A TRADUO DAS HISTRIAS EM QUADRINHOS: ??– tirinhas de jornal e revistas, revistas em quadrinhos e romances grficos –, ... Tambm chamada de arte sequencial por Will Eisner,

  • View
    231

  • Download
    16

Embed Size (px)

Text of A TRADUO DAS HISTRIAS EM QUADRINHOS: ??– tirinhas de jornal e revistas, revistas em quadrinhos e...

  • A TRADUO DAS HISTRIAS EM QUADRINHOS:

    CRITRIOS DE AVALIAO1

    Jos Manuel da Silva2

    RESUMO

    As histrias em quadrinhos deixaram de ser mera diverso para crianas e adolescentes. Atualmente, os adultos

    tambm consomem o gnero em larga escala. Hoje em dia, as histrias em quadrinhos, em suas diversas formas

    tirinhas de jornal e revistas, revistas em quadrinhos e romances grficos , vm sendo cada vez mais usadas em

    diversas situaes: apresentaes em congressos e seminrios, propaganda, campanhas de utilidade pblica,

    livros didticos e salas de aula, visto j serem encorajadas pelos PCNs (Parmetros Curriculares Nacionais). A

    histria em quadrinhos tampouco hoje em dia encontrada somente em papel; com o advento da Web, j existe

    uma produo especfica para este meio. A grande maioria das histrias em quadrinhos consumidas no Brasil

    vem de pases de lngua inglesa, e h poucos trabalhos que analisam a qualidade de sua traduo para o

    portugus. Assim, o presente trabalho investiga os critrios de avaliao para a traduo das histrias em

    quadrinhos. Primeiramente, faz-se um relato da literatura disponvel sobre histrias em quadrinhos e traduo,

    com o foco em elementos do gnero quadrinhos, aspectos culturais, humor, mitologia das personagens, procedimentos tcnicos de traduo, fidelidade, domesticao e estrangeirizao e obstculos traduo. A

    seguir comparam-se o original em ingls do romance grfico Superman: For All Seasons e sua traduo para o

    portugus do Brasil, Superman: As Quatro Estaes, de modo a identificar os itens que devem ser considerados

    na avaliao de uma traduo de histria em quadrinhos. Por fim, apresentam-se as concluses do trabalho.

    Palavras-chave: histrias em quadrinhos. traduo. critrios de avaliao.

    ABSTRACT

    Comics are no longer mere pastime for children and teenagers; adults also read the genre extensively. Today,

    comics, in their several forms newspaper and magazine strips, comic books and graphic novels , have been increasingly used in several situations: presentations at congresses and seminars, propaganda, public interest

    campaigns, textbooks and classrooms, especially because they have been acknowledged in the PCNs

    (Parmetros Curriculares Nacionais National Curriculum Parameters/Standards). Comics today are not only

    found on paper; with the Web, there is already a production targeted to this medium. The majority of comics

    consumed in Brazil come from English-speaking countries, and there are few studies that analyze the quality of

    their translation into Portuguese. Thus, this work investigates the evaluation criteria for the translation of comics.

    Firstly, there is a review of the literature available in the areas of comics and translation, focusing on the

    elements of the comics genre, cultural aspects, humor, mythology of the characters, technical procedures of

    translation, fidelity, domestication and foreignization, and obstacles to translation. After that, the English

    original of the graphic novel Superman: For All Seasons and its translation into Brazilian Portuguese, Superman:

    As Quatro Estaes, are compared, so as to identify the items that must be considered in the evaluation of a

    comic book translation. Finally, the conclusions of the research are presented.

    Key words: comics. translation. evaluation criteria.

    1 Introduo

    Parte da vida cotidiana moderna, as histrias em quadrinhos (HQs) so um produto

    direto da cultura de massas, mais especificamente da cultura jornalstica, cujo incio remonta

    Revoluo Industrial no incio do sculo XVIII na Inglaterra. Tambm chamada de "arte

    sequencial" por Will Eisner, constitui-se basicamente da interao entre palavra e imagem.

    1 Artigo originalmente apresentado Central de Cursos de Extenso e Ps-Graduao Lato Sensu da

    Universidade Gama Filho como requisito parcial para a concluso do Curso de Ps-Graduao em Traduo de

    Ingls. Orientadora: Prof Dr Beatriz Fernandes Caldas. 2 Mestre em Lingustica e Filologia Romnica pela UFRJ, professor de ingls, tradutor e especialista em

    Educao a Distncia pela UFJF e pela PUC-Rio.

    E-mail: josemsilvaprof@gmail.com

  • 2

    Hoje em dia, as HQs so publicadas em jornais (tirinhas), em revistas e em livros, as

    chamadas graphic novels ("romances grficos" ou "novelas grficas" em portugus).

    Consumidas em sua maior parte para a diverso de crianas, adolescentes e adultos, as HQs

    tambm so utilizadas em peas publicitrias, apresentaes (aulas, seminrios, congressos),

    livros didticos e at mesmo campanhas de sade. O boom de filmes baseados em

    personagens de HQs, bem como a chamada "invaso japonesa" dos mangs (HQs, em

    japons), vm trazendo ao grande pblico a (re)publicao de diversos ttulos que, muitas

    vezes, so utilizados na educao.

    Seja por diletantismo ou como ferramenta educacional, importante saber a quantas

    anda a qualidade das HQs, principalmente no tocante traduo, visto que em sua grande

    maioria vm de publicaes em lngua inglesa. Para tanto, necessrio adentrar o universo

    das HQs, investigar seus elementos (bales, recordatrios, texto, onomatopeias, planos,

    figuras cinticas, metforas visuais) e suas especificidades (o gnero HQ, aspectos culturais,

    humor, mitologia das personagens), que podem constituir obstculos traduo.

    Por constituir um gnero especfico muitos autores defendem que as HQs no so

    um subtipo da literatura , a traduo das HQs apresenta caractersticas prprias e exige, em

    muitas situaes, tcnicas particulares para ser realizada. disso que tratar este trabalho:

    estabelecer critrios para a avaliao da qualidade da traduo das HQs. Faz-se necessrio que

    estes critrios no sejam subjetivos, sejam claros e ataquem aspectos diretamente relacionados

    com a forma de arte conhecida como HQ. O escopo do trabalho ser majoritariamente o texto

    das HQs, no se considerando, em princpio, as imagens, exceto nos casos em que sejam

    imprescindveis ao entendimento da parte textual.

    Segundo Andr Lefevere (apud BRITTO, 2012, p. 40), "as nicas pessoas que

    podem julgar a qualidade de tradues so aquelas que no precisam delas, j que podem

    efetivamente ler o original". No se espera, assim, que o pblico em geral, particularmente os

    leitores de HQs, conhea o idioma ingls (material original a ser considerado neste trabalho)

    e/ou leia as HQs publicadas em portugus no Brasil constantemente cotejando-as com o

    original ingls. Por isso, preciso ter certeza de que as tradues foram bem feitas,

    principalmente, mas no somente, no caso de serem as HQs utilizadas em sala de aula.

    Mas o que uma boa traduo? Esta a pergunta que, desde Ccero (circa 46 a.C.),

    vem ocupando os tericos da traduo e os tradutores propriamente ditos. Ela vai levar

    diretamente questo da fidelidade e questo do original. Todo texto traduzido passa antes

    pela leitura por parte do tradutor, leitura essa que "contamina" o texto original, por ser este

    leitor um ser histrica e socialmente diferente do autor do texto original: "todo leitor ou

  • 3

    tradutor no poder evitar que seu contato com os textos (e com a prpria realidade) seja

    mediado por suas circunstncias, suas concepes, seu contexto histrico e social" (ARROJO,

    1986, p. 38). Sendo assim, Arrojo (1986, p. 40) prossegue:

    (...) impossvel resgatar integralmente as intenes e o universo de um autor,

    exatamente porque essas intenes e esse universo sero sempre, inevitavelmente,

    nossa viso daquilo que possam ter sido. Alm disso, como sugeriu o terico francs

    Roland Barthes, qualquer texto, por pertencer linguagem, pode ser lido sem a

    "aprovao" de seu autor, que pode apensas "visitar" seu texto, como um

    "convidado", e no como um pai soberano e controlador dos destinos de sua criao.

    (...) O autor passa a ser, portanto, mais um elemento que utilizamos para construir uma interpretao coerente do texto.

    Evidentemente, por se tratar de um campo de estudos bastante vasto, h divergncias

    quanto a essa questo de fidelidade e de original. Britto (2012, p. 37) quem esclarece:

    A fidelidade absoluta uma meta perfeitamente vlida, ainda que saibamos muito

    bem que, como todos os absolutos, ela jamais pode ser atingida. O tradutor

    responsvel aquele que, com os recursos de que dispe e com as limitaes a que

    no pode escapar, produz um texto que corresponda de modo razovel ao texto original.

    Britto (2012, p. 37) vai alm ao sustentar que "o tradutor tem a obrigao de se

    esforar ao mximo para aproximar-se tanto quanto possvel da inatingvel meta de fidelidade,

    e que ele no tem o direito de desviar-se desse caminho por outros motivos".

    Divergncias parte, possvel estabelecerem-se critrios que possam apontar para

    uma traduo satisfatria, contanto que estes critrios sejam bem definidos, fujam o mais

    possvel a qualquer subjetividade, sejam claros, objetivos e tenham como base os elementos

    principais daquilo que se est traduzindo. No caso das HQs, estes elementos so, basicamente:

    Elementos constituintes das HQs (bales, recordatrios, texto, onomatopeias, planos, figuras cinticas, metforas visuais) (cf. VERGUEIRO, 2006);

    O gnero HQ, como interao entre texto e imagem, considerando-se esta

    interao do ponto de vista da "arte sequencial", como definida por Eisner (1999;

    2005);

    Aspectos culturais;

    Humor;

    Mitologia das personagens e do chamado "universo" das HQs, muitas vezes

    confundido c