Argentil Omar do Amaral - Universidade do Minho ... Argentil Omar do Amaral Intelig£¾ncia e rendimento

  • View
    2

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Argentil Omar do Amaral - Universidade do Minho ... Argentil Omar do Amaral...

  • julho de 2014U M

    in ho

    |2 01

    4

    Argentil Omar do Amaral

    Inteligência e rendimento escolar: Estudo da sua relação tomando os dados da adaptação e validação da Bateria de Provas de Raciocínio (BPR 7/9) a alunos moçambicanos

    A rg

    en til

    O m

    ar d

    o Am

    ar al

    Universidade do Minho Instituto de Educação

    In te

    lig ê

    n ci

    a e

    r e

    n d

    im e

    n to

    e sc

    o la

    r: E

    st u

    d o

    d a

    s u

    a r

    e la

    çã o

    t o

    m a

    n d

    o o

    s d

    a d

    o s

    d a

    a d

    a p

    ta çã

    o

    e v

    a lid

    a çã

    o d

    a B

    a te

    ri a

    d e

    P ro

    va s

    d e

    R a

    ci o

    cí n

    io (

    B P

    R 7

    /9 )

    a a

    lu n

    o s

    m o

    ça m

    b ic

    a n

    o s

  • Trabalho efetuado sob a orientação do Professor Doutor Leandro da Silva Almeida e do Professor Doutor Manuel José de Morais

    Tese de Doutoramento em Ciências da Educação Especialidade de Psicologia da Educação

    julho de 2014

    Argentil Omar do Amaral

    Inteligência e rendimento escolar: Estudo da sua relação tomando os dados da adaptação e validação da Bateria de Provas de Raciocínio (BPR 7/9) a alunos moçambicanos

    Universidade do Minho Instituto de Educação

  • iii

    AGRADECIMENTOS

    Agradeço a todos que, de forma significativa contribuíram na realização deste

    trabalho, o meu muito obrigado.

    Ao meu Orientador, o Prof. Doutor Leandro da Silva Almeida, pela confiança que

    depositou em mim, pelo desafio que lançou ao qual resolvi envolver-me de corpo e

    alma; pela orientação rigorosa, pela literatura disponibilizada, pela dedicação à tese,

    pela disponibilidade, paciência e generosidade.

    Ao Prof. Doutor Manuel José de Morais, pela Co-orientação, dedicação ao projeto,

    incentivo, atenção, amizade e generosidade.

    À Profa. Gina Cláudia Enguiça Marques de Lemos pelo precioso apoio e tempo

    disponibilizado no esclarecimento de dúvidas no âmbito da tese.

    À Dra. Alexandra Araújo pela sua constante atenção e apoio.

    Aos colegas do Grupo de Investigação sobre Cognição, Aprendizagem e Desempenho

    – GICAD – pela cooperação e partilha de experiência: À Ana Filipa, Amanda Franco,

    Diana Soares ao Manuel Bucuto, com um especial agradecimento à Ana Martins.

    À Universidade Pedagógica de Moçambuque/Quelimane, à Direção da Educação, ao

    Ministério de Ciências e Tecnologia /Projeto Cientista do Amanhã (Centro), e aos

    diretores(as) de escolas. A todos os professores e alunos, da cidade de Quelimane, que

    colaboraram na realização deste estudo.

    À equipe de alunos da UP/Q que colaboraram na supervisão dos instrumentos: Nelson

    Fundisse, Joana, Talita, e Liberato.

    Agradeço também aos meus Pais (Deolinda e Haji), pelos ensinamentos e boas

    práticas da vida constantemente transmitidos.

    Aos meus Irmãos estou muito grato pela força e carinho, pois vocês tornaram os

    momentos da longa jornada menos difícil.

    Aos meus amigos e familiares: À Zina, Alice, Karina, Dithe, ao Daniel, Elídio, Carlos

    do Lobo, Geninho, Mortar, Mondinho, Mugas, com especial agradecimento ao mano

    Tinho.

    Às minhas duas queridas filhas afetivas (Bia e Elsinha), pela companhia e ânimo.

    À Buneca, por estar presente em todos os momentos significativos da minha vida. Por

    isso essa tese é dedicada a si.

  • iv

  • v

    Inteligência e rendimento escolar: Estudo da sua relação tomando os dados da

    adaptação e validação da Bateria de Provas de Raciocínio (BPR 7/9) a alunos

    moçambicanos.

    Resumo: Tomando as conceções psicométrica de inteligência que melhor combinam,

    na concetualização e na medida da inteligência, os processos cognitivos e os

    conteúdos das tarefas para explicar as capacidades intelectuais dos indivíduos,

    avançamos nesta tese com a adaptação e validação da Bateria de Provas de Raciocínio

    (BPR 7/9) junto de alunos moçambicanos da 8.ª à 10.ª classe. Tendo em conta o

    objetivo da tese, os referidos subtestes de raciocínio foram analisados e aplicados,

    quer na perspetiva do estudo das suas características psicométricas, quer para efeitos

    de estandardização dos seus resultados. Assim, aplicou-se a BPR8/10 a uma amostra

    de 1080 alunos, considerando a classe de frequência, o género e a comunidade

    (urbana ou periférica) em função da localização geográfica da escola. Este estudo

    considerou, ainda, a realização de um conjunto de análises diferenciais dos resultados,

    estudando o impacto de variáveis pessoais como o género, o tipo de escola e a idades

    dos alunos no seu desempenho cognitivo e procurando, estando atento em tais

    diferenciação à especificidade do conteúdo dos cinco subtestes de raciocínio. Na

    generalidade, os resultados corroboram com o modelo teórico, sendo que se evidencia

    maior diferenciação do desempenho cognitivo segundo o género, a classe escolar e

    tipo de escola no conteúdo verbal e numérico, acentuando-se essa diferenciação à

    medida que se avança no nível escolar dos alunos. Por sua vez, os mais novos em

    cada classe escolar apresentam melhor desempenho nos subtestes, significando que os

    alunos mais velhos poderão ter as suas reprovações escolares anteriores associadas a

    maiores dificuldades cognitivas. Finalmente, também junto dos alunos

    moçambicanos, a estrutura fatorial da BPR aponta para um fator geral, associado à

    capacidade de “raciocínio” que explica entre 50 a 60% da variância dos resultados nos

    cinco subtestes, apontando os resultados no subteste de raciocínio mecânico para a

    sua maior especificidade. Mesmo justificando futuros estudos e aperfeiçoamentos, a

    bateria mostra-se positivamente correlacionada com o rendimento escolar dos alunos,

    podendo servir a investigação e a intervenção psicológica em contexto escolar.

    Palavras-chave: Avaliação psicológica, Testes de inteligência, Bateria de Provas de

    Raciocínio (BPR), Moçambique, Sucesso escolar.

  • vi

  • vii

    Intelligence and academic performance: Study of their relation considering data

    from the adaptation and validation of the Battery of Reasoning Tests (Bateria de

    Provas de Raciocínio, BPR 7/9) to Mozambican students

    Abstract: Considering the psychometric conceptions of intelligence that better relate,

    in the field of intelligence conceptualization and intelligence assessment, the

    cognitive processes and the contents that are used in the tasks performed to explain

    individual intellectual abilities, we present in this dissertation the study of adaptation

    and validation of the Battery of Reasoning Tests (Bateria de Provas de Raciocínio,

    BPR 7/9) using a sample of Mozambican students from grade 8 to grade 10.

    Considering the aim of this thesis, the reasoning subtests mentioned above were

    analyzed and administered, in order to carry out the study of their psychometric

    proprieties, as well as to perform the standardization of the results. Hence, the BPR

    8/9 was administered to a sample of 1080 students, taking in consideration their

    grade, gender and school (urban or rural) geographical location. We also conducted a

    set of differential data analyses in order to study the impact of personal variables,

    such as students' gender, school geographical location or age, on their cognitive

    performance; here, we gave special attention to differentiation according to the

    content specificity of the five reasoning subtests. In general, our results corroborate

    the theoretical model: it is possible to observe a higher differentiation of cognitive

    performance according to gender, grade and school geographical location in both

    verbal and numeric contents, and such a differentiation increases along schooling. In

    turn, in each grade the younger students present a better performance in the subtests,

    which means that older students might have previous school failure experiences

    associated to more cognitive difficulties. Finally, the factorial structure of the BPR

    indicates, for the Mozambican students, a single factor associated to the "reasoning"

    ability, which explains 50 to 60% of the variance of the results in the five subtests;

    here, the results in the mechanical reasoning subtest seem to be the best discriminator.

    Even if future research and further improvements are needed, the battery is positively

    correlated to students' academic performance, and may show to be useful in the field

    of psychological research and intervention in school settings.

    Key-words: Psychological assessment, Intelligence tests, Battery of Reasoning