ARTIGO ARTICLE Fenótipos corporais na adolescência e a ...· Fenótipos corporais na adolescência

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of ARTIGO ARTICLE Fenótipos corporais na adolescência e a ...· Fenótipos corporais na adolescência

  • Fentipos corporais na adolescncia e a maturao sexual

    Body phenotypes in adolescence and sexual maturation

    Fenotipos corporales en la adolescencia y madurez sexual

    Jssica Cumpian-Silva 1

    Ana Elisa Madalena Rinaldi 2

    Camila Medeiros da Silva Mazzeti 1

    Wolney Lisboa Conde 1

    CorrespondnciaJ. Cumpian-SilvaFaculdade de Sade Pblica, Universidade de So Paulo.Av. Dr. Arnaldo 715, So Paulo, SP 01246-904, Brasil.jesscumpian@gmail.com

    1 Faculdade de Sade Pblica, Universidade de So Paulo, So Paulo, Brasil.2 Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Uberlndia, Uberlndia, Brasil.

    ARTIGOARTICLE

    doi: 10.1590/0102-311X00057217

    Cad. Sade Pblica 2018; 34(3):e00057217

    Resumo

    Nosso objetivo descrever fentipos corporais estimados por tcnica multi-variada para avaliao do estado nutricional na adolescncia, durante o processo de maturao sexual. A amostra foi composta por 833 adolescentes escolares de 10 a 15 anos selecionados por amostragem complexa em Pira-cicaba, So Paulo, Brasil. Os fentipos corporais foram definidos por anlise de componentes principais (ACP) a partir de dados antropomtricos (massa corporal, altura, dobras cutneas e circunferncia da cintura), de composi-o corporal (ngulo de fase medido por impedncia bioeltrica), bioqumi-cos (triglicerdeos, glicose, razo colesterol total/LDL, hemoglobina) e de maturao sexual (autoclassificao dos estgios de pelos pubianos e ma-mas ou gnadas). Os fentipos corporais foram: F1adiposidade, caracterizado pela associao positiva com as variveis dobras cutneas, massa corporal e circunferncia da cintura; F2puberdade, caracterizado pela associao posi-tiva com estgios de pelos pubianos, mama em meninas ou gnada em me-ninos, altura e idade; F3bioqumico, caracterizado pela associao positiva com colesterol, triglicerdeos e glicose; e F4muscular, caracterizado pela associao positiva com ngulo de fase, hemoglobina e negativa com glicose. Somente F1adiposidade apresenta associao forte com o ndice de massa corporal, e h independncia entre F1adiposidade e F2puberdade. Nossos resultados ressaltam a independncia apresentada entre parmetros bioqumicos, de antropometria, de composio corporal e de maturao sexual. A proposta de fentipos corpo-rais poder embasar clculo de escores da probabilidade de estar obeso a par-tir das variveis antropomtricas e superar a ambiguidade na utilizao da massa corporal.

    Maturidade Sexual; Biomarcadores; Composio Corporal; Adolescente

    Este um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licena Creative Commons Attribution, que permite uso, distribuio e reprodu-o em qualquer meio, sem restries, desde que o trabalho original seja corretamente citado.

  • Cumpian-Silva J et al.2

    Cad. Sade Pblica 2018; 34(3):e00057217

    Introduo

    A anlise do estado nutricional de adolescentes usualmente realizada com base no ndice de massa corporal (IMC), sem levar em considerao as etapas da maturao sexual. Ao longo da adolescn-cia, e em especial durante a maturao sexual, a massa corporal apresenta expressiva variao em sua composio 1. Essa variabilidade tem potencial para alterar a associao convencional entre aumento da massa corporal e adiposidade. A elevada variabilidade das fraes da composio corpo-ral observada nessa etapa do ciclo vital leva alguns autores a fundamentar e se posicionar de modo diverso com relao necessidade de ajuste prvio da maturao sexual para avaliao nutricional de adolescentes 1,2.

    Os principais argumentos a favor do ajuste pela maturao sexual so: (1) em adolescentes com puberdade precoce, existe aumento da espessura das dobras cutneas e da massa corporal, portanto o ajuste contribuiria para a correta classificao do estado nutricional, levando em considerao as modificaes corporais precoces causadas pela alterao da maturao sexual; (2) o IMC varia signi-ficativamente entre os estgios da maturao sexual, destacadamente no sexo feminino; alm disso, algumas medidas antropomtricas como altura, circunferncia da cintura e massa corporal variam entre os estgios de maturao sexual; (3) existe associao positiva entre a maturao sexual precoce e o excesso de massa corporal em adolescentes, com evidncias mais claras para o sexo feminino; e (4) alguns autores sugerem que a magnitude do efeito da maturao sexual sobre a composio corporal seja expressiva, a ponto de impactar a avaliao nutricional 3,4,5.

    Os principais argumentos contrrios ao ajuste pela maturao sexual so: (1) o crescimento e o desenvolvimento puberal so processos altamente regulados biologicamente e, nesse sentido, a varia-bilidade intraestgio de maturao no intensa a ponto de modificar a classificao do estado nutri-cional entre os estgios; (2) a obesidade ou excesso de massa corporal esto associados precocidade da maturao sexual, mas no s diferenciaes entre os estgios; (3) a tendncia secular do IMC no explica isoladamente a tendncia secular da precocidade da maturao sexual; e (4) diferenas inferio-res a dois anos entre a idade mdia da maturao sexual da populao estudada e da populao de refe-rncia no introduzem distores na avaliao do estado nutricional dos indivduos analisados 1,6,7.

    A simultaneidade no uniforme do aumento da massa corporal e do ganho de altura como funo da idade ao longo da adolescncia um desafio para o processo de avaliao do estado nutricional, especialmente para a avaliao nutricional baseada em ndices unidimensionais (o IMC, por exemplo), j que torna mais complexa a interpretao das mudanas antropomtricas e da composio corporal ao longo da maturao sexual 8,9.

    A questo-chave para anlise das diferenas antropomtricas parece ser os fatores determinantes da variao da massa corporal ao longo dos estgios de maturao sexual e entre estes. Tanto o IMC quanto a idade de incio da maturao sexual mostram efeitos de tendncia secular, o que adiciona complexidade ao processo de avaliao nutricional de adolescentes e considerveis dificuldades para a comparao entre as evidncias apresentadas contra ou a favor do ajuste da avaliao nutricional pela maturao sexual 1,7. Alm disso, a massa corporal reconhecida como um expressivo modificador dos parmetros e indicadores da maturao sexual 10,11,12,13.

    A complexidade das modificaes da composio corporal durante a puberdade no adequa-damente abordada com o uso dos indicadores nutricionais tradicionais, uma vez que isolam fatores como antropometria, composio corporal ou marcadores bioqumicos 7,14. Uma alternativa a essa limitao o uso de anlise multivariada para a definio de fentipos corporais. O fentipo con-ceituado como o somatrio das especificidades que caracterizam um indivduo 15. Operacionalmente, o fentipo corporal foi expresso pela anlise simultnea de variveis das dimenses antropomtricas, da composio corporal e dos marcadores bioqumicos em modelo multivariado.

    A anlise multivariada do estado nutricional permite integrar as mltiplas interaes entre o fenmeno da maturao sexual e o processo do crescimento fsico, bem como a anlise de seus deter-minantes antropomtricos, da composio corporal ou dos parmetros bioqumicos sobre o estado nutricional dos adolescentes. Assim, a anlise multivariada permite explorar a natureza das diver-gncias encontradas na literatura sobre o ajuste do IMC por meio dos estgios de maturao sexual.

    Desta forma, nosso objetivo descrever fentipos corporais a partir de variveis que represen-tem parmetros antropomtricos, de composio corporal, de maturao sexual e de marcadores

  • MATURAO SEXUAL E COMPOSIO CORPORAL 3

    Cad. Sade Pblica 2018; 34(3):e00057217

    bioqumicos, estimados por tcnica multivariada, e apresentar uma alternativa para a avaliao do estado nutricional durante a adolescncia.

    Mtodos

    Bases de dados

    Nesta anlise, os dados so provenientes de adolescentes de 10 a 15 anos, residentes na cidade de Pira-cicaba, So Paulo (N = 833, 57% do sexo feminino). Os dados do presente estudo so oriundos do dese-nho transversal do inqurito intitulado Determinantes do Risco de Obesidade entre Adolescentes a Partir de Inqurito de Escolares com Amostra Mista: Transversal e Longitudinal (IAP-SP). O IAP-SP corresponde terceira onda de inquritos realizados na cidade de Piracicaba com adolescentes escolares. Sinte-ticamente, seu processo amostral se deu por amostragem probabilstica das escolas, utilizando dois critrios de estratificao: geogrfico (centro e bairros perifricos) e tipo de administrao escolar (pblico e particular) 16,17. O projeto IAP-SP foi aprovado pelo Comit de tica na Pesquisa da Facul-dade de Sade Pblica, Universidade de So Paulo (processo no 154865, de 27 de novembro de 2012).

    Avaliao do estado nutricional

    A descrio dos fentipos corporais foi feita por anlise multivariada, a partir das variveis de trs dimenses mensuradas:(a) Antropometria e composio corporal: massa corporal, altura, dobras cutneas tricipital e subes-capular, circunferncia da cintura e ngulo de fase. Todas as medidas antropomtricas foram realiza-das segundo os procedimentos recomendados pelo Manual de Referncia para Padronizao de Medidas Antropomtricas, em duplicata e expressas pela mdia dos dois valores 18,19. O IMC foi calculado dividindo-se a massa corporal (kg) pela altura ao quadrado (m2) 20. O ngulo de fase foi estimado por impedncia bioeltrica (BIA) (modelo 0358T, RJL Systems, Clinton Township, Estados Unidos) 21,22. Os procedimentos foram realizados segundo a recomendao do manual do fabricante. O ngulo de fase foi calculado como arco tangente da razo entre reactncia e resistncia. Todas as variveis utilizadas so contnuas.(b) Maturao sexual: a referncia utilizada para a avaliao da maturao sexual foi aquela proposta por Tanner, que est baseada nos estgios da distribuio de pelos pubianos para ambos os sexos e nos estgios do desenvolvimento das mama em meninas ou da gnada em meninos 23,24. A avaliao foi realizada por autoclassificao, a partir de pranchas i