A INEFICÁCIA DA APLICAÇÃO DAS PENAS PRIVATIVAS DE ... ?· RESUMO: Estuda-se a história das penas,…

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 0

    Universidade Federal de Uberlndia

    Curso de Graduao em Direito na Faculdade de Direito Professor Jacy de Assis

    CAROLINA MARTINS DRIGO

    A INEFICCIA DA APLICAO DAS PENAS PRIVATIVAS

    DE LIBERDADE NO BRASIL

    Uberlndia/MG

    2017

  • 1

    CAROLINA MARTINS DRIGO

    A INEFICCIA DA APLICAO DAS PENAS PRIVATIVAS

    DE LIBERDADE NO BRASIL

    Trabalho de Concluso de Curso, apresentado

    Faculdade de Direito da Universidade Federal de

    Uberlndia, como requisito de aprovao na disciplina

    TCC - 2.

    Orientador: Prof. Dr. Edihermes Marques Coelho

    Uberlndia/MG

    2017

  • 2

    CAROLINA MARTINS DRIGO

    A INEFICCIA DA APLICAO DAS PENAS PRIVATIVAS DE

    LIBERDADE NO BRASIL

    Esta monografia foi julgada APTA para obteno do ttulo de Bacharel em Direito e

    APROVADA, em sua forma final, pela Banca Examinadora do Curso de Direito da

    Universidade Federal de Uberlndia, composta pelos professores:

    Prof. Dr. Edihermes Marques Coelho

    Doutor em Direito Pblico pela Universidade Federal de Santa Catarina, Professor

    Adjunto da Universidade Federal de Uberlndia no Curso de Graduao em Direito,

    Orientador e Presidente da banca

    Prof. Antnio Jos Franco de Souza Pcego

    Mestre em Direito pela UNAERP, Professor convidado da Ps-Graduao em Penal e

    Processo Penal na Faculdade Pitgoras, Juiz de Direito de Entrncia Especial do TJMG,

    Membro componente da banca.

    Prof. Victor Henrique Machado Duarte

    Especialista em Direito Penal e Processo Penal, Mestrando em Direito pela

    Universidade Federal de Uberlndia e Professor de Direito Penal Parte Especial da

    Faculdade Esamc de Uberlndia, Membro componente da banca.

    Uberlndia-MG, fevereiro de 2017.

  • 3

    DEDICATRIA

    Aos meus pais, como agradecimento, que tanto se esforaram para que eu tivesse a

    melhor formao possvel, me incentivando e me apoiando sempre.

  • 4

    AGRADECIMENTOS

    A Deus Pai, pois Dele emana toda a sabedoria e sem Ele eu nada seria. A meus Pais,

    por terem feito tudo por mim nessa caminhada, ensinando-me a batalhar por meus sonhos e

    dando-me todo o suporte necessrio. Ao Professor Doutor Edihermes Marques Coelho, mais

    que um mestre e orientador, um amigo que nunca economizou pacincia na orientao deste

    trabalho. Aos professores Antnio Jos Franco de Souza Pcego e Victor Henrique Machado

    Duarte pelo apoio e tempo despendido. Aos demais professores, aos atenciosos servidores da

    Faculdade de Direito Professor Jacy de Assis pela valiosa contribuio e a todos que direta ou

    indiretamente fizeram parte da minha formao.

  • 5

    A INEFICCIA DA APLICAO DAS PENAS PRIVATIVAS DE

    LIBERDADE NO BRASIL

    Carolina Martins Drigo1

    RESUMO: Estuda-se a histria das penas, o surgimento da pena de priso, bem como os

    fundamentos do direito de punir. Investiga-se o sistema carcerrio brasileiro e suas variveis,

    a fim de que se possa chegar origem de sua deficincia atual. Analisam-se os aspectos

    negativos da pena privativa de liberdade e o fracasso da ideologia do tratamento. Por fim,

    abordam-se medidas alternativas, propem-se mudanas e possveis solues para a crise do

    sistema punitivo brasileiro.

    Palavras-chave: Histria das penas; Pena privativa de liberdade; Crise do sistema punitivo;

    Ineficcia das prises; Reintegrao; Medidas alternativas.

    ABSTRACT: The history of penalties and the emergence of imprisonment are studied, as

    well as the foundations of the right to punish. The Brazilian prison system and its variables

    are analyzed, so that you can get to the source of your current disability. The negative aspects

    of deprivation of liberty and the failure of the ideology of treatment are searched too. Finally,

    approach to alternative measures, proposed changes and possible solutions to the crisis of the

    Brazilian punitive system.

    Keywords: History of penalties; Custodial sentence; The punitive system crisis; Inefficacy of

    prisons; Reintegration; Alternative measures.

    1Estudante do nono perodo do curso de Direito da Faculdade de Direito Professor Jacy de Assis da

    Universidade Federal de Uberlndia

  • 6

    SUMRIO

    1 INTRODUO 7

    2 BREVE HISTRICO DAS PENAS 10

    2.1 Surgimento das penas privativas de liberdade 13

    3 FUNDAMENTOS DA PUNIO 16

    3.1 Porque punir hoje? 21

    4 SISTEMA PENITENCIRIO BRASILEIRO 30

    4.1 Do Fundo Penitencirio Nacional 35

    4.2 Dos problemas do sistema carcerrio brasileiro 37

    5 ALTERNATIVAS CRISE DO SISTEMA PENITENCIRIO 44

    5.1 Descriminalizao 55

    6 CONCLUSO 59

    REFERNCIAS 62

  • 7

    1 INTRODUO

    A necessidade da punio e como punir so dois problemas antigos do Direito.

    Acredita-se que o ndice de reincidncia atual seja agravado pelo ambiente degenerativo a que

    os condenados so expostos em nosso pas. As cadeias perderam seu propsito utilitarista e

    servem apenas como depsito de delinquentes, pois no apresentam quaisquer condies de

    reabilitao, sendo, ao contrrio, um ambiente com maior potencial criminalstico, alm de

    apresentarem problemas estruturais, de higiene, de convivncia, entre outros.

    Este trabalho prope-se a identificar os problemas do sistema penitencirio brasileiro,

    como a superlotao, e o quanto os problemas identificados afetam a eficcia punitiva.

    Prope-se tambm oferecer esclarecimentos e analisar a possibilidade da descriminalizao

    como forma de soluo dos problemas existentes no sistema punitivo, visto que o descaso do

    governo e a falta de medidas adequadas para tal situao representam um retrocesso do

    Estado Democrtico de Direito e o aumento de diversos problemas causados, entre outros

    fatores, pelas penas privativas de liberdade. A metodologia empregada para tal foi o mtodo

    dedutivo, utilizando-se da pesquisa bibliogrfica documental.

    A fim de proporcionar melhor entendimento sobre o assunto, o presente trabalho

    promover, em seu primeiro captulo, um estudo sobre a pena privativa de liberdade. Antes de

    iniciar qualquer estudo sobre a priso, deve-se analisar o histrico da pena, para preparar o

    esprito do leitor. Percebe-se que a atual priso e todas as suas peculiaridades so produto

    final de um longo processo de tormentos fsicos e morais dirigidos ao homem ao longo da

    histria, longe, portanto, de ser uma instituio ressocializadora que tanto se idealiza. Desta

    forma, o primeiro captulo abordar um breve histrico sobre as penas, o surgimento da pena

    privativa de liberdade e sua evoluo, para que se esclarea como se deu o desenvolvimento

    desse instituto.

    A pesquisa que deu origem a este trabalho teve como ponto de partida a ideia de que

    os condenados so homens comuns, parte da humanidade, que no necessariamente

    representam o mal. E, hoje em dia, com os problemas existentes no sistema punitivo do pas,

    os direitos fundamentais desses homens so totalmente desrespeitados, alm do fato de as

    penas que lhe so impostas concretizarem apenas a funo castigo, diferente de sua proposta

    utilitarista.

    Foi no sculo XVIII, com influncia, sobretudo da Igreja catlica, que diversos autores

    difundiram idias sobre a humanidade da pena. Nesse momento, surgiram ideais iluministas

  • 8

    com propostas de reforma no sistema penal visando o fim dos suplcios e o estabelecimento

    de limites ao poder de punio e ao direito do suspeito.

    Autores como Cesare Beccaria e Jeremy Bentham deram impulso a um processo de

    laicizao do Direito Penal, separando-se a ideia de crime da de pecado, bem como o direito

    da moral e da religio. nesse ponto que o objeto da pena muda, passando do corpo do

    condenado para a restrio de sua liberdade, incluindo seus bens. Nesse contexto tambm,

    Luigi Ferrajoli e Claus Roxin mostram-se importantes ao pensamento penal contemporneo,

    pois seus estudos tentam harmonizar o sistema punitivo com os princpios atinentes ao Estado

    Democrtico de Direito e ao respeito dignidade humana.

    O segundo captulo deste trabalho descrever a funo das penas e os objetivos a que

    elas se destinam, ou seja, busca-se demonstrar os motivos que levam a punir algum. Para

    isto, sero analisadas as principais teorias que abordam os fundamentos do sistema punitivo

    Aps, o terceiro captulo tratar do sistema penitencirio brasileiro, como se deu a

    origem da pena privativa de liberdade no pas, os problemas apresentados pelo sistema

    carcerrio atual, bem como os motivos que levaram crise dessa instituio, que teve sua

    funo desviada e no apresenta nenhum aspecto positivo, na prtica. O pas possui uma das

    legislaes mais benevolentes, principalmente, em relao aos direitos humanos. Entretanto,

    tem sido observado, no sistema penitencirio brasileiro, um aumento exponencial da

    violncia, tanto individual como coletiva, o crescimento das taxas de reincidncia e o

    aperfeioamento criminoso, que pe em risco cada vez mais a segurana dos cidados

    brasileiros, sobretudo, os moradores das grandes cidades.

    nesse ponto que aparecem as divergncias. As prises cumprem seu papel de pena

    ou so apenas garantias de posse sobre o condenado e seu corpo? A priso pune ou apenas

    assegura que temos sob nosso poder o criminoso? Treinar homens para a vida livre,

    submetendo-os a condio de cativeiro, afigura-se to absurdo como algum