Agroenergia biomassa residual

  • View
    72

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Agroenergia biomassa residual

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

Ccero Bley Jnior Jos Carlos Libnio Maurcio Galinkin Mauro Mrcio Oliveira

2 edio, revista

Itaipu Binacional/FAOTechnopolitik Editora Foz do Iguau/Braslia 2009

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

ii

EQUIPE TCNICASuperintendente da Coordenadoria de Energias Renovveis da Itaipu Binacional: Ccero Bley Jr. Coordenador do projeto: Jos Carlos Libnio Editor: Maurcio Galinkin Consultor para agroeconomia: Mauro Mrcio Oliveira Produo de contedoCaptulos I a VII

Ccero Bley Jr. Jos Carlos Libnio Maurcio Galinkin e Mauro Mrcio OliveiraAnexos

Anexo I: Maurcio Galinkin e Ccero Bley Jr. Anexo II: Plataforma Itaipu de Energias Renovveis Anexo III: Ccero Bley Jr. e Glucio Rollof

Projeto grfico: Competence Comunicao e Marketing Itaipu BinacionalEndereo

Diretor-Geral Brasileiro: Jorge Miguel Samek Centro Executivo da Itaipu Binacional, Avenida Slvio Amrico Sasdelli, s/n, Vila A Foz do Iguau, PR, CEP 85866-900 Tel.: 55 (45) 3520-5252 itaipu@itaipu.gov.br

FAO Organizao das Naes Unidas para Agricultura e Alimentao

Representante no Brasil: Jos Tubino Endereo: Eixo Monumental via S-1 Campus do INMET - Setor Sudoeste - Braslia, DF CEP: 70680-900 - Caixa Postal: 00242 Contato: tel.: + 55 (61) 3038-2299 | Fax: +55 (61) 3343-2543

TechnoPolitik Editora

Endereo: SCS Quadra 01, Bloco B, loja 23, Sobreloja. CEP: 70308-900 Braslia. D.F. Contato: editor@technopolitik.com; tel: 61 8407-8262

A281

Dados Internacionais de Catalogao na Publicao CIPAgroenergia da biomassa residual: perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais/Maurcio Galinkin, editor; Ccero Bley Jr. ... [et al.]. 2 ed. rev. - Foz do Iguau/Braslia: Itaipu Binacional, Organizao das Naes Unidas para Agricultura e Alimentao, TechnoPolitik Editora,2009. 140 p.: il., color. Inclui bibliografia e anexos. ISBN 978-85-62313-02-8 1. Energia de biomassa Brasil. 2. Fonte renovvel de energia. 3. Impacto ambiental. 4. Zona rural. 5. Desenvolvimento sustentvel. I. Galinkin, Maurcio. II. Bley Jr., Ccero. CDU 620.95(81) CDD 333.95 (22.ed.)

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

iii

APRESENTAO ITAIPUA fronteira trinacional do Brasil, Argentina e Paraguai abriga dois valiosos patrimnios naturais: solos frteis, que so a base para um rico complexo agropecurio e agroindustrial; e muita gua, garantida por rios importantes como o Paran e o Iguau, pelo Aqufero Guarani, que se espalha pelo subsolo de quatro pases, e pelo reservatrio da hidreltrica de Itaipu, com mais de 170 quilmetros de extenso e 29 bilhes de metros cbicos de gua. Essas condies permitiram construir no Brasil e mais precisamente no oeste paranaense um dos mais promissores segmentos da economia rural brasileira, com milhares de pequenos produtores rurais, em sua maioria de carter familiar, organizados na forma de cooperativas. Seu sistema de produo basicamente consiste no cultivo de soja e milho, que so transformados em rao utilizada como insumo na suinocultura, avicultura e bovinocultura de leite, chegando industrializao de carnes e laticnios. Alm de atender ao mercado interno, essa eficiente cadeia produtiva exporta para os principais mercados internacionais. A riqueza e o dinamismo econmico dessas atividades na regio tm como base a explorao intensiva dos recursos naturais, que acaba por cobrar um preo alto do ambiente, o que j comea a se evidenciar pelos registros de contaminao do solo e das guas por agrotxicos; pela perda de solos resultante da eroso; pela perda da cobertura vegetal e da biodiversidade; bem como pela produo de efluentes da pecuria (dejetos de sunos, aves e gado) e das cidades (esgotos industriais e domsticos). Como a ocupao humana recente a explorao agrcola de forma mais intensa tem apenas 50 anos , a lgica manda mudar os meios de produo agora, pois recuperar a qualidade ambiental no futuro ser uma tarefa cada vez mais complexa. isso que a Itaipu Binacional vem estimulando com suas aes de responsabilidade socioambiental, tais como o programa Cultivando gua Boa, um amplo movimento liderado pela empresa e que rene mais de 2 mil parceiros, entre associaes comunitrias, cooperativas, instituies de ensino, rgos de governo municipais, estaduais e federais, alm de ONGs. Em seis anos de execuo, esse programa tem mudado a vida de milhares de pessoas, por meio de aes de educao ambiental, apoio tcnico s atividades agropecurias, projetos de proteo biodiversidade, entre outros. Nesse cenrio, a Plataforma Itaipu de Energias Renovveis surge como promotora de uma alternativa econmica e tecnicamente vivel para dar sustentabilidade pecuria, que a atividade em que se encontram os impactos mais agressivos ao ambiente nessa regio, que conta com um rebanho de mais de 1 milho de sunos e cerca de 30 milhes de aves. Nesses casos, a proposta utilizar os dejetos para gerar energia e tornar a propriedade autossuficiente ou, pelo menos, suprir sua demanda energtica durante os horrios de ponta, quando as tarifas so mais caras. Nosso pas, com sua enorme biodiversidade e disponibilidade de gua, produo agropecuria invejvel e condies climticas favorveis, tem grande potencial para assumir uma posio de forte promotor do aproveitamento de fontes renovveis. E o emprego energtico da biomassa residual das atividades agropecurias e do tratamento de esgotos urbanos merece um foco diferenciado, visto que est diretamente ligado ao suprimento de gua de boa qualidade, um bem cada vez mais escasso no sculo 21. nesse contexto de responsabilidade socioambiental e de apoio ao desenvolvimento de fontes renovveis que a Itaipu Binacional oferece ao pblico esta obra, provocando a discusso do tema e para a busca de solues que amenizem os impactos das mudanas climticas. A biomassa residual das atividades agropecurias constitui uma vasta reserva energtica de que o Brasil dispe mas que est inerte, espalhada pelos campos do pas, esperando para ser usada. Seu aproveitamento sinaliza para novas oportunidades de gerao de emprego e renda, e da promoo do desenvolvimento com sustentabilidade. o que se poder comprovar ao longo das pginas deste livro. Boa leitura! Jorge Miguel Samek Diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

v

APRESENTAO FAOO Dr. Franklin Hiram King, no seu livro clssico Agricultores de Quarenta Sculos: Agricultura Permanente na China, Coreia e Japo (s publicado em 1926), relatou em 1904 suas observaes sobre como, nesses pases, os camponeses tinham cultivado os mesmos campos durante 4.000 anos sem destruir a fertilidade do solo. Dr. King chegou a uma concluso bastante simples: a chave da sustentabilidade desses sistemas ancestrais de produo agrcola a reciclagem do desperdcio, incluindo dejetos humanos. A agricultura industrial de nossos tempos esqueceu a sabedoria acumulada pela humanidade durante os milnios e se converteu na agricultura do desperdcio, exportando a fertilidade do solo e a gua utilizada na produo agropecuria para os centros de consumo. Esqueceu-se de reciclar seus subprodutos, particularmente os dejetos animais que contaminam o meio ambiente e que so fonte de gases do efeito estufa. Esqueceu que o carbono e o metano na atmosfera so um perigo, mas que esse mesmo carbono no solo matria orgnica e que o metano no biodigestor um combustvel para motores, para a produo de calor e tambm de eletricidade. A Itaipu Binacional e a Organizao das Naes Unidas para Agricultura e Alimentao FAO colocam o foco, neste livro, no potencial da utilizao dos dejetos animais da pecuria brasileira para a gerao de gs metano e, a partir dessa base, a gerao de eletricidade, a produo de biofertilizantes e, dependendo das negociaes sobre o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo do Convnio de Kioto, para receber o pagamento de bnus de carbono. Consideramos urgente a necessidade de relembrar os princpios bsicos aprendidos atravs da histria da agricultura no mundo para, assim, poder aplicar esse conhecimento junto com a cincia e a tecnologia modernas. Esse um passo fundamental para abrir um novo paradigma do desenvolvimento. Temos uma oportunidade que no pode ser perdida. Este livro um passo nessa direo. Tenho a confiana que vamos poder unir esforos com outros atores relevantes da sociedade brasileira e continuar abrindo o caminho da sustentabilidade para a produo agropecuria brasileira.

Jos Tubino

Representante da FAO no Brasil

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

Agroenergia da biomassa residual:perspectivas energticas, socioeconmicas e ambientais.

vii

NDICEApresenta Itaipu Apresentao FAO ndice, relao de tabelas, quadros, figuras e grficos Resumo executivo 1. Introduo, objeto e justificativaiii v vii 01

1- Introduo 2- Objeto e justificativa do relatrio 3- Objetivos, resultados esperados e impactos

07 09 11 13 15 17 19 26 28 30

2.

Produo e tratamento de resduos animais e vegetais1- O crescimento recente da produo de protena animal 2- A contrapartida: os impactos ambientais 3- A biomassa residual como fonte de energia 4- Crescimento da biomassa residual no Brasil 5- O tratamento sanitrio da biomassa residual

3.

Agroenergia: obteno de biogs e gerao de energia trmica e eltrica

1- A agroenergia 2- Processos de produo e produtos 3- Impactos econmicos positivos da gerao distribuda de energia eltrica

35 37 42 45 49 51 53 57 57 61 63 65 67 67 68 73 77 79 80 81 82 84 86 89

4.

Avaliao do potencial de produo de energia e subprodutos1- A produo de protena veg