A necessidade de todo ser humano charles haddon spurgeon

Embed Size (px)

Text of A necessidade de todo ser humano charles haddon spurgeon

  • www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    A Necessidade de Todo Ser Humano

  • 3www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    A Necessidade de Todo Ser Humano

    N 1455Sermo pregado por

    Charles Haddon SpurgeonNo Tabernculo Metropolitano, Newington, Londres.

    Necessrio vos nascer de novo Joo 3:7

    Quando os homens esto perecendo em torno de al-gum, cruel desperdiar o tempo interessando suas men-tes ou alimentando suas fantasias. Devemos fazer algo mais prtico e atender com mais diligncia as suas necessidades urgentes. Esto morrendo de fome? Ento, forneamos alimento. Esto morrendo de frio? Ento, forneamos co-bertas a eles. Acaso a enfermidade? Ento, ministremos remdios. Quando o caso urgente, deve se limitar s coi-sas necessrias e atender de todo o corao o que deve re-ceber nossa ateno. O que pode ser, pode esperar, mas o que deve ser, exige nossa imediata resposta. Agora, as ne-

  • 4www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r w w w. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    cessidades espirituais dos seres humanos so urgentes e entre elas a mais urgente sua regenerao: necessrio que nasam de novo, ou estaro perdidos. Portanto, vamos nos alongar neste tpico agora e vamos lhe dar toda nossa considerao, deixando que outros assuntos interessantes esperem at que este importantssimo tema chegue sua feliz concluso.

    Isto algo indispensvel, e devemos insistir-lhes a todo instante sobre este ponto com todo o nosso corao. Nosso sincero desejo que haja uma coleta de almas para o celeiro da salvao, mas para que isto acontea necessrio que nasam de novo. Temos visto a muitos de vocs voando ao nosso redor como pssaros ao redor do caador, mas ain-da no ficaram presos na rede do Evangelho; este estado de coisas no pode nos deixar contentes; queremos ver que vocs receberam a Cristo e que verdadeiramente nasam de novo. Vocs tm sido ouvintes durante muito tempo, mas, ai, continuam sendo unicamente ouvintes e no pra-ticantes da palavra. Queremos dizer que a culpa no h de recair sobre ns; se vocs continuam no sendo conver-tidos no porque no lhe pregamos o Evangelho. Perma-necemos pregando-o e temos pregado como um assunto de vida ou morte. Ento, temos por objetivo um ponto espec-fico, um ponto de absoluta necessidade: necessrio vos nascer de novo. Confiamos que se uma flecha erra o alvo, outra pode acert-lo; de todas as formas, continuaremos apontando para nosso alvo: a converso das almas. Oh, que

  • 5www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    o Esprito Santo guie nesta hora a flecha at voc que ainda no foi levado a conhecer o Senhor.

    E agora vamos ter uma pequena e simples conversa acer-

    ca da grande experincia chamada regenerao ou o novo nascimento- sem a qual ningum pode ver o reino do cu e muito menos entrar nele.

    I. E vamos comentar a respeito, em primeiro lugar, de que a mudana que realiza em ns o novo nascimento EXTRAORDINARIAMENTE COMPLETA: necessrio vos nascer de novo. Um novo nascimento o processo mais radical e integral concebvel. , de fato, algo mais que uma mudana, uma criao. A regenerao algo mais que uma mudana de vida ou de ter uma religio apropriada, pois no diz: necessrio vos ser lavados, necessrio vos ser melhorados, necessrio vos ser elevados; mas diz: necessrio vos nascer. No basta que a vida presente, tal como se v, seja renovada, nem que a natureza existente receba um vigor renovado e uma nova tendncia, mas que necessrio vos nascer de novo: tem que se receber uma vida nova e nenhuma melhoria da vida presente ocupar seu lugar.

    tambm muito mais que uma mudana de opinio. Sempre tive medo daquelas pessoas que se gloriam quan-do so convertidas de um conjunto de opinies religiosas a outro. Os melhores convertidos que se integram a uma

  • 6www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r w w w. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    igreja so aqueles que chegam diretamente do mundo; os que migram de outras sees do Cristianismo no so fre-quentemente as aquisies mais valiosas. Algumas vezes, tal como os convictos que abandonam seu pas pelo bem do mesmo, beneficiam mais a seu grupo abandonando-o que mostrando-se ante a seo recm adotada da igreja como simples lucro. O texto no diz: vocs tem que mudar suas opinies e absorver novos conceitos, mas diz: necessrio vos ter uma nova natureza; necessrio vos nascer de novo. Os conceitos podem ser modificados uma e outra vez e, contudo, o homem pode no estar mais perto de conver-ter-se em um filho de Deus; mas se o Esprito Santo muda a natureza, ento se realiza o novo nascimento. Isto, e nada que no chegue a isto, o que pode levar um homem ao cu; tem que converter-se em uma nova criatura em Cristo Jesus. O processo do novo nascimento to completo que muitssimo mais que uma modificao na forma de pensar de um indivduo, ainda que fosse sobre o melhor dos as-suntos. Um homem pode considerar agora que seu dever ser religioso quando antes era um libertino; pode conceber agora que seu dever ser sbrio quando antes era um bba-do; pode sentir que seu dever agora ser diligente quando antes era um imprudente; mas todas essas coisas tomadas em seu conjunto no equivaleriam a um novo nascimento. Nos regozijamos com uma reforma do tipo que for. Quanto menos pecado houver no mundo melhor, mas, apesar de tudo isso, no se teria alcanado o ponto vital por meio de todas as alteraes do pensamento, e ainda da vida, das que

  • 7www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    foi capaz o homem; pois o texto segue vigente depois de to-das as renovaes, converses e reformas que so possveis para a carne e o sangue, desprovidas de ajuda, e clama com voz severa e inaltervel: Necessrio vos nascer de novo.

    A pessoa em questo pode ter passado por uma grande srie de cerimnias. Pode ter recebido calorosas boas-vin-das em uma assim chamada igreja, e das mos de quem se consideram sacerdote ali, podem ter destilado a impostura aquosa (a gua benta) que dizem regenerar a alma; mas necessrio algo mais que os sacerdotes no podem trans-mitir e que a gua no pode efetuar. Nosso Senhor Jesus Cristo se referia a algo muito diferente do abracadabra de uma forma vazia quando disse: Necessrio vos nascer de novo. Eu digo na presena de todos os que foram ba-tizados na infncia, e de todos os que foram batizados na idade adulta sem ser crentes: a vocs, sim, a vocs, infiis batizados, eu digo: Necessrio vos nascer de novo. Se foram batizados ou rebatizados mas ainda so incrdulos e no tm o Esprito de Deus em suas almas, Necessrio vos nascer de novo.

    O que quer dizer tudo isso? E qual o significado desta mudana to completa? Acaso as palavras no querem dizer evidentemente que deve ser gerado em ns uma nova natu-reza? Em relao vida, uma natureza o produto de um nascimento. Uma vida que no existia antes vem ao mundo no nascimento. Uma nova vida tem que ser implantada em

  • 8www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r w w w. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    ns para a qual somos uns perfeitos estranhos por natureza; algo que est mais alm do que nos pertence ao nascer se-gundo a carne; uma vida que no estava latente no infante e que no pode ser desenvolvida gradualmente na educao da criana, mas uma vida que est completamente ausen-te at que a graa divina a implante ali. Necessrio vos nascer de novo, tm que ser criados novamente, ou como diz a Escritura: Renascidos para uma viva esperana. A vida em seu interior tem que ser uma criao to nova como o foi a luz quando Deus a gerou com Sua palavra, ou como foi o mundo quando Deus o formou do nada. Tem que re-alizar-se em vocs uma obra do poder divino igual a que ressuscitou ao Senhor Jesus dos mortos e lhe deu glria.

    Falando de nosso nascimento comum, com uma nova vida comea uma nova experincia. Para o menino recm-nascido tudo novo. Cada dor, cada sensao de prazer, tudo isso uma novidade para ele; no conheceu nada an-tes de tudo isso. E ainda que quando nascssemos de novo pudssemos haver alcanado j a maturidade, ou at a ve-lhice, a vida espiritual toda uma nova experincia. H no-vos sentimentos de contrio, h uma nova f, h um novo gozo, uma nova esperana, tudo novo: As coisas velhas passaram; todas so feitas novas. Ainda que o homem pudesse ter percorrido muitos caminhos e experimentado muitas sensaes, no instante em que nasce de novo um estranho em uma terra estranha, e conduzido em um ca-minho que no conhece e em sendas que nunca viu. Todas

  • 9www. p r o j e t o s p u r g e o n . c o m . b r

    as almas jovens recm nascidas para Deus, por mais velhas que pudessem ser quanto contagem fsica, se regozijam na sagrada novidade da nova vida, e lhe do graas e bendi-zem a Deus que ps Sua mo a trabalhar uma segunda vez e os vivificou a uma vida nova.

    Agora, como h uma vida nova e uma nova natureza e uma nova experincia, assim tambm h, tanto para o menino que nasceu, como para o homem ao qual foi regenerado um novo mundo. Tudo novo para um menino: seus irmos e irms lhe assustam. Quando sai ao ar livre e contempla os verdes campos pela primeira vez, fica maravilhado. Para o pequenino, tudo novo. Vive como em um museu pois est rodeado de maravilhas. Mesmo os brinquedos que os adul-tos olham com tanto desprezo, so grandes maravilhas para o pequenino; est encantado com todos eles. De igual ma-neira um cristo, um homem que renasceu, vive num mun-do novo. Tudo novo para ele agora, tal como lembro de ter escutado uma jovenzinha dizer quando encontrou pela primeira vez o Salvador. Quando veio para confessar sua f em Cristo disse: Ou eu estou completamente mudada ou o mundo est; e no pude evitar dizer-lhe que eu esperava que ambas as opes fossem vlidas; eu esperava que ela mesma tivesse mudado. E que esta mudana tivesse produ-zido o outro, de maneira que todas as coisas haviam se tor-nado novas. H um nov