Click here to load reader

ANEXO - Português - Redação Oficial

  • View
    36

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Fazendo redação

Text of ANEXO - Português - Redação Oficial

  • 1

    ________________________________________________________

    Redao Oficial

    Instituto Educere QMSW 05 Lote 10 Bloco C sala 54

    CEP: 70658-000 Braslia-DF Brasil Tel.: 55-61-8408-1181

    [email protected] www.institutoeducere.com

  • 2

    Marcelo Paiva ________________________________________________________

    Redao Oficial

    6 edio

    Instituto Educere

    2010, Instituto Educere

  • 3

    Dados internacionais de catalogao na Publicao (CIP) (Cmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

    Paiva, Marcelo. Redao Oficial. 6 ed. Braslia: Instituto Educere, 2010.

    Bibliografia ISBN

    1. Redao Oficial. 2. Lngua Portuguesa. 3. Portugus jurdico.

    TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. A reproduo no autorizada desta publicao, no todo ou em parte,

    constitui violao dos direitos autorais (Lei n 9.610, de 19 de fevereiro de 1998) e crime estabelecido pelo artigo 184 do Cdigo

    Penal.

  • 4

    ________________________________________________________

    Sumrio

    Apresentao

    1 A linguagem nos textos oficiais 1 Clareza 2 Conciso 3 Formalidade e correo gramatical 4 Impessoalidade 5 Objetividade 6 Simplicidade 7 Uniformidade e padronizao

    2 Padronizaes 1 Pronome de tratamento 1.1 Grafia 1.2 Concordncia 1.3 Concordncia de pessoa 1.4 Concordncia de gnero 1.5 Excelncia ou Senhoria 2 Fechos para comunicaes 3 Identificao do signatrio 4 Data 5 Diagramao 6 Numerao de documentos 7 Folhas de continuao

    3 Normalizaes em textos oficiais 1 Elementos normativos 2 Pontuao com elementos normativos 3 Referncia a texto legal 4 Nomenclatura dos feitos 5 Horas 6 Siglas, abreviaturas e smbolos 7 Citao 8 Referncia 9 Referncia de textos jurdicos 10 Expresses latinas em referncias e citaes 11 Maisculas e minsculas 12 Numerais 13 Itlico e negrito

  • 5

    14 Referncia a folhas 15 Numerao em sees 16 Anexos, tabelas, grficos, quadros

    4. Expresses e vocabulrio 1 vez que, eis que, posto que, haja visto 2 mesmo 3 junto a 4 no sentido de 5 quando do(a) 6 inobstante 7 gerndio 8 a princpio em princpio 9 em que pese 10 enquanto 11 h que + verbo no infinitivo 12 trata-se de 13 pertine no que diz respeito 14 uso do porqu 15 face a em face de 16 deve estar deve de estar 17 arquive-se ou arquivem-se 18 atravs de ou por meio de 19 afinal - a final 20 a posteriori a priori 21 habeas corpus hbeas crpus 22 este esse aquele 23 a partir de com base em 24 acerca de acerca de h cerca de 25 de cujus decujo 26 a fim de afim de 27 medida que na medida em que 28 ao encontro de de encontro a 29 ao invs de em vez de 30 ao nvel de em nvel de 31 como sendo 32 ante 33 perante o juiz perante ao juiz 34 que esta subscreve que a esta subscreve 35 custa de a expensas de em via de 36 protocolar protocolizar 37 se no seno 38 suso 39 tampouco to pouco 40 comea a partir de 41 apenar - penalizar 42 com vista a com vistas a 43 custas custa 44 dado visto haja vista 45 de forma que de forma a

  • 6

    46 grosso modo 47 opor veto 48 pedir vista pedir vistas 49 percentagem porcentagem 50 priorizar 51 processo epigrafado 52 viger 53 deferir diferir 54 onde aonde de onde 55 remio remisso 56 sendo que

    5 Atos oficiais administrativos 1 Ata

    2 Atestado 3 Certido 4 Comunicado 5 Declarao 6 Despacho

    7. Exposio de motivos 8 Fac-smile (fax) 9 Informao 10 Instruo normativa 11 Memorando

    12 Mensagem 13 Mensagem eletrnica (e-mail)

    14 Ofcio 15 Ordem de servio 16 Portaria 17 Relatrio 18 Requerimento 19 Resoluo

  • 7

  • 8

    ________________________________________________________

    Apresentao

    Redao oficial a maneira padronizada pela qual a instituio pblica se expressa. O texto oficial, alm das caractersticas da boa redao e das normalizaes a serem respeitadas, segue dois princpios constitucionais da administrao pblica: impessoalidade e a publicidade.

    Desde o incio da Repblica, sempre houve preocupao em padronizar a linguagem dos rgos pblicos no Brasil. A primeira tentativa organizada foi em 1972, quando o Ministrio da Educao e Cultura publicou a obra Normas sobre correspondncia, comunicao e atos oficiais. Em 11 de janeiro de 1991, com a edio do Decreto n 100.000, o Presidente da Repblica autorizou a criao de comisso para rever, atualizar, uniformizar e simplificar as normas de redao de atos e comunicaes oficiais. Surgiu, assim, a primeira edio do Manual de Redao da Presidncia da Repblica.

    O Manual definiu modelos, padres e destacou a importncia da qualidade na correo e na clareza do texto. Sua atuao se limitava aos rgos do Executivo, porm tornou-se referncia para todos os poderes.

    Em 1992, a j extinta Secretaria de Administrao Federal, por meio da Instruo Normativa n 4, de 6 de maro, estabeleceu normas e padres a serem respeitados pelo servio pblico. A preocupao do ato foi esclarecer dvidas sobre determinados usos de nmeros, smbolos, siglas, tratamento, formas, e, principalmente, a linguagem adequada a ser empregada em documentos pblicos.

    Tambm serviram como fundamento referncias encontradas na Lei Complementar n 95, de 26 de fevereiro de 1998, e do Decreto n 4.176, de 28 de maro de 2002, preparados para atos normativos e legislativos. Assim, na dcada passada, diversos rgos produziram manuais de redao oficial com muita qualidade e melhoraram sensivelmente o texto oficial nas esferas federal, estadual e municipal.

    Este curso procura reunir de forma didtica as padronizaes e normalizaes exigidas em textos oficiais. Leciono h 30 anos e ministro cursos ou presto consultoria a diversos rgos pblicos. Este trabalho busca sintetizar as principais orientaes necessrias redao oficial.

  • 9

  • 10

    1 __________________________________

    A linguagem nos textos oficiais

    O idioma portugus extenso e permite inmeras variaes. A redao de atos oficiais deve obedecer, para sua maior eficincia, a princpios elementares de estruturao de texto. Esses princpios so vlidos no apenas para o ato oficial mas tambm para todo tipo de escrita que privilegie o bom texto.

    1 Clareza

    Habilidade de transpor com exatido uma ideia ou pensamento para o papel. O texto deve ser claro de tal forma que no permita interpretao equivocada ou demorada pelo leitor. A compreenso do documento deve ser imediata. importante usar vocabulrio acessvel, redigir oraes na ordem direta, utilizar perodos curtos e eliminar o emprego excessivo de adjetivos. Deve-se excluir da escrita ambiguidade, obscuridade ou rebuscamento.

    O texto claro pressupe o uso de sintaxe correta e de vocabulrio ao alcance do leitor. O Supremo Tribunal Federal, em seu manual de redao, recomenda para obteno de clareza:

    a) releia o texto vrias vezes aps escrev-lo, para assegurar-se de que est claro;

    b) empregue a linguagem tcnica apenas em situaes que a exijam e tenha o cuidado de explicit-la em comunicaes a outros rgos ou em expedientes voltados para os cidados;

    c) certifique-se de que as conjunes realmente estabeleam as relaes sintticas desejadas, no entanto evite o uso excessivo de oraes subordinadas, pois perodos muito subdivididos dificultam o entendimento;

    d) utilize palavras e expresses em outro idioma apenas quando forem indispensveis, em razo de serem designaes ou expresses de uso j consagrado ou de no terem exata traduo. Nesse caso, grafe-as em itlico.

    2 Conciso

  • 11

    Ser conciso informar o mximo em um mnimo de palavras. No se deve, no entanto, eliminar informao essencial apenas para reduzir-lhe o tamanho. Os itens que nada acrescentam ao que j foi dito que necessitam ser eliminados. Mais que curtas e claras, as expresses empregadas devem ser precisas.

    Em vez de Escreva Servimo-nos da presente para informar

    Informamos

    Venho pela presente informar

    Informamos

    Por intermdio desta comunicamos-lhes

    Comunicamos; informamos

    Desejamos levar ao conhecimento de

    Informamos-lhes que

    Se possvel, gostaramos que nos informassem

    Informem-nos sobre

    Tendo chegado ao nosso conhecimento que

    Informados que

    Levamos ao seu conhecimento

    Comunicamos; informamos

    Vimos pela presente encaminhar-lhes

    Encaminhamos

    Por intermdio desta solicitamos

    Solicitamos

    Por obsquio, solicitamos que verificassem

    Solicitamos verificar

    Formulamos a presente para solicitar

    Solicitamos

    Vimos solicitar Solicitamos Acusamos o recebimento Recebemos Chegou-nos s mos Recebemos Encontra-se em nosso poder

    Recebemos

    com satisfao que acusamos o recebimento

    Recebemos

    Temos a honra de convidar Convidamos Temos a satisfao de comunicar

    Comunicamos

    Vimos pela presente agradecer

    Agradecemos

    Pedimos a gentileza de nos enviar

    Solicitamos nos enviem; enviem-nos

    Efetivamos-lhes uma remessa de

    Remetemos-lhes

    Ficamos no aguardo de suas notcias

    Aguardamos informaes

    Procedemos a escolha Escolhemos Faa chegar s mos de Envie a Anexo presente Anexo Seguem em anexo Anexamos Enviamos em anexo Enviamos

  • 12

    Conforme acordado De acordo Conforme seguem abaixo relacionados

    Relacionados a seguir

    Acima citado Citado Antecipadamente gratos Agradecemos Durante o ano de 2006 Em 2006 Com referncia a Referente a Sem outro particular para o momento

    Agradecemos a ateno

    Sendo o que tinha a informar

    Agradecemos a ateno

    Sem mais para o momento Agradecemos a ateno Com estima e considerao Agradecemos a ateno

    Recomendaes:

    a) revise o texto e retire palavras inteis, repetie