Anlise Morfom©trica e identifica§£o das reas ... Henrique Bueno.pdf  ANLISE MORFOM‰TRICA

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Anlise Morfom©trica e identifica§£o das reas ... Henrique Bueno.pdf  ANLISE...

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    ANLISE MORFOMTRICA E IDENTIFICAO DASREAS DEGRADADAS NA BACIA HIDROGRFICA

    DO CRREGO IMBUIA EM TERRA BOA PR

    Ricardo Henrique Bueno

    Universidade Estadual de Maring- UEM

    buenogeography@gmail.com

    INTRODUO

    Este estudo abre uma brecha para questes pertinentes a gesto de recursos

    hdricos, bem como, Colavite (2008) considera que o estudo em bacias hidrogrficas deve

    iniciar-se em sua estrutura fsica, ou seja, torna-se necessrio estudar o tamanho,

    abrangncia dos canais, importncia e suas formas. Segundo a autora, as referidas

    informaes obtidas pelo sensoriamento remoto e principalmente pela cartografia

    sistemtica geraro uma viso abrangente do todo, fornecendo informaes confiveis o

    suficiente para gesto dos recursos hdricos.

    Desta modo, objetivou-se neste trabalho, realizar a anlise da bacia hidrogrfica

    do crrego Imbuia correlacionando os parmetros morfomtricos com a fisionomia da

    dinmica da paisagem, para identificao das reas degradas na bacia em estudo,

    utilizando-se procedimentos cartogrficos auxiliados pelas ferramentas geotecnologicas.

    Levantou-se os dados referentes ao local, tais como quantidade de canais, rea

    de drenagem, coeficiente de compacidade, fator de forma, ndice de circularidade, padro

    de drenagem, comprimento total dos canais, densidade hidrogrfica, textura da topografia e

    amplitude topogrfica da bacia e assim, analisa-los por meio de clculos especficos dos

    aspectos morfomtricos e realizar mapeamento do local identificando quais so as possveis

    potencialidades ou fragilidades existentes na rea de estudo.

    Verificou-se na rea da bacia, que a paisagem sofreu alteraes ao longo dos

    anos, sendo que houve o crescimento da cidade de Terra Boa, criando novos conjuntos

    habitacionais que adentrassem a rea da bacia.

    4841

    mailto:buenogeography@gmail.com

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    Em relao rea rural, notou-se o predomnio de pastagens na rea da bacia,

    havendo assim, a necessidade de verificao dos provveis impactos ambientais gerados

    pela ocupao no interior desta bacia.

    Neste estudo buscou-se entender a dinmica da bacia hidrogrfica do crrego

    Imbuia, bem como analisar por meio dos estudos morfomtricos as possveis

    potencialidades ligadas ao uso dos recursos hdricos e uso da terra na rea da bacia,

    verificando-se, correlacionadamente ao estudo da paisagem quais potencialidades ou

    fragilidades ligadas ao uso da terra na rea da bacia, principalmente em razo da sua

    relao de proximidade com a rea urbana.

    Segundo Colavite (2009), os trabalhos relacionados ao estudo da paisagem

    adquiriram espao com a aplicao em anlises ambientais e no planejamento e

    desenvolvimento regional de uma determinada rea em razo da sua abrangncia de

    abordagens e pela inter-relao entre o homem e ambiente.

    Cabe ressaltar que o uso de imagens de satlite e fotografias areas

    desempenham papel fundamental na anlise geogrfica, uma vez que permitem enxergar,

    e descobrir, o planeta Terra de uma posio privilegiada. Essas imagens proporcionam uma

    viso sinptica (de conjunto) e multitemporal (em diferentes datas) de extensas reas da

    superfcie terrestre(FLORENZANO, 2007, p.8).

    O trabalho dividiu-se em cinco momentos, em primeiro lugar esteve o

    levantamento de material bibliogrfico para embasamento terico e discusses a respeito

    da temtica debatida, sendo um trabalho que envolve uma temtica especialmente

    complexa, pois, pauta-se na anlise da paisagem na perspectiva geossistemica e agregando

    ainda o uso de geotecnologias.

    Na cincia geogrfica, tambm ocorre um processo continuo de insero da

    tecnologia considerando atual era da informao, discute-se muito o uso de

    geotecnologias, sistemas de informaes geogrficas, geoprocessamento e sensoriamento

    remoto, bem como suas aplicaes nas mais variadas temticas de pesquisa da Geografia.

    No entanto, deve-se tomar cuidado ao incorporar algum destes termos

    mencionados em uma pesquisa, importante conhecer as diferenas existentes entre um e

    outro conceito utilizado. Especialmente, muitos autores divergem ou acabam os termos

    equivocadamente e colocam o SIG (Sistema de Informao Geografica) e geotecnologias

    com a mesma definio.

    4842

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    Deste modo, SIG entendido como um conjunto de componentes que

    trabalham com dados geogrficos, desde a obteno, tratamento, processamento e

    armazenamento, bem como apontam as definies de Burrough (1986) SIG um poderoso

    conjunto de tcnicas para colecionar, armazenar, recuperar, transformar e apresentar dados

    espaciais do mundo real, Lang e Blaschke (2009) aponta que um SIG um sistema

    composto de hardware, software e dados Aronoff (1989) define o SIG como conjunto de

    procedimentos, manual ou automatizado, utilizados no sentido de armazenamento e

    manipulao de informao georreferenciadas e Lang e Blaschke (2009) colocam que um

    SIG um sistema composto por um conjunto de funes automatizadas, ou seja, um

    sistema organizado com capacidade avanada de armazenamento, acesso, manipulao e

    visualizao de informaes georreferenciadas.

    Cmara et al (1996) colocam ainda que um SIG deve conter os seguintes

    componentes: interface com o usurio, entrada e integrao de dados, funes de

    processamento, visualizao e plotagem, armazenamento e recuperao de dados.

    SIG , portanto, um conjunto que envolve os elementos geoecolgicos, bem

    como os softwares, as metodologias empregadas em uma pesquisa, os dados desde a coleta

    at o seu tratamento e armazenamento, o hardware, e os recursos humanos, ou seja, os

    profissionais que manipulam e tratam estes dados tambm fazem parte do processo, sendo

    os responsveis pelas tomadas de decises a cerca dos elementos estudados.

    A tomada de deciso em relao pesquisa a ser desenvolvida com o uso do SIG

    deve conter bom planejamento, para que as despesas sejam otimizadas, ou seja, para que

    no ocorram atividades de campos desnecessrias e outros gastos relacionados aos

    materiais utilizados na pesquisa.

    fundamental que a equipe seja qualificada e tenha uma viso multidisciplinar,

    visando inteirar os elementos a serem estudados. necessrio que o hardware seja

    adequado, que, suporte os softwares utilizados e possua memria suficiente para o

    armazenamento e o processamento dos dados e por fim, os dados adquiridos devem ser de

    qualidade, pois, a realizao de uma pesquisa com dados ruins resulta em um trabalho de

    baixa qualidade em virtude da dificuldade de representao, analise e visualizao do

    trabalho.

    A importncia do uso do SIG na anlise da paisagem decorre principalmente da

    capacidade de descrever diversas caractersticas do campo de estudo, Lang e Blaschke

    4843

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    (2009) colocam que no final da dcada de 1980 surgiu significativamente uma estrutura

    metodolgica com relao a utilizao de SIG nos Estados Unidos com os trabalhos de

    Monica Turner e na Gr-Bretanha com os trabalhos de Roy Haines-Young, adquirindo cada

    vez mais um sentido de planejamento de paisagens.

    MATERIAIS E MTODOS

    A bacia hidrogrfica do crrego Imbuia faz parte da drenagem da bacia

    hidrogrfica do rio Ligeiro que por sua vez faz parte da bacia do rio Iva. Situada no

    municpio de Terra Boa PR, localiza-se entre as coordenadas S234552 e S234649

    latitude Sul e O522848 O522708 de longitude Oeste. (figura 1)

    4844

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    Figura 1 Localizao da rea de estudo bacia hidrogrfica do crrego Imbuia

    Organizado: Ricardo Henrique Bueno

    A bacia hidrogrfica do crrego Imbuia encontra-se assentada sobre a Formao

    Caiu. De acordo com o Atlas geomorfolgico do Estado do Paran (2006), a regio

    4845

  • http://6cieta.org So Paulo, 8 a 12 de setembro de 2014.ISBN: 978-85-7506-232-6

    geomorfolgica est situada na sub-unidade 2.4.12 denominada Planalto de Umuarama no

    Terceiro Planalto Paranaense, que caracteriza-se por apresentar dissecao mdia, com

    classe de declividade predominante entre 6 e 12%. Apresenta gradiente altimtrico de

    aproximadamente 320 metros, com altitudes variando entre 260 e 600 metros.

    O relevo na regio na sua totalidade caracterizada pelo Planalto de Umuarama,

    com, (...) formas predominantes de topos alongados e aplainados, vertentes convexas e

    vales em V, modeladas em rochas da Formao Caiu (ATLAS GEOMORFOLGICO DO

    PARAN, 2006 p.28).

    A vegetao original da regio caracteriza-se pela Floresta Estacional

    Semidecidual, com presena principalmente de espcies que atingem altitude de mais de 20

    metros de altura, como o Cedro, a Peroba o Pau-Cetim e a Figueira.

    O clima Cfa segundo a classificao de Kppen, com temperaturas amenas e

    chuvas bem distribudas ao longo do ano, com pouca frequncia de geadas, invernos frios e