A CONDENAÇÃO EM HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS NA AÇÃO DE ...anape.org.br/site/wp-content/uploads/2014/07/Arquivo_tese-13.pdf ·

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of A CONDENAÇÃO EM HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS NA AÇÃO DE...

  • A CONDENAO EM HONORRIOS ADVOCATCIOS NA AO DE

    EMBARGOS DO DEVEDOR EXTINTA EM RAZO DE ADESO DO

    EMBARGANTE A PROGRAMA ESPECIAL DE PARCELAMENTO DO

    CRDITO TRIBUTRIO (ANISTIA)

    Sumrio: 1. Introduo; 2. Honorrios Advocatcios: Noes Gerais, Sucumbncia e Causalidade; 3. Programa Espacial de Parcelamento de Crdito Tributrio (Anistia); 4. A Condenao em Honorrios Advocatcios na Ao de Embargos do Devedor Extinta em Razo de Adeso do Embargante a Programa Especial de Parcelamento de Crdito Tributrio (Anistia); 5. Concluso

    1 Introduo

    Questo que tem gerado muita controvrsia e discusso jurdica na pratica dos

    profissionais que atuam em executivos fiscais a que diz respeito condenao em

    honorrios advocatcios na ao de embargos do devedor extintos em razo da adeso do

    devedor a programa especial de parcelamento do crdito tributrio (anistia).

    O que se busca no presente trabalho apresentar os motivos desta controvrsia

    e demonstrar juridicamente um posicionamento em benefcio da Fazenda Pblica ou dos

    procuradores que atuam em prol dela.

    Com isso, esperamos contribuir para a formao de um posicionamento em

    favor da Fazenda Pblica e para a uniformizao das decises judiciais, de forma que possa,

    seno acabar, ao menos diminuir as divergncias quanto condenao da verba honorria no

    julgamento dos embargos do devedor neste caso especfico, em que o contribuinte adere a

    programa especial de parcelamento.

    Para chegarmos discusso principal do presente trabalho, e buscando uma

    melhor didtica no enfrentamento da questo, precisaremos passar por alguns pontos

    importantes para seu entendimento e por isso faremos uma abordagem, algumas vezes at

    superficial e sem o aprofundamento que sua importncia merecia, sobre temas como os

    honorrios advocatcios, embargos do devedor, dentre outros.

    2 Honorrios Advocatcios: Noes Gerais, Sucumbncia e Causalidade

  • O termo honorrios 1 significa remunerao ou paga, convencionada ou no,

    de servios prestados por quem exerce profisso liberal. 2 Para Marcus Cludio Aquaviva,

    honorrio a remunerao dada pessoa que exerce profisso liberal de qualificao

    honrosa, como prmio de seus servios. 3

    Honorrios advocatcios, ento, representam a remunerao do advogado, uma

    contraprestao econmica pelo servio prestado.

    O Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil, Lei 8.906/94, traz em seu art.

    22, expressa previso dos honorrios advocatcios como uma contraprestao ao servio

    prestado pelo advogado, assegurando aos inscritos na OAB o direito aos honorrios

    convencionados, aos fixados por arbitramento e aos de sucumbncia. 4

    Pela leitura do artigo supracitado podemos destacar que so trs as espcies

    de honorrios advocatcios: os honorrios convencionados; os honorrios arbitrados

    judicialmente e os honorrios sucumbenciais.

    A distino entre eles relevante porque a discusso central mais abaixo

    analisada trata exclusivamente da condenao em honorrios sucumbenciais no caso

    especifico aqui tratado, que o da extino dos embargos de devedor em decorrncia de

    adeso do executado/embargado a programa de parcelamento do dbito (anistia).

    Pois bem, vamos ento distino entre as espcies acima ventiladas.

    Os honorrios convencionados, ou honorrios contratuais, so aqueles

    estabelecidos por meio de acordo com o cliente. Geralmente independem do sucesso na

    demanda, embora se admita a chamada clusula de quota litis, que aquela que vincula a

    remunerao do advogado ao sucesso da causa.5 prudente que sejam feitos por escrito, o

    1 Segundo Antnio Jos Xavier Oliveira, in Linhas gerais acerca dos honorrios advocatcios: O vocbulo "honorrio" tem origem latina e seus primeiros registros remontam Roma Antiga. Derivado do latim honorarius, cujo radical honor tambm d origem palavra honra, o termo tem sua acepo clssica traduzida como sendo toda a coisa ou valor dado em contraprestao e que recebida em nome da honra, sem conotao pecuniria. Isso acontecia, nos primrdios, porque o recebimento de honorrios como forma de pagamento no fazia parte dos objetivos do indivduo que exercia a funo de advocatus. Tais indivduos agiam de maneira no-profissional e exerciam o munus como forma de arte, apenas para receberem o reconhecimento pblico pelos seus dotes intelectuais e oratrios.2 Dicionrio Jurdico do portal Direito Virtual. Disponvel em http://www.direitovirtual.com.br/?section=dicionario_portugues-inicial&termo=H Acesso em 02 de julho de 2012.3 Aquaviva. Marcus Cludio, in Dicionrio Jurdico Brasileiro, Ed. jurdica brasileira, Edio de Luxo, So Paulo, 19964 Lei 8.906/94 - Art. 22: A prestao de servio profissional assegura aos inscritos na OAB o direito aos honorrios convencionados, aos fixados por arbitramento e aos de sucumbncia.5 Antnio Jos Xavier Oliveira, na mesma obra acima citada, destaca: No mais se discute, no direito brasileiro, a possibilidade de fixao de honorrios atravs da chamada clusula de quota litis. Verdadeiro contrato de risco, a clusula de quota litis vincula a remunerao do advogado ao sucesso de sua propositura. A lei 8.906/94 no faz qualquer objeo a esta forma de pactuao, havendo apenas uma pequena restrio incrustada no Cdigo de tica e Disciplina da OAB, em seu artigo 38, que determina que a clusula quota litis s pode ser estipulada em pecnia e que o proveito financeiro do profissional nunca poder ser superior ao de seu cliente. No h que se

    http://www.direitovirtual.com.br/?section=dicionario_portugues-inicial&termo=Hhttp://www.direitovirtual.com.br/?section=dicionario_portugues-inicial&termo=H

  • que os tornam inquestionveis e permitem, em situao de inadimplemento, a execuo

    judicial, mas admite-se tambm sua pactuao verbal na presena de testemunhas, o que, no

    entanto, em caso de execuo, os aproximam dos honorrios por arbitramento, haja vista que

    neste caso a figura do Juiz da causa e sua valorao sero determinantes para a fixao de seu

    montante.6

    Insta ressaltar que o art. 36, do Cdigo de tica e Disciplina da Ordem dos

    Advogados do Brasil (OAB), fixa alguns parmetros, subjetivos e objetivos, para a fixao

    dos honorrios contratuais.7 Da mesma forma, as tabelas elaboradas pelas Seccionais da

    Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) funcionam como um parmetro para a fixao dos

    honorrios.

    Destaca-se, ainda, o que dispe o artigo 22, 3, da lei 8.906/94, que

    determina, para o caso de no haver determinao expressa quanto forma de pagamento dos

    honorrios, que o mesmo dever se realizar em trs parcelas, a primeira no incio da demanda,

    a segunda quando da deciso de primeira instncia sobre o litgio, e a ltima ao trmino da

    contenda.8

    Os honorrios arbitrados judicialmente, que encontram previso legal no art.

    22, 2, da Lei 8.906/949, so aqueles honorrios que, na ausncia de contratao por escrito

    ou na falta de comprovao de sua contratao verbal, so fixados pelo magistrado da causa,

    confundir com as chamadas "taxas de sucesso", pois estas apenas aumentam ou diminuem a remunerao do profissional de forma gradativa, levando em conta o proveito econmico do cliente. Nas "taxas de sucesso", caso a pretenso seja obstada, o profissional ainda assim ser remunerado. Todavia, na fixao de clusula quota litis, se no for obtido proveito econmico para o cliente, o profissional simplesmente no ser remunerado.

    6 importante que seja acordado tambm a forma de cobrana ou ressarcimento das despesas que sejam realizadas com custas, taxas, dirias, depsitos recursais, e outros gastos que decorram da prestao do servio.7 Art. 36. Os honorrios profissionais devem ser fixados com moderao, atendidos os elementos seguintes: I a relevncia, o vulto, a complexidade e a dificuldade das questes versadas; II o trabalho e o tempo necessrios; III a possibilidade de ficar o advogado impedido de intervir em outros casos, ou de se desavir com outros clientes ou terceiros; IV o valor da causa, a condio econmica do cliente e o proveito para ele resultante do servio profissional; V o carter da interveno, conforme se trate de servio a cliente avulso, habitual ou permanente; VI o lugar da prestao dos servios, fora ou no do domiclio do advogado; VII a competncia e o renome do profissional; VIII a praxe do foro sobre trabalhos anlogos.8 Art. 22, 3. Salvo estipulao em contrrio, um tero dos honorrios devido no incio do servio, outro tero at a deciso de primeira instncia e o restante no final.9 Art. 22, 2. Na falta de estipulao ou de acordo, os honorrios sero fixados por arbitramento judicial, em remunerao compatvel com o trabalho e o valor econmico da questo, no podendo ser inferiores aos estabelecidos na tabela organizada pelo Conselho Seccional da OAB.

  • que depois de provocado realiza um juzo de valorao.10 Esta espcie de honorrios

    independe do resultado da demanda.

    Por fim, os honorrios sucumbenciais so aqueles que decorrem diretamente do

    sucesso na demanda judicial. Dizem respeito ao xito proporcionado pelo advogado ao seu

    cliente na demanda judicial.

    Segundo Antnio Jos Xavier Oliveira os honorrios de sucumbncia so

    aqueles que decorrem diretamente do sucesso que o trabalho levado a efeito pelo advogado

    proporcionou ao seu cliente em juzo. 11

    Destaca-se, ainda, o conceito trazido por Gisela Gondin Ramos:12

    So os que decorrem do xito que seu trabalho propiciou ao cliente na demanda

    judicial. So fixados de acordo com a