Click here to load reader

APOSTILA ANATOMIA HUMANA

  • View
    172.792

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of APOSTILA ANATOMIA HUMANA

ANATOMIA GERAL HUMANAApostila para fins didticos

Valria Catelli Infantozzi Costa

Ribeiro Preto 2008

0

SumrioA. Introduo ao Estudo da Anatomia ...................................................................................................................... 2 1. Definio ............................................................................................................................................................... 2 2. Diviso .................................................................................................................................................................. 2 B. Partes constituintes do corpo humano .................................................................................................................. 3 C. Nomenclatura Anatmica ..................................................................................................................................... 3 1. Posio Anatmica (Figura 1)............................................................................................................................... 3 2. Planos de Inscrio (Figura 2) .............................................................................................................................. 4 3. Eixos ortogonais e Planos de Seco .................................................................................................................... 4 4. Planos de Seco do Corpo ................................................................................................................................... 4 5. Seco, Corte e Vista ............................................................................................................................................ 6 6. Termos de Posio ................................................................................................................................................ 8 7. Termos de Direo ................................................................................................................................................ 9 8. Termos de Situao ............................................................................................................................................... 9 9. Outros termos de descrio anatmica ................................................................................................................ 10 D. Cavidades do Corpo ........................................................................................................................................... 16 E. Nveis de organizao estrutural do corpo humano ............................................................................................ 18 F. Sistemas .............................................................................................................................................................. 19 1. Sistema Esqueltico ............................................................................................................................................ 19 2. Sistema Muscular ................................................................................................................................................ 19 3. Sistema Tegumentar ............................................................................................................................................ 19 4. Sistema Nervoso ................................................................................................................................................. 20 5. Sistema Endcrino .............................................................................................................................................. 20 6. Sistema Circulatrio ............................................................................................................................................ 21 7. Sistema Respiratrio ........................................................................................................................................... 21 8. Sistema Digestivo ............................................................................................................................................... 22 9. Sistema Urinrio ................................................................................................................................................. 22 10. Sistema Genital Feminino ................................................................................................................................. 24 11. Sistema Genital Masculino ............................................................................................................................... 24

1

A. INTRODUO AO ESTUDO DA ANATOMIA 1. Definio A Anatomia (anatome = cortar em partes, cortar separando) refere-se ao estudo da estrutura e das relaes entre estas estruturas. A fisiologia (physis + lgos + ia) lida com as funes das partes do corpo, isto , como elas trabalham. A funo nunca pode ser separada completamente da estrutura, por isso voc aprender sobre o corpo humano estudando a anatomia e a fisiologia em conjunto. Voc ver como cada estrutura do corpo est designada para desempenhar uma funo especfica, e como a estrutura de uma parte, muitas vezes, determina sua funo. Por exemplo, os plos que revestem o nariz filtram o ar que inspiramos. Os ossos do crnio esto unidos firmemente para proteger o encfalo. Os ossos dos dedos, em contraste, esto unidos mais frouxamente para permitir vrios tipos de movimento. Assim, a Anatomia a cincia que estuda a forma, a estrutura e organizao dos seres vivos, tanto externa quanto internamente. E a Fisiologia a cincia que estuda o funcionamento da matria viva, investiga as funes orgnicas, processos ou atividades vitais. 2. Diviso A Anatomia macroscpica humana estuda o corpo humano e conforme o enfoque, recebe varias denominaes: ANATOMIA SISTEMTICA OU DESCRITIVA: estuda de modo analtico (separao de um todo em seus elementos ou partes componentes) e separadamente as vrias estruturas dos sistemas que constituem o corpo, o esqueltico, o muscular, o circulatrio, etc. ANATOMIA TOPOGRFICA OU REGIONAL: estuda, de uma maneira sinttica (mtodo, processo ou operao que consiste em reunir elementos diferentes e fundi-los num todo), as relaes entre as estruturas de regies delimitadas do corpo; ANATOMIA DE SUPERFCIE OU DO VIVO: estuda a projeo de rgos e estruturas profundas na superfcie do corpo, de grande importncia para a compreenso da semiologia clnica (estudo e interpretao do conjunto de sinais e sintomas observados no exame de um paciente); ANATOMIA FUNCIONAL: estuda segmentos funcionais do corpo, estabelecendo relaes recprocas e funcionais das vrias estruturas dos diferentes sistemas; ANATOMIA APLICADA - salienta a importncia dos conhecimentos anatmicos para as atividades mdicas, clnica ou cirrgica e mesmo para as artsticas; ANATOMIA RADIOLGICA: estuda o corpo usando as propriedades dos raios X e constitui, com a Anatomia de Superfcie, a base morfolgica das tcnicas de explorao clnica; ANATOMIA COMPARADA: estuda a Anatomia de diferentes espcies animais com particular enfoque ao desenvolvimento ontogentico (desenvolvimento de um indivduo desde a concepo at a idade adulta) e filogentico (histria evolutiva de uma espcie ou qualquer outro grupo taxonmico) dos diferentes rgos.

2

B. PARTES CONSTITUINTES DO CORPO HUMANO 1) Cabea (pescoo) 2) Tronco a) Trax b) Abdome 3) Membros a) Superiores i) ombros (raiz) ii) braos iii) antebraos iv) mos b) Inferiores i) quadril (raiz) ii) coxas iii) pernas iv) ps

C. NOMENCLATURA ANATMICA 1. Posio Anatmica (Figura 1) Na anatomia, existe uma conveno internacional de que as descries do corpo humano assumem que o corpo esteja em uma posio especfica, chamada de posio anatmica. Na posio anatmica, o indivduo est em posio ereta, em p (posio ortosttica) com a face voltada para a frente e em posio horizontal, de frente para o observador, com os membros superiores estendidos paralelos ao tronco e com as palmas voltadas para a frente, membros inferiores unidos (calcanhares unidos), com os dedos dos ps voltados para a frente. Toda descrio anatmica feita considerando o indivduo em posio anatmica.Figura 1. Posio Anatmica.

3

2. Planos de Inscrio (Figura 2) So tambm chamados de Planos de Delimitao, pois delimitam o corpo humano por planos tangentes sua superfcie, os quais, com suas interseces, determinam a formao de um slido geomtrico, um paraleleppedo. Tm-se assim, para as faces desse slido, os seguintes planos correspondentes: ventral ou anterior => plano vertical tangente ao ventre dorsal ou posterior => plano vertical tangente ao dorso lateral direito => plano vertical tangente ao lado do corpo lateral esquerdo => plano vertical tangente ao lado do corpo cranial ou superior => plano horizontal tangente cabea podal ou inferior => plano horizontal tangente planta dos psFigura 2. Planos de Inscrio

3. Eixos ortogonais e Planos de Seco A partir destes planos de inscrio so determinados eixos e planos que so utilizados como pontos de referncia para descrever a situao, posio e direo de rgos ou segmentos do corpo. Unindo o centro de dois planos de inscrio opostos obtm-se trs eixos: eixo longitudinal ou craniocaudal; eixo anteroposterior, dorsoventral ou sagital e eixo latero-lateral. O deslocamento de um eixo sobre o outro define um plano que secciona o corpo em 2 partes. Estes planos, perpendiculares entre si so chamados Planos de Seco: mediano ou sagital, frontal ou coronal e transversal ou horizontal.

Figura 3. Planos de Seco

4. Planos de Seco do Corpo Os planos de seco so cortes feitos no corpo em posio anatmica.

4

Mediano ou Sagital => planos de seco paralelos aos planos laterais que divide o corpo em metades direita e esquerda. (Figura 3a)

Frontal ou Coronal => planos de seco paralelos aos planos ventral e dorsal, que divide o corpo de forma a separar os planos ventral e dorsal. (Figura 3b)

Transversal ou Horizontal => planos de seco paralelos aos planos cranial e podal, que divide o corpo horizontalmente. (Figura 3c)

Obs.: Toda seco do corpo feita por planos paralelos ao plano mediano uma seco sagital, e os planos de seco so tambm chamados sagitais*. * nome sagital se deve ao fato de seguir a direo da sutura sagital (em forma de seta) entre os ossos parietais.

5

5. Seco, Corte e Vista Notao: Seco ou Corte XXX; Vista YYY.

4a. Seco ou Corte transversal; Vista superior.

Fig.

Fig. 4b. Seco ou Corte transversal; Vista inferior.

Fig. 5a. Seco ou Corte frontal/coronal; Vista ventral/anterior.

Fig. 5b. Seco ou Corte frontal/coronal; Vista dorsal/posterior.

6

Fig. 6a. Seco ou Corte sagital/mediano; Vista lateral direita.

Fig. 7a. Vista ventral/anterior

Fig. 7b. Vista dorsal/posterior

7

6. Termos de Posio Os termos de posio indicam proximidade aos planos de inscrio ou ao plano de seco mediano. So termos comparativos e indicam que uma estrutura , por exemplo, mais cranial que outra. Nenhum rgo ou estrutura simplesmente cranial ou ventral pois estes planos so tangentes e portanto esto fora do corpo e surgem apenas como referncia. Termos de posio: Medial => a estrutura que se situa mais prxima ao plano mediano em relao a uma outra. Ex. dedo mnimo em relao ao polegar. Lateral => a estrutura que se situa mais prxima ao plano lateral (direito ou esquerdo) em relao a uma outra. Ventral ou Anterior => estrutura que se situa mais prxima ao plano ventral em relao a uma outra. Dorsal ou Posterior => estrutura que se situa mais prxima ao plano dorsal em relao a uma outra. Cranial ou Superior => estrutura que se situa mais prxima ao plano cranial em relao a uma outra (que lhe ser inferior ou podal) Podal ou Inferior => estrutura que se situa mais prxima ao plano podal em relao a uma outra.

Fig. 8a. Seco ou Corte transversal; Vista superior.

Fig. 8b. Seco ou Corte transversal; Vista inferior.

A figura 8 exemplifica estes termos: a artria aorta abdominal medial em relao ao bao, o bao lateral em relao ao rim esquerdo, o estmago anterior em relao aos rins, o fgado posterior em relao ao msculo reto abdominal. 8

7. Termos de Direo Acompanham os eixos ortogonais longitudinal ou crniocaudal, nteroposterior ou dorsoventral ltero-lateral Exemplos: as falanges esto alinhadas em direo craniocaudal, os ossos carpais na direo lterolateral; a traquia e o esfago esto alinhados na direo nteroposterior.Fig. 9a. Ossos da mo direita; vista palmar (anterior). Fig.9b. Corte frontal; vista anterior.

8. Termos de Situao Mediano situada exatamente ao longo do plano de seco mediano. Mdio e Intermdio so termos que indicam situao de uma estrutura entre outras duas: Mdio quando as estruturas esto alinhadas na direo craniocaudal ou nterodorsal. Intermdio quando as estruturas esto em alinhamento ltero-lateral

9

9. Outros termos de descrio anatmica Proximal e Distal. esses termos so usados para comparar a distncia de pelo menos duas estruturas em relao (1) a raiz do membro, (2) ao corao e (3) ao encfalo e medula espinhal. Proximal estrutura que se encontra mais prxima da raiz dos membros (tronco), do corao ou do encfalo e medula espinhal Distal estrutura que se encontra mais distante da raiz dos membros, do corao ou do encfalo e medula espinhal

Palmar ou volar face anterior da mo. A face posterior das mos chamada dorsal. Plantar face inferior do p. A face superior dos ps chamada dorsal. Palmar ou Volar Dorsal

Dorsal

Plantar

Oral e aboral so termos restritos ao tubo digestivo e indicam estruturas mais prximas ou distantes da boca, respectivamente.

10

Aferente e eferente indicam direo e so usados em anatomia para vasos e nervos. Aferente significa que impulsos nervosos ou o sangue so conduzidos da periferia para o centro, eferente se refere conduo do centro para a periferia. Eferente Aferente do centro para a periferia; da periferia para o centro

No sistema circulatrio, as veias cavas superior e inferior so aferentes por drenarem todo o sangue da periferia para o corao, que o centro deste sistema. A artria aorta eferente, pois impulsiona o sangue do corao para a periferia.

A raiz dorsal do nervo espinhal aferente por conduzir impulsos nervosos da periferia para a medula espinhal, j a raiz ventral eferente.

11

. Fscias so tecidos conjuntivos fibrosos que revestem ou delimitam rgos e msculos. Os termos superficial e profundo indicam as distncias relativas entre as estruturas e a superfcie do corpo. So tambm termos de situao que indicam estar contido nos planos superficiais ou nos planos profundos. Nesse caso, o limite entre superficial e profundo a fscia muscular. Estruturas superficiais so aquelas contidas no tegumento** Estruturas profundas esto abaixo do tegumento. Leses limitadas ao tegumento so superficiais, e leses que atingem a fscia muscular j so consideradas profundas.** O tegumento humano formado pela pele (epiderme e derme) e tecido subcutneo. A epiderme um epitlio multiestratificado, formado por vrias camadas de clulas achatadas justapostas. A camada de clulas mais interna, denominada epitlio germinativo, constituda por clulas que se multiplicam continuamente; dessa maneira, as novas clulas geradas empurram as mais velhas para cima, em direo superfcie do corpo. medida que envelhecem, as clulas epidrmicas tornam-se achatadas, e passam a fabricar e a acumular dentro de si uma protena resistente e impermevel, a queratina. As clulas mais superficiais, ao se tornarem repletas de queratina, morrem e passam a constituir um revestimento resistente ao atrito e altamente impermevel gua, denominado camada queratinizada ou crnea. A derme, localizada imediatamente sob a epiderme, um tecido conjuntivo que contm fibras proticas, vasos sangneos, terminaes nervosas, rgos sensoriais e glndulas. Na derme encontramos ainda: msculo eretor de plo, fibras elsticas (elasticidade), fibras colgenas (resistncia), vasos sangneos e nervos. Tecido subcutneo: Sob a pele, h uma camada de tecido conjuntivo frouxo, o tecido subcutneo, rico em fibras e em clulas que armazenam gordura (clulas adiposas ou adipcitos). A camada subcutnea, denominada hipoderme, atua como reserva energtica, proteo contra choques mecnicos e isolante trmico. Abaixo do tecido subcutneo encontra-se a fscia muscular.

Interno e externo se referem s faces dos rgos ocos ou de cavidades e tambm se referem s faces das costelas. Interno mais prximo do centro de um rgo ou cavidade; Externo . mais afastado do centro de um rgo ou cavidade.

12

Radial e ulnar significam mais prximo dos ossos rdio e ulna, respectivamente, assim como tibial e fibular para a tbia e a fbula. Algumas estruturas foram nomeadas de acordo com tal proximidade, por exemplo, os msculos tibial anterior e posterior, ou os nervos ulnar e radial. nervo ulnar

Para os dentes so usadas expresses que definem suas faces. Oclusal a face livre e mastigadora dos dentes, que nos incisivos e caninos encontra-se reduzida a uma simples borda mastigadora. Vestibular a face dirigida para o vestbulo bucal: face labial a que est voltada para os lbios; face bucal a que est voltada para a bochecha. Lingual face oposta vestibular, est dirigida para a cavidade da boca. Mesial a expresso usada para as duas faces do dente voltadas para os dentes vizinhos.

13

Pedculo o conjunto de estruturas, vasos, nervos e ductos destinados a um rgo. Hilo de um rgo o stio por onde entram e saem os elementos pedculo. O pedculo renal, por exemplo, composto pelas artria e veia renais, ureter e nervo simptico. O pedculo pulmonar, por exemplo, composto por artria e veias pulmonares e brnquicas, brnquios, nervos e vasos linfticos do pulmo. do

Plexo ou rede uma malha situada em territrios arteriais, venosos, linfticos ou nervosos, formado por anastomoses e subdivises dessas estruturas. Os plexos vasculares garantem um fluxo sanguneo adequado para todos os rgos e segmentos do corpo.

14

Feixe vsculo-nervoso um conjunto de vasos e nervos enfeixados (reunidos) por uma bainha conjuntiva comum. Bainha Carotdea (carotid sheath) feixe vsculo-nervoso composto pela artria cartida, veia jugular interna e nervo vago.

O feixe vsculo-nervoso (neurovascular bundle) composto pelo plexo braquial, artria e veia subclvia. O plexo braquial a rede de nervos motores e sensoriais que inervam o brao a mo e ombro. O componente vascular do feixe, a artria e veia subclvia, transportam sangue para e do brao, mo ombro e regies do pescoo e cabea.

15

D. CAVIDADES DO CORPO Os espaos dentro do corpo que contm os rgos internos so chamados de cavidades do corpo. As cavidades ajudam a proteger, isolar e sustentar os rgos internos. A Figura 1 mostra as duas principais cavidades do corpo: dorsal e ventral.

Fig1. Cavidades do corpo A cavidade dorsal do corpo est localizada prxima superfcie posterior ou dorsal do corpo. Ela composta por uma cavidade craniana, que formada pelos ossos cranianos e contm o encfalo e suas membranas (chamadas de meninges), e por um canal vertebral que formado pelas vrtebras (ossos individuais) da coluna vertebral e contm a medula espinhal e suas membranas (tambm chamadas de meninges), bem como o comeo (razes) dos nervos espinhais. A cavidade ventral do corpo est localizada na poro anterior ou ventral (frontal) do corpo e contm rgos coletivamente chamados de vsceras. Como a cavidade dorsal, a cavidade ventral do corpo apresenta duas subdivises principais - uma poro superior, chamada de cavidade torcica, e uma poro inferior, chamada de cavidade abdominoplvica. O diafragma (diaphragma = partio ou parede), uma camada muscular em forma de domo e importante msculo da respirao, divide a cavidade ventral do corpo em cavidades torcica e abdominoplvica. A cavidade torcica contm duas cavidades pleurais em torno de cada pulmo, e a cavidade pericrdica (peri = em volta; cardi = corao), espao em torno do corao (Figura 2). O mediastino (medias = meio; stare = parar, estar), na cavidade torcica, contm uma massa de tecidos entre os pulmes que se estende do osso esterno coluna vertebral (Figura 2). O mediastino inclui todas as estruturas na cavidade torcica, exceto os prprios pulmes. Entre as estruturas localizadas no mediastino esto o corao, o esfago, a traquia e muitos grandes vasos sanguneos, como a aorta. A cavidade abdominoplvica, como o nome sugere, est dividida em duas pores, embora nenhuma estrutura especfica as separem (veja a Figura 2). A poro superior, a cavidade abdominal, contm o estmago, o bao, o fgado, a vescula biliar, o pncreas, o intestino delgado e a maior parte do intestino grosso. A poro inferior, a cavidade plvica, contm a bexiga urinria, pores do intestino grosso e os rgos genitais internos.

16

Fig. 2. Quadro 1. Resumo das cavidades do corpo.

17

E. NVEIS DE ORGANIZAO ESTRUTURAL DO CORPO HUMANO O corpo humano consiste de vrios nveis de organizao estrutural que esto associados entre si. O nvel qumico inclui todas as substncias qumicas necessrias para manter a vida. As substncias qumicas so constitudas de tomos, a menor unidade de matria, e alguns deles, como o carbono (C), o hidrognio (H), o oxignio (O), o nitrognio (N), o clcio (Ca), o potssio (K) e o sdio (Na) so essenciais para a manuteno da vida. Os tomos combinam-se para formar molculas; dois ou mais tomos unidos. Exemplos familiares de molculas so as protenas, os carboidratos, as gorduras e as vitaminas. As molculas, por sua vez, combinam-se para formar o prximo nvel de organizao: o nvel celular. As clulas so as unidades estruturais e funcionais bsicas de um organismo. Entre os muitos tipos de clulas existentes no corpo esto as clulas musculares, nervosas e sangneas. A Figura ao lado mostra quatro tipos diferentes de clulas de revestimento do estmago. Cada uma tem uma estrutura diferente e cada uma desenvolve uma funo diferente. O terceiro nvel de organizao o nvel tecidual. Os tecidos so grupos de clulas semelhantes que, juntas, realizam uma funo particular. Os quatro tipos bsicos de tecido so tecido epitelial, tecido conjuntivo, tecido muscular e tecido nervoso. As clulas na Figura acima formam um tecido epitelial que reveste o estmago. Cada clula tem sua funo especfica na digesto. Quando diferentes tipos de tecidos esto unidos, eles formam o prximo nvel de organizao: o nvel orgnico. Os rgos so compostos de dois ou mais tecidos diferentes, tm funes especficas e geralmente apresentam uma forma reconhecvel. Exemplos de rgos so o corao, o fgado, os pulmes, o crebro e o estmago. A Figura acima mostra os vrios tecidos que constituem o estmago. A tnica serosa uma camada de tecido conjuntivo e tecido epitelial, estando localizada na superfcie externa do estmago, que o protege e reduz o atrito quando o estmago se move e roa em outros rgos vizinhos. As camadas de tecido muscular do estmago esto localizadas abaixo da tnica serosa e contraem-se para misturar o bolo alimentar e transport-la para o prximo rgo digestrio (intestino delgado). A camada de tecido epitelial que reveste o estmago produz muco, cido e enzimas que auxiliam na digesto. O quinto nvel de organizao o nvel sistmico. Um sistema consiste de rgos relacionados que desempenham uma funo comum. O sistema digestrio, que funciona na digesto e na absoro dos alimentos, composto pelos seguintes rgos: boca, glndulas salivares, faringe (garganta), esfago, estmago, intestino delgado, intestino grosso, fgado, vescula biliar e pncreas. O mais alto nvel de organizao o nvel de organismo. Todos os sistemas do corpo funcionando como um todo compem o organismo - um indivduo vivo. 18

F. SISTEMAS Sistema Esqueltico; Sistema Muscular; Sistema Tegumentar; Sistema Nervoso; Sistema Endcrino; Sistema Circulatrio; Sistema Respiratrio; Sistema Digestivo; Sistema Urinrio; Sistema Genital Masculino; Sistema Genital Feminino; 1. Sistema Esqueltico Principais funes: sustentao, movimento e proteo. Principais componentes: ossos e articulaes. 2. Sistema Muscular Principais funes: sustentao e movimento. Principais componentes: msculos e tendes.

3. Sistema Tegumentar Principais funes: proteo, controle da temperatura. Principais componentes: pele (epiderme e derme) e tecido subcutneo (hipoderme).

19

4. Sistema Nervoso Principais funes: ajustamento do organismo ao ambiente. Sua funo perceber e identificar as condies ambientais externas, bem como as condies reinantes dentro do prprio corpo e elaborar respostas que adaptem a essas condies. Funo Sensorial, Integrativa e Motora. Principais componentes: Sistema Nervoso Central(encfalo e medula) e Sistema Nervoso Perifrico.

5. Sistema Endcrino Principais funes: junto com o sistema nervoso, promove a manuteno do equilbrio do organismo (homeostase), por meio do controle das funes biolgicas. Principais componentes: Pineal ou Epfise, Hipfise (Pituitria), Tireide e Paratireide (abaixo da laringe) , Supra-renais (superior aos rins), Pncreas, Ovrios e Testculos.

20

6. Sistema Circulatrio Principais funes: transporte de O2, nutrientes, hormnios para as clulas e remoo de produtos indesejveis; defesa do organismo (por meio do transporte de anti-toxinas e glbulos brancos); tambm auxilia na manuteno do contedo de H2O e ons, pH e temperatura do corpo. Principais componentes: corao, vasos (artrias, veias e capilares).

7. Sistema Respiratrio Principais funes: trocas gasosas (captao de O2 remoo de CO2). Principais componentes: cavidades (ou fossas) nasais, faringe, laringe, traquia (que se ramifica nos brnquios), alvolos e pulmes.

21

8. Sistema Digestivo Principais funes: realiza a digesto: quebra de alimentos, absoro dos componentes nutritivos e eliminao de substncias indesejveis). Principais componentes: boca (lngua, dentes, etc.), faringe, esfago, estmago, intestino delgado, intestino grosso, reto e nus. Possui glndulas anexas: glndulas salivares, fgado e pncreas.

9. Sistema Urinrio Principais funes: excreo de substncias txicas, o equilbrio hdrico e o controle de ons. Principais componentes: dois rins, dois ureteres, bexiga e uretra.

22

Posio relativa dos rgos dentro do corpo. Note que os rgos tracejados (rins e bexiga) ocupam uma posio dorsal em relao aos rgos no tracejados.

23

10. Sistema Genital Feminino Principais funes: reproduo. Principais componentes: ovrios, trompas, tero e vagina.

11. Sistema Genital Masculino Principais funes: reproduo. Principais componentes: bolsa escrotal, testculos, epiddimos, canais deferentes, uretra, vesculas seminais, prstata e pnis.

24