa

    da cerejeira, festa do Divino, festa de

    So Benedito, entre outras.

    Um dos pratos tpicos do Para-

    n o barreado, um cozido de carne,

    pratos caboclo tpico do litoral. Ele

    preparado com carne bovina, toucinho e

    temperos.

    Paulo Terezio

    Voc sabia???

    Que a maioria dos batons possuem

    em sua composio escamas de peixe.

    Voc sabia???

    Que seu polegar do tamanho do seu

    nariz. (todos foram verificar se verdade)

    Voc sabia???

    Que 16% das mulheres nascem loira.

    33% das mulheres so loira

    Imagem internet

    A prova

    mais clara

    de sabedo-

    ria uma

    alegria

    constante

    (Madre

    Tereza Cal-

    cut)

  • 03

    Rua 7 de setembro, s/n Centro Tel(4298018252/99696570

    Aqui est o melhor em cursos de Incio Martins

    GRAVIDEZ NA ADOLESCCIA: UM DRAMA REAL

    A gravidez na adolescncia tem sido apontada como u problema de sade pblica.