A Santa Missa - Testemunho de Catalina Rivas

  • View
    840

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of A Santa Missa - Testemunho de Catalina Rivas

A Santa MissaTestemunho de Catalina

Propriedade registrada 2004, La Gran Cruzada del Amor y Misericordia. Todos os direitos reservados. Este livro publicado em coordenao com o Apostolado de la Nueva Evangelizacin (ANE - Apostolado da Nova Evangelizao) permitida a reproduo deste livro em sua totalidade, sem sofrer mudanas ou acrscimos, e sempre que a reproduo e distribuio forem feitas exclusivamente sem fins lucrativos. Este documento est disponvel sem custo algum, atravs da Internet. Pode-se entrar online e imprimi-lo dos seguintes sites na Web: Em espanhol: www.grancruzada.org Em ingls: www.greatcrusade.org Em portugus: grandecruzada.leiame.net

Apostolado da Nova Evangelizao (A.N.E.) (Merida, Abril 2003) www.a-n-e.net www.Jesucristovivo.org ane@a-n-e.net Calle 1H No.104 esquina 20 Col. Mxico Norte, C.P. 97128 Tel: (52) (999) 944-05-40 Fax: (52) (999) 948-17-77 Mrida, Yucatn, Mxico

Para informaes adicionais, por favor escreva para: ANE Brasil Caixa Postal 464 So Carlos-SP 13560-970 http://ane-brasil.leiame.net

No Brasil, o ANE est em formao: ANE Brasil Caixa Postal 464 So Carlos-SP 13560-970 http://ane-brasil.leiame.net

Imprimatur de Mons. Jos Oscar Barahona C., Bispo de San Vicente (El Salvador, C.A.) Li atentamente o impresso A Santa Missa, Testemunho de Catalina, Missionria leiga do Corao Misericordioso de Jesus, e no encontro nele nada contrrio Sagrada Escritura nem doutrina da Igreja; pelo contrrio, creio sinceramente que um testemunho de sublime ensinamento sobre o mistrio da Santa Missa. Recomendo vivamente sua leitura e meditao a sacerdotes e leigos para uma melhor compreenso e vivncia do Santo Sacrifcio do Altar San Vicente, 2 de maro de 2004

O ANE Apostolado da Nova Evangelizao uma associao catlica de leigos comprometidos com a Igreja, que respondeu ao insistente chamado de Sua Santidade, Joo Paulo II, que pediu em diversas ocasies sua Igreja que assuma a tarefa de promover uma Nova Evangelizao. Para assumir este compromisso, nosso Apostolado lanou ao mundo uma Grande Cruzada de Amor e de Misericrdia, com o objetivo de resgatar o homem que perdeu a f e a esperana, e que se encontra extraviado, para que volte seus olhos para Deus, para que se acolha em sua infinita Misericrdia e encontre a Paz de que tanto precisamos. Na maioria dos lugares em que temos presena, o ANE comeou com as conferncias dadas pelo Padre Renzo Sssolo e Catalina Rivas, fundadores de nosso movimento. A partir de pequenas clulas as Casinhas de Orao grupos de pessoas que decidiam reunir-se para rezar e ler as Sagradas Escrituras, o Catecismo da Igreja Catlica e os livros de crescimento espiritual prprios do ANE, pouco a pouco foi se constituindo, com a inspirao e ajuda de Deus, nosso Apostolado. Na dimenso social de sua atuao, nosso Apostolado procura assistir de maneira solidria a todos os irmos que sofrem, especialmente aos enfermos dos hospitais, aos que esto encarcerados, aos jovens e crianas de rua... A todos aqueles que se sentem abandonados. Os membros do ANE trabalham em comunho com seus procos, e sob as orientaes pastorais das Igrejas particulares em que nosso Apostolado est presente, com um compromisso cristo em tempo integral, pois, como dizia So Joo Crisstomo: No existiriam tantos ateus no mundo se nosso testemunho fosse mais verdadeiro

Por favor, compartilhe este presente! Se Jesus falou ao seu corao enquanto voc lia este livro, por favor, compartilhe estas palavras, tirando cpias deste documento para divulg-lo para pessoas que voc julgue que sero abenoadas por esta leitura. Por favor, permita que o Esprito Santo o guie na evangelizao, de acordo com os dons que Ele lhe concedeu.

DEDICATRIA A Sua Santidade, Joo Paulo II, Primeiro apstolo da Nova Evangelizao, de cujo exemplo os leigos recebemos f, coragem e piedade. Com imensa gratido e amor, A todos os sacerdotes: cordo umbilical de Deus com os homens, que transmitem a graa divina atravs do perdo e da Consagrao Eucarstica. Catalina

Irmo, irm, obrigada por me haveres permitido cumprir com a misso que me foi confiada: fazer chegar estas pginas at ti. Na prxima vez que assistires Santa Missa, vive-a. Sei que o Senhor cumprir contigo a promessa de que Nunca mais tua Missa voltar a ser como antes; e, quando O receberes: Ama-O! Experimenta a doura de te sentir repousando entre as dobras de Seu lado aberto por ti, para deixar-te Sua Igreja e Sua Me, para te abrir as portas da Casa de Seu Pai, para que sejas capaz de comprovar Seu Amor Misericordioso atravs deste testemunho e trates de corresponder a ele com teu pequeno amor. Que Deus te abenoe nesta Pscoa da Ressurreio. Tua irm em Jesus Cristo Vivo, CatalinaMissionria leiga do Corao Eucarstico de Jesus

no de Deus e tudo o mais lhe ser acrescentado, tudo, irmos! buscar o Reino de Deus por todos os meios e com todos os meios e... abrir as mos para receber TUDO por acrscimo; porque o Patro que melhor paga, o nico que est atento a tuas menores necessidades!

Disseram-lhe: Senhor, d-nos sempre deste po! Jesus replicou: Eu sou o po da vida: aquele que vem a mim no ter fome, e aquele que cr em mim jamais ter sede. (Jo 6,34-35) Ento Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se no comerdes a carne do Filho do Homem, e no beberdes o seu sangue, no tereis a vida em vs mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no ltimo dia. (Jo 6,53-54) Pois a minha carne verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu n e l e . Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim tambm aquele que comer a minha carne viver por mim. (Jo 6,55-57) Quem come deste po viver eternamente. (Jo 6,58)

26 - A Santa Missa

as peregrinaes, a Misericrdia de Deus no Sacramento da Confisso, a unio maravilhosa com o alimento da comunho, as palestras destes e daqueles pregadores. Em outras palavras, estamos recebendo tanto e no temos a coragem de sair de nossas comodidades, de ir a uma priso, a um instituto correcional, falar ao mais necessitado, dizer-lhe que no se entregue, que nasceu catlico e que sua Igreja precisa dele, ali, sofredor, porque essa sua dor vai servir para redimir a outros, porque esse sacrifcio vai lhe ganhar a vida eterna. No somos capazes de ir onde esto os doentes terminais nos hospitais e, rezando o tero da Divina Misericrdia, ajud-los com nossa orao nesse momento de luta entre o bem e o mal, para livr-los das armadilhas e tentaes do demnio. Todo moribundo tem medo e, s tomar a mo de um deles e falarlhe do amor de Deus e da maravilha que o espera no Cu junto a Jesus e Maria, junto aos seus entes queridos que partiram, j os reconforta. O momento que estamos vivendo no admite filiaes com a indiferena. Temos que ser a grande mo dos nossos sacerdotes para ir onde eles no podem chegar. Mas para isso, para ter a coragem, devemos receber Jesus, viver com Jesus, alimentarmonos de Jesus. Temos medo de nos comprometer um pouco mais e, quando o Senhor diz: Buscai primeiro o ReiA Santa Missa 25

torna certas pessoas to tbias, que no tm nada novo para dizer a Jesus ao receb-Lo. Das no poucas almas consagradas que perdem o entusiasmo de se enamorar pelo Senhor e fazem de sua vocao um ofcio, uma profisso qual no se entregam mais do que lhe exigido, mas sem sentimento... Depois o Senhor me falou dos frutos que cada comunho deve dar em ns. que acontece que h muita gente que recebe o Senhor diariamente e que no muda de vida. Que tem muitas horas de orao e faz muitas obras, etc. etc. Mas sua vida no se vai transformando, e uma vida que no vai se transformando no pode dar verdadeiros frutos para o Senhor. Os mritos que recebemos na Eucaristia devem dar frutos de converso em ns e frutos de caridade para com nossos irmos. Os leigos temos um papel muito importante dentro de nossa Igreja, no temos nenhum direito de nos calar diante do envio que o Senhor nos faz, como a todo batizado, para ir anunciar a Boa Nova. No temos nenhum direito de absorver todos estes conhecimentos e no os dar aos outros e permitir que nossos irmos morram de fome tendo conosco tanto po em nossas mos. No podemos ver que nossa Igreja esteja desmoronando, porque estamos cmodos em nossas Parquias, em nossas casas, recebendo e recebendo tanto do Senhor. Sua Palavra, as homilias do sacerdote,24 - A Santa Missa

TESTEMUNHO DE CATALINANa maravilhosa catequese com a qual o Senhor e a Virgem Maria nos tm instrudo - em primeiro lugar mostrando-nos o modo de rezar o Santo Rosrio, de rezar com o corao, de meditar e desfrutar os momentos de encontro com Deus e com nossa Me bendita; a maneira de se confessar bem - est a do conhecimento do que acontece na Santa Missa e o modo de viv-la com o corao. Este o testemunho que devo e quero dar ao mundo inteiro, para maior Glria de Deus e para a salvao de todo aquele que queira abrir seu corao ao Senhor. Para que muitas almas consagradas a Deus reavivem o fogo do amor a Cristo - as que so donas das mos que tm o poder de traz-Lo terra para que seja nosso alimento, e as outras, para que percam o costume rotineiro de receb-Lo e revivam o assombro do encontro cotidiano com o amor. Para que meus irmos e irms leigos do mundo inteiro vivam o maior dos Milagres com o corao: a celebrao Eucarstica.

Era a viglia do dia da Anunciao e os componentes do nosso grupo tnhamos ido confessar. Algumas das senhoras do grupo de orao no conseguiram fazlo e deixaram sua confisso para o dia seguinte, antes da Santa Missa. Quando cheguei no dia seguinte igreja, um pouco atrasada, o senhor Arcebispo e os sacerdotes j

estavam saindo do presbitrio: Disse a Virgem com aquela voz to suave e feminina que imediatamente enche a alma de doura: Hoje um dia de aprendizagem para ti e quero que prestes muita ateno, porque do que fores testemunho hoje, tudo o que viveres neste dia, ters que dar a con