Artes Plasticas 15

  • View
    232

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Artes Plasticas 15

  • 7/21/2019 Artes Plasticas 15

    1/14

    ARTES PLSTICAS:

    BarrocoO Barroco brasileiro foi, diretamente, influenciado pelo Barroco portugus, porm, com o tempo,foi assumindo caractersticas prprias. A grande produo artstica barroca no Brasil ocorreu nascidades aurferas de Minas Gerais, no chamado sculo do ouro (sculo XVIII). Essas cidadeseram ricas e possuam uma intensa vida cultura e artstica em pleno desenvolvimento.O principal representante do barroco mineiro foi o escultor earquitetoAntnio Francisco de Lisboatambm conhecido como Aleijadinho. Suas obras, de forte carter religioso, eram feitas emmadeira e pedra-sabo, os principais materiais usados pelos artistas barrocos do Brasil. Podemoscitar algumas obras de Aleijadinho: Os Doze Profetas e Os Passos da Paixo, na Igreja de BomJesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG).Outros artistas importantes do barroco brasileiro foram: o pintor mineiro Manuel da Costa Atade eo escultor carioca Mestre Valentim. No estado da Bahia, o barroco destacou-se na decorao dasigrejas em Salvador como, por exemplo, de So Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de SoFrancisco.

    Carregamento da Cruz,Aleijadinho(escultura em madeira) Autores de outros pases.Andrea Solario: Salom com a cabea de Joo Batista

    Michelangelo CaravaggioSalom com a cabea de Joo Batista

    Dois quadros, mesma cena, duas expresses diferentes. O primeiro pertence ao pintorrenascentista italiano Andrea Solario(ou Solari). Sendo da Escola de Milo, sua obra apresenta

    muitas influncias de Leonardo da Vinci, o maior representante da cidade italiana. O segundo obra de Michelangelo Caravaggio, um dos maiores expoentes (para mim, o maior de todo omovimento) da pintura barroca italiana. Observe as diferenas principais entre as duas obras: No quadro renascentista, as expresses dos personagens que compem a cena (Salom,

    recebendo uma cabea humana numa bandeja, e a expresso da prpria cabea de JooBatista) extremamente serena. O rosto da moa no apresenta nenhuma expresso derepulsa ao que recebe e a colorao da pele de Joo Batista no condizente com a de umcadver, mantendo a harmonia das cores pastis tpicas da poca. A cena, que deveria serdramtica e repugnante, nos seus aspectos visuais no busca esses componentes, tornando-se at agradvel aos olhos. J no quadro barroco, Salom no se atreve a olhar para acabea de Joo Batista, com uma clara repulsa e desaprovao no olhar. A velha que estatrs dela tem uma expresso consternada e piedosa. As feies do homem que entrega a

    cabea do santo denotam desaprovao e a cabea de Joo Batista tem a expresso facialdesfigurada, cada, plida, coerente com a dramaticidade da cena.

    http://www.suapesquisa.com/profissoes/arquiteto.htmhttp://www.suapesquisa.com/profissoes/arquiteto.htm
  • 7/21/2019 Artes Plasticas 15

    2/14

    1

    A iluminao dos dois quadros completamente diferente. Observe que no quadro de Solario aluz vem de frente e toca por igual todos os componentesque compem a cena. No quadrode Caravaggio, no. A luz rescindi das diagonais do quadro e atinge de maneira diferentesuas partes, havendo um contraste evidente entre luz e sombra. Essa tcnica, que aparecede forma constante e at exagerada nos quadros barrocos, um avano do sfumatorenascentista e adquire nome prprio: chiaro-oscuro, ou seja, claro-escuro.

    A noo de beleza na cena renascentista intocvel. Salom bela, a cabea de Joo Batista bela: note como a barba e os cabelos esto em ordem. J no quadro barroco, explora-se ofeio, o grotesco o que recebe o nome de fesmo. Observe a velha: seu rosto enrugado,excessivamente enrugado, a pele tem uma colorao acinzentada e repulsiva. O mesmo sepode falar da cabea de Joo Batista, agora sim condizente com a de um homem quepermaneceu preso at ser assassinado por decapitao

    Sintetizando a anlise, a partir dos dois quadros, pode-se dizer que no Barroco a pintura buscadramaticidade, lanando mo, para isso, de fortes contrastes entre luz e sombra(e tambmcores fortes), do exageroem certas caractersticas fsicas, e at daquilo que feio e grotesco.Alm disso, preciso destacar que a maior parte das pinturas (com exceo dos retratos,evidentemente) tm uma noo de movimento em continuidade. Fica bem mais clara nelas asensao de que o pintor fotografou algo que acontecia e no que obteve sua imagem a partir de

    modelos parados.No caso de Caravaggio, especialmente, preciso ressaltar ainda o uso particularssimo que estepintor fez da luz em suas obras. Ele desenvolveu uma tcnica especial para compor suas cenas:posicionava os modelos da forma como desejava pintar o quadro e, em pontos especficos dasala, distribua alguns ajudantes com espelhos ou bandejas de lato ou prata: qualquer coisa querefletisse a luz exatamente para onde ele queria. Da a iluminao artificial(no sentido de criadapelo artista e no aproveitada com vem da natureza) conseguida por ele em suas obras.

    ArcadismoO arcadismo nas artes plsticas busca inspirao e simplicidade na base de criao naantiguidade. Algumas das caractersticas marcantes o carter ilustrativo e literrio que marcado pelo formalismo e pela linearidade. Poses escultricas com anatomia correta e exatido

    nos contornos. Esse estilo teve tendncia a expressar e interpretar os interesses a mentalidade eos hbitos da burguesia da poca da revoluo francesa e do imprio Napolenico.

    PinturaNa pintura se busca: Exatido nos contornos; Harmonia do colorido; Pinceladas que no mascavam a superfcie; Ideal da poca

    Pintura de Jacques Louis David O juramento dos Horcios

    EsculturaO movimento na escultura buscava inspirao no passado. Esttuas gregas foi o modelo preferido

    pela harmonia de propores. Regularidade das formas e serenidade nas expresses. Noatingiam a amplitude e nem o esprito da escultura grega. Era menos ousada que a pintura earquitetura de seu tempo. Entre os principais escultores destaca-se o italiano Antnio Canova.

    http://arcadismo.com/wp-content/uploads/2010/11/arcadismo12.jpghttp://arcadismo.com/wp-content/uploads/2010/11/arcadismo12.jpg
  • 7/21/2019 Artes Plasticas 15

    3/14

    2

    Obra de Antnio CanovaCupid and Psyche

    Romantismo (1790-1850)

    Marcas:Subjetividade e introspeco, sentimentos e sensaes so caractersticas desse perodo. Aliteratura romntica, os componentes da natureza e o passado so retratados de forma intensa noromantismo.So representantes desta poca o artista Francisco Goya e Lucientes. Algumas desuas principais pinturas so: A Famlia de Carlos IV, O Colosso e Os Fuzilamentos do Trs deMaio de 1808. Outras obras romnticas : A Balsa da Medusa, de Thodore Gricault; A Carroa

    de Feno, de John Constable; A Morte de Sardanapalo, de Eugne Delacroix;e O CombatenteTmraire, de Joseph William Turner.

    Um estado de espritoO romantismo, nas artes plsticas, talvez esteja mais ligado a um estado de esprito e

    crenas filosficas do que a um estilo ou imagem visual especfica.Alm disso, os prprios lderes do movimento romntico, nas artes plsticas,

    apresentam grande diferenciao entre si.De uma forma geral, o romantismo caracteriza-se pela valorao da experincia individual e da

    imaginao como principal fonte de recursos para a expresso artstica.Alm disso, esse movimento marcou uma revolta contra o conservadorismo nas artes,

    pautando-se, todavia, pela moderao.

    Liberdade de expressoUm dos maiores mritos creditados aos artistas desse perodo foi terem conseguido imprimir

    mais liberdade arte, dando espao para suas prprias expresses pessoais, o que talvez, atento, somente um poeta poderia fazer.

    O Gtico Revival, que foi a revalorizao esttica das construes da Idade Mdia, emespecial o estilo gtico, pelo menos em suas primeiras manifestaes, pode ser considerado umaspecto do romantismo.

    A partir do momento em que se desenvolve, entretanto, chega a ser considerado por algunshistoriadores como uma escola prpria, separada j do romantismo.

    Na arquitetura, somente o Gtico Revi Val

    Um de seus maiores expoentes foi o ingls Horace Walpole (1717-1797), arquiteto amador eescritor, que tendo construdo sua casa de campo Strawberry Hill, em Twickenham, como umcastelo medieval, acabou por ajudar a estabelecer o estilo entre as construes do gnero dopas.

    Augustus Welby Pugin (1812-1852), tambm ingls, arquiteto, um dos nomes mais importantesdo estilo na Inglaterra foi responsvel pelos detalhes gticos nas Casas do Parlamento ingls.

    Por fim, destaca-se o francs Eugne Viollet-le-Duc, que reconstruiu obras gticas eromanescas francesas, alm de ter escrito um dicionrio sobre a arquitetura francesa dos Sculos11 a 14, popularizando bastante a esttica medieval.

    O Romantismo europeuNa pintura romntica, destacam-se a Inglaterra, a Frana e a Alemanha como os pases mais

    ligados ao Romantismo.O Romantismo na Inglaterra deveu muito a estrangeiros, principalmente os americanos

    Benjamin West (1738-1820) e John Singleton Copley (1738-1815).

    http://www.suapesquisa.com/romantismo/romantismo.htmhttp://www.suapesquisa.com/biografias/francisco_goya.htmhttp://www.suapesquisa.com/biografias/delacroix.htmhttp://www.pitoresco.com.br/art_data/gotico/index.htmhttp://arcadismo.com/wp-content/uploads/2010/11/e3_3_3_1c_italian_sculpture.jpghttp://www.pitoresco.com.br/art_data/gotico/index.htmhttp://www.suapesquisa.com/biografias/delacroix.htmhttp://www.suapesquisa.com/biografias/francisco_goya.htmhttp://www.suapesquisa.com/romantismo/romantismo.htmhttp://arcadismo.com/wp-content/uploads/2010/11/e3_3_3_1c_italian_sculpture.jpg
  • 7/21/2019 Artes Plasticas 15

    4/14

    3

    WEST (Benjamin), pintor norte-americano (Springfield, 1738 - Londres, 1820). Trabalhando naInglaterra, realizou retratos solenes e quadros histricos.

    West foi o segundo presidente da Royal Academy, em Londres, pintor da corte de George 3,conhecido entre outras coisas, por ter introduzido na tradicional academia britni

Search related