A responsabilidade humana (charles haddon spurgeon)

  • Published on
    14-Aug-2015

  • View
    36

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

  1. 1. A Responsabilidade HumanaSermo pregado na manh de Domingo, 16 de Maio de 1858,Por Charles Haddon SpurgeonNo Music Hall do Royal Surrey Gardens, Londres.Se eu no viera, nem lhes houvera falado, no teriam pecado, mas agora no tem desculpa do seu pecado (Joo 15.22).O pecado marcante dos judeus, o pecado que agravou suas iniquidades anteriores acima de qualquer outra, foi sua recusa em receber Jesus Cristo como o Messias. Ele havia sido descrito com toda clareza nos livros dos profetas, e aqueles que O aguardavam, como Simeo e Ana, to logo o viram ainda recm-nascido, se regozijaram por contempl-lo, e compreenderam que Deus havia enviado Sua salvao. No entanto, como Jesus Cristo no correspondia as expectativas daquela gerao perversa; como Ele no veio com pompas, nem vestido como os poderosos; como ele no possua os privilgios de um prncipe, nem as honras de um rei, os judeus fecharam os olhos para no v-lo - Ele era como raiz de uma terra seca, Ele foi desprezado e o mais indigno entre os homens (Isaas 52.2,3). E seu pecado no se limitou a isso. No contentes em negar sua condio de Messias, os judeus estavam grandemente inflamados em sua ira contra Ele; o perseguiram durante toda sua vida, buscando seu sangue; e no se acalmaram at que sua malignidade diablica fosse saciada ao p da Cruz, onde assistiram as dores da morte e as agonias da expiao de seu Messias crucificado. Embora sobre a Cruz estivessem as palavras: Jesus de Nazar, Rei dos Judeus (Joo 19.19), eles no conheceram seu Rei, o Filho Eterno de Deus. E como no o conheceram, o crucificaram; se o houvessem conhecido nunca teriam crucificado o Senhor da Glria (I Corntios 2.8).Agora, o pecado dos judeus repetido todos os dias pelos gentios; aquilo que eles fizeram uma vez, muitos continuam a fazer dia aps dia. No existem muitos entre os presentes aqui hoje, escutando minha voz, que rejeitam o Messias? Vocs evitam a saia justa de neg-lo; vocs no querem se prejudicar indo a pblico para blasfem-lo, j que vivem num pas de maioria crist. Talvez vocs mantenham uma doutrina correta sobre Ele, e at creiam que Ele o Filho de Deus, bem como Filho de Maria; porm, ainda assim, no cumprem o que Ele pede, no lhe do qualquer honra, e no o aceitam como digno de sua confiana. Ele no
  2. 2. seu Redentor; vocs no esperam sua segunda Vinda, nem esto esperando ser salvos por meio de seu sangue; e ainda pior, vocs o esto crucificando hoje - por acaso no sabem que aqueles que negligenciam o Evangelho, crucificam novamente o Senhor e reabrem suas feridas? Por mais vezes que escutem a pregao da Palavra, a recusam; por mais vezes sejam prevenidos emudecem a voz de sua conscincia; por mais vezes sejam conduzidos ao temor, ainda dizem: Ainda no tempo, siga teu caminho, em momento apropriado, te buscarei. Em todas estas vezes, vocs tomam nas mos o martelo e os cravos, e vez aps outra, lhe perfuram as mos e sangram seu lado.Tambm de outros modos vocs o ferem, e quando atacam membros do seu corpo. Todas as vezes que desprezam Seus ministros, ou lanam pedras de tropeo no caminho de Seus servos, ou se tornam empecilhos ao Evangelho por mau testemunho, ou quando com palavras duras tentam desviar o caminho daquele que busca a Verdade em todas estas vezes vocs cometem a grande iniquidade que trouxe maldio sobre o povo judeu, e que os tem condenado a caminhar errantes pela Terra, at o dia da segunda Vinda, quando Ele vir e ser reconhecido, at mesmo pelos prprios israelitas, como o Rei dos judeus; para quem, tanto judeus quanto gentios, esto agora olhando com ansiosa expectativa, o Messias, o Prncipe que uma vez veio padecer, mas que vir outra vez para reinar.Hoje, vou me esforar para demonstrar o paralelo entre o caso de vocs e o dos judeus; e no farei isso com frases bem elaboradas, mas de maneira incidental, como Deus me ajudar, apelando para sua conscincia, fazendo- os sentir que, ao rejeitarem Cristo, cometem o mesmo pecado e incorrem no mesmo castigo. Em primeiro lugar, precisamos meditar sobre a excelncia do Ministrio da Palavra, no qual Cristo veio e falou aos homens: Se eu no viera, nem lhes houvera falado. Em seguida, meditaremos sobre o agravamento do pecado por causa da rejeio a mensagem de Cristo: nem lhes houvera falado, no teriam pecado. Em terceiro lugar, falaremos sobre a aniquilao de todas as desculpas pela pregao da Palavra: mas agora no tem desculpa do seu pecado. E, por fim, anunciaremos de modo breve, mas solene, a condenao terrivelmente agravada de quem assim rejeita o Salvador, e aumentam sua culpa por desprez- lo.I Em primeiro lugar, ento, devemos dizer nesta manh, e diz-lo com toda a verdade, que NA PREGAO DO EVANGELHO, O SENHOR JESUS VEM CONSCINCIA DO HOME E O SALVADOR LHE FALA, POR INTERMDIO DE. Quando o antigo Israel desprezou e murmurou
  3. 3. contra Moiss, lhes disse com mansido: As vossas murmuraes no so contra ns, mas sim contra o SENHOR (xodo 16.8). E, de fato, o ministro do Evangelho pode dizer o mesmo, apoiado pelas Escrituras: aquele que nos despreza, no despreza a ns, mas Aquele que nos enviou; aquele que rejeita a Mensagem, no rejeita o que estamos dizendo, mas antes, rejeita a Mensagem do Deus Eterno. O ministro apenas um homem, sem qualquer poder sacerdotal, todavia um homem que foi separado do resto da humanidade e tem sido capacitado pelo Esprito Santo para falar aos seus semelhantes; e, quando prega a verdade com o poder que vem do cu, Deus seu dono, o reconhece como seu embaixador, e o coloca na elevada e responsvel posio de atalaia sobre os muros de Sio, ordenando a todos os homens que se cuidem, pois uma mensagem fiel, fielmente pregada, se desprezada e pisada, equivale a rebelar-se contra Deus e pecar contra o Altssimo.Aquilo que eu falo como homem de pouca importncia, mas se eu falar como Embaixador do Senhor tome cuidado para no diminuir a mensagem. a Palavra de Deus, enviada dos cus, que pregamos pelo poder do Esprito Santo, suplicando-lhes encarecidamente que creiam nela, e que a guardem. Se voc a abandona coloca em perigo sua prpria alma, pois no somos ns que falamos, mas o prprio Esprito de Deus Nosso Senhor que fala em ns. Como isso torna solene o Ministrio da Pregao! Oh, vs, filhos dos homens, tal Ministrio no palavras humanas, mas o falar de Deus atravs dos homens!Tantos quantos so verdadeiramente chamados e enviados como servos de Deus, no so autores da mensagem que levam; antes, primeiro a ouvem do Mestre, e depois a relatam ao povo, mantendo sempre diante de seus prprios olhos aquelas solenes palavras: No falando para avisar o mpio acerca do seu caminho mpio, para salvar sua vida, aquele mpio morrer, mas o seu sangue da tua mo o requererei (Ez. 3.18). Oh! Que possam hoje, diante de vossos olhos, gravadas em letras de fogo, contemplarem as palavras do Profeta: terra, terra, terra! Ouve a Palavra do SENHOR! (Ez. 22.29). Porque na medida em que nosso Ministrio fiel, no contaminado pelo erro, a Palavra de Deus, e Ele tem o mesmo direito de exigir que a creiam como se Ele mesmo estivesse falando do topo do Sinai, e no falando atravs do humilde Ministrio da Pregao.Vamos nos deter um pouco sobre esta doutrina. Faamos a ns mesmos esta solene pergunta. No temos todos ns pecado grosseiramente contra Deus devido o descaso que muitas vezes demonstramos pelos Meios da Graa? Quantas vezes voc ficou distante da Casa de Deus, apesar de o
  4. 4. prprio Deus estar falando ali? Qual teria sido o fim de Israel se, quando convocado naquele dia para ouvir a Voz do Senhor no topo da montanha, tivessem preferido vagar pelo deserto? Porm, isso que voc tem feito. Voc tem buscado seu prprio prazer, tem dado ouvido ao canto sedutor da sereia, mas tapa os ouvidos para a Voz do Altssimo! E quando Ele mesmo vem falar em Sua Casa, tem se desviado para caminhos tortuosos, sem qualquer considerao pela voz do Senhor teu Deus. E quando se achega a Casa de Deus, quantas vezes o tem feito com olhos negligentes e ouvidos desatentos. Tem escutado como aquele que no ouve. Seu ouvido tem sido invadido, mas o homem escondido no corao permanece surdo; voc semelhante vbora que no pode escutar por mais habilidosos fossem nossos encantamentos, voc no ouviria nem enxergaria.Ademais, o prprio Deus s vezes tem falado em sua conscincia, de modo que voc o tem escutado. Voc caminhava pelo corredor, joelhos batendo uns nos outros, e assentou-se em seu banco; e enquanto algum poderoso Boanerges trovejou a Palavra, voc o escutava, como se fora a voz de um anjo: Prepara-te para te encontrares com o teu Deus - aplicai o vosso corao aos vossos caminhos - ordena tua casa, porque morrers e no vivers (7). Mesmo assim, ao sair da casa de Deus tens se esquecido do tipo de homem que . Voc tem extinguido o Esprito; voc tem menosprezado o Esprito da Graa; voc afasta para longe as inquietaes da sua conscincia; voc sufoca aqueles gemidos que comeavam a clamar em seu corao; voc afoga os desejos recm-nascidos que ainda brotavam; voc afasta tudo aquilo que bom e sagrado; voc retorna uma vez mais a seus prprios caminhos, tornando-se novamente um andarilho nas montanhas do pecado, e no vale da iniquidade.Ah, meus amigos! Basta que meditem por um instante como em tudo isto tem desprezado a Deus. Certamente, se nesta manh o Esprito Santo aplicar esta solene verdade em cada conscincia aqui, o Hall Of Music se transformar em uma casa de luto, e este lugar se tornaria uma Boquim, lugar de choro e lamentao (8).Oh! Ter desprezado a Deus, ter pisoteado o Filho do Homem, ter passado longe da Cruz, ter rejeitado a insistncia do seu amor e as advertncias da sua graa! Quo terrvel! J havia pensado nisso? Voc imaginava estar desprezando um homem, saber agora que seu desprezo contra Deus? Cristo quem tem falado a vocs.Ah! Deus minha testemunha sobre muitas vezes Cristo ter chorado com esses olhos, e vos falado com esses lbios. Nada tenho buscado, a no ser
  5. 5. a salvao das vossas almas. Algumas vezes por meio de palavras duras me esforo para conduzi-los C