Ass©dio moral : conhecer, prevenir, .Bras­lia – DF 2015 Ass©dio Moral conhecer, prevenir, cuidar

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Ass©dio moral : conhecer, prevenir, .Bras­lia – DF 2015 Ass©dio...

  • Braslia DF2015

    Assdio Moralconhecer, prevenir, cuidar

    MINISTRIO DA SADE

    Biblioteca Virtual em Sade do Ministrio da Sadewww.saude.gov.br/bvs

    9 7 8 8 5 3 3 4 2 2 7 7 3

    ISBN 978-85-334-2277-3

  • Braslia DF2015

    Assdio Moralconhecer, prevenir, cuidar

    MINISTRIO DA SADE

  • Braslia DF2015

    Assdio Moralconhecer, prevenir, cuidar

    MINISTRIO DA SADESecretaria-Executiva

    Subsecretaria de Assuntos Administrativos

  • Braslia DF2015

    Assdio Moralconhecer, prevenir, cuidar

    MINISTRIO DA SADESecretaria-Executiva

    Subsecretaria de Assuntos Administrativos

  • 2015 Ministrio da Sade.Esta obra disponibilizada nos termos da Licena Creative Commons Atribuio No Comercial Compartilhamento pela mesma licena 4.0 Internacional. permitida a reproduo parcial ou total desta obra, desde que citada a fonte. A coleo institucional do Ministrio da Sade pode ser acessada, na ntegra, na Biblioteca Virtual em Sade do Ministrio da Sade: . O contedo desta e de outras obras da Editora

    do Ministrio da Sade pode ser acessado na pgina: .

    Tiragem: 1 edio 2015 10.000 exemplares

    Elaborao, distribuio e informaes:MINISTRIO DA SADESecretaria-ExecutivaSubsecretaria de Assuntos AdministrativosCoordenao-Geral de Gesto de PessoasEsplanada dos Ministrios, bloco G, anexo, ala B, sala 304Tels.: (61) 3315-2505 / 3315-2679E-mail: cgesp.ms@saude.gov.br

    Organizao e elaborao:Coordenao-Geral de Gesto de PessoasElizabete Vieira Matheus da SilvaRosangela Franzese

    Colaborao:Danielle de Oliveira Magalhes SantosGabriela Carvalho AquinoMesa Setorial de Negociao Permanente do Ministrio da Sade (MSNP/MS)

    Editora responsvel:MINISTRIO DA SADESecretaria-ExecutivaSubsecretaria de Assuntos AdministrativosCoordenao-Geral de Documentao e InformaoCoordenao de Gesto EditorialSIA, Trecho 4, lotes 540/610CEP: 71200-040 Braslia/DFTels.: (61) 3315-7790 / 3315-7794Fax: (61) 3233-9558Site: http://editora.saude.gov.brE-mail: editora.ms@saude.gov.br

    Equipe editorial:Normalizao: Daniela Ferreira Barros da SilvaReviso: Tatiane Souza e Khamila SilvaCapa, projeto grfico e diagramao: Marcos Melquades

    Impresso no Brasil / Printed in Brazil

    Ficha CatalogrficaBrasil. Ministrio da Sade. Secretaria-Executiva. Subsecretaria de Assuntos Administrativos.

    Assdio moral : conhecer, prevenir, cuidar / Ministrio da Sade, Secretaria-Executiva, Subsecretaria de Assuntos Administrativos. Braslia : Ministrio da Sade, 2015.

    28 p. : il.

    ISBN 978-85-334-2277-3

    1. Dano Moral. 2. Doenas Profissionais. 3. Comportamentos Sociais. I. Ttulo.CDU 614:331.1

    Catalogao na fonte Coordenao-Geral de Documentao e Informao Editora MS OS 2015/0307

    Ttulos para indexao:Em ingls: Moral harassment: knowing, preventing, caringEm espanhol: Asedio moral: conocer, prevenir, cuidar

  • APRESENTAO .......................................................................................................................... 7

    CONHECER ........................................................................................................................................ 9

    Assdio Moral definies .......................................................................................................................... 10

    Diferenas entre assdio e conflito ....................................................................................................... 11

    As consequncias do assdio moral ................................................................................................... 12

    Assdio moral um processo ................................................................................................................... 14

    Assdio moral crime .................................................................................................................................... 15

    PREVENIR ........................................................................................................................................ 17

    CUIDAR ............................................................................................................................................... 21

    RECADO FINAL ............................................................................................................................ 23

    PARA SABER MAIS .................................................................................................................. 25

    REFERNCIAS .............................................................................................................................. 27

    SUMRIO

  • 7

    O Sistema nico de Sade (SUS), a maior poltica de incluso social do Pas, necessita da efetividade de polticas pblicas especficas e intersetoriais para assegurar a universalidade, a qualidade e a equidade da promoo, da proteo e da recuperao da sade de seus cidados. Apesar dos grandes desafios, o SUS avana como poltica que produz cidadania e hoje o terceiro setor produtivo do Pas, criando empregos e tecnologias.

    Um dos desafios colocados para o fortalecimento do SUS uma gesto compartilhada e participativa, que possibilite a valorizao do trabalho no SUS e a criao de vnculo dos trabalhadores com a populao e os servios pblicos de sade.

    Este desafio est colocado tambm ao Ministrio da Sade como gestor federal do SUS, onde os processos de trabalho no incluem o contato direto com usurios e territrios, o que o torna imprescindvel a existncia dos dispositivos de cogesto e de valorizao do trabalho e do trabalhador, para que este ltimo assuma o protagonismo e construa sentido e significado para seu trabalho; vinculado ao direito sade dos cidados.

    Este o objetivo estratgico da gesto do trabalho no mbito do MS, por meio da Coordenao-Geral de Gesto de Pessoas (CGESP): promover espaos/processos de participao dos trabalhadores nas decises, nos rumos e nos resultados do prprio trabalho, como sujeitos e protagonistas na produo de sade e na defesa da vida, trazendo este significado para o trabalho burocrtico na gesto federal do SUS.

    Integra este objetivo o desenvolvimento de aes de promoo da sade do trabalhador do Ministrio da Sade, favorecendo a criao e a manuteno de ambientes de trabalho seguros e saudveis em suas mltiplas dimenses.

    APRESENTAO

  • Ministrio da Sade

    8

    Nesta direo, apresentamos a publicao: Assdio Moral: Conhecer, Prevenir, Cuidar, com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre este tema, divulgar as aes de cuidado e fortalecer as estratgias de preveno, com vistas reduo sistemtica das ocorrncias de assdios e violncias no ambiente de trabalho.

    Que juntos possamos construir relaes de trabalho saudveis e prazerosas, criando ambientes de trabalho onde a diversidade seja respeitada, combatendo todas as formas de violncia.

    Ministrio da Sade

  • 9

    O trabalho um processo que constitui a especificidade humana e, por isso, no se reduz atividade laborativa ou emprego, mas produo de todas as dimenses da vida. Na sua dimenso mais importante, o trabalho aparece como atividade que responde produo dos elementos necessrios e indispensveis sobrevivncia dos seres humanos. Ao mesmo tempo, responde s necessidades de sua vida intelectual, cultural, social, esttica, simblica, ldica e afetiva (PEREIRA; LIMA, 2008).

    Sade e trabalho esto integrados e pertencem vida de todos, apresentando-se de forma indissocivel no cotidiano e nas rotinas. Fica difcil determinar quando o trabalho termina e a vida pessoal comea, j que a sade pertence vida e extrapola a profisso/ocupao/trabalho.

    Relaes profissionais saudveis so frutos de ambientes em que o respeito e a tica fazem parte do cotidiano. Embora tais valores sejam fundamentais, vrios fatores no contexto contemporneo decorrente das mudanas no mundo do trabalho tm contribudo para o aumento da violncia nos espaos institucionais. As situaes de violncia nas relaes institucionais so problemas presentes em todas as pocas, porm o tipo de violncia no trabalho tem se alterado e intensificado, acompanhando a configurao das relaes econmicas e sociopolticas, como a competio intensa favorecida pela globalizao (HELOANI, 2011).

    Muitos estudos (FREITAS; HELOANI; BARRETO, 2008) apontam que tal violncia produto da organizao do trabalho e agravada por polticas de gesto no participativas, que trazem para o cenrio das organizaes formas de gerir que utilizam de presso psicolgica e conduta hierrquica abusiva, caracterizando a violncia moral, fenmeno conhecido como Assdio Moral. Humilhaes, constrangimentos, discriminaes, agresses honra e dignidade podem estar

    CONHECER

  • Ministrio da Sade

    10

    presentes na organizao do trabalho, tanto na iniciativa privada como no servio pblico. So aes que retiram do trabalhador a sua capacidade de criao e a satisfao provocando dor e sofrimento.

    Assdio Moral definies

    O assdio moral pode ser definido como uma conduta abusiva, intencional, frequente e repetida, que ocorre no ambiente de trabalho e que visa diminuir, humilhar, vexar, constranger, desqualificar e demolir psiquicamente um indivduo ou um grupo, degradando as suas condies de trabalho, atingindo a sua dignidade e colocando em risco a sua integridade pessoal e profissional (FREITAS; HELOANI; BARRETO, 2008).

    Apresenta-se como uma forma de gerir e controlar os processos de trabalho que causa consequncias negativas para a sade fsica e mental do trabalhador, degradando o ambiente de trabalho, as relaes profissionais e o desempenho organizacional.

    A pesquisadora e psicanalista francesa Marie-France Hirigoyen, em trabalho publicado em 2002, classifica o assdio moral em quatro categorias: isolamento, dignidade violada, atentado s condies de trabalho e violncia verbal, fsic