Agro Magazine

  • Published on
    30-Mar-2016

  • View
    217

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A fora da produo do campo em um espao frtil de ideia

Transcript

  • ALYSSON PAULINELLI

    O HOMEM QUEDESCOBRIU O CERRADO

    EDI

    O 0

    4 //

    OES

    TE D

    A BA

    HIA

    // S

    ET/2

    012

    // R

    $ 9,

    99

    O U Z AE D I T O R A

    O CACAUDO OESTE

    ARTIGOS A FORA DA CADEIA

    AGROINDUSTRIAL DACARNE BOVINA

    QUALIDADE DA UVA AFETADA POR TEMPO DE

    EXPOSIO NA PRATELEIRA

    REPORTAGENS TIO MRIO INAUGURA

    INDSTRIA QUE PRODUZ MAIS DE 300 MIL SACAS POR MS

  • 2 MAGAZINE SET/2012

  • SET/2012 MAGAZINE 3

    EDITORIAL

    HOMENAGEM AO PIONEIRO

    o de hoje o debate acerca da necessidade, em um futuro prximo, de se aumentar a produo de alimen-tos a fi m de sanar a demanda de um planeta que no para de crescer. O Brasil, nesse cenrio, visto como

    ponto estratgico, a grande potncia agrcola mundial, embora o pas continue a ser bombardeado por ONGs estrangeiras e pelo mundo ambientalista, em especial, depois de aprovado o Novo Cdigo Florestal.

    Na reportagem de capa desta edio entrevistamos o ex-minis-tro da Agricultura, entre os anos 1974 e 1979, Alysson Paulinei, que ser homenageado pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Lus Eduardo Magalhes no fi nal de setembro como um dos grandes responsveis pela inveno da agricultura no cerrado. Alis, a regio, em particular a baiana, sofreu com a seca deste ano. A Bahia registrou a maior seca dos ltimos 47 anos.

    Os nmeros do Produto Interno Bruto (PIB) agropecurio do primeiro trimestre no Estado s reforam a preocupao de go-verno e empresrios. No primeiro trimestre de 2012 houve um recuo de 7,3% no PIB da agropecuria, em comparao com os trs ltimos meses de 2011, de acordo com dados do IBGE. A queda assusta ainda mais quando comparado com o desem-penho do primeiro trimestre de 2011, que apresentou recuo de 8,5%.

    Apesar disso, o Ministrio da Agricultura estima um cresci-mento de 2,1% ao ano no rebanho bovino no perodo 2011/2012 a 2021/2022. As perspectivas so positivas tambm para a ex-portao, visando a consolidao de mercado - hoje o Brasil j exporta para 135 pases, com destaque para Rssia. E para tratar do mercado de pecuria de corte na regio conversamos com o empresrio Antnio Balbino de Carvalho Neto. Afora isso, esta edio traz ainda reportagem sobre a produo de cacau na re-gio, o algodo do Oeste na prxima safra e uma breve entrevista com o diretor do Tecon de Salvador.

    Boa leitura!

    09 Coluna PesquisaQualidade da uva afetada por tempo deexposio na prateleira

    10 Coluna Helmuth KieckhferA fora da cadeia agroindustrial da carne bovina

    12 Entrevista Alysson Paulinelli: Cerrado, uma inveno brasileira16 Bioma Um histrico sobre o Cerrado25 Nova Indstria Tio Mrio inaugura fbrica de sacaria e produz

    at 300 mil sacos por ms

    28 Produo P no freio do cultivo do algodo30 Srgio Augusto Gonalves Exportao via Salvador32 Antnio Balbino Neto Pecuria de corte no Oeste34 AgroAgenda Eventos voltados para a rea em todo o pas

    20CACAU DO OESTERegio com clima improvvel para cultura cacaueirasurpreende e produz mais por hectare do que no Sul da Bahia

    Editor/Diretor de redao: Ccero Flix (DRT-PB 2725/99)(77) 9131.2243 e 9906.4554 sousa.cfelix@gmail.com

    Secretria de redao: Carol Freitas

    Redao: Anton Roos e Thiara Reges

    Consultoria tcnica: Leonardo Costa dos Santos

    Comercial: Rodrigo Schossler (77) 9994.5981 / Anton Roos (77) 9971.7341 (Lus Eduardo Magalhes) Rosa Tunes (77) 9804.6408 / 9161.3797 (Santa Maria da Vitria) / Gisele (77) 9127.7401 (Bom Jesus da Lapa) Anne Stella (77) 9123.3307 (Barreiras)

    Reviso: Rnei Rocha e Aderlan Messias

    Impresso: Coronrio Editora e Grfi ca // Tiragem: 4 mil exemplares

    MAGAZINE

    Ouza Editora Ltda.Av. Clriston Andrade, 1.111 - Sala 16Centro - Barreiras (BA

    O U Z AE D I T O R A

    Envie sua SUGESTO de reportagem para sousa.cfelix@gmail.com e antonroos@gmail.com

    C.FLIX

    FOTO CAPA: DIVULGAO

  • 4 MAGAZINE SET/2012

    AGRONOTAS

    FOTO

    S: D

    IVU

    LGA

    O/R

    EP

    RO

    DU

    O

    MINISTRIO DA AGRICULTURA DIVULGA BALANO DA PRIMEIRA ETAPA DE VACINAO CONTRA FEBRE AFTOSA

    Margem de comercializao da indstria avcola atinge o menor valor do ano

    USDA deve reduzir projees para safras de milho e soja dos EUA em funo da seca

    O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deve reduzir as projees para as safras de milho e soja do pas devido seca. A informao da consultoria Informa Economics. De acordo com a consultoria, o governo americano estima uma produo de milho em 261 milhes de toneladas. Em rela-o produtividade, so 7,52 toneladas por hectare. Os nmeros divulgados nesta sexta, dia 7, esto abaixo do relatrio divulgado pelo USDA em agosto, que trazia uma safra de mais de 273 milhes de toneladas. Para a soja, a produo domstica foi reduzida para 71,82 milhes de toneladas e a produtivida-de para 2,38 toneladas por hectare.

    No ms passado, o governo estimou a safra de soja em 73,27 milhes de toneladas, com base em um rendimento de 2,43 toneladas por hectare. As perspectivas para a colheita de milho foram rebaixadas pelos analistas devido pior estiagem dos ltimos anos, que se intensificou em julho, quando as lavouras estavam na fase de polinizao.

    FALTA DE CHUVA DIMINUI COLHEITA DA MANDIOCA

    A falta de chuvas tem sido o princi-pal entrave no avano da colheita de mandioca. Com a oferta ainda mais restrita, o processamento de razes na indstria ficou abaixo do registrado na semana anterior. Ainda que no agregado, a oferta tenha sido menor, algumas empresas isolada-mente tiveram maiores quantidades de mandioca no incio de setembro pelo fato de terem aumentado a re-munerao aos produtores. Assim, agricultores que receberam essa oferta a preos maiores passaram a colher mais intensamente em reas arenosas, que apresenta custos mais elevados nesta operao. A demanda por matria-prima, por sua vez, tem sido maior, havendo disputa entre as empresas, que au-mentaram as distncias das origens da matria-prima para se abastecer, ainda que se elevem os custos com transporte.

    Bahia Pesca entrega 200 mil alevinos a pequenos produtores Pequenos produtores de assentamentos e associaes receberam da Bahia Pesca, empresa vinculada Secretaria da Agricultura, Irrigao e Reforma Agrria (Seagri), 200 mil alevinos de tilpia. A ao beneficia 120 famlias de assentamentos e associaes. Os alevinos foram criados na Estao de Piscicultura Joanes, em Camaari. S neste ano, a distribuio feita pela Bahia Pesca atendeu a mais de 67 mil famlias em 69 municpios, a exemplo de Gandu, Paulo Afonso, Itamaraju, Jequi, Ibirataia, Lus Eduardo Magalhes, Salvador e Senhor do Bonfim.

    A Campanha Nacional de Vacinao contra a Febre Aftosa imunizou 165.300.924 bovinos e bubalinos no pas, uma cobertura de 97,85% nas etapas do primeiro semestre deste ano. Os dados foram divulgados

    no incio de setembro, pelo Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abstecimento (Mapa). Santa Catarina reconhecida pela Organi-zao Mundial de Sade Animal (OIE) como zona livre de febre aftosa sem vacinao des-de maio de 2007 e, portanto, no participou da campanha. O Amap tambm no vacinou nesse primeiro semestre, pois a vacinao passou a ser anual, no ms de novembro, devido s condies ambientais desfavor-veis para realiz-la em outros perodos.

    O Departamento de Sade Animal (DSA) do Mapa considerou positivos os resultados da campanha, uma vez que foi acima do ndice registrado no mesmo perodo de 2011, que foi de 97,7%. A primeira etapa da campanha teve incio no ms de maro, na calha do Rio Amazonas, prosseguindo nos meses de abril a junho, sendo que a maior parte dos estados vacinou no ms de maio. A segunda etapa da campanha teve incio em julho, no Amazonas e no Par. Os estados de Roraima e Rondnia sero os prximos a vacinarem em outubro enquanto a maioria dos demais estados va-cinar em novembro. Atualmente, a zona livre da febre aftosa com vacinao composta por 16 estados e o Distrito Federal. A campa-nha de vacinao e todo trabalho realizado pelo governo so fundamentais para garantir as zonas livres e impedir a reintroduo da doena no territrio.

    A margem de comercializao entre os pre-os no atacado e ao avicultor ficou em 43,6% em agosto, o menor valor de 2012, de acordo com levantamento da Scot Consultoria. As quedas nas margens de comercializao ocorreram no ms em que a indstria rece-beu mais pelo produto, mas tambm gastou mais com matria prima.

    Este valor 9,5 pontos percentuais menor que a margem de julho. Em relao a agosto de 2011, entretanto, houve aumento de trs pontos percentuais. Ao considerar a indstria suincola, a queda na margem de comercia-lizao em relao a julho foi de 10,5 pontos percentuais. Em relao a agosto de 2011, houve recuo de 5,8 pontos percentuais.

  • SET/2012 MAGAZINE 5

    Soja: demanda firme e escassez de oferta mantm preos elevadosAs cotaes de soja e derivados seguem elevados nos Estados Unidos e no Brasil, devido oferta restrita e demanda firme. Com isso, o cultivo de soja deve ganhar rea na prxima safra da Amrica do Sul, o que pode proporcionar produo recorde, caso o clima colabore. Em relao prxima temporada, produtores brasileiros adiantaram as compras de insumos, mas esto cautelosos quanto ao momento de iniciar a semeadura. Segundo colaboradores do Cepea, grande parte dos produ-tores est atenta a previses climticas para os prximos meses de modo a evitar que as lavouras sofram com falta de umidade no perodo de desenvolvimento. No mercado spot nacional, os preos permanecem firmes, porm praticamente nominais. Na parcial de setembro (entre 31 de agosto e 6 de setembro), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (produto trans-ferido para armazns do porto de Paranagu) em dlar, moeda prevista nos contratos futuros da BM&FBovespa, teve alta de 0,87%, fechando a US$ 45,32/sc de 60 kg nessa qui