Apostila de Ignição Cabos e Velas de Ignição

  • View
    91

  • Download
    26

Embed Size (px)

DESCRIPTION

cabos e velas

Text of Apostila de Ignição Cabos e Velas de Ignição

Opinio tcnica: http://br

Opinio tcnica: http://br.answers.yahoo.comTransformadores funcionam independentes da corrente, seja contnuo ou alternado, o que ele faz o prprio nome j diz, transforma, no converte, ou seja, ele aumenta ou baixa o valor da tenso e da corrente. A bobina do carro de certa forma um transformador, ela aumenta a tenso de 12 v para um valor muito maior, entre 40.000 100.000 Volts.

Agora me diga os experts, como um fusca possui uma ignio eletrnica????

E o distribuidor faz o papel de simplesmente distribuir a centelha da bobina para cada vela no seu momento certo.

E por fim e pelo que sei, a corrente no veculo s alternada na primeira fase do alternador, onde transformada em contnua atravs do regulador de tenso, ou regulador de voltagem.CALCULAR UM FUSVEL no sistema eltricoO Fusvel responsvel em desativar o sistema em que ele est instalado, caso uma sobrecarga acontece (um fio se rompe, por exemplo, e fecha curto-circuito na lata do veculo).

Vamos supor que voc queira instalar um par de faris de milha no Jeep.

Pode fazer isso, colocando a ligao direta na bateria. Estaria fazendo isso sem segurana, pois o ideal mesmo passar por um fusvel.

COMO MEDIR A FUGA DE CORRENTEUtilizando um multmetro na escala amperes ou miliamperes.Esse aparelho capaz de medir o valor exato de energia que esta sendo consumida da bateria. Desconecte o cabo negativo da bateria, a ponta de teste negativa do multmetro coloca no plo negativo da bateria, a ponta de teste positiva coloca no cabo da bateria que foi desconectado do plo negativo.O valor encontrado deve estar dentro dos valores fornecido pelo fabricante. Ex:Capacidade da bateria em Amp.Corrente de fuga Mxima em Amperes

at 45 Ah0,020 Ah

de 50 at 40 Ah0,040 Ah

de 75 at 90 Ah0,070 Ah

de 100 at 200 Ah0,280 Ah

Obs. O uso de lmpadas de teste no aconselhado, pois a lmpada s acende depois que a corrente ultrapassa a 1Ah.E o teste se torna falho.SENSOR DE POSIO DA BORBOLETA (TPS)

O sensor de posio do acelerador conhecido pelo nome tcnico de potencimetro, que um dispositivo projetado para detectar movimento.Quando o motorista pressiona o pedal do acelerador, o sensor TPS (Throtlle Position Sensor) detecta a alterao do ngulo do acelerador e envia esta informao ao mdulo de controle do motor. H trs circuitos que conectam o sensor TPS ECM. Um de referncia, de 5 Volts, um da linha do sinal e um de aterramento (retorno de sinal). Como mostra a figura abaixo, a corrente circula entre os circuitos de alimentao e os de aterramento, em toda a amplitude da extenso do resistor.O contato deslizante detecta a voltagem disponvel em diversos pontos ao longo do resistor, que correspondem posio real da placa do acelerador.

Funcionamento detalhado do sensor TPSO mdulo de controle do conjunto propulsor envia um sinal de 5 Volts ao sensor TPS e monitora a voltagem na linha do sinal. Quando o acelerador est fechado, o contato deslizante est no ponto mais prximo do lado do aterramento do circuito.Nessa condio, a voltagem do sinal somente de meio Volt (ver a figura abaixo). Quando o acelerador est aberto, o brao do contato deslizante move-se para o lado de alimentao do circuito. Isso causa um aumento constante na voltagem do sinal, at um mximo de 5 Volts, com o acelerador totalmente aberto.

SENSOR DE FLUXO DE MASSA DE AR (MAF)

O sensor MAF (Mass Air Flow) um transdutor trifilar que mede a quantidade de ar que entra no motor. O mdulo de controle do motor utiliza o sinal do sensor MAF para calcular o tempo de injeo de combustvel conforme as mudanas no fluxo de ar do motor. Uma grande quantidade de ar indica que o motor est sob carga (requer mais combustvel), enquanto uma quantidade pequena de ar sinal de que o motor est funcionando em marcha lenta (requer menos combustvel). O sensor MAF conhecido tecnicamente pelo nome de gerador de freqncia, j que converte o fluxo de ar do motor num sinal de freqncia. Os motores que utilizam um sensor MAF so extremamente sensveis a vazamentos de ar, pois isso afeta a medio. por isso que uma vareta medidora mal assentada ou a falta de uma tampa de bujo de abastecimento de leo podem fazer com que o motor funcione em marcha lenta de maneira trepidante ou at mesmo pare de funcionar.

Quais so os sintomas de um sensor de fluxo de ar defeituoso?Considerando que o sensor de fluxo de ar um dispositivo fundamental tanto para o controle de combustvel como para o avano de ignio, se estiver defeituoso pode criar uma grande variedade de sintomas na conduo. Os mais comuns so dificuldades de partida, oscilao e detonao. Em muitos casos, esses sintomas ocorrem intermitentemente e podem, portanto, ser difceis de diagnosticar.SENSOR DE PRESSO ABSOLUTA (MAP)

O sensor MAP (Manifold Absolut Pressure) um transdutor trifilar que mede a presso interna do coletor de admisso. Quando o motor est desligado, a presso do coletor a mesma que a atmosfrica: aproximadamente 103 kPa (15 psi), ao nvel do mar. Quando o motor est funcionando, a presso do coletor inferior, devido suco desenvolvida pelos pistes. Durante o funcionamento do veculo, as mudanas de posio do acelerador e na carga do motor tm um efeito direto na presso do coletor. Essa relao permite a ECM calcular o fluxo de ar do motor baseado no sinal do sensor MAP. Esse sensor, geralmente fixado no coletor de admisso ou prximo dele.Funcionamento do Sensor MAPO mdulo de controle do motor envia um sinal de 5 Volts ao sensor MAP e monitora a voltagem na linha do sinal. Com a chave de ignio ligada e o motor desligado, o sinal do sensor MAP praticamente o mesmo que a voltagem de referncia, j que o sensor mede a presso atmosfrica. Se o motor estiver funcionando, a baixa presso no coletor de admisso faz com que o sinal do sensor MAP caia aproximadamente 1 Volt.Dependendo do veculo, a ECM pode utilizar o sinal deste sensor para: controle de combustvel avano de ignio compensao devido altitude testes de diagnstico OBD-II pontos de mudana de marchas na transmisso (somente nas transmisses eletrnicas/ automticas).SENSOR DE TEMPERATURA DE AR (IAT)

Sensor de presso absoluta na admissoO sensor IAT (Intake Absolut Temperature) conhecido com o nome tcnico de termistor, que um resistor bifilar varivel, sensvel a temperatura. H dois tipos de termistor: os que tm um coeficiente de temperatura positivo (Tipo PTC) e os que tm um coeficiente de temperatura negativo (Tipo NTC). Com um termistor PTC, a resistncia aumenta medida que sobe a temperatura do ar, enquanto a resistncia de um termistor NTC cai medida que o ar se torna mais quente. Os termistores PTC foram utilizados nos primeiros motores gerenciados por computador, como o V8 de injeo de combustvel no Cadillac Seville 1975. No incio da dcada de 1980, praticamente todos os fabricantes comearam a utilizar termistores NTC para a deteco de temperatura. Dependendo do motor, o sensor IAT estar instalado no coletor de admisso, no filtro de ar ou no duto de ar de admisso.Funcionamento do Sensor IATA ECM envia um sinal de 5 Volts ao sensor IAT por meio de um resistor limitador de corrente. Quando a temperatura do ar baixa, a resistncia do sensor alta. Nessa condio, a voltagem do sinal IAT continua prxima de 5 Volts, pois h pouca queda de voltagem no resistor. medida que a temperatura do ar sobe, a resistncia do sensor IAT cai continuamente. Isso resulta em uma reduo correspondente na voltagem do sinal. O quadro abaixo mostra a relao entre a temperatura do ar de admisso e a voltagem do sinal. A ECM utiliza o sinal do IAT principalmente para ajustar o avano (time) da ignio.Injeo Eletrnica

O que ? um sistema de gerenciamento composto de uma central eletrnica (Centralina ou E.C.U.), que recebe informaes de sensores instalados no motor e controla, entre outros sistemas, a injeo de combustvel e a ignio.Qual a sua funo?Sua principal funo formar a mistura de ar e combustvel necessria ao perfeito funcionamento do motor, mantendo os ndices de emisso de poluentes dentro das exigncias dos rgos governamentais.Como funciona?Para que o motor funcione corretamente, sem falhas, e com o melhor rendimento possvel, necessrio que se misture uma quantidade especfica de combustvel ao ar que entra no motor. Como esta quantidade determinada em massa, a central eletrnica calcula a massa de ar que admitida pelo motor e comanda a injeo de combustvel.A maioria dos sistemas de injeo eletrnica utilizam a tecnologiaSpeed-Densitypara calcular a massa de ar admitida. Esta tecnologia leva em conta a rotao do motor (speed) e a densidade do ar aspirado (density).Atravs da rotao do motor, levando-se em conta a sua capacidade volumtrica (ex.:1580 cm ), a central calcula o volume de ar admitido e, para o clculo da densidade,utiliza os valores da temperatura e da presso do ar, que so informados Central atravs dos respectivos sensores. De posse da massa de ar admitida pelo motor, a Central comandar uma vlvula, que chamamos de eletroinjetor, e esta permitir a passagem da quantidade exata de combustvel para realizar a combusto. Com esta mistura comprimida no cilindro, a Central comandar o circuito de ignio, realizando a combusto necessria ao funcionamento do motor.

Ajustes e manuteno preventiva?Os principais sistemas de injeo e ignio eletrnica no necessitam de ajustes ou regulagem, porm, por se tratar de sistemas eletroeletrnicos precisam ser constantemente avaliados, pois fornecem informaes sobre seus componentes, alm de informar se ocorreram defeitos ou anomalias durante seu funcionamento.Para testes e ajustes so utilizados equipamentos especficos, denominados scanners. Alm da avaliao eletroeletrnica, a nos da Clinicar recomendamos como manuteno preventiva a substituio dos filtros de linha e do tanque a cada 15.000 km, ou conforme recomendaes do fabricante do veculo.O teste dos injetores a cada 15.000 km e a substituio dos injetores sempre necessrios, mas