Click here to load reader

Anatomia Humana I

  • View
    1.452

  • Download
    5

Embed Size (px)

Text of Anatomia Humana I

Anatomia Humana I

Prof. Gustavo Arajo RezendeEmail: [email protected] www.odontologiainfantil.odo.br

Anatomia: palavra grega que significa cortar em partesana: em partes tomein: cortar uma cincia que estuda macro e microscopicamente a constituio e o desenvolvimento dos seres (Dngelo e Fattini)

O conhecimento anatmico do corpo humano data de quinhentos anos antes de Cristo no sul da Itlia com Alcmon de Crotona, que realizou dissecaes em animais (Aula de Anatomia Web Page)

CitologiaHistrico O microscpio foi inventado em 1590 pelos irmos holandeses: Hans e Zacarias Jensen. At ento a citologia no existia, pois a maioria das clulas so microscpicas.

No ano de 1665, o ingls Robert Hooke, utilizando microscpio observou finos cortes de casca de arvore descobriu que estas estruturas eram formadas por pequenas unidades semelhantes a favo de mel, as quais chamou de clulas, diminutivo da palavra cella que em latim significa espao cercado por paredes.

CitologiaHistrico Em 1870, His inventou o micrtomo, sendo ento possvel observar as clulas atravs de cortes muito finos. Para que o tecido seja cortado ao micrtomo, porm, preciso que esteja fixado e includo numa substncia que lhe d resistncia; em 1860, Klebs j introduzira o mtodo de incluso em parafina. Em 1922, de posse de instrumentos de micromanipulao, Chambers inicia os trabalhos de microdissecao Em 1932, Knoll e Ruska descreveram o primeiro microscpio eletrnico. Sua aplicao sistemtica em Citologia s se deu em 1950, pois nessa poca j haviam sido desenvolvidos mtodos de fixao, colorao e incluso, especiais para microscopia eletrnica

Citologiakytos = clula logos = estudo Todos os seres vivos (exceto os vrus) tem a sua organizao estrutural baseada na clula. Alguns so unicelulares, outros multicelulares. A clula a unidade biolgica de todos os seres vivos.

Citologia

TEORIA CELULAR a) Todo ser vivo formado por clulas. b) Toda clula origina-se de outra preexistente. c) Todas as atividades metablicas ocorrem em nvel celular. d) Toda clula portadora de material gentico.

Classificao quanto ao tipo de clula:Procariotas Clulas muito simples, com: membrana plasmtica, citoplasma pobre em organelas (ribossomos so as nicas presentes), e o material gentico (DNA) encontra-se disperso no hialoplasma. Ex: bactrias e algas cianofceas, tambm conhecidas como algas azuis.

Eucariotas Estas clulas apresentam membrana plasmtica, citoplasma rico em organelas e material gentico (DNA) delimitada pela membrana nuclear (carioteca), inexistente nos procariontes. Ex: animais, vegetais, fungos e protozorios.

Estruturas CelularesClula Eucariota

Membrana Plasmtica Retculo Endoplasmtico Lisossomo Mitocndria Centrolo Carioteca

Citoplasma (citossol) Complexo de Golgi Ribossomos Citoesqueleto Peroxissomos Ncleo

Membrana CelularA teoria mais recente da composio da membrana plasmtica ( mosaico fludo) sugere que a mesma seja formada de uma matriz lipdica, com dupla camada descontnua, onde se alojam molculas de protena globulares e enzimas, como que mergulhadas nessa matriz.

Especializaes da Superfcie Celular

Microvilosidades: so dobras nas superfcies de algumas clulas que oferecem o recurso de uma extensa zona de absoro, em uma pequena rea de superfcie celular. Desmossomos: so pontos de espessamento na membranas de clulas vizinhas, onde esto presentes uma espcie de cimento destinado a firmar a ligao entre as clulas Interdigitaes: a membrana descreve um trajeto sinuoso, com salincias e reentrncias que se encaixam perfeitamente as da clula vizinha Flagelos: so formaes que aparecem na superfcie de certas clulas onde fibrilas ou microtbulos do centrolo empurram a membrana plasmtica formando uma estrutura que lembra uma cauda.

Microvilosidade

Desmossomo

Interdigitaes

Flagelo

Transporte atravs da MembranaPassivo Ativo

Do que feito uma clula ? A clula animal composta basicamente por gua, protenas, cidos nuclicos (DNA e RNA), polissacardeos, lipdeos e ons. As clulas do corpo vivem imersas num meio lquido que se infiltra atravs de espaos diminutos entre elas, que se move para dentro e para fora dos vasos sanguneos, e que transportado pelo sangue de uma parte para outra. Este lquido chamado de fluido extracelular.

Para que as clulas continuem vivas, a composio do fluido extracelular deve ser regulada com exatido a cada minuto. Esta conservao das condies extracelulares recebe o nome de homeostase.

Embora a composio do meio extracelular e intracelular seja o mesmo, a concentrao das substncias diferente.

Extracelular Na+ K+ Ca++ Mg++ ClGlicose + + + +

Intracelular + + +

Aminocidos -

A membrana plasmtica a principal estrutura responsvel por manter essa diferena de concentrao entre o meio intra e extracelular. Ela consegue este feito em virtude da sua capacidade de permitir que s entre ou saia da clula as substncias necessrias. Este processo de selecionar a entrada e sada de substncias da clula recebe o nome de permeabilidade seletiva.

Transporte Passivo a passagem de substncias atravs da membrana de maneira espontnea, sem qualquer gasto de energia pela clula Osmose: passagem de solvente (lquido) do meio menos concentrado para o mais concentrado, atravs de uma membrana semi-permevel.

Difuso Simples: passagem de soluto (slido) do meio mais concentrado para o menos concentrado.

Difuso Facilitada:tipo de transporte onde determinadas molculas de protena (permeases) recolhem a substncia em transito de um lado da membrana, realizam um movimento rotatrio e liberam a substncia do outro lado, facilitando a travessia.

Transporte AtivoBomba de Sdio e Potssio Na+

Na+

DifusoK+

K+

Gasto de energia

O transporte de molculas e ons atravs da membrana se d contra um gradiente de concentrao, ou seja, do meio menos para o mais concentrado. Para isso, a clula gasta emergia.

Fagocitose e PinocitoseA fagocitose o englobamento de partculas slidas, atravs da formao de pseudpodos , que abraam a partcula. Esta envolvida em uma pequena vescula chamada fagossomo. Se a substncia englobada pela clula estiver no estado lquido, o fenmeno recebe o nome de pinocitose.

Clasmocitose a eliminao de substancias atravs da membrana plasmtica. Os produtos residuais do metabolismo celular, no interior de pequenas vesculas, chegam periferia da clula junto a membrana e so eliminados.

Funes da Membrana Delimitar o meio externo da clula; Promover a permeabilidade seletiva, permitindo passar para o meio interno apenas elementos necessrios para a clula; Transportar informaes, permitindo que qualquer modificao no meio externo possa ser sentida e transmitida ao seu interior para que as modificaes necessrias possam ser feitas.

CitoplasmaTambm chamado de hialoplasma ou matriz citoplasmtica, o citoplasma uma rede de substncias gelatinosas e homognea que preenche todo o espao compreendido entre a membrana plasmtica e a membrana nuclear (citossomo) nele que ocorre a maioria das reaes qumicas da clula.

Pode ser encontrado em dois estados: o citogel de consistncia gelatinosa, com aspecto claro e encontra-se na regio mais perifrica (ectoplasma) e o citossol mais fluido,central e forma o endoplasma, onde encontram-se a maioria das organelas citoplasmticas.

Clula Animal

Citosol Citogel

Citoesqueleto Formado por filamentos no especficos, filamentos de actina e microtbulos de tubulina. Alm da funo de esqueleto tambm assume funes como dos movimentos de deslocamento.

Retculo EndoplasmticoSistema de canalculos, bolsas achatadas, cisternas e pequenos vacolos, formando um verdadeiro labirinto no citoplasma. Ocupa de 10 15% do volume.

Em algumas regies do citoplasma as membranas do RE apresentam-se repletas do grnulos (ribossomos), passando a ser chamados de Retculo Endoplasmtico Granular (REG). Em outras regies suas membranas no apresentam ribossomos, caracterizando o Retculo Endoplasmtico Liso (REL).

Funes do RE Sntese de lipdeo (esterides); Transportar substncias no interior da clula; Armazenar substncias; Sntese de protenas ( RER).

RibossomosSo gros formados por RNA e protenas. Podem ser encontrados dispersos no citoplasma ou ligados ao REG

Funo: Sntese protica (encadeando os aminocidos de acordo com a seqncia contida no RNA mensageiro) Proteognese

Aparelho de Golgi Sistema de bolsas achatadas e empilhadas de maneira bem organizada, de onde destacam-se as vesculas esfricas e menores que brotam das primeiras.Funes: Armazenamento de protenas produzidas no RER; Sntese de mucopolissacardeos; Sntese de lipdeos (esterides, hor. Sexuais, hor. do crtex da supra-renal); Formao de losossomos.

A forma do aparelho de Golgi depende do tipo celular e do ciclo. O nmero e tamanho depende da atividade celular. Geralmente so pericentrossomais. Dictiossomo: empilhamento de vrios sculos.

LisossomoSo pequenas vesculas, que contm enzimas digestivas de todos os tipos. Estas enzimas digerem material que a clula engloba e, ocasionalmente, elementos da prpria clula.

Fagossomo ou pinossomo

Vacolo Digestivo2rio 1rio

Vacolo residual

Lisossomo

So monomembranrias Contedo cido (pH 5) Hidrolases cidas

MitocndriasSo organelas ovides ou em bastonete, formadas por uma dupla membrana lipoprotica e uma matriz. O interior da de mitocndria repleto de um material de consistncia fluida, chamada matriz mitocondrial. Funes: Produo de energia na clula

CentrolosPequenos cilindros formados por uma srie de tubos (nove). So grnulos raros, quando ocorrem apresentasse centrolos em cada clula. Funes: Agem na diviso celular e coordenam os batimentos ciliar e flagelar.

Ncleo Celular

O ncleo um compartime