Artur C. 16993 Lucas A. 170111 Equilíbrio Químico Artur Costa Barros nº 16993 Lucas Valias Ayres nº 17011 Prof.: Élcio Barrak Capitulo 15 Universidade

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Artur C. 16993 Lucas A. 170111 Equilíbrio Químico Artur Costa Barros nº 16993 Lucas Valias Ayres...

  • Equilbrio QumicoArtur Costa Barros n 16993Lucas Valias Ayres n 17011Prof.: lcio BarrakCapitulo 15Universidade Federal de Itajub

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Tpicos AbordadosConceito de EquilbrioA Constante de EquilbrioEquilbrios HeterogneosClculo das Constantes de EquilbrioAplicaes das Constantes de EquilbrioPrincpio de Le ChtelierEquilbrio Qumico no Cotidiano

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • O equilbrio qumico uma situao em que a proporo entre as quantidades de reagentes e produtos em uma reao qumica se mantm constante ao longo do tempo.

    No equilbrio qumico as reaes opostas acontecem a velocidades iguais.Conceito de Equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Conceito de EquilbrioReao direta: Reao inversa:

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • )/(][)/(][)/()/(RTPBRTPARTPVnnnRTPVBAReao direta: A presso influencia a velocidade proporcionalmenteAs velocidades para as reaes direta e inversa:Conceito de Equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Equilbrio acontece quando: Rearranjando a equao e cancelando os termos RT O equilbrio dinmico, A e B no param de reagir.Conceito de Equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • O Processo de HaberHaber desenvolveu um importante processo para sintetizar amnia a partir de nitrognio e hidrognio.Essa reao a base do processo de Haber para sintetizar amnia, muito utilizada na agricultura para a fertilizao do solo.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • A Constante de EquilbrioA condio de equilbrio para reagentes e produtos na fase gasosa:A condio de equilbrio para reagentes e produtos em soluo:A expresso da constante de equilbrio depende apenas da estequiometria da reao, no de seu mecanismo.O valor da constante de equilbrio varia apenas com a temperatura.Lei da ao das massas

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Ordem de grandeza das constantes de equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • A constante de equilbrio de uma reao em etapas a multiplicao das constantes das etapas individuais.A Constante de Equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Equilbrios heterogneosAs presses parciais dos gases so substitudas na expresso da constante de equilbrio.As concentraes molares das espcies dissolvidas so substitudas na expresso da constante de equilbrio.Os slidos puros, os lquidos puros e os solventes no so includos na expresso da constante de equilbrio.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • A expresso da constante de equilbrio fica:2)()()(23COeqPKgCOsCaOsCaCOExemplos:Equilbrios heterogneos

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Clculo das Constantes de Equilbrio

    Conhecendo todas as concentraes ou presses parciais no equilbrio;

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Conhecendo a concentrao ou presso parcial no equilbrio de pelo menos uma espcie: Tabelar os valores iniciais e de equilbrio; Calcular a variao das espcies conhecidas; Determinar a variao das outras substncias utilizando a estequiometria; Calcular as concentraes de equilbrio; Determinar Keq .Clculo das Constantes de Equilbrio

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • DemonstraoO trixido de enxofre decompe-se a alta temperatura em um recipiente selado: 2 SO3(g) 2 SO2(g) + O2(g). Inicialmente o recipiente abastecido a 1000 K com SO3(g) a uma presso parcial de 0,500 atm. No equilbrio, a presso parcial de SO3(g) 0,200 atm. Calcule o valor de Keq.2 SO3(g) 2 SO2(g) + O2(g)

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Aplicaes das Constantes de Equilbrio

    - Determinao do sentido para atingir o equilbrio;

    - Clculo das concentraes de reagentes e produtos durante o equilbrio.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Determinao do sentido para atingir o equilbrio Quociente da reao (Q) : Resultado obtido pela substituio das presses parciais ou concentraes dos produtos e reagentes na expresso da Keq. Q > Keq Equilbrio com mais reagentes (dir.esq.) Q < Keq Equilbrio com mais produtos (esq.dir.) Q = Keq Sistema em equilbrio.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Princpio de Le Chtelier

    Um sistema em equilbrio perturbado pela variao de temperatura, presso ou concentrao de um dos componentes; o sistema desloca sua posio de equilbrio de tal forma a neutralizar o efeito do distrbio.Denominado por princpio de deslocamento de equilbrio.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Influncia da Variao de Presso (P) P (Volume) : Equilbrio deslocado para o sentido da reao que possui menor quantidade gasosa.

    P (Volume) : Equilbrio deslocado para o sentido da reao que possui maior quantidade gasosa.

    Exemplo: N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g) 4 mols 2 mols

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Influncia da Variao de Temperatura (T) T : Equilbrio deslocado no sentido da reao endotrmica.

    T : Equilbrio deslocado no sentido da reao exotrmica.

    Exemplo: PCl5 (g) PCl3(g) + Cl2(g) H = 87,9 kJ Reao direta = endotrmica. Reao inversa = exotrmica.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Influncia da Concentrao [C] [C] : Equilbrio deslocado no sentido de consumir essa substncia.

    [C] : Equilbrio deslocado no sentido de produzir essa substncia. Exemplo: N2(g) + 3 H2(g) 2 NH3(g)

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Influncia dos Catalisadores Aumenta a velocidade para o equilbrio ser atingido, mas NO modifica a composio da mistura em equilbrio.

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

  • Referncia BibliogrficaQumica: A Cincia Central, 9 ed. Brown, LeMay, Bursten

    Artur C. 16993 Lucas A. 17011

    *