180º CONCURSO DE INGRESSO NA MAGISTRATURA

Embed Size (px)

Text of 180º CONCURSO DE INGRESSO NA MAGISTRATURA

180 CONCURSO DE INGRESSO NA MAGISTRATURA PROVA DE SELEO Direito Civil 01. No que se refere ao negcio jurdico: I. sua validade requer agente capaz, objeto lcito e forma prescrita em lei; II. a incapacidade relativa de uma das partes pode ser invocada pela outra em seu prprio benefcio, na defesa de seu direito; III. a invocao da incapacidade relativa de uma das partes no aproveita aos interessados capazes, salvo se, neste caso, por divisvel o objeto do direito ou da obrigao comum; IV. a manifestao da vontade imprescindvel ao negcio jurdico. Aponte as assertivas incorretas. (A) I e II, somente. (B) III e IV, somente. (C) I, II e III, somente. (D) II e III, somente. 02. Nas obrigaes de coisa certa, incorreto afirmar que (A) culpado o devedor, poder o credor exigir o equivalente, ou aceitar a coisa no estado em que se encontra. (B) deteriorada a coisa, sendo culpado o devedor, poder o credor resolver a obrigao, aceitando-a, mas sem abatimento de seu preo, arcando com o valor que perdeu. (C) responsvel o devedor pela danificao da coisa, mas sem destruio total, ter o credor o direito de reclamar indenizao por perdas e danos. (D) tendo o devedor deteriorado a coisa, poder o credor desistir do negcio e receber a devoluo do valor equivalente ao bem no estado em que recebeu.

03. Quando da formao do contrato, I. deixa de ser obrigatria a proposta se, feita sem prazo pessoa presente, no foi imediatamente aceita; II. os contratos entre ausentes deixam de ser perfeitos se, antes da aceitao, ou com ela, chegar ao proponente a retratao do aceitante; III. os contratos entre ausentes tornam-se perfeitos desde que a aceitao expedida, mesmo se o proponente no houver se comprometido a esperar a resposta; IV. a proposta obrigatria quando, feita com prazo pessoa ausente, tiver decorrido tempo suficiente para chegar a resposta ao conhecimento do proponente. So verdadeiras as afirmativas (A) I e II, somente. (B) III e IV, somente. (C) I, II e III, somente. (D) II e III, somente. 04. Quanto ao enriquecimento sem causa, assinale a opo apropriada. (A) A restituio cabvel. (B) Seu nexo de causalidade consiste essencialmente no efetivo enriquecimento de algum e na efetiva diminuio do patrimnio de outrem, independentemente de resultarem de um s fato. (C) A restituio devida mesmo quando sua causa justificadora deixou de existir. (D) A causa jurdica requisito essencial. 05. No que concerne responsabilidade civil, incorreto afirmar que (A) o deficiente mental total responde pelos prejuzos que causou, na falta de obrigao ou de meios de seus responsveis.

(B) a pessoa, agindo em estado de necessidade, tem o dever de indenizar terceiro prejudicado que no deu causa situao de perigo. (C) as empresas respondem objetivamente pelos danos causados pelos produtos postos em circulao. (D) o estabelecimento bancrio no responsvel pelo pagamento do cheque falso, ressalvada a culpa exclusiva do correntista. 06. Em relao ao usucapio e perda da propriedade, pode-se afirmar que I.so ttulos justos a embasar o usucapio ordinrio a escritura por instrumento particular, a escritura pblica, o compromisso de compra e venda, a cesso de direitos hereditrios e a sucesso em si mesma; II.no usucapio rural, tem legitimidade para usucapir a pessoa fsica, nata ou naturalizada, o estrangeiro aqui residente e a pessoa jurdica aqui sediada; III.o imvel situado na zona rural que o proprietrio abandonar com a inteno de no mais conservar em seu patrimnio, e que no se encontra na posse de outrem, poder ser arrecadado como bem vago; IV.na servido, o princpio consistente em serem os prdios vizinhos comporta restries. Esto corretas apenas as afirmaes (A) I e II. (B) III e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 07. nulo o casamento contrado

(A) pelo interditado mentalmente enfermo que no possui o necessrio discernimento para os atos da vida civil. (B) pelo adotante com quem foi cnjuge do adotado e pelo adotado com quem o foi do adotante. (C) pelo cnjuge sobrevivente com o condenado por homicdio culposo contra o seu prprio consorte. (D) entre irmos unilaterais ou bilaterais, e os demais colaterais, at o terceiro grau, inclusive. 08. No que toca ao regime de bens entre os cnjuges, aponte a assertiva vlida. (A) Qualquer que seja o regime de bens, nenhum dos cnjuges, sem autorizao do outro, pode pleitear ou gravar de nus real os bens imveis. (B) As aes fundadas nos incisos III, IV e V do art. 1.642 do Cdigo Civil competem ao cnjuge prejudicado. (C) nos casos dos incisos III e IV do artigo 1.642, o terceiro, prejudicado com a sentena favorvel ao autor, no ter regressivo contra o cnjuge que realizou o negcio jurdico ou seus herdeiros. (D) no regime de separao absoluta de bens, no pode o cnjuge demandar a resciso de fiana realizada pelo outro cnjuge com infrao do disposto nos incisos III e IV, do art. 1.647 do Cdigo Civil. 09. Em relao aos alimentos: I. no cumprimento da obrigao alimentar pelos parentes, a solidariedade relativa; II. o direito aos alimentos personalssimo, imprescritvel e intransmissvel; III. os alimentos so irrepetveis e irrenunciveis; IV. tm os parentes, cnjuges ou companheiros, o dever de sustentar uns aos outros quando necessrio.

So verdadeiras apenas as proposies (A) I e II. (B) II e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 10. Considere as afirmaes a seguir, tendo em vista o reconhecimento da unio estvel nas seguintes situaes: I. no se constituir, se a pessoa casada se achar separada de fato; II. deixar de se caracterizar em relao ao divorciado, enquanto no houver sido homologada ou decidida a partilha dos bens do casal; III. pode ser considerada a unio estvel entre o homem e a mulher como entidade familiar; IV. aplica-se sempre s relaes patrimoniais, no que couber, o regime da comunho parcial de bens. So incorretas apenas as afirmaes (A) I e II. (B) II e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 11. A propsito do direito sucessrio, pode-se dizer que I. a companheira ter direito metade da herana da sucesso do outro, quanto aos bens adquiridos onerosamente, na vigncia da unio estvel, se concorrer com outros parentes sucessveis;

II. se concorrer com descendentes s da autora da herana, o companheiro participar da sucesso da outra, quanto aos bens adquiridos onerosamente na vigncia da unio estvel, e da metade do que couber a cada um deles; III. o direito sucesso aberta, bem como o quinho de que disponha o co-herdeiro, pode ser objeto de cesso por escritura pblica; IV. eficaz a cesso por escritura pblica, pelo co-herdeiro, de seu direito hereditrio sobre qualquer bem da herana considerado singularmente. Interpretando as assertivas apresentadas, consideram-se verdadeiras somente (A) I e II. (B) II e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 12. Analise as sentenas a seguir, relativas s disposies inseridas no Cdigo de Defesa do Consumidor: I. quando expressamente contratadas, so cumulveis comisso de permanncia e correo monetria; II. no fornecimento de produtos ou servios que envolvam outorga de crdito ou concesso de financiamento de multas decorrentes do inadimplemento, estas no podem ser superiores a 3% (trs por cento) do valor da prestao; III. so cumulveis os juros bancrios nunca superiores a 12% ao ano, mais a correo monetria; IV. so cumulveis os juros bancrios, a correo monetria e a multa pela mora, inferior ao percentual de 10%. So corretas apenas as sentenas

(A) I e II. (B) III e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 13. No Registro de Imveis, alm da matrcula, sero registrados I. os contratos de promessa de compra e venda, das cesses e das promessas de cesso a que alude o Decreto-lei n.o 58, de 10 de dezembro de 1937, quando o loteamento se tiver formalizado anteriormente vigncia dessa lei; II. as sentenas de separao judicial, de divrcio e de nulidade ou anulao de casamento quando, nas respectivas partilhas, existem imveis ou direitos reais sujeitos a registro; III. os contratos de compromisso de compra e venda, de cesso deste e de promessa de cesso, com ou sem clusula de arrependimento, que tenham por objeto imveis no loteados e cujo preo tenha sido pago no ato de sua celebrao, ou deva s-lo a prazo, de uma s vez ou em prestaes; IV. as sentenas que nos inventrios, arrolamentos e partilhas adjudicarem bens de raiz em pagamento das dvidas da herana. As opes assertivas adequadas so apenas (A) I e II. (B) III e IV. (C) I, II e III. (D) II e III. 14. Assinale a assertiva correta.

(A) Aos empresrios concedido o prazo de dois anos para se adaptarem s disposies do Cdigo Civil/2002, a partir de sua vigncia. (B) Nos aforamentos a que se refere o art. 2.038 do Cdigo Civil/2002, no permitida a constituio de enfiteuse. (C) A hipoteca legal dos bens do tutor ou curador, inscrita em conformidade com o inciso IV do art. 827 do Cdigo Civil/1916, no poder ser cancelada, obedecido o disposto no pargrafo nico do art. 1.745 do Cdigo Civil/2002. (D) Aplica-se o disposto no caput do art. 1.848 do Cdigo Civil/2002, quando aberta a sucesso no prazo de dois anos aps a sua entrada em vigor, ainda que o testamento tenha sido feito na vigncia do Cdigo Civil/1916. Direito Processual Civil 15. Para propor ou contestar ao, necessrio ter interesse e legitimidade. Diante dessa proposio, assinale a alternativa correta. (A) A parte legitimada para a causa est tambm para o processo. (B) A legitimao para o exerccio do direito de ao depende da efetiva existncia e comprovao do direito material. (C) No tem legitimidade o cnjuge separado judicialmente para pretender o suprimento judicial do outro. (D) A contestao o momento processual para a argio de carncia da ao por falta de interesse e legitimidade, sob pena de precluso. 16. Assinale a alternativa incorreta. (A) A violao de segredo de justia, na ao de alimentos ajuizada em face de pai adulterino, tem repercusso processual capaz de gerar a nulidade dos atos ali praticados. (B) Os atos das partes, consistentes em declaraes unilaterais ou bilaterais de vontade, produzem imediatamente a constituio, a modificao ou