20/10/2010 - DEBATE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NA .R$ 100,00 • FATURAMENTO BRUTO R$ 35,00 •TRIBUTOS

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of 20/10/2010 - DEBATE PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO NA .R$ 100,00 • FATURAMENTO BRUTO R$ 35,00...

20/10/2010 - DEBATE

PLANEJAMENTO TRIBUTRIONA VISO DO FISCO E DA JURISPRUDNCIA

FATURAMENTO BRUTOR$ 100,00

TRIBUTOSR$ 35,00

EMPRESAS BRASILEIRAS

TRIBUTOSR$ 35,00

Custo das matrias-primas Custos de produo Pessoal Despesas com vendas Fretes Despesas administrativas Despesas financeiras LUCRO ou PREJUZO

R$ 65,00

ELISO fiscal

PLANEJAMENTO TRIBUTRIO

EVASO fiscal

o uso de meios ILCITOSpara evitar o pagamento de taxas, impostos e outros tributos.

Configura-se num planejamento que utiliza mtodos LEGAISpara diminuir o peso da carga tributria.

Ex: Segregao de atividades, escolha sobre a forma de tributao, controles internos e localizao.

taxas, impostos e outros tributos.

Ex: Falsificao, sonegao, fraude, omisso e contratao de notas fiscais.

CTN Art. 116.

...

Pargrafo nico. A autoridade administrativa poder desconsiderar

LEI ANTIELISO

Pargrafo nico. A autoridade administrativa poder desconsiderar

atos ou negcios jurdicos praticados com a finalidade de dissimular a

ocorrncia do fato gerador do tributo ou a natureza dos elementos

constitutivos da obrigao tributria, observados os procedimentos a serem

estabelecidos em lei ordinria. (Includo pela Lcp n 104, de 10.1.2001)

CDIGO CIVIL

Art. 167. nulo o negcio jurdico simulado, mas subsistir o que se

dissimulou, se vlido for na substncia e na forma.

1o Haver simulao nos negcios jurdicos quando:

CONCEITO DE SIMULAO

1o Haver simulao nos negcios jurdicos quando:

I - aparentarem conferir ou transmitir direitos a pessoas diversas daquelas

s quais realmente se conferem, ou transmitem;

II - contiverem declarao, confisso, condio ou clusula no verdadeira;

III - os instrumentos particulares forem antedatados, ou ps-datados.

2o Ressalvam-se os direitos de terceiros de boa-f em face dos

contraentes do negcio jurdico simulado.

Fracionamento de atividades: Funcionrios alocados em empresas tributadas pelo SIMPLES

Agroindstria: Empresa Agrcola + Industrial

PLANEJAMENTOS

Agroindstria: Empresa Agrcola + Industrial

Segregao do faturamento

Planejamentos societrios (operaes estruturadas)

Segregao de atividades: Indstria e Distribuidora

FRACIONAMENTO DE ATIVIDADES

SITUAO I SITUAO II

END: Trav. Luis Incio Lula da Silva, 1.230Atividade: Indstria de mveisFuncionrios: 5Forma de tributao: Lucro Real

END: Trav. Luis Incio Lula da Silva, 1.230Atividade: Indstria de mveisFuncionrios: 120Forma de tributao: Lucro RealFaturamento Mensal: R$ 560.000,00

Forma de tributao: Lucro RealFaturamento Mensal: R$ 560.000,00

END: Trav. Luis Incio Lula da Silva, 1.230Atividade: Indstria de mveisFuncionrios: 115Forma de tributao: SIMPLESFaturamento Mensal: R$ 180.000,00

FRACIONAMENTO DE ATIVIDADES

DECISO DRJ RIBEIRO PRETO - ACRDO N 14-29018 de 18 de Maio de

2010

... O fracionamento simulado das atividades da empresa, por meio da... O fracionamento simulado das atividades da empresa, por meio da

utilizao de mo-de-obra existente em uma outra empresa, sendo esta

desprovida de autonomia operacional, administrativa e financeira, para usufruir

artificial e indevidamente dos benefcios do regime de tributao Simples, viola a

legislao tributria, cabendo ento - a partir de inmeras e slidas evidncias -

a caracterizao da fraude disposta no art. 72 da lei n. 4.502/64 ...

AGROINDSTRIA

SITUAO I

END: Fazenda Dona Marisa, s/ n

SITUAO II

END: Fazenda Dona Marisa, s/ nAtividade: Indstria de AcarFuncionrios: 100Forma de tributao: INSS s/ a FolhaFaturamento Mensal: R$ 2.500.000,00END: Fazenda Dona Marisa, s/ n

Atividade: AgroindstriaFuncionrios: 800Forma de tributao: INSS s/ o FaturamentoFaturamento Mensal: R$ 2.500.000,00

Faturamento Mensal: R$ 2.500.000,00

END: Fazenda Dona Marisa, s/ nAtividade: Agrcola Cana-de-acarFuncionrios: 700Forma de tributao: INSS s/ o FaturamentoFaturamento Mensal: R$ 700.000,00

AGROINDSTRIA

DECISO DRJ RIBEIRO PRETO - ACRDO N 14-26826 de 24 de Novembro

de 2009

... Se h formalmente duas sociedades, mas inexiste autonomia... Se h formalmente duas sociedades, mas inexiste autonomia

patrimonial e a administrao delas uma s, substancialmente h apenas

uma personalidade jurdica e uma empresa. No plano da eficcia, para fins de

tributao, no importa que formalmente a uma delas seja atribuda a produo

rural e outra a industrializao desta. Trata-se na realidade de uma

Agroindstria, que nesta condio deve ser tributada ...

SEGREGAO DO FATURAMENTO

SITUAO I SITUAO II

EMPRESA A

FATURAMENTO ANUAL R$ 26 milhesATIVIDADE: INDSTRIA

FATURAMENTO ANUAL R$ 40 milhesATIVIDADE: INDSTRIAFORMA DE TRIBUTAO Lucro Presumido

ATIVIDADE: INDSTRIAFORMA DE TRIBUTAO Lucro Presumido

EMPRESA B

FATURAMENTO ANUAL R$ 24 milhesATIVIDADE: SERVIOSFORMA DE TRIBUTAO Lucro Presumido

SEGREGAO DO FATURAMENTO

DECISO DRJ CURITIBA - ACRDO N 06-23348 de 12 de Agosto de 2009

... A segregao de diferentes atividades econmicas em duas ou mais

entidades passvel de ser admitida, para efeitos tributrios, quandoentidades passvel de ser admitida, para efeitos tributrios, quando

observados, pelo menos, os seguintes requisitos:

(a) o desenvolvimento das respectivas atividades ocorra separadamente e em

estruturas independentes; e

(b) haja distino com relao administrao, corpo de funcionrios e

instalaes...

PLANEJAMENTO SOCIETRIO

EUA

Vendedora- Part.

Compradora hold.

Uruguai Brasil

Compradora Part.

Target

Compradora Part. 2

AO DO GOVERNO

Artigo 24 da Lei n 12.249, de 11/06/2010, conversoda MP 472 de 15/12/2009

Instituiu limites para a deduo de juros deemprstimos do exterior da base de clculo do IR e daCSLL

PLANEJAMENTO SOCIETRIO

Comp. $

8:00h 8:30h

Vend.

Momento 0

Vend. Participao

Comp. $Vend.

Target NewCo

Target

NewCo

Target

$

DECISES FAVORVEIS

Acrdo 103-23.357

Terceira Cmara do Primeiro Conselho de Contribuintes

Relator Conselheiro Paulo Jacinto do Nascimento

SIMULAO INEXISTNCIA No simulao a instalao de duas

empresas na mesma rea geogrfica com o desmembramento das

atividades antes exercidas por uma delas objetivando racionalizar as

operaes e diminuir a carga tributria.

DECISES FAVORVEIS

Acrdo n 101-94.986

1 Cmara do 1 Conselho de Contribuintes

Conselheira Sandra Maria Faroni

No se discute que o empresrio pode gerir seus negcios com inteira liberdade, inclusive

sendo lcito e at desejvel faz-lo de forma a obter maior economia de tributos possvel. H,sendo lcito e at desejvel faz-lo de forma a obter maior economia de tributos possvel. H,

todavia, uma diferena entre atuaes que objetivam os negcios empresariais e

atuaes que objetivam exclusivamente reduzir artificialmente a carga tributria.

O direito do contribuinte de auto-organizar sua vida no ilimitado. (...)

(...) Dentro dessa tica, se o negcio lcito, embora inusual, se apoiar em causas reais, em

legtimos propsitos negociais, contra ele o Fisco nada pode objetar. Todavia se adotada

uma forma de negcio jurdicoinusual, sem um real propsito negocial, mas visando apenas

reduzir artificialmente a carga tributria, o Fisco a ele pode se opor.

Indstria Distribuidor

PIS/COFINS 13,10%

Venda

PIS E COFINS MONOFSICO

Indstria

Consumidor Final

Distribuidor

VendaPIS/COFINS 0%

S/ CRDITO

CENRIO ATUAL

MEDIDA PROVISRIA N 497 DE 27/06/2010

EFEITOS:

1 de novembro de 2010 (data mxima para aprovao 29/11/10)

PIS E COFINS MONOFSICO

SETORES ATINGIDOS:

cosmticos, autopeas, higiene pessoal e limpeza, bebidas, combustveis e produtos farmacuticos

PRINCIPAL ALTERAO:

Equipara a distribuidora indstria quando houver alguma relao de interdependncia.

Indstria Distribuidor

PIS/COFINS 9,25%

Venda

PIS E COFINS MONOFSICO

Indstria

Consumidor Final

Distribuidor

VendaPIS/COFINS 13,10%

CRDITO 9,25%

CENRIO APS 01/11/10

CTN - Art. 150. ...

4 Se a lei no fixar prazo a homologao, ser ele de cinco anos, a contar da ocorrncia do fato gerador; expirado esse prazo sem que a Fazenda Pblica se tenha pronunciado, considera-se homologado o lanamento e definitivamente extinto o crdito, salvo se comprovada a ocorrncia de dolo, fraude ou simulao.

DECADNCIA

ocorrncia de dolo, fraude ou simulao.

CTN - Art. 173. O direito de a Fazenda Pblica constituir o crdito tributrio extingue-se aps 5 (cinco) anos, contados:

I - do primeiro dia do exerccio seguinte quele em que o lanamento poderia ter sido efetuado;

...

FUNDAMENTO ECONMICOFUNDAMENTO ECONMICO

Cssio R. Zocolotti cassio@limajunior.adv.brFlavia R. Trevisan f.trevisan@limajunior.adv.br

www.limajunior.adv.brTelefone: 19 3754-9400