Ativismo Judicial No Brasil

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Ativismo Judicial No Brasil

  • 7/30/2019 Ativismo Judicial No Brasil

    1/33

    SOLIANO, Vitor. Ativismo judicial no Brasil: uma definio. Revista Eletrnica Direito e Poltica,Programa de Ps-Graduao Stricto Sensu em Cincia Jurdica da UNIVALI, Itaja, v.8, n.1, 1quadrimestre de 2013. Disponvel em: www.univali.br/direitoepolitica - ISSN 1980-7791

    590

    ATIVISMO JUDICIAL NO BRASIL: UMA DEFINIO

    JUDICIAL ACTIVISM IN BRAZIL: A DEFINITION

    Vitor Soliano1

    SUMRIO: Introduo; 1 Criatividade como fator inescapvel da atividadejudicante; 2 Normatividade constitucional e adoo do substancialismo: o papeldo poder judicirio no constitucionalismo contemporneo; 3 Ativismo judicial:

    uma definio; Consideraes Finais; Referncias das Fontes Citadas.

    RESUMO

    O presente ensaio procura estabelecer uma delimitao conceitual de AtivismoJudicial no contexto do constitucionalismo contemporneo a partir de umaabordagem terica. Entendendo que essa conceituao passa pelo abandono deconcepes metodolgicas ingnuas ou ultrapassadas, pela adequao s opesinstitucionais feitas ao longo da histria e atual feio do constitucionalismo epela conscincia do quadro estrutural e normativo desenhado pelo ordenamentoptrio, conclui pelo carter prioritariamente epistmico da noo de AtivismoJudicial aduzindo que este envolve a ausncia de controle da criatividade domomento decisrio acarretando a perda de autonomia do sistema jurdico.

    PALAVRAS-CHAVE: Ativismo Judicial. Hermenutica. Autonomia do sistema.

    ABSTRACT

    This essay aims to establish a conceptual delimitation of Judicial Activism in thecontext of contemporary constitutionalism and from a theoretical approach.Understanding that this concept needs the abandonment of naive or outdatedmethodological concepts, the adequacy of choices made throughout history andthe current feature of constitutionalism and the awareness of the structural andregulatory framework designed by the paternal order, the essay states that thecharacter of the notion of Judicial Activism has a epistemic priority adding thatthis involves the lack of control of the creativity of the moment decision resultingin the loss of autonomy of the legal system.

    KEYWORDS: Judicial Activism. Hermeneutics. System autonomy.

    1 Mestrando em Direito Pblico pela Universidade Federal da Bahia UFBA. Bolsista da Coordenao de

    Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior CAPES. Especialista em Direito Pblico peloJusPodivm/Faculdade Baiana de Direito. Bacharel em Direito pela Universidade Salvador UNIFACS.Advogado. Email: [email protected]

  • 7/30/2019 Ativismo Judicial No Brasil

    2/33

    SOLIANO, Vitor. Ativismo judicial no Brasil: uma definio. Revista Eletrnica Direito e Poltica,Programa de Ps-Graduao Stricto Sensu em Cincia Jurdica da UNIVALI, Itaja, v.8, n.1, 1quadrimestre de 2013. Disponvel em: www.univali.br/direitoepolitica - ISSN 1980-7791

    591

    INTRODUO

    Nos ltimos anos uma temtica at ento estranha s preocupaes dos

    constitucionalistas brasileiros passou a ser assunto fundamental. Trata-se do

    Ativismo Judicial.

    Atribui-se o surgimento da expresso (Judicial Activism) a um artigo da autoria

    de um jornalista estadunidense chamado Arthur Schlesinger Jr. publicado em

    janeiro de 1947 na revista Fortune. O autor, em seu texto, analisava a atuao

    da Suprema Corte daquele pas em relao ao controle de constitucionalidade

    das leis do New Dealdo Presidente Roosevelt. Segundo ele haviam dois grupos

    de juzes: os ativistas e os que apregoavam a autoconteno judicial2. A

    expresso, portanto, surge sem preocupaes cientficas e, desde ento, passou

    a designar uma determinada forma de atuao judicial.

    Parece incontroverso dizer que s possvel falar em Ativismo Judicial no Brasil a

    partir da Constituio Cidad

    3

    . At ento a atuao do Poder Judicirio na defesae concretizao das normas constitucionais era altamente reduzida. S a partir

    da que conceitos como Supremocracia passam a fazer sentido4.

    Este texto constitucional colocou, portanto, uma srie de questes novas ao

    constitucionalismo brasileiro. Dentre elas deve destaca-se a progressiva

    judicializao da poltica e, principalmente, o Ativismo Judicial.

    Luis Roberto Barroso faz uma conhecida distino entre as duas expresses. Para

    o autor a judicializao uma consequncia inevitvel do modelo de constituio

    e de Estado adotado pelo Brasil em 1988. Trata-se da transferncia, para o

    Poder Judicirio, de diversas questes antes afeitas s instncias polticas. Afirma

    que a redemocratizao, a constitucionalizao abrangente e o sistema de

    2 LEAL, Saul Tourinho. Ativismo ou Altivez? O outro lado do Supremo Tribunal Federal. Belo Horizonte:Editora Forum, 2010, p. 24 e 32.

    3 Nesse sentido STRECK, Lenio Luiz. O que isto decido conforme minha conscincia? Porto Alegre: Livraria

    do Advogado, 2010, p. 23-24.4 VIEIRA, Oscar Vilhena. Supremocracia. Revista de Direito GV. So Paulo, 4(2), jul/dez 2008, p. 441-464.

  • 7/30/2019 Ativismo Judicial No Brasil

    3/33

    SOLIANO, Vitor. Ativismo judicial no Brasil: uma definio. Revista Eletrnica Direito e Poltica,Programa de Ps-Graduao Stricto Sensu em Cincia Jurdica da UNIVALI, Itaja, v.8, n.1, 1quadrimestre de 2013. Disponvel em: www.univali.br/direitoepolitica - ISSN 1980-7791

    592

    controle de constitucionalidade adotado por ns impulsionam para esse

    fenmeno5.

    O Ativismo, em outro giro, estaria relacionado a uma escolha, uma forma de

    interpretar e aplicar a Constituio. Estaria marcado pela aplicao direta do

    Texto Magno, pela declarao de inconstitucionalidade de leis com base em

    critrios pouco rgidos e pela imposio de condutas ou de abstenes ao Poder

    Pblico, notadamente em matria de polticas pblicas6

    A obra monogrfica produzida no Brasil mais importante sobre o tema

    certamente o livro do professor Elival da Silva Ramos7. No obstante noconcordarmos com alguns de seus pressupostos tericos, conforme ficar claro

    ao final, parece imprescindvel trazer a conceituao de Ativismo Judicial do

    renomado autor:

    Ao se fazer meno ao ativismo judicial, o que se est areferir ultrapassagem das linhas demarcatrias da funo

    jurisdicional, em detrimento principalmente da funolegislativa, mas, tambm, da funo administrativa e, atm

    mesmo, da funo de governo. [...] da descaracterizao dafuno tpica do Poder Judicirio, com incurso insidiosasobre o ncleo essencial de funes constitucionalmenteatribudas a outros Poderes8.

    E em outra passagem:

    por ativismo judicial deve-se entender o exerccio da funojurisdicional para alm dos limites impostos pelo prprio

    ordenamento que incumbe, institucionalmente, ao Poderjudicirio fazer atuar, resolvendo litgios de feiessubjetivas (conflitos de interesse) e controvrsias jurdicasde natureza objetiva (conflito normativo). H, como visto,uma sinalizao claramente negativa no tocante s prticas

    5 BARROSO, Lus Roberto. Judicializao, Ativismo Judicial e Legitimidade Democrtica. In MIRANDACOUTINHO, Jacinto Nelson; FILHO, Roberto Fragale; LOBO, Ronaldo (org.). Consticuio & AtivismoJudicial. Limites e possibilidades da norma constitucional e da deciso judicial. Rio de Janeiro: Lumen Juris,2011, p. 276-278.

    6 BARROSO, Lus Roberto. Judicializao, Ativismo Judicial e Legitimidade Democrtica, p. 279.

    7 RAMOS, Elival da Silva. Ativismo judicial: parmetros dogmticos. So Paulo: Saraiva, 2010.8 RAMOS, Elival da Silva. Ativismo judicial: parmetros dogmticos, p. 116-117, destaque do original.

  • 7/30/2019 Ativismo Judicial No Brasil

    4/33

    SOLIANO, Vitor. Ativismo judicial no Brasil: uma definio. Revista Eletrnica Direito e Poltica,Programa de Ps-Graduao Stricto Sensu em Cincia Jurdica da UNIVALI, Itaja, v.8, n.1, 1quadrimestre de 2013. Disponvel em: www.univali.br/direitoepolitica - ISSN 1980-7791

    593

    ativistas, por importarem na desnaturao da atividadetpica do Poder Judicirio, em detrimento dos demaisPoderes9.

    Parece-nos que esta conceituao, embora aparentemente correta, incompleta.

    A nossa proposta demonstrar que a delimitao conceitual de Ativismo Judicial

    possui um fundo muito mais terico do que emprico ou visvel e intimamente

    ligado com o momento da deciso judicial10.

    A busca pela delimitao conceitual do Ativismo Judicial ou pela caracterizao

    de uma postura judicante ativista deve perpassar, em nosso sentir, por trs

    questes: abandono de concepes metodolgicas ingnuas ou ultrapassadas;adequao s opes feitas ao longo da histria e atual feio do

    constitucionalismo e; conscincia do quadro institucional e normativo desenhado

    pelo ordenamento ptrio. O foco do presente estudo so as duas primeiras

    questes. A terceira ser referida brevemente.

    Quando falamos em cincia do quadro institucional e normativo queremos nos

    referir cara que foi dada (e por quem foi dada) ao Poder Judicirio brasileiro

    e, principalmente, ao Supremo Tribunal Federal. Ou seja, se Ativismo Judicial

    significa, mesmo em sentido amplo, interferncia do Poder Judicante em reas

    reservadas tradicionalmente aos poderes representativos preciso averiguar

    como, normativa e institucionalmente, isso foi possvel.

    Um rpido exame na estrutura constitucional e legal revela que o aumento dos

    poderes do Poder Judicirio no se deve exclusivamente a ele, mas,

    principalmente quele que sofre mais com o Ativismo: o Poder Legislativo. Seno

    vejamos.

    No foi o Judicirio quem decidiu que cabe ao STF a guarda da Constituio. No

    foi o STF que se atribuiu a competncia de julgar, originariamente, Ao Direta

    de Inconstitucionalidade, Ao Declaratrias de Constitucionalidade, Ao de

    Descumprimento de Preceito Fundamental e a Ao Direta de

Search related