Ana Carolina Soares Amaral ADAPTA‡ƒO TRANSCULTURAL DO

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Ana Carolina Soares Amaral ADAPTA‡ƒO TRANSCULTURAL DO

  • Ana Carolina Soares Amaral

    ADAPTAO TRANSCULTURAL DO SOCIOCULTURAL ATTITUDES TOWARDS APPEARANCE QUESTIONNAIRE 3 (SATAQ 3) PARA A POPULAO

    BRASILEIRA

    Juiz de Fora 2011

  • Ana Carolina Soares Amaral

    ADAPTAO TRANSCULTURAL E VALIDAO DO SOCIOCULTURAL ATTITUDES TOWARDS APPEARANCE QUESTIONNAIRE 3 (SATAQ 3)

    PARA A POPULAO BRASILEIRA

    Dissertao de Mestrado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Educao Fsica, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em parceria com a Universidade Federal de Viosa (UFV), como parte dos requisitos necessrios obteno do ttulo de Mestre em Educao Fsica.

    Orientadora: Maria Elisa Caputo Ferreira

    Juiz de Fora 2011

  • ANA CAROLINA SOARES AMARAL

    ADAPTAO TRANSCULTURAL E VALIDAO DO SOCIOCULTURAL ATTITUDES TOWARDS APPEARANCE QUESTIONNAIRE 3 (SATAQ 3)

    PARA A POPULAO BRASILEIRA

    Dissertao apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Educao Fsica, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em parceria com a Universidade Federal de Viosa (UFV), como parte dos requisitos necessrios obteno do ttulo de Mestre

    Orientadora: Prof. Dr. Maria Elisa Caputo Ferreira

    Aprovada em ____/____/____

    BANCA EXAMINADORA

    ____________________________________________________

    Prof. Dr. Maria Elisa Caputo Ferreira

    Universidade Federal de Juiz de Fora

    ___________________________________________________

    Prof. Dr. Maria Aparecida Conti

    Universidade de So Paulo

    ____________________________________________________

    Prof. Dr. Mrio Srgio Ribeiro

    Universidade Federal de Juiz de Fora

  • Ao Cac, minha fortaleza.

  • AGRADECIMENTOS

    A Deus, por ser presena constante em minha vida, sempre iluminando meu

    caminho.

    Ao Cac, pelo amor incondicional e pela compreenso nos momentos de ausncia e

    dedicao aos estudos.

    Aos meus pais, Srgio e Teresinha, e ao meu irmo, Lucas, por acreditarem em mim

    a todo instante, lutando para que eu alcanasse meus objetivos... Amo vocs!

    minha querida orientadora Maria Elisa, por ser mais que uma professora, dividindo

    as alegrias, as dvidas, as inseguranas... sempre pronta a oferecer suas palavras

    de sabedoria e carinho!

    A todos os meus familiares, especialmente querida V Nan, pelas oraes, e

    Tia ngela, Pri e Ju, pelo companheirismo e carinho...

    Aos queridos colegas do Laboratrio de Estudos do Corpo (LABESC-UFJF),

    especialmente ao Valter, Pedro e Leonardo, pelas reflexes importantes que me

    possibilitaram ao longo deste tempo e, principalmente, pelas gargalhadas

    compartilhadas.

    minha querida amiga Mnica, sem a qual eu no teria entendido o real sentido de

    uma pesquisa.

    Ao professor Clcio, pela prontido em me auxiliar nas anlises estatsticas e pela

    troca de experincias.

    Ao professor Mrio Srgio, por incitar sempre novas ideias, novas perspectivas e

    novos caminhos.

  • querida Cida Conti, pela ateno e carinho... pela parceria!

    Aos professores que, gentilmente, cederam tempo de suas aulas para que eu

    pudesse realizar a pesquisa: Marcelo (Cincias Bilgicas), Laura (Departamento de

    Fisiologia), Leonardo (Geografia), Marcelo (Turismo), Edwaldo (Turismo), Wagner

    (Letras), Tas (Pedagogia), Jos (Comunicao Social), Mrcio (Direito), Beth

    (Farmcia), Rita (Farmcia), Llian (Fisioterapia), Maria Helena (Engenharia Civil e

    Arquitetura), Fabiano (Engenharia Civil), Ricardo (Psicologia), Carlos Coelho

    (Educao Fsica), Adriana (Educao Fsica), Dlson (Educao Fsica), Luis Carlos

    Nery (Educao Fsica), Alice (Educao Fsica), Ndia (Educao Fsica).

    A todos os alunos que participaram desta pesquisa, o meu Muito Obrigada!

  • Eu, etiqueta

    Em minha cala est grudado um nome Que no meu de batismo ou de cartrio

    Um nome... estranho Meu bluso traz lembrete de bebida

    Que jamais pus na boca, nessa vida, Em minha camiseta, a marca de cigarro

    Que no fumo, at hoje no fumei. Minhas meias falam de produtos

    Que nunca experimentei Mas so comunicados a meus ps.

    Meu tnis proclama colorido De alguma coisa no provada

    Por este provador de longa idade. Meu leno, meu relgio, meu chaveiro,

    Minha gravata e cinto e escova e pente, Meu copo, minha xcara,

    Minha toalha de banho e sabonete, Meu isso, meu aquilo.

    Desde a cabea ao bico dos sapatos, So mensagens,

    Letras falantes, Gritos visuais,

    Ordens de uso, abuso, reincidncias. Costume, hbito, premncia,

    Indispensabilidade, E fazem de mim homem-anncio itinerante,

    Escravo da matria anunciada. Estou, estou na moda.

    duro andar na moda, ainda que a moda Seja negar minha identidade,

    Troc-lo por mil, aambarcando Todas as marcas registradas,

    Todos os logotipos do mercado. Com que inocncia demito-me de ser

    Eu que antes era e me sabia To diverso de outros, to mim mesmo,

    Ser pensante sentinte e solitrio Com outros seres diversos e conscientes

    De sua humana, invencvel condio. Agora sou anncio

    Ora vulgar ora bizarro. Em lngua nacional ou em qualquer lngua

    (Qualquer, principalmente.) E nisto me comprazo, tiro glria

    De minha anulao. No sou - v l - anncio contratado.

    Eu que mimosamente pago

  • Para anunciar, para vender Em bares festas praias, prgulas, piscinas,

    E bem vista exibo esta etiqueta Global no corpo que desiste

    De ser veste e sandlia de uma essncia To viva, independente,

    Que moda ou suborno algum a compromete. Onde terei jogado fora

    meu gosto e capacidade de escolher, Minhas idiossincrasias to pessoais,

    To minhas que no rosto se espelhavam E cada gesto, cada olhar,

    Cada vinco da roupa Sou gravado de forma universal,

    Saio da estamparia, no de casa, Da vitrine me tiram, recolocam,

    Objeto pulsante mas objeto Que se oferece como signo de outros

    Objetos estticos, tarifados. Por me ostentar assim, to orgulhoso

    De ser no eu, mar artigo industrial, Peo que meu nome retifiquem.

    J no me convm o ttulo de homem. Meu nome novo Coisa.

    Eu sou a Coisa, coisamente.

    (Carlos Drummond de Andrade, 1984)

  • RESUMO

    A Imagem Corporal caracterizada como um construto multifacetado e em

    constante transformao. A investigao de seus componentes perceptivos

    (recepo e interpretao de estmulos sensoriais) e atitudinais (crenas,

    comportamentos e atitudes em relao ao corpo) tem se configurado como tema

    recorrente em pesquisas de diversas reas, sendo que muitas delas se utilizam de

    instrumentos especficos a fim de avaliar os componentes da Imagem Corporal.

    Poucos so, entretanto, os instrumentos validados para utilizao com a populao

    brasileira na investigao do construto da Imagem Corporal, especialmente o seu

    componente cognitivo, que diz respeito ao investimento na aparncia fsica. Uma

    nova vertente de pesquisas tem se destinado a realizar a adaptao transcultural de

    instrumentos desenvolvidos originalmente para outras culturas, a fim de que possam

    ser utilizados na realidade brasileira. O objetivo desta pesquisa foi realizar a

    adaptao transcultural (traduo e validao) do Sociocultural Attitudes Towards

    Appearance Questionnaire-3 (SATAQ-3) para a populao jovem brasileira, de

    ambos os sexos. Esta dissertao est estruturada em dois artigos: o primeiro,

    Equivalncia Semntica e avaliao da Consistncia Interna da verso em

    portugus do Sociocultural Attitudes Towards Appearance Questionnaire-3,

    descreve detalhadamente o processo de traduo do SATAQ-3 da lngua inglesa

    para o portugus, sua retro-traduo e a avaliao da equivalncia semntica entre

    as duas verses. Alm disso, neste artigo so apresentados indcios de boas

    qualidades psicomtricas, atravs dos valores do coeficiente alfa de Cronbach

    superiores a 0,9, tanto para homens quanto para mulheres. No segundo artigo,

    Estrutura Fatorial do Sociocultural Attitudes Towards Appearance Questionnaire-3

    (SATAQ-3) entre jovens brasileiros, descrita a avaliao das qualidades

    psicomtricas do SATAQ-3 entre uma amostra de universitrios brasileiros, de

    ambos os sexos. Foi avaliada sua validade de construto atravs da Anlise Fatorial

    Exploratria e Confirmatria, e sua validade concorrente atravs da comparao dos

    escores obtidos com os apresentados no Body Shape Questionnaire e na Escala

    dos Trs Fatores. O SATAQ-3 apresentou, ainda, boa estabilidade a partir da

  • realizao do teste-reteste e adequada consistncia interna, tanto para toda a

    escala, quanto para suas dimenses: internalizao geral, informao, presso,

    internalizao atltica e questes de escore reverso. Conclui-se que o Sociocultural

    Attitudes Towards Appearance Questionnaire-3 apresenta-se pronto para utilizao

    em amostras de jovens brasileiros, a fim de que o componente cognitivo da Imagem

    Corporal possa ser investigado entre esta populao.

    Palavras-chave: Imagem Corporal. Adaptao Transcultural. Validao.

  • ABSTRACT

    Body image is characterized as an ever-changing, multifaceted construct. The

    investigation of its perceptual (perception and interpretation of sensory stimuli) and

    attitudinal (beliefs, behaviors and attitudes regarding the body) components has

    become a recurrent theme in diverse areas of research which make use of specific

    tools to assess such components. However, there are few validated instruments to

    use with the Brazilian population for the investigation of the Body Image construct,

    primarily its cognitive component, which