Agenda Cultural do Recife - Dezembro 2014

  • View
    237

  • Download
    9

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Agenda Cultural do Recife - Dezembro 2014

  • ANO 20 N 232

    Prefeitura do Recife Secretaria de Cultura Fundao de Cultura DEZ

  • prefeitura do recifePrefeito do Recife Geraldo JlioVice-prefeito do Recife Luciano SiqueiraSecretria de Cultura Leda Alves

    Fundao de Cultura Cidade do RecifePresidente Diego RochaVice-presidente Slvio MarinhoGerente Geral de Administrao e Finanas Josina BezerraGerente Geral de Aes Culturais e Infraestrutura Slvio Srgio DantasGerente de Desenvolvimento e Descentralizao Cultural Iana Cludia Marques

    Agenda CulturalEditor Manoel ConstantinoReprteres Anax Botelho, Erika Fraga e Jaciana SobrinhoEstagiria de jornalismo Thays MonteiroEstagiria de fotografia Roberta MenezesEquipe Gerencial Christina Simo e Jacqueline Moraes Verso online Jacqueline MoraesReviso Norma BarachoProjeto Grfico Estdio Vivo | Fernanda Lisboa e Matheus BarbosaDiagramao Lcia RodriguesFoto da capa Prespio | Foto Roberta Menezes

    Impresso MXM Grfica e EditoraTiragem 10.000 exemplares

    Cais do Apolo, 925, 15 andar, Bairro do Recife Recife-PE CEP 50030 230Telefone 81 3355 8065 Fax 81 3355 8810agendaculturaldorecife@gmail.comwww.recife.pe.gov.br/agendaculturalwww.agendaculturaldorecife.blogspot.comTwitter @agendaculturall

    Programao sujeita a alterao. Por favor, confirmar.Sugestes de pauta devem ser enviadas at o dia 15.

  • O NATAL DO RECIFE, UMA CELEBRAO DE PAZ

    Com inspirao na simbologia crist, o natal do Recife traz, em suas cores, a simbologia da paz, da luz e da alegria, sinalizando com estrelas, pssaros, peixes e nos remetendo ao equilbrio entre o cu e a terra, paz, ao esprito santo e fartura.

    A decorao assinada pela design Bete Paes que tambm nos lembra que um tempo de festa e ce-lebrao.

    E em tempo de festa, a cidade receber apresen-taes de pastoris, cirandas, bois, cavalos marinhos, mamulengos, danas populares, corais, cantatas na-talinas, cco, e orquestras de baile, atraes que fa-ro um fim de ano mais regionalizado e muito mais prximo da nossa identidade cultural.

    Vrios plos sero espalhados pelos bairros, alm do Bairro do Recife. A virada do ano acontecer na orla de Boa Viagem, no polo do Pina, Ibura, Morro da Conceio, e na Lagoa do Ara.

    Para que a festa fique mais a Prefeitura do Reci-fe presta homenagem a trs mulheres identificadas com o esprito do ciclo natalino e por suas contri-buies culturais: a diretora artstica do Grupo Bac-nar e do Bal de Arte Negra Recife, Antnia Batista Ferreira; a professora de Educao Artstica e irm do mestre Ubiracy Ferreira, Jurandir Austermann, mais conhecida por Juju; a fundadora do Conservatrio Pernambucano de Msica e representante da Unesco em Pernambuco, junto ao segmento da Cultura Po-pular, Cirinia do Amaral.

    Oportunamente tambm ser homenageado o auto de Natal O Baile do Menino Deus, um texto es-crito por Ronaldo Correia de Brito e Francisco Assis Lima, com msicas de Antnio Madureira.

    Que 2015 nos traga paz, luz, alegria e fartura.

    Manoel ConstantinoEditor

    Conexo

    Ciclo Natalino

    Entrevista

    Sabores do Recife

    Por trs das cortinas

    Artes Cnicas

    Canto Daqui

    Msica

    Circulando

    Perfil do Arteso

    Artes Visuais

    Clic

    Cinema e vdeo

    Moda

    Giro Literrio

    Cursos e Concursos

    Ilustra

    Servios

    2

    8

    12

    17

    21

    28

    40

    43

    51

    53

    57

    62

    63

    67

    69

    73

    79

    80

  • 4 NOV 2014

    CON

    EX

    O

    Por uma vida cultural mais ativa

    Por Por Erika FragaFotos: Divulgao

    Uma vida cultural intensa traz diversos benefcios sade, aqueles que se integram mais s atividades cria-tivas mostram-se mais satisfeitos com a vida. A cidade proporciona diversas atividades de lazer, basta olhar atentamente o que temos ao nosso redor, em cada es-quina encontramos museus, centros culturais, teatros, cinemas alternativos... Todos de portas abertas espe-rando que ns nos apropriemos de toda essa cultura.

    A atriz e professora Rose Quirino sempre respirou cultura, apesar de ter uma vida profissional bastante movimentada ela sempre faz o possvel para agregar atividades culturais na sua rotina. Como professora, ela tem uma rotina bastante carregada, e sempre busca desenvolver com os alunos atividades relacionadas s

    Leo Vila Nova

  • 5CONEXO

    artes realizando leituras dramati-zadas, recitais poticos, encenao de algumas peas, tudo isso para estimular a leitura e a divulgao do gnero dramtico. Como atriz estou sempre no exerccio da pro-fisso, quer produzindo um novo projeto quer ensaiando um novo trabalho, assistindo s peas dos colegas ou demais. Vou a cinemas e tambm participo de discusses referentes poltica cultural da ci-dade, pois ser atriz no s est nos palco, mas atuar nos diversos segui-mentos que compem a atuao c-nica, pontua.

    Rose organiza sua programao cultural de acordo com a disposio fsica, j que tem a semana muito cheia de atividades relacionadas a aulas e ao teatro. Tem final de semana que prefiro ficar em casa curtindo um programinha caseiro com a famlia, porm costumo no perodo de um ms usar trs finais de semana com uma programao cultural, incluindo viagem, praia, cinema, teatro, exposio, show etc., diz. Para se programar, ela busca informaes em jor-nais, na Agenda Cultural do Recife e nas redes sociais para ver o que os amigos propem. Hoje, as mdias so-ciais so timos veculos de divulgao de tudo o que acontece. Contudo procuro otimizar o tempo para descontrair um pouco, para isso procuro ver a pro-gramao de teatros, cinemas, exposies e barzinhos com os amigos, destaca.

    Aos domingos, ela procura curtir uma programao diurna j que precisa se manter bem equilibrada para a maratona semanal. Para isso, no abre mo de uma boa pedalada na ciclovia, que ajuda a manter a boa forma e a disposio em dia. Rose tambm adepta de praia,

    Rose Quirino

  • 6 NOV 2014

    das comedorias e dos bons papos dos mercados pblicos. Os merca-dos da Boa Vista e o da Madalena so dois lugares interessantssimos, nos quais se come bem, se ouve m-sica, renem-se pessoas com diver-sos fins, se bebe e se fica bem para qualquer papo da vida rolar. Olinda com seus eventos, encantos, bares e restaurantes, sua gente, suas ruas e arquitetura sempre um bom pro-grama pra se fazer, destaca.

    Outro ponto muito frequentado por Rose o bar Central ou frontal, localizado no corao da cidade, h muito tempo considerado o pon-to de encontro de artistas, jovens, gente descontrada. Nunca gostei de sair sozinha, saio sempre na compa-nhia da minha companheira ou de amigos, dessa forma o programa fica mais agradvel e divertido. Ir a teatro um programa que gosto muito de fazer, portanto, ir e fazer teatro algo que j est em mim. Cinema um local que gosto muito, principalmente o So Luiz, pois um cinema diferente dos demais, est no centro da cidade, o preo do ingresso bem melhor que nos shoppings e cenrio para uma diversidade de filmes e festivais interessantssimos, contextualiza.

    Segundo a atriz, o Recife considerado um dos maiores polos culturais do pas, porm no h uma valorizao do artista local para que a cidade faa jus a sua cultura, a sua gente. Para ela, a cultura do Recife no to satisfatria, mas graas a sua gente e aos seus artistas ela consegue ser inovadora, criar alternativas para fugir da burocracia do poder pblico e reinventar uma nova maneira de fazer arte como resistncia e pra-zer. Quando visitei o Recife pela primeira vez em 1996, o que me chamou a ateno foi diversidade cultural que acontecia nas ruas, isso me impressionou porque

    Pao do Frevo, Bairro do Recife

  • 7CONEXO

    eu tambm queria ver essa coisa da rua acontecendo na minha cidade, Joo Pessoa. Nos anos seguinte, 1998 a 2005, quando passei a morar aqui fiquei impressiona-da com a movimentao cultural da cidade, os espaos alternativos para teatro nas suas diversas expresses, shows, barzinhos, festivais acontecendo nas ruas, te-atros funcionando com shows, cinemas etc. Mas hoje percebo uma cidade com menos efervescncia cultural e mais efervescncia de insatisfao, principalmente no que se refere ao teatro, pois como admitir um teatro como o Teatro do Parque h tanto tempo fechado, tea-tro este que o corao da cidade? Festivais que ficam a desejar, artistas sem recurso para realizao de seus projetos e que trabalham para receber seu cach sabe l quando..., desabafa.

    Para o ator Cleyton Cabral, menor nmero de te-atro em condies de uso e a diminuio dos grandes espetculos fazem com que os artistas procurem novas alternativas, surgindo um novo fenmeno na cidade. J que no temos muitos espaos e os teatros esto entregues s baratas, os artistas es-to abrindo as portas de suas casas e apartamentos para experimenta-rem o fazer teatral. mais que uma opo esttica, uma forma de pro-testo, revela. Cleyton que alm de ator publicitrio e escritor tem dois livros publicados: Tempo nu-blado no cu da boca e Mosaico. Este ltimo uma coletnea feita com outros quatro escritores (Ccero Belmar, Raimundo de Moraes, Ge-rusa Leal e Lucia Moura), do grupo de estudos do qual faz parte, Au-toajuda Literria. Cleyton mantm um blog de poesia: www.cleytudo.blogspot.com.

    Rose Quirino

  • 8 NOV 2014

    De domingo a domingo, ele cos-tuma fazer programaes culturais. Basta ter um programa bacana, pode ser no meio da semana que l estou eu. Costumo sair com ami-gos, gosto de ir ao teatro, a museus, bares, livrarias e cafs. Geralmen-te fico sabendo das dicas culturais pelo jornal ou na internet e tam-bm atravs de amigos, comenta. Cleyton costuma montar sua pro-gramao com certa antecedncia para no chocar com o cronograma de ensaios, por exemplo.

    Bem organizado, o jornalista e msico Leonardo Vila Nova costuma andar sempre com a sua agenda. Nela ele anota as atividades da semana inteira inclusi-ve as diverses dos finais