1ª Questao

  • View
    271

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 1ª Questao

1. QUAL A TIPIFICAO DO CONTRATO DE HONORRIOS ADVOCATCIOS? DISCORRA E FUNDAMENTE A RESPOSTA

Consideraes Iniciais O contrato de honorrios advocatcios trata-se de um contrato de prestao de servios com caractersticas prprias, onde a obrigao de meio. um contrato do tipo Cotalcio, e sua cobrana incide procedimento sumrio. Apesar de no solene, um contrato bilateral, consensual e oneroso, de natureza alimentar, por isso um crdito privilegiado. considerado um ttulo executivo extrajudicial, e sua cobrana poder ser feita atravs de procedimento sumrio. um tema simples, mas ao mesmo tempo complexo, por isso entende-se que seja necessrio uma explanao mais profunda, no entanto sinttica sobre contratos e honorrios, para finalmente efetuar-se a fundamentao de forma adequada. Por isso, inicia-se esta atividade, conceituando brevemente contratos e honorrios, para na segunda etapa apresentar embasamento legal e doutrinrio a respeito dos contratos de honorrios advocatcios. 1.1 Conceitos 1.1.1 Contrato Negcio jurdico, fundado no acordo de vontades com a finalidade de criar, modificar ou extinguir um direito. todo ato humano, lcito, capaz de adquirir, transferir, modificar, ou extinguir uma relao jurdica (contrato em sentido lato). o negcio jurdico em que as partes se sujeitam a observncia da conduta idnea, satisfao dos interesses que pactuam (contrato em sentido estrito). Portanto, contrato o acordo de vontades entre duas ou mais pessoas, sobre objeto lcito e possvel, com o fim de adquirir, resguardar, modificar

2

ou extinguir direitos, e ocorre, conforme explicam Plcido e Silva (1982), "quando os contratantes, reciprocamente, ou um deles, assume a obrigao de dar, fazer ou no fazer alguma coisa". Quando as obrigaes que se formam no contrato so recprocas, este bilateral, quando so pertinentes somente a uma das partes, unilateral. 1.1.1.1 Elementos do contrato

1.1.1.1.1 Essenciais Devem constar de todos os contratos, sob pena de nulidade. So:a) Capacidade das partes b) Licitude do objeto e c) Forma prescrita ou no defesa em lei.

Alm dos elementos essenciais gerais, existem os elementos essenciais especiais, que devem existir somente em alguns contratos. 1.1.1.1.2 Naturais So aqueles que podem ocorrer, ou no. Exemplo: o mtuo presume-se gratuito, mas as partes podem convencionar a onerosidade do pagamento de tributos. 1.1.1.1.3 Acidentais Modificam a vontade das partes e variam de contrato para contrato. 1.1.1.1.4 De estilo No so necessrios, mas tm grande valia para demonstrar a vontade das partes.

3

1.1.1.1.5 Imperativos So obrigatrios em determinados tipos de contrato. 1.1.1.1.6 Elementos complementares So facultativos e no precisam figurar no corpo do contrato. 1.1.1.2 Requisitos do Contratoa) A existncia de duas ou mais Pessoas; b) A capacidade genrica das partes contratantes; c) O consentimento livre das partes contratantes.

1.1.1.3 Objetivosa) Licitude do objeto; b) Possibilidade fsica ou jurdica do objeto; c) Determinao do objeto; d) Economicidade do objeto.

1.1.1.4 Formasa) Liberdade de forma (como regra); b) Obedincia forma quando a Lei assim o exigir.

1.1.1.5 Princpios do direito contratual 1.1.1.5.1 Princpio da Autonomia da Vontade Poder que possui o indivduo de suscitar, mediante declarao de sua vontade, efeitos reconhecidos e tutelados pela ordem jurdica. Por esse

4

princpio, a liberdade de contratar domina completamente. 1.1.1.5.2 Princpio do consensualismo Significa que havendo acordo de vontade, qualquer forma contratual vlida (verbal, silncio, mmica, telefone, e-mail), excetuando-se atos solenes que exijam formalidades legais, ou seja, s ser exigida forma quando a lei ordenar. 1.1.1.5.3 Princpio da obrigatoriedade da conveno O contrato uma vez elaborado segundo os requisitos legais se torna obrigatrio entre as partes, que dele no se podem desligar, constituindo-se em uma espcie de lei aplicada entre os contratantes a ser fielmente cumprida pacta sunt servanda. O direito contemporneo tem abrandado este princpio, fortalecendo sensivelmente a clusula rebus sic stantibus (at que as coisas continuem como esto), tambm chamada de teoria da impreviso. Com isto, permite-se a reviso judicial ou um reajuste dos termos do contrato, quando a situao de uma das partes tiver sofrido mudana imprevista e impossvel de se prever. 1.1.1.5.4 Princpio da relatividade dos efeitos Encerra-se a ideia de que os efeitos do contrato so impostos somente s partes, no aproveitando e nem prejudicando terceiros. 1.1.1.5.5 Princpio da probidade e da boa-f Para o direito a boa-f presumida, cabendo, no entanto, prova em contrrio. 1.1.1.5.6 Limitaes Liberdade de Contratar Como regra, a liberdade de contratar no pode ser limitada, no entanto, duas excees ao princpio da autonomia da vontade, esto insertas no

5

Cdigo Civil. a) Ordem pblica: A Lei de ordem pblica fixa, no direito privado, as bases jurdicas fundamentais sobre as quais repousa a moral da sociedade. Toda a vez que o interesse individual colidir com o da sociedade, o desta ltima prevalecer, os princpios de ordem pblica no podem ser alterados por conveno entre particulares. b) Bons costumes: So hbitos baseados na tradio e no na lei, O princpio da autonomia da vontade esbarra nas regras morais no reduzidas a escrito, mas aceitas pelo grupo social. 1.1.1.6 Formao dos contratos No h ainda um contrato, so os primeiro contatos entre as partes a fim de que surja um contrato mais frente. A proposta: a parte que est segura do que pretende, manifesta sua vontade outra. At que seja aceita pela outra parte no h compromisso entre eles, todavia o proponente j tem uma obrigao manter os termos da proposta, se aceita. A aceitao: a resposta afirmativa da outra parte oferta do proponente. O aceitante manifesta sua anuncia. Pela aceitao, ambas as partes vinculam-se reciprocamente, o contrato se aperfeioou. O lugar do contrato: ponto importante, pois determina o foro competente para dirimir possveis litgios entre as partes. 1.1.1.7 Classificao dos contratos 1.1.1.7.1 Quanto forma, os contratos se classificam em:

6

a) Contratos principais: existncia independe de qualquer outro. b) Contratos Acessrios: existem em funo do contrato principal. c) Contratos preliminares: ajustes que criam vrios tipos de

obrigaes definitivas para os contratantes.d) Contratos definitivos: criam vrios tipos de obrigaes definitivas

para os contraentes.e) Contratos consensuais: aperfeioam-se pelo mero consentimento

e no reclamam solenidade ou tradio.f) Contratos reais: apenas se ultimam com a entrega da coisa. g) Contratos solenes: dependem de forma prescrita em lei. h) Contratos no solenes: no h forma prescrita em lei e constitui-

se a regra. 1.1.1.7.2 Quanto sua natureza, os contratos se classificam em:a) Unilaterais: se aperfeioam por uma s obrigao. b) Bilaterais: se aperfeioam por reciprocidade de obrigaes. As

obrigaes dos contratantes so recprocas.c) Contrato a Ttulo Oneroso: h sacrifcio patrimonial para ambas

as partes.d) Gratuitos: h um sacrifcio patrimonial, apenas, para uma das

partes.e) Comutativos: as prestaes se cumprem simultaneamente. f) Aleatrios: as prestaes so deferidas para o futuro. g) Contratos paritrios: partes estipulam clusulas em p de

igualdade.h) Contratos por adeso: uma das partes apenas adere proposta

da outra, no podendo discutir as clusulas contratuais.i) Contrato

Inominado: no vedado em lei, no se acha

especificado, disciplinado formalmente no direito positivo. Da a expresso inominado. No tendo regulamentao especial, so disciplinados pela analogia com os contratos nominados e pelos princpios gerais de direito.j) Contrato Principal: dotado de existncia independente de um

7

contrato preliminar.k) Contrato Sinalagmtico: do grego synallagmatiks, recproco.

Adjetivao daquilo que bilateral, recproco, que importa em igualdade de direitos e deveres para as partes contratantes. Contrato em que as partes assumem obrigaes recprocas. Tambm denominado bilateral. 1.1.1.7.3 Quanto ao tempo, os contratos se classificam em:a) Contratos instantneos: as prestaes se executam no momento

da celebrao do contrato.b) Contratos de trato sucessivo: no possvel sua satisfao em

um s momento. 1.1.1.7.4 Quanto s pessoas, os contratos se classificam em:a) Contratos pessoais: realizados em razo da pessoa, com base

na reciprocidade entre as partes e s podem ser executados pelo prprio devedor.b) Contratos impessoais: a pessoa do outro contraente no

elemento determinante para a concluso do contrato. 1.1.1.8 Outros tipos de contratosa) Civis: previstos no Cdigo civil ou que o tenham como base legal.

Podem ou no ter finalidade lucrativa e sujeitam-se aos princpios da autonomia da vontade, consensualismo, relatividade dos efeitos, probidade e boa-f.b) Administrativos: firmados pela Administrao e regidos pelas

normas de direito pblico e possuem clusulas exorbitante e a possibilidade de alterao e resciso unilaterais por parte da Administrao.c) Autocontrato: uma mesma pessoa figura nos dois polos do

contrato. De um lado representando a si prprio, e de outro, um

8

mandante.d) Contrato de meio: uma das partes se compromete a empenhar

esforos para atingir determinado fim sem obrigar ao sucesso.e) Contrato de fim: o contratado se obriga a atingir determinado fim. f) Mistos: derivam-se da combinao de outros contratos. g) Puros: no so frutos da combinao de outros contratos. h) Individuais: quando apenas se obrigarem as partes que vierem a

tomar parte da celebrao.i) Coletivos: formam-se pela vontade de um grupo, gerando

obrigaes para todos, mesmo que no participem da celebrao do mesmo.j) Benfico: somente uma das partes se obriga; a outra est

dispensada de qualquer contraprestao, a no se limitar a