Arquivo Base - Curso PP PMMT - MAI2012

  • View
    66

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Arquivo Base - Curso PP PMMT - MAI2012

LEGISLAODecreto n. 96.044 de 18 de maio de 1988, aprovou o Regulamento para o Transporte Rodovirio de Produtos Perigosos (RTPP); Decreto n. 1.797 de 25 de janeiro de 1996, decreta o Acordo de Alcance Parcial para a Facilitao de Transporte de Produtos Perigosos entre BRASIL, ARGENTINA, PARAGUAI e URUGUAI; Decreto n. 4.097 de 23 de janeiro de 2002, altera a redao dos Art. 7 do RTPP; Resoluo n. 420 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres de 12 de fevereiro de 2004, publicada em 31 de maio de 2004 que aprova instrues complementares ao Regulamento para o transporte Rodovirio e ferrovirio de Produtos Perigosos Resoluo n. 701 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres de 25 de Agosto de 2004, publicada em 31 de agosto de 2004 que aprova instrues complementares a Resoluo n. 420 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres Resoluo n. 1644 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres, de 26 de setembro de 2006, publicada em 29 de novembro de 2006 que aprova instrues complementares a Resoluo n. 420 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres Resoluo n. 2657 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres, de 15 de abril de 2008, publicada em 18 de abril de 2008 que aprova instrues complementares a Resoluo n. 420 da Agencia Nacional de Transportes Terrestres NBr 7500 - Identificao para o Transporte terrestre, manuseio, movimentao e armazenamento de Produtos; NBr 7501 - Transporte Terrestre de Produtos Perigosos - Terminologia; NBr 7503 - Ficha de Emergncia e Envelope para o Transporte terrestre de Produtos Perigosos - Caractersticas, Dimenses e Preenchimento; NBr 9735 - Conjunto de Equipamentos para Emergncias no Transporte de Produtos Perigosos; NBr 14619 - Transporte Terrestre de Produtos Perigosos - Incompatibilidade Qumica

NMERO DA ONUNmero de srie dado ao Artigo ou Substncia, de acordo com o sistema das Naes Unidas Localizado sempre na parte inferior do Painel de Segurana

Sempre formado por 4 (quatro) algarismos. Exemplos:0004 1005 3065 3376 Picrato de Amnio Amnia Anidra Bebidas Alcolicas 4-Nitrofenilhidrazina

NMERO DE RISCO um Cdigo numrico que indica a natureza e a intensidade do(s) Risco(s) do produto perigoso. Localizado sempre na parte superior do Painel de Segurana No subitem 3.2.3.2. da Res. 420/04 ANTT, apresentada a relao dos nmeros de risco e seus respectivos significados. O fabricante do produto responsvel pela indicao do Nmero de Risco quando este no constar na coluna 5 da Relao de Produtos Perigosos do Anexo Resoluo 420/04 ANTT.

NMERO DE RISCOSubitem 3.2.3.1.3 do Anexo da Resoluo n 420-2004 ANTT As combinaes de algarismos a seguir tm um significado especial:22 323 333 362 382 423 44 446 462 482 539 606 623 642 823 842 90 Gs Liquefeito Refrigerado Lquido inflamvel que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Lquido Pirofrico Lquido inflamvel, txico, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Lquido inflamvel, corrosivo, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Slido que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Slido inflamvel, em estado fundido a uma temperatura elevada Slido inflamvel, txico em estado fundido a uma temperatura elevada Slido txico, que reage com gua,desprendendo gases inflamveis Slido corrosivo, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Perxido orgnico, inflamvel Substncia infectante Lquido txico, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Slido txico, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Lquido corrosivo, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Slido corrosivo, que reage com gua, desprendendo gases inflamveis Substncias que apresentam risco para o meio ambiente; substncias perigosas diversas

PAINEL DE SEGURANA

PRODUTO NO CLASSIFICADOPode confundir as equipes de socorro durante o atendimento a emergncia

PROIBIDO PELA LEGISLAO

RTULO DE RISCOLimite de Corte

Moldura do Rtulo

Quadrado apoiado sobre um ngulo de 45

Linha na mesma cor do smbolo que determina o limite da moldura Parte

Superior Pictograma, Smbolo

de identificao do risco

Parte Inferior n deve ter altura entre On da classe de risco

*Texto indicativo da natureza do risco (opcional)

45

6% e 8% do comprimento *Exceto para classe 7 da diagonal, no podendo (RADIOATIVO) tocar nas laterais da moldura. que o texto obrigatrio

RTULO DE RISCOSubclasses 2.3 e 6.1 Classe 8 Classe 1

Subclasses 6.2

Classes 7

Subclasses 5.1 e 5.2

Subclasses 2.1, 4.1, 4.2, 4.3 e Classe 3

Subclasses 2.2

Smbolos de Riscos e Mdulos NBR 7500 ABNT

RTULO DE RISCO

Figura que identifica o risco principal ou subsidirio do produto, atravs de smbolos, cores, nmeros, e Textos (opcionais)*.

* Exceto para classe 7 (MATERIAL RADIOATIVO) que o texto obrigatrio

RTULO DE RISCOVeculos Utilitrios

RTULO DE RISCOUnidade de Transporte

RTULO DE RISCOEmbalagem

TRANSPORTE RODOVIRIO DE PRODUTOS PERIGOSOSOs Rtulos de Risco e Painis de Segurana devem ser afixados em local visvel do veculo e/ou equipamento conforme NBR 7500 ABNT, podendo ser adesivados, aparafusados, pintados, em porta-placas ou outras formas que permitam a rpida identificao nos casos de emergncia, desde que no prejudique a identificao dos smbolos, nmeros e letras.

No permitido o transporte de embalagem ou outro tipo de material em cima do tanque de carga, exceto no tanque-comboio

RTULO DE RISCO NAS EMBALAGENSCIDO BUTRICO ONU 2820

Quando o volume tiver uma forma to irregular ou dimenses to pequenas que os rtulos no puderem ser satisfatoriamente afixados, eles podem ser colocados por meio de uma etiqueta aplicada ao volume ou outro meio apropriado.Anexo da Resoluo n 420/04 da ANTT, subitem 5.2.2.1.6

RTULO DE RISCO NAS EMBALAGENSTodas as marcaes exigidas devero ser:Facilmente visveis e legveis; Capazes de suportar exposio ao tempo, sem reduo substancial de sua eficcia; Marcadas sobre um fundo de cor contrastante na superfcie externa do volume. Localizadas distantes de outras marcaes existentes no volume, evitando reduzir substancialmente sua eficcia; Embalagens de resgate devem ser adicionalmente marcadas com a palavra RESGATE

SMBOLOS DE MANUSEIO PARA EMBALAGENS

Frgil

No agitar frgil

Proibido usar gancho ou furar

Face superior nesta direo

Substncia ou Material Magnetizante

Iamento

Proteger contra umidade

Proteger contra calor

Proteger contra luz

Centro de gravidade

Documentos para o Transporte de

Produtos Perigosos

Ficha de EmergnciaPapel deve ser Branco Gramatura:75 g/m a 90 g/m Tamanho: A4, Carta ou Ofcio

FICHA DE EMERGNCIAExpedidor Expedidor Endereo Endereo Tel.: Tel.: Nome apropriado Nome apropriado para embarque para embarque Nmero de risco: Nmero de risco: Nmero da ONU: Nmero da ONU: Classe ou subclasse de risco: Classe ou subclasse de risco: Descrio da classe ou Descrio da classe ou subclasse de risco: subclasse de risco: Grupo de embalagem: Grupo de embalagem:

rea A

Aspecto: Aspecto:

rea B rea C

EPI de uso exclusivo da equipe de atendimento a emergncia : a emergncia: EPI de uso exclusivo da equipe

Mnimo 250 mm

Carta 215,9 mm x 279,4 mm Tarjas: Vermelhas A4 210,0 mm x 297,0 mm Fonte: Arial ou similar Ofcio 215,9 Grfica355,6 mm Impressa em mm x ouimpressora de Computador Nos casos de importao ou exportao deve ser redigida no idioma oficial do Brasil As informaes devem ser impressa ou datilografada No pode ser plastificada No permitido o uso de etiquetas As informaes no podem ser abreviadasNo necessrio que as linhas divisrias horizontais estejam No h medidas definidas encostadas nas tarjas laterais

Impressa em uma nica folha

RISCOSFogo: Fogo: Sade: Meio Ambiente: Sade:

rea D

Meio Ambiente: Vazamento:

rea E EM CASO DE ACIDENTE

Fogo:

EM CASO DE ACIDENTE

Vazamento: Poluio: Fogo:Poluio: Envolvimento de pessoas: Envolvimento de pessoas: Informaes Informaes ao mdico: ao mdico:

rea F

nas Linhas horizontais de As respectivas reasincio e final so opcionais

Observaes: Observaes:

5

Mnimo 198 mm 188

5

Envelope para o TransporteEM CASO DE EMERGNCIA ESTACIONE, SE POSSVEL, EM REA VAZIA, AVISE POLCIA (190), AOS BOMBEIROS (193) E AO(S) TELEFONE(S) DE (0XX15) 228-2222 ou (0XX15) 228-2233 EMERGNCIA N_______________________________________MNIMO MNIMO

ESTE ENVELOPE CONTM INFORMAES IMPORTANTES. LEIA-O CUIDADOSAMENTE ANTES DE INICIAR A SUA VIAGEM.

rea A

PETROQUMICA KMS Ltda.Telefones: (0XX15) 228-2222 e (0XX15) 228-2233

rea B

REDESPACHO: Transmigras S.A. - Rua Chile n 11- Pari - So Paulo/SP Fone (0XX11) 388-8000 TRANSPORTADOR Transportes Unio Ltda. Rua Par n 200 - Cerrado - Sorocaba/SP - Fone: (0XX15)227-0000

rea C

250 mm 15 mm de tolerncia O CEP facultativoPOLCIA MILITAR DO ESTADO DE SO PAULO COMANDO DE POLICIAMENTO RODOVIRIO

Verso do Envelope para o TransporteOUTRAS PROVIDNCIAS- usar Equipamento de Proteo Individual (EPI) (conforme ABNT NBR 9735); - isolar a rea, afastando os curiosos; - sinalizar o local do acidente; - eliminar ou manter afastadas todas as fontes de ignio;

- entregar a(s) ficha(s) de emergncia aos socorros, assim que chegarem;- avisar imediatamente ao transportador, ao expedidor do produto, ao corpo de bombeiro e polcia; - avisar imediatamente ao(s) rgo(s) ou entidade(s) de trnsito.

rea D

250 mm 15 mm de tolernciaPOLCIA MILITAR DO ESTADO DE SO PAULO COMANDO DE POLICIAMENTO RODOVIRIO

4

CERTIFICADO DO CURSO MOPP

Art. 6 da Resoluo n 91 do CONTRAN, de 04 de maio de 1999 O Certificado emitido antes da publicao deste ato ter validade at 1 de abril de 2005.

INFRAES E PROCEDIMENTOS QUANDO O CONDUTOR NO COMPROVAR TER CURSO DE ESPECIALIZAO OU SUA ATUALIZAO PARA TRANSPORTAR PRODUTOS PERIGOSOINFRAO Art 232 do CTB combinado com a Resoluo n 205/06 CONTRAN, Conduo do Condutor ao DP, nos termos da Lei n. 9.605 de fevereiro de 1998. D.O.U. 13, de fevereiro de 1998 - Atos do Poder Legislativo Dispe sobre as sanes penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e d outras providncias. Art. 56. Produzir, processar, embalar, importar, exportar, comercializar, fornecer, transportar, armazenar, guardar, ter em depsito ou usar produto ou substncia txica, perigosa ou nociva sade humana ou ao meio ambiente, em desacordo com as exigncias estabelecidas em leis ou nos seus regulamentos: Pena - recluso, de um a quatro anos, e multa.

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 01 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; culos de Segurana para Produtos Qumicos.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 02 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Pea facial inteira com filtro de VO/GA combinado com filtro mecnico.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 03 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Pea facial inteira com filtro de NH3.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 04 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Pea facial inteira com filtro CO combinado com filtro mecnico.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 05 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Pea facial inteira com filtro SO2 combinado com filtro mecnico.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 06 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; culos de segurana para produtos qumicos; Pea semifacial com filtro VO/GA combinado com filtro mecnico.Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 07 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; culos de segurana para produtos qumicos; Pea semifacial com filtro NH3 combinado com filtro mecnico.Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 08 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; culos de segurana para produtos qumicos; Pea semifacial filtrante.

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 09 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; culos de segurana para produtos qumicos.

GRANEL:

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 09(BOTIJES E CILINDROS) Luvas compatvel com o produto.

ENVASILHADO:

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 10 Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana com protetor facial;

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPINBr 9735/2003 da ABNT

Grupo 11

Produtos da Classe 1 -EXPLOSIVOS Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Colete de sinalizao;

Pea facial inteira com filtro polivalente.(VO, GA, NH3, SO2, COMBINADO COM FILTRO MECNICO P2)

Ser exigido individualmente a cada tripulante do transporte

Equipamento de Proteo Individual - EPIProdutos includos pela Resoluo n 420/04 ANTT Luvas adequada ao produto; Capacete de Segurana; Equipamento de proteo respiratria com filtro, combinado com filtro mecnicoSer exigido individualmente a cada tripulante do transporteNBr 9735/2003 da ABNT

Conjunto de Equipamentos para Situao de Emergncia02 Calos para cada veculo (medidas mnimas 200 x 150 x 150 mm); Jogo de ferramentas (alicate universal, chave de fenda ou plilips e umaFita largura mnima 7 cm (com 50m, 100m ou 200 m) Dispositivos para sustentao da fita (4, 6 ou 10) ; 04 Placas Com inscrio Perigo Afaste-se- 34 x 47 cm 04 Cones para sinalizao; 01 Lanterna (No caso de produto granelcujo risco principal ou subsidirio seja inflamvel ou explosivo, dever ser prova de exploso ou lanterna de segurana aumentada combinada com segurana intrnseca. chave de boca para desconexo do cabo da bateria)

Extintor de incndio para carga. P e lona impermevel de 3 x 4 m(somente para slidos)

P e Enxada de fibra ou similar(somente para explosivos slidos)

Conjunto de Equipamentos para Situao de EmergnciaOs veculos que transportam carga lquida embalada podem portar dispositivos para conteno como:- Martelo; - Batoques cnicos para tamponamento de furos; - Almofadas impermeveis para tamponamento de cortes e rasgos; - Tirantes para fixao das almofadas. Desde Agosto de 1999 no fazem parte do Conjunto para Situao de emergncia os seguintes materiais: - Caixa de Primeiros socorros; - Carto e fichas para uso em telefones. Atualmente exigido o Conjunto para Situao de emergncia para o transporte de Explosivos e Radioativos.

Conjunto de Equipamentos para Situao de Emergnciaxido de Eteno GranelAlm dos equipamentos citados, devem portar:

01 Explosmetro porttil calibrado para metano; Nitrognio em proporo mnima de 0,7 Nm para cada 1000 litros em capacidade de tancagem do veculo; 02 Chaves de boca de 27 mm (11/16); 02 Juntas de politetrafluoretileno (PTFE) 2; 02 Chaves de boca de 22 mm (7/8); 02 Juntas de politetrafluoretileno (PTFE) 11/2; 02 Sinaleiras bateria com luz mbar intermitente, 01 Radio transmissor/receptor na cabina.

cido Fluordrico

Conjunto de Equipamentos para Situao de Emergncia

Alm dos equipamentos citados, devem portar: 01 Kit C Ferramentas para reparo de vlvulas; 01 Lanterna hermtica; 01 Enxada e 01 P; Dispositivos de Primeiros Socorros:- 02 Pares de luvas cirrgicas estreis; - 05 Ampolas 10 cc de gluconato de clcio a 10%; - 02 Seringas 10 cc descartveis; - 01 Pote de pasta de gluconato de clcio a 2,5% com xilocana; - 01 Litro de soluo de gluconato de clcio a 1%; - 01 Rolo de esparadrapo (10 cm x 4,5 cm); - 01 Rolo de atadura de gaze (12 cm); - 01 Rolo de atadura de crepe (10 cm); - 01 Caixa de algodo (mnimo 100 gr); - 01 Tesoura; - 01 Guia de Primeiros Socorros e 01 Guia de Tratamento Mdico.

Conjunto para Situao de Emergncia

PERIGO AFASTE-SE

EPIPERIGO AFASTE-SE

Conjunto de Equipamentos para Situao de EmergnciaOs componentes dos Conjuntos de Equipamentos para Emergncia devem ser compatveis e apropriados aos produtos transportados. Para os produtos cujo risco principal ou subsidirio seja inflamvel, dever ser antifaiscante

Conjunto de Equipamentos para Situao de Emergncia Todos os equipamentos devem ser bem acondicionados/fixados e localizados em lugar de

fcil acesso

Produtos Perigosos em Quantidades Limitadas

QUANTIDADE LIMITADA POR UNIDADE DE TRANSPORTE

QUANTIDADE LIMITADA POR UNIDADE DE TRANSPORTEPara quantidades iguais ou inferiores aos limites de quantidade por unidade de transporte, constante da Coluna 8, denominada Quantidade Limitada por Veculo, da Relao de Produtos Perigosos, independente das dimenses das embalagens, dispensam-se as exigncias relativas a:

Rtulos de Risco e Painis de Segurana afixados ao veculo; Porte do EPI e Conjunto para Situao de Emergncia (KIT); Limitaes quanto ao itinerrio, estacionamento e locais de carga e descarga; Treinamento especfico para o condutor (curso MOPP); Porte da Ficha de Emergncia e Envelope para o Transporte; Proibio de se conduzir passageiro no veculo.

QUANTIDADE LIMITADA POR UNIDADE DE TRANSPORTEPermanecem vlidas as demais exigncias regulamentares, em especial as que se referem a:

Precaues de manuseio (carga, descarga e estiva); Porte do rtulo de risco no volume; Marcao do nome apropriado para embarque, e do n ONU precedido das letras ONU ou UN no volume; Porte da marca ou identificao da conformidade nos volumes; Incluso no Documento Fiscal, do n. ONU, grupo de embalagem, Nome apropriado para embarque junto com a expresso QUANTIDADE LIMITADA ou QUANT. LTDA, Classe ou Subclasse do produto, Declarao do Expedidor e o peso bruto total em Kg; Extintores de incndio para veculo e carga.

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGEM INTERNA

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASProdutos Perigosos transportadas em embalagens com capacidade mxima indicada na Coluna 9, denominada Quantidade Limitada por Embalagem Interna, da Relao de Produtos Perigosos, dispensam-se as exigncias relativas a:

Porte de Rtulo(s) de Risco(s) no volume ; Segregao entre Produtos Perigosos num veculo ou continer; Rtulos de Risco e Painis de Segurana afixados ao na unidade de transporte para carregamentos em quantidade bruta at 1000 Kg; Limitaes quanto ao itinerrio, estacionamento e locais de carga e descarga; Marcao do nome apropriado para embarque no volume; Porte da marca ou identificao da conformidade nas embalagens;

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASPermanecem vlidas as demais exigncias regulamentares, em especial as que se referem a:

Proibio de se conduzir passageiro no veculo. A marcao do n ONU, precedida das letras ONU ou UN no volume; Porte do EPI e Conjunto para Situao de Emergncia (KIT); Extintores de incndio para veculo e carga, se esta exigir. Treinamento especfico para o condutor (curso MOPP); Porte da Ficha de Emergncia e Envelope para o Transporte; Precaues de manuseio (carga, descarga e estiva); Rtulos de Risco e Painis de Segurana afixados na unidade de transporte para carregamentos em quantidade bruta superior 1000 Kg; Incluso no documento de transporte (Documento Fiscal), do n. do grupo de embalagem, Nome apropriado para embarque junto com a expresso QUANTIDADE LIMITADA ou QUANT. LTDA, Classe ou Subclasse do produto, Declarao do Expedidor e o peso bruto total em Kg.

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASA distribuio, para venda no comrcio varejista de produtos perigosos transportado em embalagens internas, cuja capacidade mxima atenda aos limites indicados na coluna 9 da Relao de Produtos Perigosos da Resoluo 420/04 ANTT e que se destinem a consumo por indivduos, para fins de cuidados pessoais ou domsticos, s nestes casos, fica dispensada das exigncias relativas :

Porte do rtulo de risco no volume; Marcao do nome apropriado para embarque no volume; Segregao entre Produtos Perigosos num veculo ou continer;

Porte dos Rtulos de Risco e Painis de Segurana afixados na unidade de transporte;

Limitaes quanto ao itinerrio, estacionamento e locais de carga e descarga;

Porte da marca da conformidade nos volumes;

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASA distribuio, para venda no comrcio varejista de produtos perigosos transportado em embalagens internas, cuja capacidade mxima atenda aos limites indicados na coluna 9 da Relao de Produtos Perigosos da Resoluo 420/04 ANTT e que se destinem a consumo por indivduos, para fins de cuidados pessoais ou domsticos, s nestes casos, fica dispensada das exigncias relativas :

Porte de equipamentos de proteo individual e conjunto para situao de emergncia, exceto extintores de incndio para veculo e carga, se esta o exigir;

Treinamento especfico para o condutor (Curso MOPP); Porte da Ficha de Emergncia e do Envelope para o Transporte;

Proibio de se conduzir passageiro no veculo;

Informaes sobre ricos dos produtos no Documento Fiscal;

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASA distribuio, para venda no comrcio varejista de produtos perigosos transportado em embalagens internas, cuja capacidade mxima atenda aos limites indicados na coluna 9 da Relao de Produtos Perigosos da Resoluo 420/04 ANTT e que se destinem a consumo por indivduos, para fins de cuidados pessoais ou domsticos, permanecem vlidas as exigncias relativas :

Marcao do nmero das Naes Unidas, precedido das letras ONU ou UN, no volume; As condies de acondicionamento previstas em 3.4.2.1 a 3.4.2.5;

Precauoes de manuseio (carga, descarga, estiva)

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASQuando se tratar de produtos perigosos, para venda no comrcio varejista, com risco de contaminao juntamente com alimentos,medicamentos ou objetos destinados ao uso humano ou animal, no sero consideradas as proibies de carregamento comum quando tais produtos forem separados dos demais por cofres de carga destintos.

Diferentes Produtos Perigosos, embalados em quantidades limitadas, podem ser colocados na mesma embalagem externa, desde que no se interajam perigosamente em caso de vazamento.

QUANTIDADE LIMITADA POR EMBALAGENS INTERNASQuando a quantidade total de produtos perigosos, numa unidade de transporte, no exceder ao estipulado na coluna 8 e os volumes estiverem embalados conforme orientao de 3.4.2.1 a 3.4.2.5, fica dispensada das exigncias relativas :

Porte de Rtulo(s) de Risco(s) no volume ; Segregao entre Produtos Perigosos num veculo ou continer; Rtulos de Risco e Painis de Segurana afixados ao na unidade de transporte; Limitaes quanto ao itinerrio, estacionamento e locais de carga e descarga; Marcao do nome apropriado para embarque no volume; Porte da marca ou identificao da conformidade nas embalagens; Porte do EPI e Conjunto para Situao de Emergncia (KIT); Treinamento especfico para o condutor (curso MOPP); Porte da Ficha de Emergncia e Envelope para o Transporte; Proibio de se conduzir passageiro no veculo.

Incompatibilidade no Transporte de

Produtos Perigosos

Art. 7 do RTPPAlterado pelo Decreto n.4.097, de 23Jan02

proibido o transporte, no mesmo veculo ou continer, de produtos perigosos com outro tipo de mercadoria, ou com outro produto perigoso, salvo se houver compatibilidade entre os diferentes produtos transportados.

Art. 7 2 do RTPPAlterado pelo Decreto n.4.097, de 23Jan02

proibido o transporte de produtos perigosos, com risco de contaminao, juntamente com alimentos, medicamentos ou objetos destinados a uso humano ou animal ou, ainda, com embalagens de mercadorias destinadas ao mesmo fim.

Art. 7 3 do RTPPAlterado pelo Decreto n.4.097, de 23Jan02

proibido o transporte de animais juntamente com qualquer produto perigoso.

Art. 7 4 do RTPPAlterado pelo Decreto n.4.097, de 23Jan02

Para aplicao das proibies de carregamento comum, previstas neste artigo, no sero considerados os produtos colocados em pequenos cofres de carga distintos, desde que estes assegurem a impossibilidade de danos a pessoas, mercadorias ou ao meio ambiente.

Art. 7 4 do RTPPAlterado pelo Decreto n.4.097, de 23Jan02

Pequenos cofres de carga distintos: So caixas com fechos para acondicionamento de carga geral perigosa ou no com a finalidade de segregar durante o transporte produtos incompatveis Captulo 1.2 da Resoluo n 420 / 04 ANTT

Art. 8 do RTPP vedado transportar produtos para uso humano ou animal em tanque de carga destinado ao transporte de Produtos Perigosos granel.

Tabela Incompatibilidade das Classes 2 a 9Class e ou subcla sse

2.1EF A F B

2.2FE F F B

2.3AF F A A ou B

3FF A F B

4.1BB A ou B B B

4.2FF A F B

4.3FF A F B

5.1FF A X B

5.2CC A ou C C B ou C

6.1DF F D B ou D

6.2FF F F B

8FF A F X

9FF F F B

2.12.2 2.3 3 4.1

4.24.3 5.1 5.2 6.1 6.2 8 9

FF F C D F F F

FF F C F F F F

AA A A ou C F F A F

FF X C D F F F

BB B B ou C B ou D B X B

EF F C D F X F

FE F C D F X F

FF E C D F X F

CC C C C ou D C X C

DD D C ou D E F D F

FF F C F E F F

XX X X D F E F

FF F C F F F E

X Incompatvel A- Incompatvel toxidade por inalao LC50 < 1000 ppm B Incompatvel com n ONU 3221, 3222, 3231 e 3232 C Incompatvel com n ONU 3101, 3102, 3111 e 3112

D Incompatvel com produtos Subclasse 6.1 do grupo de embalagem I E Verificar se h incompatibilidade dos produtos dentro da mesma classe F Em caso de Incompatibilidade qumica entre as classes/subclasses o expedidor dever informar por escrito ao transportador

Conseqncias por no cumprir a legislao ao Transportar

Produtos Perigosos

Multas ao Transportador e ao Expedidor

Art. 44 do RTPPAs infraes punidas com multa classificam-se, de acordo com sua gravidade em trs grupos: I- primeiro grupo 692 UFIR; II- segundo grupo 346 UFIR; III- terceiro grupo 138,4 UFIR. 1 Na reincidncia especfica a multa ser aplicada em dobro.

2 Cometidas, simultaneamente, duas ou mais infraes de naturezas diversas, aplicar-se-o, cumulativamente, as penalidades correspondentes a cada uma.

Multas ao Transportador e ao ExpedidorTRANSPORTE DE PRODUTO PERIGOSOINFRAESDOCUMENTOSTRANSPORTADORCDIGO ENQUADRAM ENTO

EXPEDIDORCDIGO ENQUADRA MENTO

Certificado de Capacitao - No consta o Produto Perigoso

902-4

45 I b

920-2

46 I b

Certificado de Capacitao No Vlido (vencido}Certificado de Capacitao No Portar Certificado de Capacitao - Inexistente Documento Fiscal sem a declarao do Expedidor Documento Fiscal sem Nome Apropriado, N ONU Classe ou Subclasse

903-2913-0 903-2 914-8

45 I c45 III c 45 I c 45 III d No H

920-2

46 I b

No h No h 921-0 921-0 46 I c 46 I c

Ficha de Emergncia e Envelope para o TransportePAINEL DE SEGURANA E RTULO DE RISCO

915-6

45 III e

925-3

46 II b

Rtulo de Risco e Painel de segurana afixados nos veculos Rtulo de risco apostos nas embalagens externasEPI E CONJUNTO PARA A SITUAO DE EMERGNCIA (KIT)

916-4 916-4

45 III f 45 III f

926-1 927-0

46 II c 46 II d

EPI/ Equipamento para a Situao de Emergncia Tacgrafo (GRANEL) Falta, defeitos, no apresentar o disco

912-1 910-5

45 III b 45 II e

924-5

46 II a

No H

Multas ao Transportador e ao ExpedidorCONDIES DE TRANSPORTES

Produto de deslocamento no permitido pelo Ministrio dos transportes Transportar pessoas, animais, medicamentos ou alimentos destinados ao consumo humano ou animal, ou ainda embalagens destinadas a esse fim Produtos incompatveis entre si Embalagens em ms condies (vazando) Carga mal estivada ( mal acondicionada) Manuteno do veculo ou Equipamento(Tanque, Vaso de Presso,etc)EMERGNCIA

901-6 904-0 905-9 908-3 911-3 906-7

45 I a 45 I d 45 I e 45 II c 45 III a 45 II a

No H No H 919-9 922-9 922-9 928-8 46 I a 46 I d 46 I d 46 II e

No dar cincia imediata da imobilizao do veculo em casos de emergncia, acidente ou avaria No adotar, em caso de acidente ou avaria, as providncias as providncias da Ficha de Emergncia e do Envelope para o Transporte No comparecer ao local de acidente quando expressamente convocado No prestar os esclarecimentos tcnicos quando solicitadoESTACIONAMENTO E CIRCULAO

918-0 909-1

45 III h 45 II d No H No H

No H No H 923-7 929-6 46 I e 46 II f

Circulando em via no permitida para veculos transportando PP Estacionar ou parar com inobservncia ao preceituado no Art. 14 RTPP

917-2 907-5

45 III g 45 II b

No H No H