A CONSTRUÇÃO DE UMA ALFABETIZAÇÃO .discutir os resultados de uma das propostas de oficina cartográfica

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of A CONSTRUÇÃO DE UMA ALFABETIZAÇÃO .discutir os resultados de uma das propostas de oficina...

  • A CONSTRUO DE UMA ALFABETIZAO CARTOGRFICA: OFICINAS

    PEDAGGICAS DO PIBID DE GEOGRAFIA - UERN

    Hudson Tiago Lima da Silva

    Bolsista da Capes/PIBID de Geografia da UERN - hudthiago@gmail.com

    Simontala Dutra de Lima

    Bolsista da Capes/PIBID de Geografia da UERN - simonitala@outlook.com

    1. INTRODUO

    O ensino da cartografia apresenta-se como uma ferramenta mpar para o

    conhecimento e uso do espao geogrfico. Este saber apresenta mltiplas

    funcionalidades, que vo desde a escala local, como por exemplo, a partir do

    reconhecimento e da localizao espacial, a escala global, como elemento que

    possibilita o entendimento de certas lgicas polticas, econmicas, territoriais. por

    meio desse conhecimento que, os alunos, quando estimulados, tornam-se leitores e

    mapeadores do meio em que esto inseridos; so capazes de fazer uma leitura espacial,

    para alm do imediato, do momento.

    Entretanto, no processo de ensino-aprendizagem da cartografia escolar existem

    inmeras lacunas, resultado geralmente da deficincia formativa dos professores ou dos

    procedimentos metodolgicos adotados pelos mesmos.

    Diante desse contexto, h a necessidade de se fomentar aes que transformem

    essa realidade, que possibilitem a aprendizagem da cartografia para alm da reproduo

    mecnica de mapas, e que formem alunos leitores e mapeadores do espao (se

    tornando, conscientes e crticos).

    Considerando esses apontamentos e a realidade vivenciada em muitos ambientes

    escolares, no que se refere ao ensino cartogrfico, o presente artigo prope-se a relatar e

    discutir os resultados de uma das propostas de oficina cartogrfica realizada pelo

    Programa Institucional de Iniciao a Docncia (Pibid), da Universidade do Estado do

    Rio Grande do Norte (UERN), do subprojeto de Geografia, em algumas escolas de

    ensino regular (ensino fundamental e mdio) da cidade de Mossor-RN, a saber: Escola

    mailto:hudthiago@gmail.commailto:simonitala@outlook.com

  • Estadual Professor Jos de Freitas Nobre (Ensino Fundamental); Estadual Municipal

    Professor Manoel Assis (Ensino Fundamental); Escola Estadual Ada Ramalho Cortez

    Pereira (Ensino Mdio); e a Escola Estadual Presidente Kennedy (Ensino Mdio).

    2. OBJETIVO

    Promover a construo de uma conscincia cidad por meio dos saberes

    geogrficos, e de modo especifico, por meio da leitura, do entendimento e da

    representao espacial (alfabetizao cartogrfica).

    3. METODOLOGIA

    Nossa metodologia consistiu na elaborao das oficinas, cujo tema escolhido foi

    cartografia escolar, partiu-se do pressuposto de que era necessrio ter o

    reconhecimento do nvel de alfabetizao cartogrfica dos alunos das escolas parceiras.

    Diante disso, foram elaborados e aplicados testes cartogrficos (com vrias vertentes e

    nveis investigativos) com os discentes das escolas citadas acima.

    Esses meios de reconhecimento cognitivo (avaliativo) permitiram que fosse

    estruturado um quadro geral sobre o nvel cartogrfico, por turma, das escolas

    colaboradoras; e serviram como ferramenta de reconhecimento das principais

    deficincias cartogrficas dos alunos pesquisados.

    Ressalta-se que, do total de alunos por escola, foram retirados 10% de amostra

    por turma. O teste foi elaborado em conjunto, envolvendo os alunos pibidianos

    (bolsistas), os professores supervisores das escolas participantes, e o professor-

    orientador do projeto geral.

    Com os dados tabulados, sistematizados e analisados, com base em materiais

    tericos (fundamentao), foram delimitados os temas geradores de cada etapa da

    oficina, a saber: Histria dos mapas (da cartografia) e projees; Orientao e

    localizao; Escala e Legenda.

    De posse dos resultados e dos temas propostos, cada escola, por meio de sorteio,

    ficou responsvel por aplicar/desenvolver, inicialmente, uma das temticas propostas

  • acima (como uma aplicao-teste), alm de produzir uma gama de materiais e

    atividades didticas para as mesmas.

    Foi aplicada a oficina sobre legenda (elementos simblicos), realizada

    inicialmente, durante a fase de testes, na Escola Estadual Professor Estadual de Freitas

    Nobre.

    4. RESULTADOS

    4.1. A CARTOGRAFIA ESCOLAR: UMA PAUSA PARA A DISCUSSO

    - Vire direita na terceira avenida.

    - Veja essa placa. Estamos chegando ao aeroporto.

    As informaes retratadas nos dilogos acima so comuns ao cotidiano de

    muitas pessoas e aparentam ser de fcil assimilao e execuo por causa do uso banal

    de tais termos. Entretanto, esses comandos esto envoltos a um leque de saberes

    complexos que so aprimorados, construdos e organizados sistematicamente nos

    ambientes escolares por meio do processo de leitura, escrita e interpretao espacial, ou

    seja, por meio da alfabetizao cartogrfica.

    Conforme Passini (2012, p.13), o processo de alfabetizao cartogrfica consiste

    em uma [...] inteligncia espacial e estratgica que permite ao sujeito ler o espao e

    pensar sua Geografia [...]. um processo amplo e complexo, que envolve as noes

    bsicas de localizao, organizao, representao e compreenso dos espaos

    elaborados pelas sociedades (CASTROGIOVANNI, 2008).

    Esse conhecimento cartogrfico construdo com um tempo, passando por

    alguns passos fundamentais de leitura e interpretao, como em um texto, em que o

    sujeito tem que compreender o que est vendo/lendo. Na perspectiva cartogrfica, as

    letras seriam os cdigos e as suas coerncias e concordncias estariam relacionadas

    capacidade de assimilao, interpretao, codificao e significao de seus smbolos. O

    mapa seria assim, como um texto, e para compreend-lo e interpret-lo criticamente,

    preciso que o sujeito esteja alfabetizado espacialmente e cartograficamente.

    Sobre esse processo, Guerrero (1994) enfatiza que

  • Ao partir da premissa de que a geografia da educao infantil a concluso do

    Ensino Fundamental, deve alfabetizar os alunos para a leitura e a

    compreenso do espao, defendemos a idia de que a linguagem cartogrfica

    insere-se em um processo ainda maior, que a prpria alfabetizao espacial

    (p. 40).

    Castrogiovanni (2008), nessa mesma linha de pensamento, destaca que, [...] o

    aluno precisa ser preparado para ler representaes cartogrficas [...] e enfatiza, [...]

    s l mapas quem aprendeu a constru-los [...]. (p.41).

    Nessa mesma abordagem e acrescentando elementos pontuais na discusso,

    Francischett (2007) ressalta que, o ensino da linguagem cartogrfica no contribui

    apenas para que os alunos compreendam os mapas, mas para que os mesmos tenham a

    capacidade cognitiva de representao do espao e suas dinmicas.

    O fundamental no ensino da Geografia que o aluno/cidado aprenda a fazer

    uma leitura critica da representao cartogrfica, isto , decodific-la,

    transpondo suas informaes para o uso cotidiano. Deve ter claro que ela

    antes de mais nada uma representao poltica. Para tanto, necessrio

    conhecer e saber utilizar os elementos do mapa em diferentes e possveis

    leituras, como sendo verdades temporrias. (CASTROGIOVANNI, 2008, p.

    41-42)

    Entretanto, quando se fala em cartografia nos ambientes escolares, a realidade,

    muitas vezes, no condiz com as ideias propostas. Na Geografia escolar, o ensino

    cartogrfico tratado, muitas vezes, como um complemento, um assunto a mais ou um

    saber secundarizado. Metodologicamente, por deficincia na formao acadmica, os

    professores trabalham a cartografia em sala de aula de maneira metdica, cansativa e

    mnemnica, desvinculada da realidade do aluno. Nessa perspectiva, Filizola (2009,

    p.36) fala que, [...] raramente, os alunos so envolvidos na construo ou elaborao de

    mapas, tampouco os contedos da matria so relacionados ao manuseio de

    representaes cartogrficas, e ainda enfatiza:

    Em decorrncia disso, a maior parte das aulas tomada para a resoluo,

    quase sempre mecnica, de problemas como escala, como por exemplo:

    Num mapa de escala X, a distncia entre dois pontos de Y cm. Determine

    a distncia real entre ambos, pintura ou reproduo de mapas, classificao

    de mapas (poltico, fsico, econmico...), exemplificao de convenes

    cartogrficas, entre outros. (FILIZOLA, 2009, p.36)

    Contudo, a cartografia deveria ser trabalhada em sala de aula tomando, como

    base, a realidade do aluno. Esse primeiro passo seria o ponto inicial para um salto

    ainda maior no processo de ensino-aprendizagem.

  • Na perspectiva de um ensinar a pensar o espao, a pensar geograficamente a

    realidade, o aluno deve ser orientado a utilizar o mapa segundo um outro

    enfoque. a partir dessa nova orientao que se espera formar alunos leitores

    crticos de mapas e mapeadores conscientes. (FILIZOLA, 2009, p.36-37).

    Toda essa aluso ao uso da cartografia como ampliador de pensamento, de

    anlises crticas da realidade, de um olhar geogrfico sobre o espao, s ser possvel se

    o professor trabalhar a cartografia como um dicionrio da leitura do mundo. Claro que

    sua forma tradicional de interpretar os lugares e as coisas no deve ser desprezada, mas

    reposicionados a essas novas formas de enxergar e pensar o espao geogrfico.

    4.2. A OFICINA: UM APANHADO SOBRE NOSSAS FERRAMENTAS

    Antes de se detalhar os procedimentos gerais e especficos da oficina sobre

    elementos cartogrficos (legenda), desenvolvida na Escola Estadual Professor Jos de

    Freitas Nobre, cabe ressaltar que, as turmas e