Click here to load reader

As Vanguardas Europeias e telejornalismo_Premio Professor

  • View
    32

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of As Vanguardas Europeias e telejornalismo_Premio Professor

MINISTRIO DA EDUCAO (MEC) PRMIO PROFESSORES DO BRASIL 6 EDIOESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MDIO RUBENS DUTRA SEGUNDOPROFESSOR: ROSEVAN MARCOLINO DE ANDRADE MAT. 673568-1 DISCIPLINA: LNGUA PORTUGUESA

TTULO: AS VANGUARDAS EUROPEIAS E TELEJORNALISMO: UMA EXPERINCIA COM GNEROS ORAIS NO 3 ANO DO ENSINO MDIO

RELATRIO FINAL 6 PRMIO PROFESSORES DO BRASIL

ENDEREO DO PROFESSOR: RUA DO SOL, 1377, SANTA ROSA CAMPINA GRANDE - PB CEP. 58416-540 FONES DE CONTATO: (83) 8834-6288 / 9134-5948 e-mail: [email protected]

CAMPINA GRANDE 2012

MINISTRIO DA EDUCAO (MEC) PRMIO PROFESSORES DO BRASIL 6 EDIO

PROFESSOR: ROSEVAN MARCOLINO DE ANDRADE

TTULO: AS VANGUARDAS EUROPEIAS E TELEJORNALISMO: UMA EXPERINCIA COM GNEROS ORAIS NO 3 ANO DO ENSINO MDIO

Relatrio apresentado ao Ministrio da Educao (MEC) como forma para concorrer ao Prmio Professores do Brasil 6 Edio

CAMPINA GRANDE 2012

As Vanguardas Europeias e telejornalismo: uma experincia com gneros orais no 3 ano do Ensino MdioRosevan Marcolino de Andrade (E. E. E. F. M. Rubens Dutra Segundo) Resumo: De um modo inovador, trabalhamos o contedo de Literatura: "As Vanguardas Europeias" na turma do 3 ano do Ensino Mdio. Os alunos elaboraram o gnero oral: telejornal com entrevistas e reportagens. Tudo foi filmado e editado, culminando com a gravao de um DVD com o telejornal apresentado por todos os alunos da turma. Esta experincia proporcionou a integrao da Literatura, Anlise Lingustica e Produo Textual. Justificativa Os gneros so unidades lingusticas concretamente definidas por particularidades scio-comunicativas. Segundo MARCUSCHI (2001:19), gneros textuais so as entidades scio-discursivas e formas de ao social incontornveis em qualquer situao comunicativa, caracterizando-se como eventos maleveis, dinmicos e plsticos. Assim, cada realizao lingustica socialmente influenciada, caminha em paralelo com o ritmo de uso intenso das inovaes tecnolgicas, o que resulta no surgimento contnuo de novos gneros sejam eles orais ou escritos. A ltima afirmao acima se revela verdadeira, pois percebemos que no nosso dia-a-dia surgem novos gneros de acordo com as transformaes das situaes scio-comunicativas ao longo da histria. Com isso, h uma necessidade de novas materializaes lingsticas capazes de representar situaes as quais precisam ser expressas socialmente, quer sejam orais ou escritas. Diante do exposto, percebemos que, por apresentarem-se de uma forma concreta em nosso cotidiano, as atividades de leitura/escrita e produo dos gneros textuais orais ou escritos voltados para a Anlise Lingstica (AL), tornam-se imprescindveis ao desenvolvimento das capacidades cognitivas e sociais do aluno. Dessa forma, quando dominamos um gnero textual, no dominamos uma forma lingstica e sim uma forma de realizar linguisticamente objetivos em situaes sociais particulares. MARCUSCHI (2001:29). Vale salientar que em nosso trabalho, priorizaremos no apenas a apresentao dos gneros escritos, mas sim a elaborao e exposio de gneros orais. Diante das dificuldades de sistematizar estudos na rea de Lngua Portuguesa no Ensino Mdio que contemple os trs eixos de estudo Literatura, Anlise Lingustica e Produo Textual de maneira simultnea que nasce o nosso projeto. Nesse sentido, pretendemos atravs de um trabalho interdisciplinar abarcar as questes referentes aos nveis de linguagem (formal, informal e semi-formal), bem como proporcionar a compreenso das Vanguardas Europeias em seus respectivos contextos, tendo todo o estudo voltado para a produo de um Telejornal com entrevistas sobre a temtica proposta. Dessa maneira, fugiremos dos modelos tradicionais de seminrios que favorecem apenas a fragmentao do conhecimento. Realizamos nossa experincia na Escola Estadual de Ensino Fundamental e

Mdio Rubens Dutra Segundo, situada na zona rural de Campina Grande PB, com alunos do 3 ano do Ensino Mdio.

Objetivos Objetivo Geral: Promover o ensino-aprendizagem baseado na prtica de gneros orais, especificamente o telejornal e a entrevista, fazendo com que o aluno reflita e compreenda os vrios nveis de linguagem (formal e informal), principalmente, tudo isso visando o processo interdisciplinar de compreenso das Vanguardas Europeias em seus respectivos contextos.

Objetivos Especficos: Reconhecer as Vanguardas Europeias e suas influncias no contexto artstico da poca e na atualidade; Elaborar o texto-base para a apresentao do Telejornal; Compreender o funcionamento e a importncia dos marcadores conversacionais; Entender os diferentes nveis de linguagem e suas utilizaes nos diversos contextos.

Contedos Curriculares: Literatura: - As Vanguardas Europeias Produo Textual: - Gnero oral: Telejornal e entrevista. Anlise Lingustica: - Variao Lingustica: Linguagem Formal e Informal; Metodologia Nosso trabalho foi dividido e planejado em 10 encontros da seguinte forma: distribudos

ENCONTRO 1 (02/09) - EXPOSIO DO PROJETO E AS DIRETRIZES DE DESENVOLVIMENTO DO TRABALHO Neste primeiro encontro, foi apresentado aos alunos o projeto: Vanguardas Europeias e Telejornalismo: uma experincia com gneros orais no 3 ano do Ensino Mdio. Inicialmente, os alunos no demonstraram muito

entusiasmo em desenvolver o projeto, porm, com o decorrer da aula, os alunos foram mudando de perspectiva e se envolvendo das discusses de maneira gradativa. Foi proposto o sorteio dos temas propostos e a separao dos alunos em 5 grupos que se reuniriam posteriormente nas aulas subsequentes. ENCONTRO 2 (06/09) EM GRUPOS, A TURMA REALIZOU A LEITURA E ELABORAO DOS FICHAMENTOS INDIVIDUAIS DO ASSUNTO DE CADA GRUPO; Aps a turma estar dividida em grupos, cada componente desses grupos se empenhou em ler e estudar o captulo do livro didtico que versa sobre as Vanguardas Europeias. Foi proposto ainda aos alunos que fizessem um fichamento, visando fixao do contedo em forma de tpicos por parte de cada integrante dos grupos. Para tanto, foi explicada a estrutura de um fichamento para facilitar a elaborao pelos alunos. ENCONTRO 3 (09/09) DISCUSSO DO TEXTO-BASE CONTENDO O RESUMO TOPICALIZADO DE TODAS AS VANGUARDAS EUROPEIAS, A SABER: O CUBISMO, FUTURISMO, EXPRESSIONISMO, DADASMO E SURREALISMO; Entreguei aos alunos um resumo com os principais pontos, elaborado a partir dos fichamentos entregues por eles. Foi comentado cada ponto sobre cada Vanguarda de modo dialogal, deixando claro o contexto histrico e as principais caractersticas. Os alunos levantaram alguns questionamentos a respeito do assunto e compreenderam os pontos necessrios sobre o contedo. ECONTROS 4 (13/09) E 5 (16/09) PR-APRESENTAO DAS PROPOSTAS PARA O TELEJORNAL, EXPOSIO DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DO TEXTO QUE DAR BASE AO TELEJORNAL E ENTREVISTAS, DISCUSSO SOBRE LINGUAGEM FORMAL, INFORMAL E SEMI-FORMAL, PERCEBENDO AS SUAS DIFERENAS; No encontro 4, foi apresentado aos alunos a estrutura de um telejornal, ressaltando-se a organizao em blocos e a utilizao da linguagem formal ou semi-formal. Deixei claro para eles que para a apresentao do Telejornal, os reprteres eram guiados por roteiros/esquemas que facilitam a exposio oral e que a linguagem utilizada na apresentao poderia variar entre a formal e a semi-formal. Em seguida, os alunos elaboraram os seus roteiros e ficou decidido que cada Vanguarda Europeia seria apresentada como se fosse cada bloco do Telejornal que ficou intitulado, a partir das sugestes dos alunos como: Jornal RDS. O reprter principal do telejornal seria o professor que mediaria todos os assuntos que seriam apresentados. Durante o Encontro 5, os alunos fizeram uma pr-apresentao do telejornal em forma de ensaio para as gravaes definitivas que comporo o Telejornal. Embora os alunos tenham ficado um pouco tmidos conseguiram

ensaiar e cada grupo exps sobre o tema que foi sorteado no incio do trabalho. Nesse encontro, ainda foram definidas como seria organizado e ornamentado o Studio onde os alunos iriam gravar. Um aluno trouxe uma toalha para cobrir o bir utilizado para ser a mesa de apoio aos apresentadores. Outra aluna ficou incumbida de trazer uma cortina vermelha para compor o plano de fundo, e outra aluna confeccionou um letreiro com as iniciais do telejornal JRDS. Tudo foi montado pelos prprios alunos que se sentiram motivados em participar dessa experincia mpar, nunca vivenciada por eles no contexto escolar. ENCONTRO 6 (20/09), 7 (23/09) e 8 (24/09) GRAVAO DO TELEJORNAL E ENTREVISTAS PELOS 05 (CINCO) GRUPOS; Durante estes trs encontros, os alunos se organizaram de maneira a apresentarem seus blocos do telejornal. O primeiro, formado pelos alunos: Ricardo Dias, Elisngela N. Dias e Ana Clia N. Dias que apresentaram uma entrevista sobre o Cubismo, na qual a ltima aluna foi a entrevistadora e os demais foram entrevistados, apresentando os conhecimentos a respeito do tema proposto. O segundo grupo, composto por Welison Monteiro, Alba Lcia e Incia Cristina apresentaram uma rodada de perguntas sobre o Futurismo, sendo o primeiro aluno o mediador e as outras alunas as especialistas que iriam responder s perguntas. O grupo 3, composto por Jssica Almeida, Maria Dionsio e Jos Anderson, respondeu questes sobre o Expressionismo. Porm, a primeira integrante do grupo, a aluna Jssica Almeida se recusou a apresentar e infelizmente no obteve a nota equivalente a apresentao para a gravao do telejornal. O prximo grupo, o nmero 4, versou sobre o Dadasmo e produziu uma rodada de perguntas dos internautas a respeito desse tema, e tambm uma receita que expunha uma receita de como fazer um poema nos moldes do Dadasmo? Este grupo era formado pelos alunos Lucas de Assis (entrevistado), Jlio Gonzaga (Mediador das discusses) e Jssica Gomes (apresentadora da seo Receitas da Dad). E, por fim, a quinta equipe formada por lvaro Itamar, Wanderley Feitosa e Daniele Silva apresentou consideraes sobre o Surrealismo. O aluno Wanderley foi o mediador das perguntas direcionadas aos entrevistados (lvaro Itamar e