of 15 /15

1830 leia algumas paginas

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of 1830 leia algumas paginas

  • Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 1 19/11/2015 15:46:49

  • SOBRE A AUTORA

    DUDA NOGUEIRA Professora de Lngua Portuguesa Gramtica e Interpretao de Texto para concursos

    pblicos, ps-graduada em Lingustica e graduada em Letras. Coordenadora na Editora JusPodivm, autora de vrios livros, incluindo Colees Tribunais e MPU, Revisao e Sinopses para carreiras fi scais. Professora no curso EuVouPassar Recife/PE. Site www.portuguescomdudanogueira.com.br. Grupo de estudos no Facebook Duda Nogueira Lngua Portuguesa para concursos. Twitter @DudaProfe. Instagram @dudanog18. Contato [email protected]

    LIVROS PUBLICADOS

    3 Revisao Lngua Portuguesa3 Interpretao de textos para concursos3 Lngua Portuguesa para concursos da FGV3 Questes Comentadas de Lngua Portuguesa para Analista e Tcnico3 Portugus Coleo sinopses (carreiras fi scais) 3 Coleo REVISAO captulos de Lngua Portuguesa:

    TRTReceita FederalICMSISSMPETRF e TREINSSPolcia Rodoviria FederalDPUAuditor Fiscal do TrabalhoAgente PenitencirioMPUDelegado de Polcia Civil

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 5 19/11/2015 15:46:49

  • 6 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    Procuradoria do MunicpioTJ SPTJ RJAnalista Judicirio rea JudiciriaAnalista Judicirio rea AdministrativaTcnico JudicirioTribunal de ContasESAF V2Investigador, Escrivo, Agente e Inspetor de Polcia CivilSoldadoBancosDicas TJ Bahia

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 6 19/11/2015 15:46:49

  • APRESENTAO

    Uma pequena sntese para que voc, leitor-concursando, comece a se sentir em casa. A obra contempla todo o contedo terico exigido pela banca CESPE. Siga a ordem do livro, pois o entendimento de um tpico depende, sempre, de outro. H, ainda, questes com gabarito para a aplicao da teoria.

    Acredite: possvel aprender portugus e acertar as questes. exercitando que voc fi car apto.

    Decifrando editais CESPE:

    PARTES TPICOS NOS EDITAISQUESTES para treino

    I. FONOLOGIA

    Acentuao Emprego da acentuao grfi ca 5

    Ortografi a Domnio da ortografi a ofi cial; emprego

    das letras5

    II. MORFOLOGIA

    Pronome e colocao

    pronominal

    Domnio da estrutura morfossinttica do perodo; colocao dos pronomes

    tonos5

    Verbo Emprego/correlao de tempos e

    modos verbais 5

    III. SINTAXE

    Anlise sinttica

    Domnio da estrutura morfossinttica do perodo

    10

    Perodo composto e conjuno

    Substituio e repetio de conectores; relaes de coordenao entre oraes e entre termos da orao; relaes de subordinao entre oraes e entre

    termos da orao

    5

    Concordncia Concordncia verbal e nominal 5

    Regncia Domnio da estrutura morfossinttica

    do perodo5

    Crase Emprego do sinal indicativo de crase 5

    Pontuao Emprego dos sinais de pontuao 5

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 7 19/11/2015 15:46:49

  • 8 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    PARTES TPICOS NOS EDITAISQUESTES para treino

    IV. COESO e COERNCIA

    Coeso e coerncia

    Reescritura de frases

    Domnio dos mecanismos de coeso textual; emprego de elementos de

    referenciao, substituio e repetio, de conectores e outros elementos

    de sequenciao textual; reescritura de frases e pargrafos do texto;

    substituio de palavras ou de trechos de texto; retextualizao de diferentes

    gneros e nveis de formalidade

    15

    V. INTERPRETAOInterpretao

    de texto

    Compreenso e interpretao de textos de gneros variados; reconhecimento

    de tipos e gneros textuais25

    VI. REDAO OFICIAL Redao oficial

    Correspondncia oficial (conforme Manual de Redao da Presidncia da Repblica); adequao da linguagem ao tipo de documento; adequao do

    formato do texto ao gnero

    5

    TOTAL DE QUESTES 100

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 8 19/11/2015 15:46:49

  • Captulo 1

    TERMOS ESSENCIAIS DA ORAO

    1. INTRODUOSintaxe o cerne da lngua portuguesa, o mago do estudo para todas as provas de

    concursos pblicos.

    As questes de concursos foram inseridas no fi nal da teoria de termos acessrios da orao.

    CONCORDNCIA REGNCIA PONTUAOPERODO COMPOSTOPERODO SIMPLES

    SINTAXE

    Para fazer a anlise, precisa-se da morfologia substantivo, adjetivo, pronome, verbo e outras classes gramaticais. Para entender os tpicos nela contidos, necessrio seguir o passo a passo. Asseguro: desta vez voc aprende portugus.

    2. DEFINIO

    A Sintaxe a parte da gramtica que estuda a disposio das palavras na frase e a das frases no discurso, bem como a relao lgica das frases entre si. Ao emitir uma mensagem

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 131 19/11/2015 15:47:02

  • 132 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    verbal, o emissor procura transmitir um signifi cado completo e compreensvel. Para isso, as palavras so relacionadas e combinadas entre si. A sintaxe um instrumento essencial para o manuseio satisfatrio das mltiplas possibilidades que existem para combinar pa-lavras e oraes.

    3. SINTAXE DE ORAO TERMOS ESSENCIAIS

    3.1 Frase, orao e perodo

    3.1.1 Frase

    Frase todo enunciado de sentido completo, podendo ser formada por uma s pa-lavra ou por vrias, podendo ter verbos ou no. Pode exprimir: ideias, emoes, ordens ou apelos.

    3.1.1.1 Tipos de frase

    InterrogativasUma pergunta feita e se deseja obt-er alguma informao. A interrogao pode ser direta ou indireta.

    Voc estuda comigo domingo?

    = Interrogao direta

    Desejo saber se voc estuda comigo domingo.

    = Interrogao indireta

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 132 19/11/2015 15:47:05

  • 133Cap. 1TERMOS ESSENCIAIS DA ORAO

    Imperativas

    O emissor da mensagem d uma or-dem, um conselho ou faz um pedido, utilizando o verbo no modo imperativo (afirmativo ou negativo).

    Faa-o entrar no carro!

    = Afirmativa

    No faa isso.

    = Negativa

    Exclamativas Possuem estado afetivo e apresentam entoao ligeiramente prolongada.Que prova difcil!

    uma delcia esse sanduche!

    Declarativas a constatao um fato. Informa ou declara alguma coisa. Podem ser afir-mativas ou negativas.

    Obrigaram o aluno a sair.

    = Afirmativa

    Ela no est na escola.

    = Negativa

    Optativas Usadas para exprimir um desejo.Deus te abenoe!

    Bons ventos o tragam!

    3.1.1.2 Construo da frase

    Frase Nominal No h verbo.

    Socorro!

    Cuidado!

    Belo quadro o seu!

    Frase Verbal Possui verbo.A lua ilumina a cidade e inspira os poetas.

    Os msicos saram para o show.

    3.1.2 OraoOrao possui estrutura sinttica, ou seja, possui verbo.

    Se a frase (precisa ter sentido completo) possuir verbo, ser tambm uma orao.

    A lua ilumina a cidade e in-spira os poetas.

    Orao = possui verbo.

    Frase = possui sentido.

    3.1.3 PerodoO perodo formado por orao e pode ser classificado em simples ou composto.

    Perodo Simples Uma orao, um verbo. A lua ilumina a cidade.

    Perodo Composto Mais de uma orao, mais de um verboA lua ilumina a cidade e inspira os poetas.

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 133 19/11/2015 15:47:05

  • 134 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    3.2 Termos essenciais da orao

    composto

    indeterminado

    orao sem sujeito

    desinencial,

    oculto

    simples

    SUJEITO

    predicao

    PREDICADO

    TERMOS ESSENCIAS DA

    ORAO

    So termos essenciais da orao: sujeito e predicado.

    Sujeito o ser de quem se declara algo e predicado a declarao feita do sujeito.

    3.2.1 SujeitoPara encontrar o sujeito faz-se a pergunta o qu? (para coisa) e quem? (para pessoa).

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 134 19/11/2015 15:47:05

  • 135Cap. 1TERMOS ESSENCIAIS DA ORAO

    Atente-se: se h voz ativa, voz passiva e voz reflexiva, o sujeito no apenas o ser que pratica ao. Pode praticar, sofrer ou praticar e sofrer a ao.

    Classificam-se em:

    Simples um ncleoMuitos fatos estranhos ocorriam naquela situao.

    = o que ocorriam?

    Compostomais de

    um ncleo

    Msica e literatura fazem bem alma.

    = o que fazem bem?

    Simples e implcito ou elptico ou desinencial

    ou oculto

    no est explcito

    na orao

    Fez o texto ontem.

    = quem fez? Ele, mas o pronome no est explcito.

    Indeterminado

    no se sabe quem o sujeito.

    Pode ocorrer

    em duas situaes:

    1. Verbo na terceira pessoa do plural;

    2. Verbo na terceira pessoa do singu-lar + se (ndice de indeterminao do sujeito)

    Fizeram tima prova.

    = quem fizeram? No se sabe.

    Necessita-se de silncio.

    = quem necessita, necessita de algo (V.T.I.) de silncio O.I.

    Orao sem sujeito

    no h sujeito e pode ocorrer em trs

    situaes:

    1. Verbo haver no sen-tido de existir ou ocorrer;

    2. Verbos ser, estar e fazer indicando tempo ou fenme-no meteorolgico;

    3. Verbos que indicam fenmenos da na-tureza.

    Havia pessoas.

    = existiam

    So duas horas.

    = ser indicando tempo

    Est muito calor.

    = estar indicando fenmeno me-teorolgico

    Faz trs anos que no a vejo.

    = fazer indicando tempo decor-rido

    Ontem choveu demais.

    = fenmeno da natureza

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 135 19/11/2015 15:47:05

  • 136 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    3.2.1.1 Em concursos

    O que pedido em concursos e pode gerar dvidas:

    Simples: retirando o ncleo, o(s) termo(s) que resta(m) possui (possuem) funo de adjunto ad-nominal.

    Muitos fatos estranhos ocorriam naquela situao

    A.A. ncleo A.A.

    Composto: o termo que liga os ncleos chamado de conjuno ou conectivo.

    Msica e literatura fazem bem alma.

    E = conectivo ou conjuno

    Simples e implcito ou elptico ou desinencial ou oculto: No singular, sujeito = ele; no plural, sujeito = indeterminado.

    Fez o texto ontem. = sujeito simples e implcito (ele) Fora de contexto.

    Fizeram o texto ontem. = sujeito indeterminado (verbo no plural).

    Indeterminado: Sempre muito pedida a diferena do SE.

    ndice de indeterminao do

    sujeito

    Verbo no singular + se.

    Intransitivo, transitivo indireto e verbo de ligao.

    Dormiu-se bem.

    Precisa-se de livros.

    Pronome apassivador

    Verbo no singular ou no plural + se. Admite plural porque possui sujeito.

    transitivo direto + se ou transitivo direto e indireto + se

    Encontrou-se o local da prova = encontr-aram-se os locais da prova.

    Do-se aulas aos ne-cessitados = aulas so dadas aos necessita-dos.

    Orao sem sujeito: H pouco tempo, acrescentou-se o verbo bastar seguido da preposio de = Basta de problemas: orao sem sujeito.

    Fixando a concordncia:

    ORAO SEM SUJEITO

    verbo no singular

    SUJEITO

    verbo admite plural

    Havia alunos. Existiam alunos.

    Devia haver alunos. Deviam existir alunos.

    Havia de haver alunos. Haviam de existir alunos.

    Alunos: objeto diretoAlunos: sujeito

    *Por isso o verbo admite plural

    Verbo FAZER indicando tempos decorrido: singular.

    Faz dois anos. Vai fazer dois anos.

    Em: O dia amanheceu calmo, embora o verbo indique fenmeno da natureza, o dia possui funo de sujeito.

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 136 19/11/2015 15:47:06

  • 137Cap. 1TERMOS ESSENCIAIS DA ORAO

    3.2.2 PredicadoPredicado a declarao feita do sujeito, isto , retirando-se o sujeito obtm-se o pred-

    icado. Pode haver orao sem sujeito, mas no h como existir orao sem predicado. So classificados em verbal, nominal e verbo-nominal.

    Para classific-lo, necessrio estudarmos os termos que fazem parte do predicado. Siga o passo a passo para evitar erros.

    3.2.2.1 Predicao verbalPredicao a classificao do verbo. Vamos aprofundar:

    Classificao Teoria Exemplo Dica

    Intransitivoo verbo no exige com-plemento, por isso o pre-fixo IN.

    O vulto desapareceu na plancie.

    Nunca cabero as pala-vras algo e algum aps o intransitivo.

    Transitivo direto

    o verbo exige comple-mento SEM preposio.

    Tenho duas mos e o sentimento do mundo. quem tem, tem algo

    Transitivo indireto

    o verbo exige comple-mento COM preposio.

    Todos precisam de felici-dade.

    quem precisa, precisa DE algo

    Transitivo direto e indireto

    o verbo exige dois com-plementos: com e sem preposio

    Algum ofereceu flor Iemanj.

    quem oferece, oferece algo a algum

    Verbo de ligao

    liga o sujeito ao predica-tivo (termo que qualifica) e no indica ao. Indica estado.

    Todos ficaram felizes.Para haver verbo de ligao, preciso haver predicativo.

    3.2.2.1.1 Estados do verbo de ligao Por no indicar ao (movimento), o verbo de ligao pode expressar diferentes esta-

    dos.

    Estado Verbo Exemplo

    permanente ser, viverEle alegre.

    Ele vive alegre.

    transitrio estar, andar, achar-se, encontrar-seNs estamos felizes.

    Eles andam felizes.

    mutatrio ficar, virar, tornar-se, fazer-seFicaram cansados. Tornaram-se exaus-tos.

    continuidade de estado

    continuar, permanecerTodos continuam desconfiados.

    Algum permanece desatento.

    estado aparente parecer Ela parece satisfeita.

    3.2.2.1.2 Em concursos Note a diferena entre as oraes abaixo.

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 137 19/11/2015 15:47:06

  • 138 >1E'hWKZdh'h^WZKEhZ^K^^WDuda Nogueira

    Lembre-se de que para haver verbo de ligao preciso haver predicativo!

    Eles estavam exaustos.

    V.L. ptivo sujeito

    Eles estavam em Londres.

    intransitivo adjunto adverbial de lugar

    Elas ficaram nervosas.

    V.L. ptivo sujeito

    Elas ficaram na escola.

    intransitivo adjunto adverbial de lugar

    3.2.2.2 PredicativoPredicativo o termo que qualifica o sujeito ou o objeto.

    Muito importante: para haver predicativo necessrio o verbo de ligao e para haver verbo de ligao necessrio o predicativo.

    Fcil assim:

    Predicativo Verbo de ligao Verbo de ligao Predicativo

    Predicativo do sujeito A plateia aplaudiu o espetculo emocionada.

    A plateia (sujeito) aplaudiu o espetculo (e estava = V.L.) emocionada.

    Predicativo do objeto Encontrei mortos os soldados.

    Encontrei (transitivo direto) os soldados (objeto direto) (e eles estavam) mortos.

    3.2.2.2.1 Morfossintaxe dos predicativos

    Predicativo do sujeito

    adjetivos ou locues adjetivas A lua branca.

    substantivos Ele engenheiro.

    pronomes substantivos Para Vincius de Moraes, a beleza era tudo.

    numerais substantivos Os irresponsveis eram cinco.

    palavra substantivada A vida um querer sem fim.

    orao subordinada substantiva A verdade que ele foi aprovado.

    Predicativo do objeto

    adjetivo Todos consideraram a prova difcil.

    substantivo Nomeram-no sndico.

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 138 19/11/2015 15:47:06

  • 139Cap. 1TERMOS ESSENCIAIS DA ORAO

    3.2.2.3 Classificao do predicado

    PREDICADO Teoria Exemplo Dica

    Verbal o ncleo o verbo Todos CAMINHAVAM tranquilamente pela praia.menos o verbo

    de ligao

    Nominal o ncleo o predicativo Alguns estavam FELIZES. h verbo de ligao

    Verbo-nominal

    h dois ncleos: verbo e predicativo Todos CAMINHAVAM FELIZES pela praia.

    verbo

    (+ V.L. oculto)

    + predicativoTodos CAMINHAVAM (e estavam) FELIZES pela praia.

    Facilitando:

    predicados verbo significativo verbo de ligao predicativoP.V. sim no noP.N. no sim sim

    P.V.N. sim no explcito sim

    Verbos significativos so os intransitivos, transitivos diretos, transitivos indiretos, transi-tivos diretos e indiretos.

    Lingua_Portuguesa_CESP_DudaNogueira_16x23.indb 139 19/11/2015 15:47:06