Click here to load reader

Anatomia humana

  • View
    10.592

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Material utilizado nas aulas de pronto-socorrismo

Text of Anatomia humana

  • 1. ANATOMIA HUMANA Prof.. 2 SGT QPE Isis de Carvalho Bispo

2. ANATOMIA:(anatome = cortar em partes, cortar separando) refere-se ao estudo da estrutura e das relaes entre estas estruturas.FISIOLOGIA:(physis + lgos + ia) lida com as funes das partes do corpo, isto , como elas trabalham.A funo nunca pode ser separada completamente da estruturaPosio Anatmica: o indivduo est de p, ereto, de frente para o observador, com os membros superiores (extremidades) posicionados lateralmente, as palmas das mos voltadas para a frente e os ps apoiados no cho. 3. 4. Regies e Quadrantes Abdominoplvicos CAVIDADES DO CORPO: So os espaos dentro do corpo que contm os rgos internos.FUNES:proteger, isolar e sustentar os rgos internos. 5.

  • CAVIDADE DORSAL:
  • 1) Cavidade Craniana
      • ossos cranianos eencfalo e suas membranas (meninges)
      • Canal vertebral (vrtebras da coluna vertebral e contm e medula espinhal e suas membranas e o comeo razes dos nervos espinhais)
  • 2) Cavidade Ventral
      • Cavidade Torcica
        • Cavidades pleurais (pulmes)
        • Cavidade pericrdica
      • Cavidade abdominoplvica

O diafragma divide a cavidade ventral do corpo em cavidades torcica e abdominoplvica. 6. 7. QUADRANTES ABDOMINAIS 8.

  • SISTEMAS DO CORPO HUMANO:
  • Sistema Msculo - Esqueltico:
  • a) Esqueleto:
  • Sustentao ao corpo
  • Proteo dos rgos internos
  • Fornece pontos de apoio para a fixao dos msculos
  • Constitui-se de peas sseas e cartilaginosas articuladas, que formam um sistema de alavancas movimentadas pelos msculos
  • Pode ser dividido em duas partes:
  • 1- Esqueleto axial :caixa craniana
  • coluna vertebral
  • caixa torcica.
  • 2- Esqueleto apendicular :cintura escapular(escpulas e clavculas) cintura plvica (ossos ilacos)
  • esqueleto dos membros

9. Esqueleto: Em amarelo: Axial Em branco: Apendicular 10.

  • b) Msculos:
  • O tecido muscular de origem mesodrmica, sendo caracterizado pela propriedade de contrao e distenso de suas clulas, o que determina a movimentao dos membros e das vsceras.
  • H basicamente trs tipos de tecido muscular:
  • Liso: o msculo involuntrio localiza-se na pele, rgos internos, aparelho reprodutor, grandes vasos sangneos e aparelho excretor. O estmulo para a contrao dos msculos lisos mediado pelo sistema nervoso vegetativo.
  • Estriado esqueltico: inervado pelo sistema nervoso central e, como este se encontra em parte sob controle consciente, chama-se msculo voluntrio. As contraes do msculo esqueltico permitem os movimentos dos diversos ossos e cartilagens do esqueleto.
  • Estriado cardaco: este tipo de tecido muscular forma a maior parte do corao dos vertebrados. inervado pelo sistema nervoso vegetativo.

11. Osistema muscular esquelticoconstitui a maior parte da musculatura do corpo, formando o que se chama popularmente decarne . Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e est presa aos ossos, sendo responsvel pela movimentao corporal. 12.

  • SISTEMA CIRCULATRIO
  • Def : uma vasta rede de tubos e artrias pelos quais circula o sangue impulsionado pelo corao.
  • Funes:
    • Transporte de gases
    • Transporte de nutrientes
    • Transporte de resduos metablicos
    • Transporte de hormnios
    • Intercmbio de materiais
    • Transporte de calor
    • Distribuio de mecanismos de defesa
    • Coagulao sangunea
  • Corao: um rgo muscular oco que se localiza no meio do peito, sob o osso esterno, ligeiramente deslocado para a esquerda. Apresenta quatro cavidades:duas cavidades superiores (trios) e duas cavidades inferiores (ventrculos)

13. 14. As Cmaras Cardacas contraem-se e dilatam-se alternadamente 70 vezes por minuto em mdia (adulto). A contrao cardaca recebe o nome de sstole e a dilatao, distole. 15. Febre Adrenalina Exerccio Hipxia Dor Raiva Tristeza Excitao Expirao Inspirao Aumento da PA Queda da Presso Arterial Fatores que a FC Fatores que a FC 16. CIRCULAO PULMONAR E CIRCULAO SISTMICA A circulao pode ser dividida em dois grandes circuitos: um leva sangue aos pulmes para oxigen-lo e outro leva sangue oxigenado para todas as clulas do corpo CIRCULAO DUPLA. Circulao Pulmonar:Corao (VD)-> Pulmes -> Corao (AE) Circulao Sistmica:Corao (VE) -> Sistemas Corporais -> Corao (AD) Circulao Pulmonar: VD-> Artria pulmonar -> pulmes -> veias pulmonares -> AE Circulao Sistmica: VE-> Artria aorta -> sistemas corporais -> veia cava -> AD 17. SISTEMA NERVOSO Osistema nervoso responsvel pelo ajustamento do organismo ao ambiente. Sua funo perceber e identificar as condies ambientais externas, bem como as condies reinantes dentro do prprio corpo e elaborar respostas que adaptem a essas condies. A unidade bsica do sistema nervoso aclula nervosa , denominada neurnio, que uma clula extremamente estimulvel; capaz de perceber as mnimas variaes que ocorrem em torno de si, reagindo com uma alterao eltrica que percorre sua membrana. Essa alterao eltrica o impulso nervoso. Um neurnio uma clula composta de umcorpo celular(onde est o ncleo, o citoplasma e o citoesqueleto), e de finos prolongamentos celulares denominadosneuritos , que podem ser subdivididos emdendritos(receptores de estmulos) eaxnios(condutores dos impulsos nervosos). 18. OSNCrecebe, analisa e integra informaes. o local onde ocorre a tomada de decises e o envio de ordens.OSNPcarrega informaes dos rgos sensoriais para o sistema nervoso central e do sistema nervoso central para os rgos efetores (msculos e glndulas). OSNCdivide-se em encfalo e medula. O encfalo corresponde ao telencfalo (hemisfrios cerebrais), diencfalo (tlamo e hipotlamo), cerebelo, e tronco ceflico, que se divide em: BULBO, situado caudalmente; MESENCFALO, situado cranialmente; e PONTE, situada entre ambos. 19. NoSNC , existem as chamadassubstncias cinzenta e branca . A substncia cinzenta formada pelos corpos dos neurnios e a branca, por seus prolongamentos. Com exceo do bulbo e da medula, a substncia cinzenta ocorre mais externamente e a substncia branca, mais internamente. Os rgos doSNCso protegidos por estruturas esquelticas ( caixa craniana , protegendo oencfalo ; ecoluna vertebral , protegendo amedula- tambm denominadaraque ) e por membranas denominadasmeninges,situada sob a proteo esqueltica:dura-mter(a externa),aracnide(a do meio) epia-mter(a interna). Entre as meninges aracnide e pia-mter h um espao preenchido por um lquido denominadolquido cefalorraquidianooulquor . 20.

  • Algumas estruturas do encfalo e suas funes:
  • 1) Crtex Cerebral:
    • Pensamento
    • Movimento voluntrio
    • Linguagem
    • Julgamento
    • Percepo
  • 2) Cerebelo
    • Movimento
    • Equilbrio
    • Postura
    • Tnus Muscular

21.

  • 3) Tronco Enceflico:
    • Respirao
    • Ritmo dos batimentos cardacos
    • Presso arterial
  • 4) Mesencfalo:
    • Viso
    • Audio
    • Movimento dos olhos
    • Movimento do corpo
  • 5) Tlamo
    • Integrao Sensorial
    • Integrao Motora

22.

  • 6) Sistema Lmbico:
    • Comportamento Emocional
    • Memria
    • Aprendizado
    • Emoes
    • Vida Vegetativa (digesto, circulao, excreo, etc.)

23. Medula Espinhal:tem a forma de um cordo com aproximadamente 40 cm de comprimento. Ocupa o canal vertebral, desde a regio do atlas - primeira vrtebra - at o nvel da segunda vrtebra lombar. A medula funciona como centro nervoso de atos involuntrios e, tambm, como veculo condutor de impulsos nervosos.Da medula partem 31 pares de nervos raquidianos que se ramificam. Por meio dessa rede de nervos, a medula se conecta com as vrias partes do corpo, recebendo mensagens e vrios pontos e enviando-as para o crebro e recebendo mensagens do crebro e transmitindo-as para as vrias partes do corpo.A medula possui dois sistemas de neurnios:o sistema descendentecontrola funes motoras dos msculos, regula funes como presso e temperatura e transporta sinais originados no crebro at seu destino;o sistema ascendentetransporta sinais sensoriais das extremidades do corpo at a medula e de l para o crebro. 24. Sistema Nervoso Perifrico Def.:O sistema nervoso perifrico formado por nervos encarregados de fazer as ligaes entre o sistema nervoso central e o corpo.OSNP Voluntrio ou Somticotem por funo reagir a estmulos provenientes do ambiente externo. Ele constitudo por fibras motoras que conduzem impulsos do sistema nervoso central aos msculos esquelticos. O corpo celular de uma fibra motora do SNP voluntrio fica localizado dentro do SNC e o axnio vai diretamente do encfalo ou da medula at o rgo que inerva. OSNP Autnomo ou Visceral , como o prprio nome diz, funciona independentemente de nossa vontade e tem por funo regular o ambiente interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas digestrio, cardiovascular, excretor e endcrino. 25. Sistema Endcrino Def:conjunto de rgos que apresentam como atividade caracterstica a produo de secrees denominadashormnios , que so lanados na corrente sangnea e iro atuar em outra parte do organismo, controlando ou auxiliando o controle de sua funo. Os rgos que tm sua funo controlada e/ou regulada pelos hormnios so denominadosrgos-alvo .Os hormnios influenciam praticamente todas as funes dos demais sistemas corporais. Freqentemente o sistema endcrino interage com o sistema nervoso, formando mecanismos reguladores bastante precisos. O sistema nervoso pode fornecer ao endcrino a informao sobre o meio externo, ao passo que o sistema endcrino regula a resposta interna do organismo a esta informao. Dessa forma, o sistema endcrino, juntamente com o sistemanervoso, atuam na coordenao e regulao das funes corporais. 26. Sistema Imunolgico O sistema imunolgico ou sistema imune de grande eficincia no combate a microorganismos invasores. responsvel pela limpeza do organismo, ou seja, a retirada de clulas mortas, a renovao de determinadas estruturas, rejeio de enxertos, e memria imunolgica. Tambm ativo contra clulas alteradas, que diariamente surgem no nosso corpo, como resultado de mitoses anormais. Essas clulas, se no forem destrudas, podem dar origem a tumores. Sistema Linftico Def:Sistema paralelo ao circulatrio, constitudo por uma vasta rede de vasos semelhantes s veias (vasos linfticos), que se distribuem por todo o corpo e recolhem o lquido tissular que no retornou aos capilares sangneos, filtrando-o e reconduzindo-o circulao sangnea. Linfa:lquido que circula pelos vasos linfticos. Sua composio semelhante do sangue, mas no possui hemcias, apesar de conter glbulos brancos dos quais 99% solinfcitos . No sangue os linfcitos representam cerca de 50% do total de glbulos brancos.Linfonodos ou ndulos linfticos:rgos linfticos mais numerosos do organismo, cuja funo a de filtrar a linfa e eliminar corpos estranhos que ela possa conter, como vrus e bactrias. Nele ocorrem linfcitos, macrfagos e plasmcitos. A proliferao dessas clulas provocada pela presena de bactrias ou substncias/organismos estranhos determina o aumento do tamanho dos gnglios, que se tornam dolorosos, formando angua . 27. rgos linfticos : amgdalas (tonsilas), adenides, bao, linfonodos ( ndulos linfticos) e timo (tecido conjuntivo reticular linfide: rico em linfcitos). Amgdalas(tonsilas palatinas): produzem linfcitos. Timo : rgo linftico mais desenvolvido no perodo prenatal, involui desde o nascimento at a puberdade. Bao : rgo linftico, excludo da circulao linftica, interposto na circulao sangnea e cuja drenagem venosa passa, obrigatoriamente, pelo fgado. Possui grande quantidade de macrfagos que, atravs da fagocitose, destroem micrbios, restos de tecido, substncias estranhas, clulas do sangue em circulao j desgastadas como eritrcitos, leuccitos e plaquetas. Dessa forma, o bao limpa o sangue, funcionando como um filtro desse fludo to essencial. O bao tambm tem participao na resposta imune, reagindo a agentes infecciosos. Inclusive, considerado por alguns cientistas, um grande ndulo linftico. Origem dos linfcitos : medula ssea (tecido conjuntivo reticular mielide: precursor de todos os elementos figurados do sangue). 28. Sistema Respiratrio O sistema respiratrio humano constitudo por um par de pulmes; fossas nasais, a boca, a faringe, a laringe, a traquia, os brnquios, os bronquolos e os alvolos, os trs ltimos localizados nos pulmes. Fossas nasais : so duas cavidades paralelas que comeam nas narinas e terminam na faringe. Elas so separadas uma da outra por uma parede cartilaginosa denominada septo nasal.Faringe : um canal comum aos sistemas digestrio e respiratrio e comunica-se com a boca e com as fossas nasais. O ar inspirado pelas narinas ou pela boca passa necessariamente pela faringe, antes de atingir a laringe. Laringe : um tubo sustentado por peas de cartilagem articuladas, situado na parte superior do pescoo, em continuao faringe. O pomo-de-ado, salincia que aparece no pescoo, faz parte de uma das peas cartilaginosas da laringe. A entrada da laringe chama-se glote. Acima dela existe uma espcie de lingeta de cartilagem denominadaepiglote , que funciona como vlvula. 29. O epitlio que reveste a laringe apresenta pregas, ascordas vocais , capazes de produzir sons durante a passagem de ar. Traquia : um tubo de aproximadamente 1,5 cm de dimetro por 10-12 centmetros de comprimento, cujas paredes so reforadas por anis cartilaginosos. Bifurca-se na sua regio inferior, originando osbrnquios , que penetram nos pulmes. 30. Pulmes : Os pulmes humanos so rgos esponjosos, com aproximadamente 25 cm de comprimento, sendo envolvidos por uma membrana serosa denominadapleura . Nos pulmes osbrnquiosramificam-se profusamente, dando origem a tubos cada vez mais finos, osbronquolos . O conjunto altamente ramificado de bronquolos arvore brnquicaourvore respiratria . Diafragma : A base de cada pulmo apia-se no diafragma, rgo msculo-membranoso que separa o trax do abdomen, presente apenas em mamferos, promovendo, juntamente com os msculos intercostais, os movimentos respiratrios.Cada bronquolo termina em pequenas bolsas formadas por clulas epiteliais achatadas (tecido epitelial pavimentoso) recobertas por capilares sangneos, denominadasalvolos pulmonares. 31. Sistema Digestrio formado por um longo tubo musculoso, ao qual esto associados rgos e glndulas que participam da digesto. Apresenta as seguintes regies; boca, faringe, esfago, estmago, intestino delgado, intestino grosso e nus. Boca:local onde encontram-se os dentes e a lngua, que preparam o alimento para a digesto, por meio da mastigao. Os dentes reduzem os alimentos em pequenos pedaos, misturando-os saliva, o que ir facilitar a futura ao das enzimas.Faringe:situada no final da cavidade bucal, um canal comum aos sistemas digestrio e respiratrio: por ela passam o alimento, que se dirige ao esfago, e o ar, que se dirige laringe. Esfago:canal que liga a faringe ao estmago, localiza-se entre os pulmes, atrs do corao, e atravessa o msculo diafragma, que separa o trax do abdmen.Estmago e Suco Gstrico: uma bolsa de parede musculosa, localizada no lado esquerdo abaixo do abdome, logo abaixo das ltimas costelas. um rgo muscular que liga o esfago ao intestino delgado. Sua funo principal a digesto de alimentos proticos. O estmago produz o suco gstrico, um lquido claro, transparente, altamente cido, que contm cido clordrico, muco, enzimas e sais. 32.

  • Intestino Delgado (Duodeno / Jejuno / leo):A digesto do quimo ocorre predominantemente no duodeno e nas primeiras pores do jejuno. No duodeno atua tambm o suco pancretico, que contm diversas enzimas digestivas. Outra secreo que atua no duodeno a bile, produzida no fgado e armazenada na vescula biliar.
  • No intestino, as contraes rtmicas e os movimentos peristlticos das paredes musculares, movimentam o quimo, ao mesmo tempo em que este atacado pela bile, enzimas e outras secrees, sendo transformado em quilo.
  • A absoro dos nutrientes ocorre atravs de mecanismos ativos ou passivos, nas regies do jejuno e do leo.
  • Os nutrientes absorvidos pelos vasos sanguneos do intestino passam ao fgado para serem distribudos pelo resto do organismo (exceto o produto da digesto de gorduras, que vo sofrendo transformaes, passam pelos vasos linfticos e so armazenados nas clulas gordurosas.
  • Intestino Grosso (ceco / clon ascendente / clon transverso / clon descendente / clon sigmide / reto: o local de absoro de gua, tanto a ingerida quanto a das secrees digestivas. Glndulas da mucosa do intestino grosso secretam muco, que lubrifica as fezes, facilitando seu trnsito e eliminao pelo nus.
  • Pncreas: uma glndula mista:
    • excrino produz enzimas digestivas, em estruturas reunidas denominadas cinos. Os cinos pancreticos esto ligados atravs de finos condutos, por onde sua secreo levada at um condutor maior, que desemboca no duodeno, durante a digesto.
    • endcrino secreta os hormnios insulina e glucagon

33.

  • Fgado:
  • Secretar a bile, lquido que atua no emulsionamento das gorduras ingeridas, facilitando, assim, a ao da lipase;
  • Remover molculas de glicose no sangue, reunindo-as quimicamente para formar glicognio, que armazenado; nos momentos de necessidade, o glicognio reconvertido em molculas de glicose, que so relanadas na circulao;
  • Armazenar ferro e certas vitaminas em suas clulas;
  • Metabolizar lipdeos
  • Sintetizar diversas protenas presentes no sangue, de fatores imunolgicos e de coagulao e de substncias transportadoras de oxignio e gorduras;
  • Degradar lcool e outras substncias txicas, auxiliando na desintoxicao do organismo;
  • Destruir hemcias velhas ou anormais, transformando
  • sua hemoglobina em bilirrubina (pigmento
  • castanho-esverdeado presente na bile)

34. Sistema Excretor Formado por um conjunto de rgos que filtram o sangue, produzem e excretam a urina - o principal lquido de excreo do organismo. constitudo por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga urinria e pela uretra.

  • Rim:
  • Regular a composio sangunea (eritropoetina);
  • Manter a concentrao constante dos vrios ons e outras substncias importantes;
  • Manter o volume de gua constante no corpo;
  • Remover resduos do organismo (uria, amnia, drogas, substncias txicas)
  • Manter a concentrao constante de cido/base sangunea;
  • Ajudar a regular a presso sangunea (renina);
  • Estimular a produo de glbulos vermelhos;
  • Manter o nvel de clcio no organismo.

35. A Eliminao da Urina Ureter:Os nfrons desembocam em dutos coletores, que se unem para formar canais cada vez mais grossos. A fuso dos dutos origina um canal nico, que deixa o rim em direo bexiga urinria. Bexiga: uma bolsa de parede elstica, dotada de musculatura lisa, cuja funo acumular a urina produzida nos rins. Quando cheia, a bexiga pode conter mais de de litro (250 ml) de urina, que eliminada periodicamente atravs da uretra.Uretra:um tubo que parte da bexiga e termina, na mulher, na regio vulvar e, no homem, na extremidade do pnis. Sua comunicao com a bexiga mantm-se fechada por anis musculares - chamadosesfncteres . 36.

  • Sistema Reprodutor
  • Masculino:
  • Testculos (gnadas masculinas), responsveis pela produo de espermatozides e dos hormnios sexuais masculinos;
  • Vias Espermticas: Epiddimo / Canais deferentes / uretra
  • Vesculas Seminais: produo de um lquido, que ser liberado no ducto ejaculatrio que, juntamente com o lquido prosttico e espermatozides, entraro na composio do smen.
  • Escroto: Funo de termorregulao
  • Prstata
  • Glndulas Bulbo Uretrais
  • Pnis

37. 2) Feminino O sistema reprodutor feminino constitudo por dois ovrios, duas tubas uterinas (trompas de Falpio), um tero, uma vagina, uma vulva. Ele est localizado no interior da cavidade plvica. A pelve constitui um marco sseo forte que realiza uma funo protetora.