Apresentacao Previdencia Social XXXXXX XXX

  • View
    18

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Apresentacao Previdencia Social XXXXXX XXX

SAIBA QUE ESTA APRESENTAO FOI PREPARADA PARA VOC E QUE DE VOC DEPENDE O SEU SUCESSO. PARTICIPE, OPINE,PERGUNTE, CONCORDE OU DISCORDE DEMOCRATICAMENTE. S NO VALE O SEU SILENCIO!! CONTAMOS COM VOC!

I N P SSIMBOLO DE UNIO

Homens de mos dadas, se auto amparando

1 - AUXLIO-DOENA 2 - APOSENTADORIA POR INVALIDEZ 3 PENSO POR MORTE 4 APOSENTADORIA POR IDADE 5 AUXLIO DESEMPREGO

AGORA...ADIVINHE QUANTOS SO HOJE, OS BENEFCIOS NACIONAIS ?

BENEFCIOS DE PRESTAO CONTINUADA DA PREVIDNCIA SOCIAL N ESPCIE 01 Penso por morte do trabalhador rural 02 Penso por morte por acidente do trabalho do trabalhador rural 03 Penso por morte do empregador rural 04 Aposentadoria por invalidez do trabalhador rural 05 Aposentadoria por invalidez por acidente do trabalho do trabalhador rural 06 Aposentadoria por invalidez do empregador rural 07 Aposentadoria por idade do trabalhador rural 08 Aposentadoria por idade do empregador rural 10 Auxlio-doena por acidente do trabalho do trabalhador rural 13 Auxlio-doena do trabalhador rural 21 Penso por morte previdenciria (LOPS) 22 Penso por morte estatutria 23 Penso por morte de ex-combatente 25 Auxlio-recluso (LOPS) 26 Penso Especial (Lei n 593/48) 27 Penso por morte de servidor pblico federal com dupla aposentadoria 28 Penso por morte do Regime Geral (Decreto n 20.465/31) 29 Penso por morte de ex-combatente martimo (Lei n 1.756/52) 30 Renda mensal vitalcia por invalidez (Lei n 6.179/74 e Lei n 8.213/91 31 Auxlio-doena previdencirio (LOPS)

BENEFCIOS DE PRESTAO CONTINUADA DA PREVIDNCIA SOCIAL (continuao)

32 33 34 36 37 38 40 41 42 43 44 45 46 47 48 -

Aposentadoria por invalidez previdenciria (LOPS) Aposentadoria por invalidez de aeronauta Aposentadoria por invalidez de ex-combatente martimo (Lei n 1.756/52) Auxlio-acidente previdencirio Aposentadoria de extranumerrio da Unio Aposentadoria da extinta CAPIN Renda mensal vitalcia -idade (Leis n 6.179/74 e 8.213/91 Aposentadoria por idade (LOPS) Aposentadoria por tempo de contribuio Aposentadoria por tempo de servio de ex-combatente Aposentadoria por tempo de servio de aeronauta Aposentadoria por tempo de servio de jornalista profissional Aposentadoria especial Abono de permanncia em servio 25% Abono de permanncia em servio 20%

BENEFCIOS DE PRESTAO CONTINUADA DA PREVIDNCIA SOCIAL (continuao)

49 50 51 52 54 55 56 57 58 59 72 76 78 79 80

-

Aposentadoria por tempo de servio ordinria Auxlio-doena (Extinto Plano Bsico) Aposentadoria por invalidez (Extinto Plano Bsico) Aposentadoria por idade (Extinto Plano Bsico) Penso especial vitalcia (Lei n 9.793/99) Penso por morte (Extinto Plano Bsico ) Penso vitalcia por sndrome de talidomida (Lei n 7.070/82) Aposentadoria tempo de servio de professor (EMC n 18/81) Aposentadoria excepcional anistiado (Lei n6.683/79, EC n 26/85) Penso por morte do anistiado (Lei n 6.683/79, EC n 26/85 Aposentadoria tempo servio ex-combatente martimo Lei .756/52) Salrio-famlia estatutrio da RFFSA (Decreto-Lei n 956/69) Aposentadoria por idade ex-combatente martimo (Lei n 1.756/52) Abono de servidor aposentado pela autarquia empregadora (Lei n 1.756/52) Salrio-maternidade

BENEFCIOS DE PRESTAO CONTINUADA DA PREVIDNCIA SOCIAL (continuao)

81 82 83 84 85 86 87 88 8991 92 93 94 95

-

Aposentadoria por idade compulsria (Ex-SASSE) Aposentadoria por tempo de servio (Ex-SASSE) Aposentadoria por invalidez (Ex-SASSE) Penso por morte (Ex-SASSE) Penso mensal vitalcia do seringueiro (Lei n 7.986/89) Penso mensal vitalcia do dependente do seringueiro (Lei n 7.986/89) Amparo assistencial ao portador de deficincia Amparo assistencial ao idoso Penso especial aos dependentes de vtimas fatais por contaminao na hemodilise - Caruaru-PE Auxlio-doena por acidente do trabalho Aposentadoria por invalidez por acidente do trabalho Penso por morte por acidente do trabalho Auxlio-acidente por acidente do trabalho Auxlio-suplementar por acidente do trabalho

INCIO DAS REFORMAS

EM 28 DE ABRIL DE 1.995

LEI N. 9.032

Lei n. 9.032 de 28.04.1995 .................................. Art. 2 . A Lei n 8.212, de 24 de julho de 1991, passa vigorar com as seguintes alteraes: "Art. 12. ................................................................................................................ 4 O aposentado pelo RGPS que estiver exercendo ou que voltar a exercer atividade abrangida por este regime segurado obrigatrio em relao a essa atividade, ficando sujeito s contribuies de que trata esta Lei, para fins de custeio da Seguridade Social. ................................................................ . 2 O aposentado pelo Regime Geral de Previdncia Social 0 RGPS que permanecer em atividade sujeita a este Regime, ou a ela retornar, no far jus a prestao alguma de Previdncia Social em decorrncia do exerccio dessa atividade, exceto ao salrio-famlia, reabilitao profissional e ao auxlio-acidente, quando empregado. ............................................................... Art. 57. A aposentadoria especial ser devida, uma vez cumprida a carncia exigida nesta Lei, ao segurado que tiver trabalhado sujeito a condies especiais que prejudiquem a sade ou a integridade fsica durante ........... 25 (vinte e cinco) anos, conforme a lei. ...................................................... 3 A concesso da aposentadoria especial depender de comprovao pelo segurado... de tempo de trabalho permanente, no ocasional nem intermitente, em condies especiais que prejudiquem a sade ou a integridade fsica... 4 O segurado dever comprovar, ... exposio aos agentes nocivos... qumicos, fsicos, biolgicos ou associao de agentes prejudiciais sade ou integridade fsica.

EM 15 DE DEZEMBRO DE 1998ASSINADA A

EMENDA CONSTITUCIONAL N.20

DIRETRIZES DA EMC. 20 de 15.12.1998..................... "Art. 201. A previdncia social ser organizada sob a forma de regime geral, de carter contributivo e de filiao obrigatria, observados critrios que preservem o equilbrio financeiro e atuarial, e atender, nos termos da lei, a: I - cobertura dos eventos de doena, invalidez, morte e idade avanada; II - proteo maternidade, especialmente gestante; III - proteo ao trabalhador em situao de desemprego involuntrio; IV - salrio-famlia e auxlio-recluso para os dependentes dos segurados de baixa renda; V - penso por morte do segurado, homem ou mulher, ao cnjuge ou companheiro e dependentes, observado o disposto no 2.

1 GRUPO

TEMPO DE CONTRIBUIO INTEGRAL Masculino > 35 Feminino > 30 RGPS : Vantagens na Renda Inicial Servidor: Iseno de contribuio

2 GRUPO - TEMPO DE CONTRIBUIO ABAIXO DO INTEGRAL:Masculino > 30 Feminino > 25 Pode requerer Aposentadoria Proporcional quando quiser. Mas, a data inicial da aposentadoria ser sempre 15 .12. 98 !

3 GRUPO

TEMPO DE CONTRIBUIO ABAIXO DE PROPORCIONAL F : 48 anos de idade 20% -p/ integral

a - Idade mnima M : 53 anos de idade b - Pedgio 40% - para proporcional

4 Grupo QUEM INICIAR SUAS CONTRIBUIES A PARTIR DE 15.12.98 :Exigncia nica: Homem :35 anos de contribuio Mulher :30 anos de contribuio;

1 - Aposentadoria Tempo Contribuio - Proporcional Masculino 30 anos 31 anos 32 anos 33 anos 34 anos . Feminino. 25 anos 26 anos 27 anos 28 anos 29 anos % 70% 75% 80% 85% 90%

Com Pedgio e Idade Mnima

2 -

Aposentadoria Tempo Contribuio - Integral Feminino. 30 anos % 100%

Masculino 35 anos

Sem qualquer outra exigncias

A partir da...aAPOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIO

Dec. 3.048/99 ............................ . Art.182. A carncia das aposentadorias por idade, tempo de contribuio e especial para os segurados inscritos na previdncia social urbana at 24 de julho de 1991, bem como para os trabalhadores e empregadores rurais amparados pela previdncia social rural, obedecer seguinte tabela, levando-se em conta o ano em que o segurado implementou todas as condies necessrias obteno do benefcio: ANO DO REQUERIMENTO 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 MESES DE CONTRIBUIO EXIGIDOS 102 meses 108 meses 114 meses 120 meses 126 meses 132 meses 138 meses 144 meses 150 meses 156 meses 162 meses 168 meses 174 meses 180 meses

No caso de perda da qualidade, devero ser efetuadas 60 novas contribuio para a reaquisio da qualidade de segurado.

LEI N 10.666 - DE 8 DE MAIO DE 2003....................... Art. 3 A perda da qualidade de segurado no ser considerada para a concesso das aposentadorias por tempo de contribuio e especial. 1o Na hiptese de aposentadoria por idade, a perda da qualidade de segurado no ser considerada para a concesso desse benefcio, desde que o segurado conte com, no mnimo, o tempo de contribuio correspondente ao exigido para efeito de carncia na data do requerimento do benefcio................................

EM 29 DE NOVEMBRO DE 1.999 A LEI N. 9.876/99

cria o FATOR PREVIDENCIRIOf = Tc x a x 1 + ( Id + Tc x a) Es 100

um REDUTOR, criado pela Previdncia Social, para diminuir a demanda antecipada APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIO.

f = Tc x a Es

x 1 + ( Id + Tc x a) 100

f = fator previdencirio Es = expectativa de sobrevida no momento da aposentadoria Tc =Tempo de contribuio at o momento da aposentadoria Id = Idade no momento da aposentadoria a = alquota de contribuio fixa de 0,31

TABELA DE EXPECTATIVA DE SOBREVIDA 2002Idade 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 E. S 68,1 69,6 68,8 67,9 66,9 66,0 65,0 64.1 63,1 62,1 61,1 60,2 59,2 58,2 57,2 56,3 55,3 54,4 53,4 52,5 51,6 Idade 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 E. S. 50,7 49,7 48,8 47,9 47,0 46,1 45,2 44,3 43,4 42,5 41,6 40,7 39,8 38,9 38,0 37,1 36,2 35,4 34,5 33,6 Idade 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 32,7 31,9 31,0 30,2 29,3 28,5 27,7 26,8 26,0 25,2 24,4 23,6 22,8 22,1 21,3 2