Apostila curso básico de fotografia

  • View
    19.545

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Apostila curso básico de fotografia

  • 1. FUNDAO ESCOLA TCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA DDPI - CURSOS DE EXTENSOPROFESSOR MARCELO SALCEDO GOMES CURSO BSICO DE FOTOGRAFIANOVO HAMBURGO2012/01

2. DDPI - CURSOS DE EXTENSO 2012/01Curso Bsico de Fotograa - 21 horasOBJETIVOSIdenticar os princpios da cmera fotogrca, seus principais mecanismos tcnicos eoperacionalizar seus usos integrados para a formao da imagem. Apontar os principaiselementos da linguagem fotogrca (luz, profundidade de campo, foco, enquadramento,composio, cor, momento decisivo etc) e sua inter-relao com os elementos tcnicos(tipos de lentes, tempo de exposio, velocidade do obturador, abertura do diafragma,ISO etc). Entender os elementos estticos, tcnicos e sociais implicados no processo deconstruo das imagens fotogrcas, bem como a diferena entre fotojornalismo,fotodocumento, foto publicitria, foto arte etc.PBLICO ALVOAlunos dos curso Tcnico em Design, dos demais cursos da Fundao Liberato ou daUERGS e interessados em fotograa.DOCENTEMarcelo Salcedo Gomes: Fotgrafo, Bacharel em Comunicao Social - Jornalismo(Unisinos 2010), com Especializao em Fotograa Instrumental e Mestrando emCincias da Comunicao no PPGCC Unisinos. Primeiro colocado do Prmio AdelmoGenro Filho da SBPJor 2011 pelo TCC intitulado As Fantsticas Fotograas da NationalGeographic e 1 lugar do Prmio de Jornalismo Experimental da Unisinos 2009 nacategoria Fotojornalismo. Realiza pesquisa no campo da comunicao em contexto demidiatizao com foco na teoria da fotograa.CALENDRIO E HORRIO DAS AULASAs aulas ocorrero nas quintas-feiras tarde, das 13h30 as 17h nos dias 19 e 26 de abril;03, 10, 24 e 31 de maio.OBSERVAES1. desejvel que cada participante traga seu prprio equipamento, podendo ser amador(cmeras compactas digitais, celulares ou analgicas compactas de lmes), semi- 3. prossionais ou prossionais (analgicas ou digitais), pois ser ministrada uma viso geralde como aproveitar o mximo de cada equipamento.2. Sero realizados exerccios prticos no decorrer dos encontros.PROGRAMA1 Encontro (19/04) - Histria da Fotograa. Os elementos da linguagem fotogrca.Operaes bsicas de cmera fotogrca. Tarefa para o prximo encontro: produo de5 fotograas identicando os elementos bsicos da linguagem fotogrca.2 Encontro (26/04) - Os tipos de cmeras. Os tipos de lentes. Guia de equipamentos.Como fazer boas fotos com equipamentos limitados. Tcnicas fotogrcas avanadas.Tarefa para o prximo encontro: fazer 5 fotos utilizando as tcnicas aprendidas.3 Encontro (03/05) - A importncia da luz para a fotograa. Noes sobre iluminao deestdio, foto ao ar livre e uso do ash. Tipos de arquivos. Formas de armazenagem. Dicasde edio de imagem e programas de edio. Tarefa para o prximo encontro: produzir eeditar 5 fotograas para apresentao.4 Encontro (10/05) - Como fazer retratos, fotograa de eventos, fotograa de paisageme foto artstica. Os tipos de suportes para apresentao e a escolha adequada dotamanho do arquivo. Tarefa para a prxima aula: escolher uma modalidade fotogrca eproduzir 10 fotograas impressas em papel 15x21cm.5 Encontro (24/05) - Os diversos ofcios que envolvem fotograa. Grandes fotgrafos eseus portiflios. A fotograa entre o documento e a arte. A busca do fotgrafo pelaautoralidade. Tarefa para prxima aula: Fazer uma autobiograa fotogrca contendo 10fotograas e montar seu portiflio com as melhores imagens produzidas nas aulas.6 Encontro (31/05) - A diferena entre fotograa analgica e digital. A ascenso daimagem fotogrca no mundo digital. Noes sobre manipulao de imagens digitais. Afotograa como matria prima para o designer. Dicas para quem quer se prossionalizar,sites e bibliograa sobre fotograa. 4. 1 Histria da Fotograa A primeira fotograa foi creditada ao francs Joseph Nicphore Nipce, em 1826. Otempo de exposio era de cerca de oito horas. Anos mais tarde, Daguerre, continuandoas experincias de Nipce, reduziu o tempo de exposio para minutos, o que tornou oprocesso fotogrco prtico. Esta considerada a 1 fotograa, feita por Fotograa feita por Louis Daguerre em 1839.Joseph Nicphore Nipce em 1826. A fotograa foi fruto da compilao de diversos experimentos e de conhecimentospticos muito antigos. Os pintores renascentistas frequentemente utilizavam a tcnica dacmera obscura para esboar seus trabalhos. No Renascimento, a cmera obscura erautilizada como um cdigo de representao denominado perspectiva articialis.No nal da Idade Mdia, o renascimentoGravura datada de 24 de Janeiro de 1544das artes na Europa vai criar nova funo com a inscrio: Solis Designium (Desenho para as cmaras escuras: instrumento do Sol) demonstrando o principio da Cmara especial para desenhistas (utilizadas por Escura de Orifcio. 150 anos antes da inveno da fotograa. 5. O aparato ptico da fotograa, portanto, j havia sido concebido nos sculos XV eXVII; o que houve no sculo XIX foi um avano tecnolgico, com a substituio do pinceldo pintor pelas substncias qumicas no momento de xar a imagem projetada em umasuperfcie plana. Alguns cientistas e inventores, como o italiano Angelo Sala em 1602, oalemo Johann Heinrich Shulze em 1622 e o ingls Thomas Wedgwood em 1802 zeramexperincias com nitrato de prata, no entanto, no conseguiram desenvolver uma tcnicaque xasse as imagens. Foi Nipce que conseguiu o grande feito quando utilizou umaplaca metlica emulsionada em Betume da Judia e depois Daguerre aperfeioou oprocesso, utilizando o nitrato de prata.O prximo estgio do progresso dessa tecnologia se deu com a criao de matrizes,capazes de produzir um nmero indeterminado de cpias fotogrcas. Esse foi o primeiropasso para o desenvolvimento da fotograa como meio de comunicao de massa. Foi oamericano William Fox Talbot que, em 1835, conseguiu obter o primeiro negativodenominado Calotipo, obtido atravs de papel sensibilizado. Fotograa obtida pelo processo de calotipia desenvolvido por William Fox Talbot.A partir destes primeiros precursores, a fotograa ganhou fora com apopularizao dos retratos. Rpidos, baratos e is, eles logo se tornaram mania,inaugurando uma nova forma de representar as pessoas, antes feita apenas pela pintura.Os retratos serviram como suporte para fotgrafos comercializarem imagens depaisagens, costumes e povos das mais diversas culturas em grandes tiragens. Afotograa conquistou um importante papel social como forma de comunicao edivulgao de conhecimento, pois apresentava imagens de um mundo desconhecido,principalmente atravs dos fotgrafos viajantes. 6. Em 1854, Andr Disderi patenteou umA Brownie, lanada em 1900, popularizou a sistema chamado de Carte-de-Visite, que fotograa. Ela produzia fotos de qualidadeconsistia em uma nica chapa que produzia com 6x6 centmetros em lme de rolo em at 10 retratos, tornando-se um mania na cartucho de forma bastante simplicada.Europa a partir de 1859.Em 1888, George Eastmann criou a Kodak juntamente com o slogan: Voc apertao boto, ns fazemos o resto1, salientando a facilidade em usar o equipamento.Eastmann perseguia a ideia de um sistema fotogrco simples e barato. A fotograa courealmente acessvel ao grande pblico em 1900, quando ele lanou a Brownie, umacmera de 6 x 6 centmetros que custava 1 dlar ou 5 xelins.Assim, os princpios fundamentais da fotograa foram estabelecidos desde asprimeiras dcadas do sculo XX, sendo o lanamento da Leica 2, em 1925 e a criao dolme fotogrco colorido em 1936, as ltimas fronteiras para a nova linguagem seestabelecer por completo. Apenas alguns avanos tecnolgicos ao longo das dcadastornaram o ato fotogrco mais popular e barato, alm de contribuir na melhoria daqualidade das imagens produzidas.Porm, a digitalizao dos sistemas fotogrcos que iniciou a partir de 1990 esegue at os dias de hoje colocou em pauta um novo debate: a codicao binriaempregada nesse novo processo descaracteriza a natureza da fotograa de registrarsinais luminosos em um suporte? Ainda no houve um consenso por parte dos tericossobre este assunto. Por hora, podemos armar que a fotograa digital minimizou oscustos, reduziu etapas, modicou formas de visualizao, armazenamento e transmissode imagens e, sobretudo, acelerou e facilitou os processos de produo e manipulao.1 You press the button, we do the rest.2 A Leica, foi a primeira mquina fotogrca miniaturizada de preciso. Graas a seu obturador de planofocal e transportador de lme acoplado, preparou o terreno para a revoluo ocorrida no sistema defotograa de 35mm (BUSSELLE, 1979). 7. 2 A tcnica fotogrca e o sentido A origem da palavra fotograa vem do grego (foto=luz/graa=escrita) que signicaescrever com a luz. Se ela um tipo de escrita, ento podemos pensar que isso demandao conhecimento de um cdigo para podermos entender a mensagem. Esse cdigo alinguagem fotogrca. Para Ivan Lima (1988, p. 19): um grande erro achar que alinguagem da fotograa universal. No existe nem uma foto que possa ser interpretadada mesma forma por um brasileiro, um francs e um chins, por uma moa de 18 anos eum homem de 80. Essas ferramentas so utilizadas conforme a intencionalidade do autor da foto, natentativa de direcionar o entendimento do leitor. Os de ordem material so as escolhastcnicas como: cmeras, lentes, velocidade do obturador, abertura do diafragma,quantidade de luz, uso ou no do ash, etc. J os de ordem imaterial ou mentais so asescolhas de ordem mais subjetiva como: contraste, foco, enquadramento, composio,etc. A soma de todos componentes escolhidos ter como produto nal a fotograa com asubjetividade e ideologia do produtor, o que veremos a partir de agora.2.1 Componentes de ordem material Desde o lanamento da Kodak e da Brownie, ainda no nal do sculo XIX, o sensocomum diz que qualquer um pode tirar uma foto. As grandes diculdades tcnicas, ospesados equipamentos, os processos de revelao qumica foram todos suplantados porGeorge Eastmann com seu You Press The Button and We Do The Rest". O que dizerento das minsculas mquinas digitais de hoje, constantes inclusive em boa parte dostelefones celulares, nas quais possvel visualizar a imagem pronta no instante seguinteao da captura da cena e permitem que se faa um milho