6-Slides Aulas MDT Planejamento Familiar [HM] ?· Anticoncepcionais injetáveis MÉTODOS HORMONAIS (cont.)…

Embed Size (px)

Text of 6-Slides Aulas MDT Planejamento Familiar [HM] ?· Anticoncepcionais injetáveis MÉTODOS HORMONAIS...

  • PLANEJAMENTO FAMILIAR

    O que ?

    Qual a importncia?

    A quem interessa?

    Como fazer?

  • Constituio Federal 1988.Ttulo VII Artigo 226 Pargrafo 7o.

    Lei 8.080 de 1990 (institui o SUS) que atribui Unio, por meio do Ministrio da Sade, a competncia para instituir polticas pblicas nacionais de sade.

    Lei 9.263, de 12 de janeiro de 1996.

    Artigo 1o O planejamento familiar direito de todo cidado, observado o disposto nesta Lei.

    Artigo 2o Para fins desta Lei, entende-se planejamento familiar como o conjunto de aes de regulao da fecundidade que garanta direitos iguais de constituio, limitao ou aumento da prole pela mulher, pelo homem ou pelo casal.

    PLANEJAMENTO FAMILIAR (cont.)

    Fundamentao na legislao

  • O planejamento familiar se caracteriza pela possibilidade de o casal programar quantos filhos ter, quando e como os ter. Permite s pessoas a oportunidade de escolher entre ter ou no ter filhos, de acordo com seus planos e expectativas.

    PLANEJAMENTO FAMILIAR (cont.)

    Programar o crescimento (ou no) da famlia nos dias de hoje fundamental. No apenas porque a vida est mais difcil economicamente, mas tambm porque muitas vezes investir na carreira pode ser a prioridade do momento tanto para o homem como para a mulher.

    Para isso, um casal poder usar mtodos de contracepo, para evitar temporariamente a gravidez, ou a esterilizao, para evitar a gravidez de modo definitivo.

    A questo da interrupo voluntria da gravidez (aborto) recai nos dispositivos legais existentes no nosso Pas.

  • Aparelho reprodutor masculinoPLANEJAMENTO FAMILIAR (cont.)

    Vescula seminal

    Prstata

    Epiddimo

    Escroto

    Testculo

    Bexiga

    Osso da pube

    Vaso deferente

    Uretra

    Tecido ertil

    Pnis

  • Ovrio

    tero

    Vagina

    Bexiga

    ClitrisLbios

    internosLbios

    externos

    Aparelho reprodutor feminino

    PLANEJAMENTO FAMILIAR (cont.)

  • Ciclo menstrual o perodo que se inicia no primeiro dia da menstruao e finaliza em torno de vinte e oito dias depois, com o incio do novo fluxo menstrual.

    A menstruao ocorre devido ao dos hormnios ovarianos sobre o revestimento interno da parede do tero (endomtrio). Esses hormnios fazem com que ele cresa e se torne mais espesso para receber o vulo fecundado (ovo). Quando a fecundao no acontece ou quando o ovo no consegue se fixar no endomtrio, esse processo ser interrompido. Esse tecido formado no endomtrio eliminado, junto com pequenaquantidade de sangue, pela vagina: o fluxo menstrual.

    O fluxo menstrual se repete geralmente a cada quatro semanas. A quantidade de sangramento varia de mulher para mulher e, em geral, dura de trs a cinco dias.

    MENSTRUAO

  • MENSTRUAO (cont.)

    Ciclo menstrual de 28 diasIncio daperda desangue

  • Quando ocorre a fecundao do vulo pelo espermatozide, forma-se o ovo, que se dirige ao tero para se fixar (implantar) no endomtrio (com revestimento prprio para receber o ovo). Temos ento a gravidez!

    GRAVIDEZ

    Ovrio

    tero

    Implantao

    Ovulao

    Revestimento do tero

    Trompa de Falpio

    Fecundao

    EspermatozideDiviso celular do vulo

  • GRAVIDEZ (cont.)

    Viso geral das fases de evoluo da gravidez

    1o trimestre

    (0 a 12 semanas)

    2o trimestre

    (13 a 28 semanas)

    3o trimestre

    (29 a 40 semanas)

  • So admitidas duas formas:

    Abstinncia sexual peridica:

    Rtmico (mtodo de Ogino-Knaussou tabelinha);

    Temperatura basal;

    Muco cervical (mtodo de Billings);

    Sintotrmico.

    Ejaculao extravaginal:

    Coito interrompido;

    Sexo sem penetrao vaginal.

    MTODOS COMPORTAMENTAIS

    Quais so os mtodos contraceptivos?

    So aqueles que provocam modificaes do comportamento sexual do casal.

  • MTODOS COMPORTAMENTAIS (cont.)

    Mtodo rtmico (tabelinha ou mtodo de Ogino-Knauss) Os mtodos rtmicos dependem da abstinncia de

    relaes sexuais durante o perodo frtil da mulher. Na maioria das mulheres, um vulo liberado do ovrio aproximadamente 14 dias antes do incio da menstruao. Embora o vulo no fertilizado sobreviva apenas 24 horas, os espermatozides podem sobreviver trs a quatro dias aps a relao sexual.

    A fertilizao, ento, pode ser decorrente de uma relao ocorrida quatro dias antes da liberao do vulo. O mtodo do calendrio o menos eficaz, mesmo para as mulheres que apresentam ciclos menstruais regulares.

    Para calcular quando ela deve evitar relaes sexuais, a mulher deve subtrair 18 dias do ciclo menstrual mais curto e 11 dias do ciclo menstrual mais longo dos ltimos 12 ciclos menstruais.

    Incio daperda desangue

  • Mtodo da temperatura basal Esse mtodo, tambm conhecido como mtodo trmico, baseia-se no

    fato de a mulher, aps a ovulao, apresentar aumento da temperatura basal entre 0,3 a 0,8C, devido ao da progesterona no organismo.

    A mulher deve anotar a temperatura diariamente, a partir do primeiro dia do ciclo, em um grfico apropriado.

    O termmetro deve ser colocado na boca (debaixo da lngua) pela manh, antes de qualquer atividade (ainda na cama), durante pelomenos cinco minutos.

    Para no engravidar, a mulher deve evitar relaes desde o primeiro dia da menstruao at que a temperatura se eleve de 0,3 a 0,8C, por trs dias consecutivos.

    MTODOS COMPORTAMENTAIS (cont.)

  • Muco cervical (mtodo de Billings) Baseia-se na ocorrncia de modificaes no muco da regio do colo

    uterino. Essas modificaes fazem com que as mulheres percebam se esto no perodo frtil ou no.

    A mulher deve pesquisar a presena de muco todos os dias, observando atentamente a sensao ocasionada por ele, percebendosuas mudanas.

    Deve interromper a atividade sexual ao menor sinal de presena do muco, aps o perodo de secura vaginal que normalmente sucede a menstruao.

    Deve permanecer em abstinncia por, no mnimo, trs dias a partir do pico, podendo reiniciar a atividade sexual no quarto dia.

    MTODOS COMPORTAMENTAIS (cont.)

  • Mtodo sintotrmico Baseado na utilizao de vrios dos mtodos anteriormente

    mencionados.

    Isso aumenta a capacidade de identificar o incio e o final do perodo de fertilidade, melhorando a eficcia do mtodo e diminuindo o tempo de abstinncia.

    MTODOS COMPORTAMENTAIS (cont.)

  • Coito interrompido Nesse mtodo contraceptivo, o homem retira o pnis da vagina antes

    da ejaculao, quando o esperma liberado durante o orgasmo.

    Esse mtodo no confivel, pois o esperma pode ser liberado antes do orgasmo.

    Alm disso, ele exige que o homem tenha um grau elevado de autocontrole e um senso preciso do momento adequado de interromper o coito.

    Sexo sem penetrao vaginal Dispensa maiores comentrios.

    MTODOS COMPORTAMENTAIS (cont.)

  • MTODOS DE BARREIRA

    Os contraceptivos de barreira impedem fisicamente a entrada do esperma no tero da mulher.

    Eles incluem:

    Agentes espermaticidas;

    Preservativo masculino;

    Preservativo feminino;

    Diafragma.

  • Agentes espermaticidas

    MTODOS DE BARREIRA (cont.)

    O objetivo dos agentes espermaticidas imobilizar e destruir os espermatozides, dificultando ou impedindo a penetrao desses no canal cervical.

    Geralmente as gelias, pomadas e cremesespermaticidas so utilizados em associao ao diafragma ou ao preservativo feminino.

    Devem ser aplicados na vagina de 10 a 30 minutos antes da relao. A eficcia do mtodo isolado muito baixa.

    Entre os efeitos negativos esto as alergias, que ocorrem em 1 a 5% das usurias.

  • Preservativo masculino (camisinha, condom masculino, camisa-de-vnus)

    MTODOS DE BARREIRA (cont.)

    um dos mtodos anticoncepcionais mais difundidos no mundo.

    Esse mtodo, como contraceptivo, no figura entre os mais eficazes (a taxa de falha de 5 a 12%), entretanto tem um papel importantssimo na preveno das doenas sexualmente transmissveis.

    Pode provocar rarssimas vezes reaes alrgicas.

    A eficcia depende da correta utilizao/colocao.

  • Maneira correta para utilizao/colocao do preservativo masculino

    MTODOS DE BARREIRA (cont.)

    1. Coloque a camisinha com o pnis ereto;

    2. Aperte a ponta para sair o ar;

    3. Desenrole at embaixo;

    4. Use apenas lubrificantes base de gua;

    5. Retire-a com o pnis ainda ereto, com cuidado para no escapar o smen;

    6. Aps retir-la, jogue-a no lixo.

    2.1. 3.

    4. 5. 6.

  • Preservativo feminino (condom feminino, capuz cervical)

    Maneira correta de utilizao/ colocao do preservativo feminino ou capuz cervical

    MTODOS DE BARREIRA (cont.)

    um mtodo relativamente novo de anticoncepo. O ndice de falha em torno de 18 a 25%, j tendo sido observadas falhas de, no mnimo, 12% em um ano.

    Tem a vantagem de tambm proteger contra as doenas sexualmente transmissveis.

  • Os agentes espermaticidas so utilizados/aplicados tanto no preservativo feminino quanto no diafragma!

    Diafragma uma membrana cncava colocada no interior da vagina e que

    encobre o colo do tero.

    Os ndices de falha variam de 2 a 23%. A falha tpica por ano em torno de 18%. No figura entre os mtodos mais eficazes.

    Maneira correta de insero do diafragma

    MTODOS DE BARREIRA (cont.)

  • Anticoncepcionais orais;

    Anticoncepcionais injetveis;

    Implante contraceptivo;

    Adesivo contraceptivo;

    Dispositivo intra-uterino;

    Contracepo de emergncia.

    MTODOS HORMONAIS

  • Anticoncepcionais orais (plula)

    MTODOS HORMONAIS (cont.)

    o mtodo mais difundido e usado no mundo. As plulas so consideradas um mtodo reversvel muit