ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO NA ESCOLA: ENTRE O EDUCAR E ?· Desde a Declaração de Salamanca, de 1994,…

Embed Size (px)

Text of ACOMPANHAMENTO TERAPÊUTICO NA ESCOLA: ENTRE O EDUCAR E ?· Desde a Declaração de Salamanca, de...

Universidade de So Paulo

Faculdade de Educao

LENARA SPEDO SPAGNUOLO

ACOMPANHAMENTO TERAPUTICO NA ESCOLA:ENTRE O EDUCAR E O ANALISAR

So Paulo

2017

LENARA SPEDO SPAGNUOLO

ACOMPANHAMENTO TERAPUTICO NA ESCOLA:ENTRE O EDUCAR E O ANALISAR

Dissertao apresentada ao Programa dePs-Graduao da Faculdade deEducao da Universidade de So Paulo,para obteno do ttulo de Mestre emEducao.

rea de Concentrao: Psicologia eEducao

Orientador: Prof. Dr. Rinaldo Voltolini

So Paulo

2017

AUTORIZO A REPRODUO E DIVULGAO TOTAL OU PARCIAL DESTE TRABALHO, PORQUALQUER MEIO CONVENCIONAL OU ELETRNICO, PARA FINS DE ESTUDO E PESQUISA,DESDE QUE CITADA A FONTE.

Catalogao na PublicaoServio de Biblioteca e Documentao

Faculdade de Educao da Universidade de So Paulo

37.046 Spagnuolo, Lenara Spedo S733a Acompanhamento teraputico na escola: entre o educar e o analisar / Lenara

Spedo Spagnuolo; orientao Rinaldo Voltolini. So Paulo: s.n., 2017. 186 p. ils.; anexos Dissertao (Mestrado Programa de Ps-Graduao em Educao. rea

de Concentrao: Psicologia e Educao) - - Faculdade de Educao da Universidade de So Paulo.

1. Psicanlise 2. Aconselhamento psicoteraputico 3. Incluso escolar 4. Educao 5. Psicose infantil 6. Autismo I. Voltolini, Rinaldo, orient.

3

FOLHA DE APROVAO

SPAGNUOLO, Lenara Spedo. Acompanhamento Teraputico na escola: entre o educar e o

analisar. Dissertao apresentada Faculdade de Educao da Universidade de So Paulo para

obteno do ttulo de Mestre em Educao.

rea de Concentrao: Psicologia e Educao

Aprovada em:

Banca Examinadora:

Prof. Dr. ______________________________________________________________________

Instituio: __________________________________ Assinatura: ________________________

Prof. Dr. ______________________________________________________________________

Instituio: __________________________________ Assinatura: ________________________

Prof. Dr. ______________________________________________________________________

Instituio: __________________________________ Assinatura: ________________________

4

Para Alcia, que me ensinou que a delicadeza de um encontro transcende aspalavras.

5

Agradecimentos

Ao Rinaldo Voltolini, querido orientador, que me mostrou que as perguntas so mais importantesque as respostas. Agradeo a confiana para que eu pudesse sustentar meu desejo de saber.

A Cristina Kupfer, grande mestra que trouxe contribuies precisas sobre o enigma que educare analisar.

A Clarissa Metzger, agradeo o cuidado e a generosidade na leitura do texto e em sua transmissosobre clnica do Acompanhamento Teraputico desde nosso primeiro encontro.

A Sandra Berta, que atravs de sua escuta me fez encontrar Alcia.

A Equipe Ns de Acompanhamento Teraputico, em especial a Beatriz Almeida, com quem incieia trajetria como acompanhante teraputica. Agradeo os encontros semanais, as supervises, astrocas e, claro, as risadas.

A Michele Roman Faria pela importante influncia e ricas contribuies em minha clnica.

A Paula Fonseca, Ana Beatriz Lerner e Marise Bastos, veteranas queridas que o mestrado me deue que a cada encontro me ensinam um tanto.

s amigas irms Ju, Nan, Dita e Camilinha pelas conversas sobre a vida, por me escutarem epor estarem ao meu lado, sempre.

Aos queridos amigos da Psicologia: R Carioca, Mayra, Thierry, Tiemi, Bruna, Silvia, Julinda,Zaik, Yuri, Johnny, Danilo, companheiros de faculdade, de trabalho e da vida que me lembramque no podemos levar to srio uma dissertao de mestrado sem se divertir um tanto.

Ao amigo Alan Osmo, pela cuidadosa reviso do texto que, atravs de apontamentos precisos,alm de melhorar o texto, me fez acreditar que eu tinha algo a dizer.

A Slvia, Regina, Joana, Cacau, Flvia, Cris, Flora e Ju: mulheres e educadoras que me ensinaramque o educar mais sensvel acontece no quintal da escola. Agradeo a generosidade, as trocas e oacolhimento na escola durante os anos de pesquisa.

Aos meus queridos irmos, Larissa e Matheus, por me mostrarem que rir da vida reinvent-la.

Aos meus pais, Snia e Mario, pelo amor incondicional que me permite caminhar com asprprias pernas e por me ensinarem, talvez sem saber, que de sonhos que se constri uma vida.

Ao Andr, que sustenta ao meu lado o amor que inventamos diariamente.

CAPES pela bolsa concedida, fundamental ao desenvolvimento do trabalho.

6

Alice apanhou o leque e as luvas, e, como fazia muito calor no salo, ficou se abanando semparar enquanto falava: Ai, ai! Como tudo est esquisito hoje! E ontem as coisas aconteciam

exatamente como de costume. Ser que fui trocada durante a noite? Deixe-me pensar: eu era amesma quando me levantei esta manh? Tenho uma ligeira lembrana de que me senti um

bocadinho diferente. Mas, se no sou a mesma, a prxima pergunta : `Afinal de contas quem soueu?Ah, este o grande enigma!.

()No vai adiantar nada eles encostarem suas cabeas no cho e pedirem Volte para c, querida!

Vou simplesmente olhar para cima e dizer Ento quem sou eu? Primeiro me digam; a, se eugostar de ser essa pessoa, eu subo; se no, fico aqui embaixo at ser alguma outra pessoa Mas,

ai, ai! exclamou Alice numa sbita exploso de lgrimas, queria muito que encostassem acabea no cho! Estou to cansada de ficar assim sozinha aqui!.

(Aventuras de Alice no Pas das Maravilhas, Lewis Carroll).

7

RESUMO

SPAGNUOLO, L. S. Acompanhamento Teraputico na escola: entre o educar e o analisarDissertao (Mestrado em Educao) - Faculdade de Educao, Universidade de So Paulo, SoPaulo, 2017.

Este trabalho tem como objetivo central discutir a finalidade e o lugar ocupado pelo

acompanhante teraputico que funciona como apoio aos processos inclusivos escolares. Partimos

da hiptese de que este profissional, uma vez orientado pela psicanlise, se posicionaria entre o

educar e o analisar. Como metodologia, recorremos articulao entre a experincia clnica e a

reflexo terica orientada por textos psicanalticos. Realizamos, inicialmente, um levantamento

bibliogrfico acerca do Acompanhamento Teraputico na escola e contextualizamos

historicamente esse dispositivo clnico que nasce no campo da sade mental, o que tem grandes

consequncias para seu deslocamento em direo ao terreno escolar. Em seguida, analisamos

como tem ocorrido o encontro do Acompanhamento Teraputico com a escola, especialmente no

que se refere s construes discursivas em torno dos saberes sobre a incluso escolar e sobre a

criana dita de incluso. No terceiro captulo, apresentamos a concepo de educar a qual

estamos referidos, e delimitamos nosso estudo ao campo da incluso escolar em torno das

crianas psicticas e autistas, apresentando seus modos particulares de construo de

conhecimento e de estar no lao social. No ltimo captulo, a partir da teoria dos quatro discursos

proposta por Lacan (1969-70), discutimos o que h do analtico e do educativo no trabalho do

acompanhante teraputico na escola. A partir de cenas de um processo de alfabetizao,

sustentamos um modo de trabalho que seja dirigido no s criana, mas tambm escola.

Defendemos, por fim, que esse profissional esteja na escola orientado pela construo de um

lugar de aluno para a criana acompanhada. ento, quando o lao entre professor e aluno puder

operar, que a presena do acompanhante torna-se dispensvel.

Palavras-chave: Psicanlise. Acompanhamento Teraputico. Incluso escolar. Educao.Psicose. Autismo.

8

ABSTRACT

SPAGNUOLO, L. S. Therapeutic Accompaniment in school: between educating and analyzing.

Dissertation (Master in Education) - Faculty of Education, University of So Paulo, So Paulo,

2017.

This work aims to investigate the primary goal and function occupied by the therapeutic

companion who works as a support to inclusive school processes. We start from the hypothesis

that this professional, once guided by psychoanalysis, would pose himself between educating and

analyzing. Our methodology framework is the articulation between clinical experience and

theoretical reflection guided by psychoanalytic texts. After an initial bibliographic survey on

Therapeutic Accompaniment in schools, we historically contextualize this clinic approach that

has emerged in the field of mental health and has substantial consequences for its transposition

towards the school field. Afterwards, we analyze how the connection of Therapeutic

Accompaniment with schools has taken place, especially with regard to the discursive

constructions around the knowledge about the school inclusion and about the child with special

needs. In the third chapter, we present the concept of education to which we are referred to, and

restrict our study to the field of school inclusion around psychotic and autistic children. Here we

present the specific ways they build knowledge and socially bond. In the last chapter, based on

Lacans theory of the four discourses (1969-70), we discuss what belongs to the analytic and

educational fields in