Afrfb 2012 Prova Resolvida Contabilidade

  • View
    1.361

  • Download
    10

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Prova Comentada AFRF 2012.Concurso AFRF 2012.

Text of Afrfb 2012 Prova Resolvida Contabilidade

Auditor da Receita: prova comentada de contabilidade geral e avanada

Ol, amigas e amigos concurseiros! Com todas as questes comentadas, aqui est a prova de contabilidade geral e avanada aplicada para auditor-fiscal/2012. Peo que me desculpem pelos erros e descuidos, pois esse trabalho foi feito s pressas, em razo da urgncia. Quem tem meus livros Contabilidade Bsica 9 edio e Contabilidade Avanada 5 edio pode conferir mais detalhes, acompanhando as pginas citadas antes dos comentrios. Para minha felicidade, apenas uma questo no est explicitamente contida nesses livros. Boa sorte e um forte abrao! Ricardo Ferreira

CONTABILIDADE GERAL E AVANADA

1 - Entre as caractersticas qualitativas de melhoria, a comparabilidade est entre as que os analistas de demonstraes contbeis mais buscam. Dessa forma, pode-se definir pela estrutura conceitual contbil que comparabilidade a caracterstica que a) permite que os usurios identifiquem e compreendam similaridades dos itens e diferenas entre eles nas Demonstraes Contbeis. b) utiliza os mesmos mtodos para os mesmos itens, tanto de um perodo para outro, considerando a mesma entidade que reporta a informao, quanto para um nico perodo entre entidades. c) considera a uniformidade na aplicao dos procedimentos e normas contbeis, onde, para se obter a comparabilidade, as entidades precisam adotar os mesmos mtodos de apurao e clculo. d) garante que usurios diferentes concluam de forma completa e igual, quanto condio econmica e financeira da empresa, sendo levados a um completo acordo. e) estabelece procedimentos para a padronizao dos mtodos e processos aplicados em demonstraes contbeis de mesmo segmento. Base para a soluo: Contabilidade Avanada, 5 edio, Ricardo Ferreira, Editora Ferreira, pgina 41. Caractersticas qualitativas de melhoria QC19. Comparabilidade, verificabilidade, tempestividade e compreensibilidade so caractersticas qualitativas que melhoram a utilidade da informao que

Rua das Marrecas, 15, Centro CEP 20031-120 Rio de Janeiro RJ / Telefax: 2544-3752/2544-9202 / www.editoraferreira.com.br

relevante e que representada com fidedignidade. As caractersticas qualitativas de melhoria podem tambm auxiliar a determinar qual de duas alternativas que sejam consideradas equivalentes em termos de relevncia e fidedignidade de representao deve ser usada para retratar um fenmeno. Comparabilidade QC20. As decises de usurios implicam escolhas entre alternativas, como, por exemplo, vender ou manter um investimento, ou investir em uma entidade ou noutra. Consequentemente, a informao acerca da entidade que reporta informao ser mais til caso possa ser comparada com informao similar sobre outras entidades e com informao similar sobre a mesma entidade para outro perodo ou para outra data. QC21. Comparabilidade a caracterstica qualitativa que permite que os usurios identifiquem e compreendam similaridades dos itens e diferenas entre eles. Diferentemente de outras caractersticas qualitativas, a comparabilidade no est relacionada com um nico item. A comparao requer no mnimo dois itens. QC22. Consistncia, embora esteja relacionada com a comparabilidade, no significa o mesmo. Consistncia refere-se ao uso dos mesmos mtodos para os mesmos itens, tanto de um perodo para outro considerando a mesma entidade que reporta a informao, quanto para um nico perodo entre entidades. Comparabilidade o objetivo; a consistncia auxilia a alcanar esse objetivo. QC23. Comparabilidade no significa uniformidade. Para que a informao seja comparvel, coisas iguais precisam parecer iguais e coisas diferentes precisam parecer diferentes. A comparabilidade da informao contbilfinanceira no aprimorada ao se fazer com que coisas diferentes paream iguais ou ainda ao se fazer coisas iguais parecerem diferentes. QC24. Algum grau de comparabilidade possivelmente obtido por meio da satisfao das caractersticas qualitativas fundamentais. A representao fidedigna de fenmeno econmico relevante deve possuir naturalmente algum grau de comparabilidade com a representao fidedigna de fenmeno econmico relevante similar de outra entidade que reporta a informao. QC25. Muito embora um fenmeno econmico singular possa ser representado com fidedignidade de mltiplas formas, a discricionariedade na escolha de mtodos contbeis alternativos para o mesmo fenmeno econmico diminui a comparabilidade. A Estrutura Conceitual evidencia a necessidade de as demonstraes contbeis da entidade serem comparveis entre si ao longo dos anos, bem como com demonstraes de outras entidades. Para alcanar esse objetivo, torna-se necessrio que a mensurao e apresentao dos efeitos financeiros de fatos semelhantes sejam processadas de modo consistente ao longo dos diversos exerccios. Portanto, preciso informar os mtodos ou critrios adotados pela entidade, as mudanas e os seus efeitos. Todavia, a Estrutura Conceitual no defende a uniformidade a todo custo, recusando que ela se torne um impedimento introduo de normas contbeis aperfeioadas. Se a prtica contbil adotada no est em conformidade com as caractersticas qualitativas de relevncia e representao fidedigna, deve ser mudada, ainda que em prejuzo da uniformidade de critrio. Tambm no se devem manter certas prticas contbeis quando existam alternativas mais relevantes e confiveis.

Rua das Marrecas, 15, Centro CEP 20031-120 Rio de Janeiro RJ / Telefax: 2544-3752/2544-9202 / www.editoraferreira.com.br

2 - A Empresa Controladora S.A., companhia de capital aberto, apura um resultado negativo de equivalncia patrimonial que ultrapassa o valor total de seu investimento na Empresa Adquirida S.A. em R$ 400.000,00. A Empresa Controladora S.A. no pode deixar de aplicar recursos na investida, uma vez que ela a nica fornecedora de matria-prima estratgica para seu negcio. Dessa forma, deve a investidora registrar o valor da equivalncia a) a crdito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado. b) a crdito de uma proviso no passivo, para reconhecer a perda no investimento. c) a crdito de uma proviso no ativo, redutora do investimento. d) a dbito do investimento, ainda que o valor ultrapasse o total do investimento efetuado. e) a dbito de uma reserva de capital, gerando uma cobertura para as perdas. Base para a soluo: Contabilidade Avanada, 5 edio, Ricardo Ferreira, Editora Ferreira, pgina 321. Uma vez reduzida a zero o saldo contbil da participao do investidor, eventuais perdas adicionais apenas so consideradas e um passivo somente reconhecido caso o investidor tenha incorrido em obrigaes legais ou construtivas (no formalizadas) de fazer pagamentos em nome da coligada. Por exemplo, o investidor se compromete a pagar eventuais dvidas da coligada para no prejudicar sua imagem no mercado. Se a coligada subsequentemente apura lucros, o investidor deve retomar o reconhecimento de sua participao nesses lucros somente aps o ponto em que a parte que lhe cabe nesses lucros posteriores se iguala sua participao nas perdas no reconhecidas, ou seja, a partir de quando recupera o prejuzo. 3 - Na identificao e determinao de erro contbil de perodos anteriores, devem ser consideradas as omisses e incorrees nas demonstraes contbeis da entidade de um ou mais perodos anteriores que a) no estavam disponveis quando da autorizao para divulgao das demonstraes contbeis desses perodos e no retroagissem a prazo superior a dois exerccios contbeis. b) somente quando se verifica efetivamente fraudes administrativas nos clculos e informaes que respaldaram as informaes sobre as quais as demonstraes retrospectivas foram baseadas. c) na avaliao de seus efeitos inclussem os efeitos decorrentes de clculos matemticos ou aplicao equivocada de polticas contbeis que no retroagissem a cinco perodos contbeis. d) contivessem informaes que pudessem ter sido razoavelmente obtidas e levadas em considerao na elaborao e na apresentao dessas demonstraes contbeis.

Rua das Marrecas, 15, Centro CEP 20031-120 Rio de Janeiro RJ / Telefax: 2544-3752/2544-9202 / www.editoraferreira.com.br

e) a necessidade de uma reapresentao retrospectiva exigir premissas baseadas no que teria sido a inteno da Administrao naquele momento passado e no produzissem efeitos fiscais. Base para a soluo: CPC 23. Erros de perodos anteriores so omisses e incorrees nas demonstraes contbeis da entidade de um ou mais perodos anteriores decorrentes da falta de uso, ou uso incorreto, de informao confivel que: (a) estava disponvel quando da autorizao para divulgao das demonstraes contbeis desses perodos; e (b) pudesse ter sido razoavelmente obtida e levada em considerao na elaborao e na apresentao dessas demonstraes contbeis. Tais erros incluem os efeitos de erros matemticos, erros na aplicao de polticas contbeis, descuidos ou interpretaes incorretas de fatos e fraudes. 4 - Os bens adquiridos e mantidos pela empresa, sem a produo de renda e destinados ao uso futuro para expanso das atividades da empresa, so classificados no balano como a) Imobilizado em Andamento. b) Realizvel a Longo Prazo. c) Propriedades para Investimentos. d) Investimentos Temporrios. e) Outros Investimentos Permanentes. Base para a soluo: Contabilidade Avanada, 5 edio, Ricardo Ferreira, Editora Ferreira, pgina 259. A Lei das Sociedades por Aes estabelece que tambm so classificados no ativo no circulante, como investimentos, os direitos de qualquer natureza, no classificveis no ativo circulante, e que no se destinem manuteno da atividade da companhia ou da empresa. Esse item recebe os ativos que no podem ser classificados em outros grupos e subgrupos. Vale dizer, na hiptese de o direito no se enquadrar em outra disposio da lei sobre a classificao dos elementos do ativo, deve-se inclu-lo entre os demais investimentos. Apesar da omisso no texto da Lei n 6.404/76, para que os direitos de qualquer natureza figurem no ativo no circulante como investimentos, tambm necessrio que no possam ser classificados no ativo realizvel a longo prazo. O texto d