Apostila Orçamento Público

  • View
    16

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Apostila Orçamento Público

  • ORAMENTO

    E

    CONTABILIDADE PBLICA

    TEORIA

    Material para diversos concursos pblicos, tais como:

    TRE (Analista Judicirio);

    TCU (Analista de Controle Externo);

    CGU (Analista de Finanas e Controle);

    STN (Analista de Finanas e Controle);

    TCM/RJ (Tcnico de Controle Externo e Auxiliar de Controle Externo);

    CGM/RJ (Tcnico de Controle Interno);

    Contador (diversos rgos pblicos).

    PROF. FABIO FURTADO

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 1 Prof. Fabio Furtado

    APRESENTAO Esta apostila foi elaborada com o intuito de auxiliar os concursandos no estudo das disciplinas de Oramento e Contabilidade Pblica. Esto contidos, na apostila, os principais assuntos cobrados nos editais de concursos pblicos. O contedo est dividido por tpicos para facilitar o entendimento da matria. Na parte final, temos um Resumo que deve ser lido sempre ao final de cada tpico para facilitar a fixao dos conceitos e classificaes dos elementos que compem a Contabilidade aplicada Administrao Pblica; Esta apostila no tem a funo de substituir os livros indicados pelo professor. Ela dever ser usada como uma ferramenta de auxlio no estudo das disciplinas de Oramento e Contabilidade Pblica. NOTA SOBRE O PROFESSOR: Nome: Fabio Furtado de Azevedo.

    Graduado em Cincias Contbeis.

    Emprego Atual: Tcnico de Controle Externo do TCMRJ, lotado na Diviso de Contabilidade, do Departamento Geral de Finanas. Aprovado e classificado nos seguintes concursos: - 10 colocado no concurso para Contador da Eletrobrs Termonuclear -

    ELETRONUCLEAR, em 2003; - 1 colocado no concurso para Contador da Companhia Municipal de Limpeza

    Urbana - COMLURB, em 2003; - 13 colocado no concurso para Tcnico de Controle Externo do Tribunal de

    Contas do Municpio do Rio de Janeiro, em 2003. Autor, juntamente com o colega Rafael Cabral, tambm Tcnico de Controle Externo do TCMRJ, do livro Contabilidade Pblica Questes Comentadas de Provas Elaboradas pelo CESPE/UnB, publicado pela Editora Ferreira, em novembro de 2004. Autor do livro Administrao Financeira e Oramentria para concursos Direito Financeiro simplificado, publicado pela Editora Ferreira, em abril de 2008.

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 2 Prof. Fabio Furtado

    NDICE Principais diferenas entre a Contabilidade Pblica e a Contabilidade Geral Contabilidade Pblica - Conceito

    - Campo de Atuao

    - Objeto

    - Finalidade

    - Exerccio Financeiro

    - Regime Contbil

    Oramento Pblico - Conceito

    - Leis Oramentrias

    - Prazos de Envio e Devoluo dos Projetos

    - Princpios Oramentrios

    - Ciclo Oramentrio

    - Processo Legislativo Oramentrio

    - Tipos de Oramento

    Crditos Adicionais - Conceito

    - Classificao

    - Quadro Resumo dos Crditos Adicionais

    - Recursos para Abertura

    Receita Pblica

    - Conceito

    - Classificae

    - Estgios

    5

    12

    14

    28

    31

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 3 Prof. Fabio Furtado

    Dvida Ativa - Conceito

    - Classificaes

    - Apurao

    Despesa Pblica - Conceito

    - Classificaes

    - Estgios

    Suprimento de Fundos - Conceito

    - Concesso

    - Proibio

    Restos a Pagar - Conceito

    - Classificao

    - Inscrio

    - Pagamento

    - Cancelamento

    - Prescrio

    Despesas de Exerccios Anteriores - Conceito

    - Prescrio

    Anulao de Operaes Oramentrias - Anulao da Receita

    - Anulao da Despesa

    37

    38

    54

    55

    56

    57

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 4 Prof. Fabio Furtado

    Dvida Pblica - Conceito

    - Classificao

    Patrimnio Pblico - Conceito

    Bens Pblicos - Conceito

    - Classificao

    Demonstraes Contbeis - Balano Oramentrio

    - Balano Financeiro

    - Demonstrao das Variaes Patrimoniais

    - Balano Patrimonial

    Exemplos de Registros de Operaes Tpicas Resumo Bibliografia

    58

    61

    61

    63

    75

    80

    97

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 5 Prof. Fabio Furtado

    PRINCIPAIS DIFERENAS ENTRE A CONTABILIDADE PBLICA E A CONTABILIDADE GERAL

    Aspectos Contabilidade Pblica Contabilidade Geral Legislao Lei 4.320/64 e LRF Lei 6.404/76 Princpios PFC e Princpios

    Oramentrios PFC

    Registro Atos e Fatos Administrativos Fatos Administrativos Regime de Escriturao Contbil

    Regime Misto, sendo: Regime de Caixa para as receitas e Regime de Competncia para as despesas.

    Regime de Competncia tanto para as receitas quanto para as despesas.

    Resultado Supervit ou dficit de gesto Lucro ou prejuzo do Exerccio

    Demonstraes Financeiras Balano Oramentrio; Balano Financeiro; Demonstrao das Variaes Patrimoniais e Balano Patrimonial.

    Balano Patrimonial; DRE; DLPA e DMPL; DFC e DVA

    Sistemas de Escriturao 4 sistemas independentes. So eles: Sistema Oramentrio; Sistema Financeiro; Sistema Patrimonial e Sistema de Compensao.

    Um s sistema onde so registradas as contas patrimoniais e de resultado.

    Lei 4.320/64 estatui normas de direito financeiro para elaborao e controle dos oramentos e balanos da Unio, dos Estados, dos Municpios e do Distrito Federal. Lei 6.404/76 Dispe sobre as Sociedades por Aes. __________________________________________________________________________________________________________________________________________________ PFC = Princpios Fundamentais de Contabilidade. So eles:

    - Entidade - Continuidade - Oportunidade - Competncia - Prudncia - Registro pelo Valor Original - Atualizao Monetria

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 6 Prof. Fabio Furtado

    Princpios Oramentrios: Legalidade Publicidade Universalidade Equilbrio Periodicidade No Afetao da Receita Exclusividade Especificidade Oramento Bruto Unidade __________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Fato Administrativo: Fato administrativo ou fato de gesto qualquer negcio realizado pela administrao que modifique o patrimnio da empresa, em termos de qualidade ou quantidade. Exemplos: as compras vista ou a prazo de bens; as vendas vista ou a prazo de mercadorias e servios; os pagamentos e recebimentos etc. Fato Contbil: Fato administrativo a mesma coisa que fato contbil? Em sentido estrito, no. Fato contbil qualquer ocorrncia que modifique o patrimnio, seja decorrente ou no de negcio realizado pela administrao. A expresso fatos contbeis mais abrangente, pois inclui os fatos administrativos. Todo fato administrativo necessariamente um fato contbil. Entretanto, existem fatos contbeis que no so fatos administrativos. Por exemplo: se um incndio provoca a perda de mercadorias, o patrimnio sofre reduo. Este fato no decorrente da gesto, mas produz variao patrimonial. um fato contbil. Ato Administrativo: qualquer negcio realizado pela administrao que no modifique o patrimnio. Alguns atos administrativos tm como conseqncia fatos administrativos. Quando a empresa, por intermdio de seus diretores, fiadora num contrato de aluguel, ocorre um ato administrativo. Todavia, se o valor da locao no for honrado pelo locatrio, a empresa poder ter de pagar o aluguel. Tratar-se- de um fato administrativo. A consulta de preos a um

  • Apostila de Oramento e Contabilidade Pblica 7 Prof. Fabio Furtado

    fornecedor um ato administrativo. No entanto, a compra das mercadorias, se houver, ser um fato administrativo. Algumas empresas mantm o controle dos atos administrativos relevantes por meio de contas de compensao. As contas de compensao no se confundem com as contas patrimoniais ou de resultado, que so destinadas ao registro dos fatos contbeis. Os atos administrativos que possam provocar efeitos relevantes sobre o patrimnio devem se indicados em notas explicativas. As notas explicativas so esclarecimentos que acompanham as demonstraes contbeis e tm como objetivo facilitar o entendimento e a anlise da situao patrimonial da empresa. __________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Regime Misto: De acordo com o art. 35 da Lei 4.320/64, pertencem ao exerccio financeiro: I as receitas nele arrecadadas; e II as despesas nele legalmente empenhadas. Assim sendo, adotado o regime de caixa para as receitas e o regime de competncia para as despesas. O regime de caixa para as receitas significa que so reconhecidas somente as receitas cujo numerrio j foi arrecadado. O regime de competncia para as despesas significa que no importa se a despesa j foi ou no paga, mas sim se o fato gerador j ocorreu, isto , se a despesa j foi devidamente empenhada (autorizada pelo ordenador da despesa). Regime Contbil Processo de registro em Contabilidade; normas que orientam o controle e o registro dos fatos patrimoniais. Regime de Caixa: Norma contbil pela qual os ingressos so atribudos ao exerccio em que so recebidos e os custos ao exerccio em que so pagos.

    QuantumHighlight

    QuantumHighlight