Click here to load reader

Apresentação MEG- IQM

  • View
    459

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentação do Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Apresentador: Caio Márcio Becker Soares | Diretor Executivo do IQM – Instituto Qualidade Minas

Text of Apresentação MEG- IQM

  • 1. WORKSHOP GESTO PARA EXCELNCIA APRESENTAO DO MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO MEG WORKSHOP GESTO PARA EXCELNCIA APRESENTAO DO MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO MEG

2. O MODELO DE EXCELNCIA DA GESTOO MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO MEGMEG O MODELO DE EXCELNCIA DA GESTOO MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO MEGMEG 3. Anlise de organizaes bem sucedidas; Identificao de valores organizacionais; Criao do modelo de gesto; Criao dos Critrios de Avaliao; Criao dos Primeiros Passos para a Excelncia; Criao do Compromisso com a Excelncia, Rumo Excelncia e Critrios de Excelncia. ORIGEM DO MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO 4. Modelo de Excelncia da Gesto Verso para organizaes em estgio intermedirio CRITRIOS RUMO EXCELNCIA Rumo Excelncia Estgio intermedirio Excelncia Estgio avanado Modelo de Excelncia da Gesto Verso para organizaes em estgio inicial CRITRIOS DE COMPROMISSO COM A EXCELNCIA Modelo de Excelncia da Gesto Verso para organizaes em estgio avanado CRITRIOS DE EXCELNCIA Compromisso com Excelncia Estgio inicial MPE Brasil Estgio MPEs Modelo de Excelncia da Gesto Verso para Micro e Pequenas Empresas em estgio inicial CRITRIOS DO PRMIO MPE BRASIL O CAMINHO PARA A EXCELNCIA 5. Expressam conceitos reconhecidos internacionalmente e que se traduzem em prticas ou fatores de desempenho encontrados em organizaes lderes de Classe Mundial, que buscam constantemente se aperfeioar e se adaptar s mudanas globais. VALORES ORGANIZACIONAIS FUNDAMENTOS DA EXCELNCIA 6. PENSAMENTO SISTMICO APRENDIZADO ORGANIZACIONAL CULTURA DE INOVAO LIDERANA E CONSTNCIA DE PROPSITOS ORIENTAO POR PROCESSOS E INFORMAES VISO DE FUTURO GERAO DE VALOR VALORIZAO DAS PESSOAS CONHECIMENTOS SOBRE O CLIENTE E O MERCADO DESENVOLVIMENTO DE PARCERIAS RESPONSABILIDADE SOCIAL FUNDAMENTOS DA EXCELNCIA 7. PENSAMENTO SISTMICO ATUAO EM REDE APRENDIZADO ORGANIZACIONAL INOVAO AGILIDADE LIDERANA TRANSFORMADORA OLHAR PARA O FUTURO CONHECIMENTOS SOBRE CLIENTES E MERCADOS RESPONSABILIDADE SOCIAL VALORIZAO DAS PESSOAS E DA CULTURA DECISES FUNDAMENTADAS ORIENTAO POR PROCESSOS GERAO DE VALOR FUNDAMENTOS DA EXCELNCIA 2014 8. PENSAMENTO SISTMICO ATUAO EM REDE DESENVOLVIMENTO DE PARCERIAS APRENDIZADO ORGANIZACIONAL INOVAO CULTURA DE INOVAO AGILIDADE LIDERANA TRANSFORMADORA - LIDERANA E CONSTNCIA DE PROPSITOS OLHAR PARA O FUTURO VISO DE FUTURO CONHECIMENTOS SOBRE CLIENTES E MERCADOS RESPONSABILIDADE SOCIAL VALORIZAO DAS PESSOAS E DA CULTURA - VALORIZAO DAS PESSOAS DECISES FUNDAMENTADAS ORIENTAO POR PROCESSOS E INFORMAES ORIENTAO POR PROCESSOS ORIENTAO POR PROCESSOS E INFORMAES GERAO DE VALOR FUNDAMENTOS DA EXCELNCIA Alteraes para 2014 9. O Pensamento Sistmico vem de Sistema. Sistema: Conjunto ou combinao de coisas ou partes de modo a formarem um todo complexo (Michaelis 2000). Complexo: do latim, Complexus, que significa tecido junto. Um conjunto de elementos em inter-relao mtua e com o meio ambiente (Teoria Geral dos Sistemas, Ludwig Von Bertalanffy, pg. 315). Conjunto de elementos com finalidade comum que se relacionam entre si formando um todo dinmico (Critrios Compromisso e Rumo Excelncia 6 Edio, Glossrio, pgs. 70/78). PENSAMENTO SISTMICO 10. Pensamento Sistmico: compreenso e tratamento das relaes de interdependncia e seus efeitos entre os diversos componentes que formam a organizao, bem como entre eles e o ambiente com o qual interagem (Critrios de Excelncia , 20 Edio). PENSAMENTO SISTMICO 11. Diretoria Contabilidade ManutenoProduo Assistncia Tcnica Vendas Depto. Pessoal Financeiro Entendimento das relaes de interdependncia entre os diversos componentes de uma organizao, bem como entre a organizao e o ambiente externo. PENSAMENTO SISTMICO 12. Busca de maior eficcia e eficincia dos processos da organizao e alcance de um novo patamar de competncia, por meio da percepo, reflexo, avaliao e compartilhamento de conhecimentos e experincias. Aprender fazendo; aprender com os prprios erros; aprender com a experincia adquirida ao longo do tempo. Usar os conhecimentos e experincias adquiridos na execuo dos processos na busca de maior eficcia e eficincia dos mesmos. APRENDIZADO ORGANIZCIONAL 13. CRITRIOS ITENS (Rumo) QUESTES FUNDAMENTOS REQUISITOS PRTICAS DE GESTO RESULTADOS REQUISITOS: o que se requer que a organizao tenha ou faa para incorporar os fundamentos. PRTICAS DE GESTO: o que a organizao faz para cumprir os requisitos. RESULTADOS: so decorrentes das Prticas de Gesto. ESTRUTURAO DO MODELO DE GESTO 14. O MODELO DE EXCELNCIA DA GESTO 15. Critrio 1 Critrio 2 Critrio 4Critrio 3 Critrio 6Critrio 5 Critrio 7 Critrio 8 PENSAMENTO SISTMICO: VISO SISTMICA DO MEG Liderana Estratgias e Planos Clientes Sociedade Informaes e conhecimentos Pessoas Processos Resultados 16. Correlao direta FUNDAMENTOS X CRITRIOS DE EXCELNCIA Correlao direta CRITRIO FUNDAMENTO CLIENTES Conhecimento sobre clientes e mercados SOCIEDADE Responsabilidade social LIDERANA Liderana transformadora ESTRATGIAS E PLANOS Olhar para o futuro PESSOAS Valorizao das pessoas e da cultura PROCESSOS Orientao por processos RESULTADOS Gerao de valor INFORMAES E CONHECIMENTO Decises fundamentadas 17. PENSAMENTO SISTMICO ATUAO EM REDE APRENDIZADO ORGANIZACIONAL INOVAO AGILIDADE FUNDAMENTOS X CRITRIOS DE EXCELNCIA Correlao Sistmica 18. Prticas de Gesto Padres de Trabalho Controle Aprendizado SISTEMA DE GESTO 19. Executar conforme os padres Situao normal Situao Anormal PADRO OBEDECIDO No - conformidade TRATAMENTO DA NO - CONFORMIDADE PADRO DE TRABALHO Situao Anormal PADRO NO OBEDECIDO No - conformidade O que fazer Como fazer Responsvel Freqncia Resultados esperados CONTROLE PRTICA DE GESTO PADRES DE TRABALHO, PRTICAS DE GESTO E CONTROLE 20. Avaliao PP DD CCLL Melhoria Aprendizado Planejamento da Execuo Execuo Verificao (comparao com o padro) Ao Definio das Prticas e Padres C o n t r o l e DIAGRAMA DE GESTO 21. Gesto GESTO DA QUALIDADE Financeira De Recursos Humanos Da Produo De Materiais Etc Atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organizao Atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organizao no que diz respeito qualidade CONCEITO DE GESTO (SEGUNDO ISO) 22. Satisfazer as necessidades e expectativas das partes interessadas ORGANIZAO Clientes Externos Clientes Internos Funcionrios Acionistas Fornecedores Sociedade NECESSIDADES E EXPECTATIVAS Qualidade intrnseca Custo Atendimento Partes Interessadas QUALIDADE E PARTES INTERESSADAS NA ORGANIZAO 23. Gesto GESTO DA QUALIDADE Atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organizao Atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organizao no que diz respeito satisfao das necessidades e expectativas das partes interessadas GESTO DA ORGANIZAO CONCEITO DE GESTO 24. CORRELAO PARTES INTERESSADAS E CRITRIOS DO MEG Parte Interessada Critrio do MEG Cliente Externo Clientes Cliente Interno Processos Funcionrios Pessoas Acionista Liderana Fornecedores Processos Sociedade Sociedade Todas Resultados 25. TO PLAN PLANEJAR TO ACT AGIR DEFINIR AS METAS DEFINIR OS MTODOS QUE PERMITIRO ATINGIR AS METAS EDUCAR E TREINAR EXECUTAR A TAREFA (COLETAR DADOS) ATUAR CORRETIVAMENTE VERIFICAR OS RESULTADOS DA TAREFA EXECUTADA DEFINIR AS METAS DEFINIR OS MTODOS QUE PERMITIRO ATINGIR AS METAS EDUCAR E TREINAR EXECUTAR A TAREFA (COLETAR DADOS) ATUAR CORRETIVAMENTE VERIFICAR OS RESULTADOS DA TAREFA EXECUTADA TO DO EXECUTAR TO CHECK VERIFICAR O CICLO PDCA DE CONTROLE 26. A P C D Executar conforme os padrestempo Situao normal Situao Anormal PADRO OBEDECIDO No - conformidade TRATAMENTO DA NO - CONFORMIDADE PADRO DE TRABALHO Situao Anormal PADRO NO OBEDECIDO No - conformidade O que fazer Como fazer Responsvel Freqncia Resultados esperados CONTROLE PRTICA DE GESTO 26 PRADRES DE TRABALHO, PRTICAS DE GESTO E CONTROLE 27. Obrigado! Caio Mrcio Becker Soares Instituto Qualidade Minas [email protected] (31) 3055-8080 (31) 9896-9608 Visite o nosso site: www.pmqp.org.br ENCERRAMENTO