Click here to load reader

Anatomia e Fisiologia Humana

  • View
    128

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Anatomia e Fisiologia Humana. Profª Micheline Caires Câmara Fisioterapeuta Especialista em Terapia Manual e Postural Coordenadora Municipal de Vigilância Epidemiológica Email: [email protected] Anatomia e Fisiologia Humana. Definições : ANATOMIA: cortar em partes . - PowerPoint PPT Presentation

Text of Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia HumanaProf Micheline Caires CmaraFisioterapeuta Especialista em Terapia Manual e PosturalCoordenadora Municipal de Vigilncia EpidemiolgicaEmail: [email protected]

Anatomia e Fisiologia HumanaDefinies:ANATOMIA: cortar em partes.FISIOLOGIA: estudo das funes.APRESENTAOA Anatomia constitui um dos estudos mais antigos da humanidade. Cinco milnios antes de Cristo os egpcios j desenvolveram tcnicas de conservao dos corpos, e rudimentares intervenes cirrgicas. Na Grcia, Hipcrates, conhecido como o pai da medicina, dissecava os corpos em busca de compreenso para os mistrios da vida.Para entender as estruturas e as funes do corpo humano, estudaremos as cincias da anatomia e da fisiologia. A anatomia (anatome=cortar em partes, corta separando) refere-se ao estudo da estrutura e das relaes entre estas estruturas. A fisiologia (do grego physis = natureza, funo ou funcionamento; e logos = palavra ou estudo) lida com as funes das partes do corpo, isto , como elas trabalham. A funo nunca pode ser separada completamente da estrutura, por isso voc aprender sobre o corpo humano estudando a anatomia e a fisiologia em conjunto. Voc ver como cada estrutura do corpo est designada para desempenhar uma funo especfica, e como a estrutura de uma parte, muitas vezes, determina sua funo.APRESENTAOVoc est iniciando o estudo do corpo humano e pode aprender como ele organizado e como funciona. Atravs destas aulas voc ser introduzido aos vrios sistemas que compem o nosso organismo. Voc tambm aprender como estes sistemas, em geral, cooperam entre si, para manter a sade do corpo como um todo e como estes sistemas interagem para mant-lo saudvel (HOMEOSTASE).Anatomia e Fisiologia HumanaPosio anatmica + Termos de posio

PROFUNDO/SUPERFICIALINTERNO/EXTERNOAnatomia e Fisiologia HumanaDivises do Corpo:Cabea, Pescoo, Tronco e MembrosTRONCO: torax, abdome, pelve,perneo e dorso.

Cavidades:Craneana, Torcica, Abdominal e Plvica

Anatomia e Fisiologia HumanaAlguns conceitos:NORMALVARIAO ANATMICAANOMALIA

NVEIS DE ORGANIZAONvel qumico: inclui todas as substncias qumicas necessrias para manter a vida. As substncias qumicas so constitudas de tomos (a menor unidade de matria), e alguns deles como: o carbono (C), o hidrognio (H), o oxignio (O), o nitrognio (N), o clcio (Ca), o potssio (K) e o sdio (Na); so essenciais para a manuteno da vida. Os tomos combinam-se para formar molculas. Exemplos familiares de molculas so as protenas, os carboidratos, as gorduras e as vitaminas. As molculas, por sua vez, combinam-se para formar o prximo nvel de organizao: o nvel celular.NVEIS DE ORGANIZAONvel celular: Qualquer organismo vivo composto de clulas. As clulas so unidades estruturais e funcionais bsicas de um organismo. nelas que se executam as atividades metablicas. Entre os muitos tipos de clulas existentes em seu corpo esto as clulas musculares, nervosas e sanguneas. Cada uma tem estruturas diferentes e cada uma desenvolve uma funo diferente.

NVEIS DE ORGANIZAONvel tecidual: Os tecidos so grupos de clulas semelhantes na aparncia, funo e origem embrionria que, juntas, realizam uma funo particular. Os tipos bsicos de tecido so: tecido epitelial, tecido de sustentao, tecido sanguneo, tecido muscular e tecido nervoso.

NVEIS DE ORGANIZAONvel orgnico: quando diferentes tipos de tecidos esto unidos formam o nvel orgnico. Os rgos so compostos de dois ou mais tecidos diferentes, tm funes especficas e geralmente apresentam uma forma reconhecvel. Exemplos de rgos: o corao, os pulmes, o crebro, etc.NVEIS DE ORGANIZAONvel sistmico: Um sistema consiste de rgos relacionados que desempenham uma funo comum. Exemplo: O sistema digestrio que funciona na digesto e na absoro dos nutrientes composto pelos seguintes rgos: boca, glndulas salivares, faringe (garganta), esfago, estmago, intestino delgado, intestino grosso, fgado, vescula biliar e pncreas. O sistema a base para o plano estrutural geral de um corpo.NVEIS DE ORGANIZAOOrganismo: O mais alto nvel de organizao o organismo. Todos os sistemas do corpo, funcionando como um todo compe o organismo = um ser vivo.Anatomia e Fisiologia HumanaNveis de Organizao do Corpo:

RELAO ENTRE OS SISTEMAS medida que os sistemas do corpo forem estudados com mais profundidade, voc ver como eles funcionam para manter a sade, protege-lo contra doenas e permitir a reproduo da espcie.Exemplo de interao entre os sistemas: consideramos como dois sistemas do corpo os sistemas tegumentar e esqueltico cooperam entre si. O sistema tegumentar (pele, plos e unhas) protege todos os sistemas do corpo, includo o sistema sseo, por meio da funo de barreira entre o ambiente externo e os tecidos e os rgos internos. A pele (ctis) tambm est envolvida na produo de vitamina D, da qual o corpo necessita para a utilizao apropriada de clcio (mineral necessrio para o crescimento e desenvolvimento dos ossos). O sistema esqueltico, por sua vez fornece sustentao para o sistema tegumentar. A essas interaes entre os sistemas d-se o nome de Aparelho.PROCESSOS VITAISO metabolismo (metbole=mudana): que a soma de todos os processos qumicos que ocorrem no corpo. Uma fase do metabolismo, chamada de catabolismo (cata=para baixo), envolve o desdobramento de molculas complexas em molculas menores e mais simples. Um exemplo a quebra de protenas alimentares em seus constituintes, os aminocidos. A outra fase do metabolismo, chamada de anabolismo (ana=para cima), utiliza energia gerada pelo catabolismo para a construo dos componentes estruturais e funcionais do corpo. Um exemplo de anabolismo a sntese prottica que forma msculo e ossos.PROCESSOS VITAISA responsibilidade a capacidade de detectar e responder s mudanas no meio externo (ambiente fora do corpo). Clulas diferentes detectam diferentes alteraes e respondem de maneira caracterstica. Por exemplo, os neurnios (clulas nervosas) respondem por meio da gerao de sinais eltricos, conhecidos como impulsos nervosos e, algumas vezes, transportam-nos por longas distncias, como entre o seu grande dedo do p e o seu encfalo.PROCESSOS VITAISO movimento inclui o movimento do corpo inteiro, de rgos individuais, de clulas individuais ou mesmo de estruturas intracelulares. Por exemplo, a contrao coordenada de diversos msculos da perna move o seu corpo todo de um lugar a outro quando voc caminha ou corre. Durante a digesto; a comida move-se para fora do estmago em direo ao intestino delgado.PROCESSOS VITAISO crescimento refere-se ao aumento em tamanho. Ele pode ser devido a um aumento do tamanho das clulas existentes; do nmero de clulas ou da quantidade de substncia intercelulares.PROCESSOS VITAISA diferenciao o processo pelo qual as clulas no especializadas tornam-se clulas especializadas. As clulas diferenciadas diferem estrutural e funcionalmente de suas originrias. Por exemplo: aps a unio do espermatozoide com o vulo, o ovo fecundado sofre vrias diferenciaes e progride, por meio de vrios estgios, a um indivduo nico, que similar a seus pais, porm bastante diferentes deles.PROCESSOS VITAISA reproduo refere-se formao de novas clulas para reparo ou reposio, ou produo de um novo indivduo. A CLULA

A CLULAA clula a unidade biolgica e funcional dos organismos vivos. Possuem uma grande diversidade de origens, tamanhos, formas, ciclo vital e funes, alm de serem dotadas de incrvel dinmica. Nelas a vida se manifesta de forma independente e ativa. As clulas so entidades vivas dotadas de uma complexidade estrutural e funcional superior, permitindo-lhes uma infinidade de capacidades e transformaes que so prprias da vida.A CLULAQuanto estrutura, as clulas podem apresentar dois modelos: o procariote e o eucariote, sendo este ltimo do tipo animal e do tipo vegetal.A CLULACom relao ao tamanho, so, em sua grande maioria, menores do que a capacidade de resoluo do olho humano, portanto s podem ser observadas com uso de microscpios (clulas microscpicas). A CLULAQuanto forma, as clulas so dotadas de grande dinamismo e apresentam formas extremamente variveis. A grande maioria das clulas possui forma constante (cbica, esfrica, prismtica, estrelada, ramificada, fusiforme e outras), porm algumas modificam continuamente sua forma sendo denominadas polimorfas, como os leuccitos (glbulos brancos). Normalmente, a forma das clulas dos animais e vegetais condicionada pela funo que desempenham no organismo. A CLULACom relao ao ciclo vital, podemos dizer que as clulas possuem longevidade muito varivel conforme espcie. No organismo humano, h clulas que duram muitos anos, j outras tm a sua durao contada em dias e outras, ainda, acompanham o indivduo por toda sua vida. Sob esse ponto de vista, as clulas so classificadas em lbeis (clulas de curta durao, Ex: hemcias), estveis (podem durar meses ou anos, Ex: clulas epiteliais) e permanentes (duram toda a vida, Ex: neurnios).A CLULAConstituio das clulas:Os elementos que constituem a clula so: a membrana celular (plasmtica), o ncleo, e o citoplasma. No citoplasma ainda so encontradas vrias estruturas, tais como: ribossomos, lisossomos, mitocndrias, complexo de Golgi, vacolos, retculo endoplasmtico, centrolos e outros. OS TECIDOSTecido um conjunto de clulas da mesma natureza, diferenciadas em determinado sentido para poderem realizar a sua funo prpria (SCHUMACHER).Para considerarmos que um determinado grupo de clulas forma um tecido necessrio que estas apresentem a mesma funo. Os tecidos fundamentais nos animais so: Epitelial, de Sustentao, Hematopoitico (sangue), Muscular e Nervoso.Anatomia e Fisiologia HumanaTecido EpitelialCompe-se quase exclusivamente de clulas e tem a funo de cobrir superfcie e constitui barreira de proteo contra a entrada de micro-organismos no ser vivo (epiderme). avascular, com pouca substncia intesticial e muita coeso.Principais tipos so:Revestimento e Proteo pele, plos, mucosas e serosasSecreo ou Glndular alm de revestir, forma glndulas, que produzem e eliminam subs