anuario fruticultura 2012

  • View
    131

  • Download
    8

Embed Size (px)

Text of anuario fruticultura 2012

  • 997718084931122

    ISSN

    180

    8-49

    31

    tuF rlr i u tc u a1202

    brazilian Fruit yearbook

    anurio brasileiro da

    1

  • Tratamento de Resduos Animais: aproveita os dejetos de sunos e de outras espcies para a produo de energia (gs) e de composto orgnico.

    Programa Agricultura de Baixo Carbono.Seis maneiras de voc aumentara sua produtividade, benefi ciar o meio ambientee crescer ainda mais com o Brasil.

    AGRICULTURA DE BAIXA EMISSO DE CARBONO. MAS PODE CHAMAR TAMBM DEINVESTIMENTO COM RETORNO GARANTIDO.

    Recuperao de reas Degradadas: reintroduz as terras, antes subutilizadas,no processo produtivo.

    Plantio de Florestas: protege os animais, solo e pode ser explorada economicamente, evitando o desmatamento.

    Sistema de Plantio Direto:protege o solo da eroso, aumentandosua capacidade produtiva, com baixo custo de produo.

    Integrao Lavoura-Pecuria-Floresta: introduz estes 3 tipos de atividades em uma mesma propriedade, variando a produo.

    Programa Agricultura de Baixo Carbono.Seis maneiras de voc aumentara sua produtividade, benefi ciar o meio ambientee crescer ainda mais com o Brasil.

    Programa Agricultura de Baixa Emisso de Carbono ABC. Seis maneiras de voc aumentar a sua produtividade, benefi ciar o meio ambiente e crescer ainda mais com o Brasil.A agricultura brasileira est entrando em uma nova era com o Programa ABC Agricultura de Baixa Emisso de Carbono. Um projeto j adotado em diversos pases, com as seis principais medidas sustentveis para aumentar ainda mais a produo no campo, diminuindo as emisses de gases de efeito estufa. E para que todo produtor possa fazer essa mudana, o Governo Federal est investindo recursos em crdito e orientao para a implantao de tcnicas agrcolas sustentveis.

    Para mais informaes, acesse: www.agricultura.gov.br/abc.

    Fixao Biolgica de Nitrognio: evita a contaminao da gua e do solo e contribui para uma menor emisso de gases de efeito estufa.

    2 3

  • ExpedienteANURIO BRASILEIRO DA FRUTICULTURA 2012

    Editor: Romar Rudolfo BelingEditora assistente: Angela Zamberlan Vencato

    Textos: Benno Bernardo Kist, Angela Zamberlan Vencato, Cleiton Santos, Cleonice de Carvalho, Erna Regina Reetz, Helosa Poll e Romar Rudolfo Beling

    Superviso: Romeu Inacio NeumannTraduo: Guido Jungblut

    Fotografia: Slvio vila, Inor Assmann (Agncia Assmann), Robispierre Giuliani e divulgao de empresas e entidades

    Projeto grfico e diagramao: Mrcio Oliveira MachadoArte de capa: Mrcio Oliveira Machado, sobre fotografias de Slvio vila

    Edio de fotografia e arte-final: Mrcio Oliveira Machado e Henrique SchererMarketing: Maira Trojan Bugs, Tainara Bugs, Danielle de Almeida e Rafaela Jungblut

    Superviso grfica: Mrcio Oliveira MachadoDistribuio: Simone de Moraes

    Impresso: Grfica Serafinense, Serafina Corra (RS)

    EDITORA GAZETA SANTA CRUZ LTDA.CNPJ 04.439.157/0001-79

    Diretor-presidente: Andr Lus JungblutDiretor de Contedo: Romeu Inacio Neumann

    Diretor Comercial: Raul Jos DreyerDiretor-administrativo: Jones Alei da Silva

    Diretor Industrial: Paulo Roberto Treib

    Rua Ramiro Barcelos, 1.224, CEP: 96.810-900, Santa Cruz do Sul, RS

    Telefone: 0 55 (xx) 51 3715 7940 Fax: 0 55 (xx) 51 3715 7944

    E-mail: redacao@editoragazeta.com.brcomercial@editoragazeta.com.brSite: www.editoragazeta.com.br

    Ficha

    A636 Anurio brasileiro da fruticultura 2012 / Benno Bernardo Kist ... [et al.]. Santa Cruz do Sul: Editora Gazeta Santa Cruz, 2012. 128 p. : il.

    ISSN 1808-4931

    1. Frutas - Cultivo - Brasil. I. Kist, Benno Bernardo.

    CDD : 634.0981 CDU : 634.1(81)

    Catalogao: Edi Focking CRB-10/1197

    Expediente . Publishers and editors

    permitida a reproduo de informaes desta revista, desde que citada a fonte.

    Reproduction of any part of this magazine is allowed, provided the source is cited.

    ISSN 1808-4931

    tu

    Fr

    lr

    iu

    tc

    ua

    Slv

    io

    vila

    4

  • Apresentao

    Introduction

    06

    CenrioScenario08

    Principais frutas

    Main fruit

    30

    AesActions66

    PesquisaResearch92

    EspecialSpecial106

    PainelPanel124

    SumrioSumrio . Summary

    EventosEvents126

    Slv

    io

    vila

    6

    Dithane* NT o fungicida que acompanha a velocidade das mudanas!

    Tradicionalmente inovador usado por geraes no controle preventivode diversas doenas da cultura da Batata, Ma, Tomate e Uva.

    Dithane* NT tem maior aderncia resiste lavagem pelasguas da chuva.

    Dithane* NT proteo tambm para mais de 30 culturas.

    ecco

    mai

    s.co

    m[ *

    ]

    Mar

    cas

    Reg

    istr

    adas

    de

    Dow

    Agr

    oSci

    ence

    s.

    TRADICIONALMENTEINOVADOR O nico com Tecnologia NT

    www.dowagro.com/br | 0800 772 2492

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    Anncio Anurio Fruticultura - Multiculturas - Final - 12.031.12.ai 1 12/03/12 14:23

  • A quem se familiarizaA quem se familiariza com a produo de frutas no Brasil chama a ateno a diversidade de espcies que o Pas oferece a sua populao e ao mercado internacional. Das regies temperadas aos trpicos e linha do Equador, poucas so as variedades que no se adaptam ao clima e ao solo nacionais. Por isso, costuma-se dizer que os brasileiros so privilegiados quando est em questo o seu abastecimento.

    Com a estruturao dos canais de distribuio e de conserva-o dessas frutas, o consumidor domstico pode encontrar o ano inteiro as espcies de sua preferncia e, mais recentemente, tem tido a oportunidade inclusive de selecionar o produto a partir de diversos sistemas de cultivo.

    No entanto, se o cenrio da fruticultura brasileira j por si s promissor, em dezenas de polos de cultivo com forte identidade regional, de crer que os prximos anos so particularmente promissores. O Brasil talvez esteja testemunhando, neste incio de sculo XXI, uma revoluo absoluta na realidade da produo

    de frutas, e o faz com suas prprias cabeas pensantes. No seria exagero dizer que essa vanguarda de pesquisa e tec-

    nologia muito similar da adaptao da soja, cultura originria de regies temperadas, ao clima e ao solo dos trpicos, o que abriu oleaginosa as amplas extenses dos cerrados, alterando para sempre, por arte tambm de pesquisadores brasileiros, o mapa da agricultura global.

    E que odisseia protagonizam as frutas? Tendo frente a Em-presa Brasileira de Pesquisa Agropecuria (Embrapa), diante do entusiasmo visionrio de alguns de seus especialistas, e com apoio de instituies e empresas, espcies antes s vistas ou cultivveis em regies temperadas, de clima mais ameno, comearam a ser colhidas no Nordeste, em reas de forte insolao e de calor intenso.

    O Cear acaba de saborear a primeira safra de mas retiradas de pomares experimentais instalados em seu territrio. E, por sinal, gostou muito do que provou. Em outras localidades do

    ApresentaoApresentao . Introduction

    Revoluo no pomar

    Inor

    Ag.

    Ass

    man

    n

    Nordeste, uvas, ameixas, nsperas, caquis, pssegos e figos vm sendo testados, com desempenho muito promissor. Tendo em vista que os resultados j alcanados so alvissareiros, evidente que o Brasil no faz revoluo localizada. A aposta nacional po-der estender benefcios e efeitos positivos para outras realidades globais, com efeitos sociais de incluso facilmente calculveis.

    Caso se acrescente a esse panorama de eficincia e de com-petncia tcnica e gerencial ainda a ampla gama de alternativas sugeridas pelas espcies de frutas da regio Norte, em realidade de Amaznia (que, alis, merecem um captulo especial no Anurio Brasileiro da Fruticultura 2012), tem-se um cenrio de perspec-tivas para a fruticultura que so quase ilimitadas.

    Das frutas in natura aos produtos industrializados, o Brasil est, e cada vez mais estar, vendendo sade. Faz bem autoes-tima, faz bem economia e faz bem, especialmente, ao corao, diante da melhor qualidade de vida da populao, que tem disposio alimento bom, saboroso e nutritivo.

    Orchard revolution

    What captures the attentionWhat captures the attention of those who are familiar with the production of fruits in Brazil is the diversity of species the Country offers its people and the foreign markets. From the temperate regions to the tropics and to the Equator Line, only few varieties do not find their ideal climate and soil conditions across the Country. It is common knowledge that Brazilian people are privileged when it comes to the question of supply. With structuring of the distribution channels and conservation of these fruits, domestic consumers have year round access to the types of fruit they prefer and, more recently, have even had the chance to select their product according to different production systems.

    Nonetheless, if the Brazilian fruit scenario is promising by itself, in tens of production hubs strongly identified with their regions, common sense has it that the coming years will be particularly promising. Maybe in the early years of the 21st cen-tury Brazil is witnessing a radical revolution in fruit production operations, masterminded by the growers themselves.

    It would be no exaggeration to say that this avant-garde research work and technology runs parallel with the adaptation of the soybean crop, which comes from temperate zones, to tropical climate and soil conditions, and has spread to the vast cerrado regions, altering forever, also by virtue of the Brazilian researchers, the map of global agriculture.

    And what an odyssey triggered by the fruits? Led by Brazilian Agricultural Research Corporation (Embrapa), driven by the visionary enthusiasm of some of its special